Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Polícia de Segurança Pública (PSP)

Tag Archives: Polícia de Segurança Pública (PSP)

Balanço da Campanha “Taxa Zero ao Volante”

A Campanha de Segurança Rodoviária “Taxa Zero ao Volante” da responsabilidade da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), decorreu nos dias 6 a 12 de julho e teve como objetivo alertar os condutores e todos os ocupantes dos veículos para os riscos da condução sob a influência do álcool.

Inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021, a campanha foi divulgada nos meios digitais e através de cinco ações de sensibilização da ANSR, realizadas em simultâneo com as operações de fiscalização realizadas pela GNR pela PSP, em Lisboa, Bragança, Vila Real, Gouveia e Setúbal.

Na campanha foram sensibilizados 365 condutores e passageiros a quem foram transmitidas as seguintes mensagens:

  • Com uma taxa de álcool no sangue de 0,5 g/l o risco de sofrer um acidente mortal duplica;
  • Os acidentes que decorrem da condução sob a influência do álcool são particularmente graves;
  • Conduzir sob a influência do álcool causa perturbações ao nível cognitivo e do processamento de informação, o que acarreta, entre outros efeitos, uma menor capacidade e rapidez de decisão, aumento do tempo de reação, diminuição do campo visual (visão em túnel) e descoordenação de movimentos.

Durante as operações das Forças de Segurança, realizadas entre os dias 6 e 12 de julho, foram fiscalizados 55.264 veículos, tendo sido registado um total de 14.341 infrações, das quais 622 relativas à condução sob o efeito do álcool.

Número de veículos fiscalizados Total de Infrações Infrações por condução sob a influência do álcool
GNR 32981 8605 537
PSP (22283), dos quais (18438) em território continental (5736), das quais (4853) em território continental (85), das quais (77) em território continental
Total Continental 55264 14341 622

No período da campanha, de 6 a 12 de julho, registou-se um total de 2195 acidentes, de que resultaram 9 vítimas mortais, 53 feridos graves e 756 feridos leves. Relativamente ao período homólogo de 2020, verificaram-se menos 92 acidentes, menos uma vítima mortal, mais sete feridos graves e mais nove feridos leves.

Esta campanha, simultaneamente implementada a nível nacional por todas as entidades envolvidas, foi mais um passo para o envolvimento dos condutores no desígnio de tornar a segurança rodoviária uma responsabilidade de todos.

Campanha “Cinto-me vivo” vai ser apresentada

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançam amanhã, dia 23 de junho, a Campanha de Segurança Rodoviária Cinto-me vivo” inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021. A decorrer entre os dias 23 a 29 de junho, a campanha tem como objetivo alertar os condutores e todos os ocupantes dos veículos para a importância de utilizarem sempre os dispositivos de segurança. Na última campanha sobre este tema, efetuada de 8 a 14 de setembro de 2020, as Forças de Segurança fiscalizaram 41.150 veículos tendo registado 1.180 infrações relativas ao à não utilização dos dispositivos de segurança, o que correspondeu a uma taxa de infração de 2,87%numa média de 169 infrações por dia.

Estudos científicos demonstram que numa colisão a 50 km/h, uma pessoa sem cinto é projetada exercendo uma força de duas toneladas, podendo causar trauma grave nos ocupantes do veículo, em particular os da frente. Numa colisão frontal à mesma velocidade, uma criança pode sofrer lesões equivalentes a uma queda de um terceiro andar. Está igualmente comprovado que o uso do capacete devidamente apertado e ajustado reduz em 40% o risco de morte em caso de acidente.

A campanha Cinto-me vivo” integrará:

  • Ações de sensibilização da ANSR;
  • Operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP, com especial incidência para vias e acessos com elevado fluxo rodoviário, de forma a contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores no que tange à utilização de dispositivos de segurança, designadamente cinto de segurança, sistemas de retenção de crianças e capacete.

As ações de sensibilização ocorrerão em simultâneo com operações de fiscalização nas seguintes localidades:

  • Dia 23 de junho, às 9h00:  Rua António Maria Jalles – Alenquer;
  • Dia 24 de junho, às 9h00: Rotunda da Cadeia (interceção da Avenida Dr. Gordinho Moreira com a Avenida Calouste Gulbenkian, Faro;
  • Dia 25 de junho, às 9h00: EN260, Km 0, Rotunda da Força Aérea, Beja;
  • Dia 28 de junho, às 9h00: Rua Vitorino Fróis, Caldas da Rainha;
  • Dia 29 de junho, às 9h00: Variante de Almeirim, Santarém.

A ANSR, a GNR e a PSP relembram que a utilização dos dispositivos de segurança é fundamental e apelam a todos para que os utilizem de forma correta:

  • Utilize sempre uma cadeirinha homologada e adaptada ao tamanho e peso da criança, devidamente instalada;
  • Utilize sempre o cinto de segurança, em todos os lugares do veículo, e em todos os percursos, mesmo nos de curta distância;
  • Use o capacete de modelo aprovado devidamente ajustado e apertado.

O Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária – PENSE 2020, o qual tem como desígnio “Tornar a Segurança Rodoviária uma prioridade para todos os Portugueses”, prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada.

Seia- Ação de atendimento de proximidade em matéria de armas pela PSP

Em Seia,  numa iniciativa Comando Distrital da PSP da Guarda acontece no dia 4 de junho, através do Núcleo de Armas e Explosivos, uma ação de atendimento de proximidade em matéria de armas. A ação vai ter lugar no Largo da Câmara, das 14h às 19h.

Esta iniciativa vai decorrer em vários pontos do distrito e visa auxiliar os cidadãos que residam mais distantes da capital de distrito e que pela sua idade ou mobilidade reduzida têm dificuldades em se deslocar às instalações policiais para procederem à legalização de armas.

Até 23 de junho, extraordinariamente, é possível a entrega voluntária ou regularização da posse de armas ilegais sem sancionamento (criminal ou contraordenacional), pelo que a PSP incentiva todas as pessoas que detenham armas sem manifesto que aproveitem esta oportunidade para as legalizar.

Quem não pretenda legalizar as armas de fogo, pode fazer a entrega a favor do Estado ou em alternativa, não tendo licença de uso e porte de arma, podem optar pela desativação das armas;

Neste mesmo período há ainda a possibilidade de regularizar os licenciamentos, sem que haja a aplicação de coima, nomeadamente para quem deixou caducar a licença ou para quem, recebendo a herança, não comunicou a existência das armas após o falecimento do familiar proprietário da arma;

Para todos aqueles que possuem armas legalizadas e já não fazem uso delas e as queiram entregar a favor do Estado ou proceder à sua venda ou desativação, a PSP aconselha a aproveitarem a presença da Unidade Móvel de Atendimento nas localidades abaixo indicadas, para regularizarem todas as questões relacionadas com o licenciamento.

O Comando Distrital da PSP da Guarda estará sempre disponível para auxiliar os cidadãos na resolução de problemas e apela à regularização da posse de qualquer arma, principalmente neste contexto especial que decorre até 23 de junho, podendo qualquer cidadão contactar-nos através do telefone 271208346 ou email nae.guarda@psp.pt, até 23 de junho, de armas ilegais sem sancionamento criminal ou contraordenacional.

Campanha de Segurança Rodoviária “Phone Off – A conduzir não uses o telemóvel”

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançam esta terça-feira, a  inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021.

A decorrer entre os dias 23 de fevereiro e 1 de março, a campanha tem como objetivo alertar os condutores para as consequências negativas e mesmo fatais do uso indevido do telemóvel durante a condução. Em 2020 foram registadas 23.038 infrações por manuseamento do telemóvel durante a condução, o que corresponde a uma média de cerca de 63 infrações por dia.

Estudos científicos equiparam o uso indevido do telemóvel à condução sob o efeito do álcool, com consequências muito parecidas na atenção e na capacidade de reação. Com o intuito de reduzir este comportamento, as alterações ao Código da Estrada, em vigor desde 8 de janeiro deste ano, duplicaram os valores das coimas, tendo passado os seus limites para €250 a €1.250, com subtração de 3 pontos na carta em vez dos 2, anteriormente previstos.

A campanha Phone Off – A conduzir não uses o telemóvel” integrará:

  • Ações de sensibilização da ANSR;
  • Operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP, com especial incidência para vias e acessos com elevado fluxo rodoviário, de forma a contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores no que tange à utilização de aparelhos eletrónicos.

As ações de sensibilização ocorrerão em simultâneo com operações de fiscalização nas seguintes localidades:

  • Dia 23 de fevereiro:  Zona da Expo, Lisboa;
  • Dia 24 de fevereiro: E.N. 4, Vendas Novas;
  • Dia 25 de fevereiro: Estrada dos Ciprestes, Setúbal;
  • Dia 26 de fevereiro: Rotunda A8, Saída de Óbidos.

A ANSR, a GNR e a PSP relembram que o uso do telemóvel ao volante é perigoso e apelam a todos que evitem este comportamento:

  • A utilização do telemóvel, durante a condução, aumenta 4 vezes o risco de ocorrência de acidente de viação;
  • A distração ocorre quando duas tarefas mentais, conduzir e utilizar o telemóvel, são executadas ao mesmo tempo o que provoca lapsos de atenção e erros de avaliação.
  • O uso de aparelhos eletrónicos durante a condução causa dificuldade na interpretação da sinalização e desrespeito das regras de cedência de passagem, designadamente em relação aos peões.

O Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária – PENSE 2020, o qual tem como desígnio “Tornar a Segurança Rodoviária uma prioridade para todos os Portugueses”, prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada.