Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: queijo serra da estrela

Tag Archives: queijo serra da estrela

Gouveia acolhe Mercado do Queijo nos dias 2 e 3 de abril

O Mercado do Queijo irá decorrer nos próximos dias 2 e 3 de abril, no renovado Mercado Municipal de Gouveia. O evento está direcionado para a comercialização e promoção do Queijo da Serra da Estrela.

O Mercado do Queijo irá reunir, durante dois dias, pastores, produtores e queijarias de Queijo da Serra da Estrela. A atividade visa reunir toda a fileira produtiva, implementando espaços de degustação e comercialização do principal queijo português.

O certame terá início no sábado, dia 2 de abril, pelas 10h00, com a inauguração do Mercado Municipal de Gouveia, seguindo-se um momento de animação cultural pelo Grupo de Concertinas de Gouveia.

Ao início da tarde, às 15h00, irá decorrer a Apresentação do Projeto “Queijeiras – As Guardiãs da Montanha”, numa parceria com a ADIRAM – Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede das Aldeias de Montanha. Seguir-se-á um showcooking de Borrego Serra da Estrela DOP, com o Chef António Batista, do Instituto de Gouveia – Escola Profissional.

Às 17h30 terá lugar a rubrica Conversas à Mesa, uma prova comentada sobre Queijo Serra da Estrela DOP que conta com a participação da EstrelaCoop – Cooperativa dos Produtores de Queijo Serra da Estrela. A participação nesta iniciativa carece de inscrição presencial no Posto de Turismo de Gouveia ou no Balcão de informações do Mercado do Queijo.

No final da tarde, a animação estará a cargo do Grupo de Concertinas de Folgosinho.

Á noite, pelas 21h30, o Teatro Cine de Gouveia irá ser palco do teatro musical “Monólogos da Vacina”, um espetáculo do comunicador João Baião.

No domingo, dia 3 de abril, o mercado abre as suas portas às 10h00, com as provas públicas de queijo e a demonstração de fabrico de Queijo Serra da Estrela DOP. O momento musical será protagonizado pelo Rancho Folclórico de Gouveia.

Durante a tarde irão decorrer dois showcookings, o primeiro, de “Queijo Serra da Estrela e Ovos”, irá ser ministrado pelo chef Flávio Silva e pelas 16h30 o Chef António Batista irá apresentar o showcooking de Queijo Serra da Estrela DOP.

Ainda durante a tarde de domingo, será apresentado o projeto “Abrigo Queijo Serra da Estrela DOP”, um programa desenvolvido em estreita colaboração com a freguesia de Vila Nova de Tazem. Trata-se de um projeto relevante, único a nível nacional, que surge do reconhecimento deste produto endógeno para a atividade turística do concelho e da região.

Terá ainda lugar, às 17h30, o Conversas à Mesa, com a participação de Alberto Pinto da Quinta da Espinhosa, numa prova comentada sobre Queijos Serra da Estrela DOP e Vinhos do Dão. A participação nesta iniciativa carece de inscrição presencial no Posto de Turismo de Gouveia ou no Balcão de informações do Mercado do Queijo.

O certame encerra com a atuação da Tocata do Rancho Folclórico de Vinhó às 18h00 e a oferta de papas de milho pelo Rancho Folclórico de Gouveia.

O Mercado do Queijo é uma iniciativa do Município de Gouveia que procura valorizar a fileira económica relacionada com a produção do Queijo da Serra da Estrela enquanto produto endógeno de relevância primordial para o concelho de Gouveia.

Feira do Queijo Serra da Estrela de Fornos de Algodres regressa de 25 a 27 de março

A Feira do Queijo Serra da Estrela de Fornos de Algodres está de regresso no final de março  em forma presencial, depois de ter decorrido nos últimos dois anos em formato digital, assim avançou , Manuel Fonseca,  presidente da Câmara à  Lusa.

Segundo o autarca fornense, nos dois anos anteriores, devido à pandemia, o certame foi realizado ‘online’, mas, este ano, “é previsível que a Feira do Queijo se realize no último fim de semana de março , dias 26 e 27”. Depois de dois anos de ausência, este ano entendemos que poderão estar reunidas as condições para realizar a Feira do Queijo”, disse o responsável, embora tenha sublinhado que a decisão final estará sempre dependente da evolução da pandemia.

A edição de 2022 da Feira do Queijo Serra da Estrela de Fornos de Algodres acontecerá num local alternativo, dado que o Mercado Municipal está em obras de remodelação.

O espaço que vai acolher o evento ainda não está decidido, mas o autarca admitiu que será numa rua da vila ou junto do edifício dos Paços do Concelho.

Neste momento, a nossa intenção é realizar a Feira do Queijo no final do mês de março. No entanto, temos que avaliar dia a dia, semana a semana, todas as situações”, rematou.

Na opinião de Manuel Fonseca, apesar de a sua autarquia conseguir ajudar os produtores na comercialização dos seus produtos, através na plataforma digital “obomsabordaserra.pt” (acessível em www.obomsabordaserra.pt), é importante que o certame anual regresse ao formato presencial para estimular a economia local.

O município de Fornos de Algodres faz parte da área geográfica de produção de queijo Serra da Estrela, que engloba 18 concelhos.

Segundo João Pina Gomes, do Gabinete Técnico de Apoio ao Ovinicultor, “a ovinicultura associada ao fabrico de queijo é uma das componentes económicas mais importantes do município de Fornos de Algodres, contribuindo decisivamente para o bem-estar da população e para o desenvolvimento sustentado do concelho”.

“Todas as freguesias do concelho de Fornos de Algodres são parte integrante da área da Região Demarcada de Produção do Queijo Serra da Estrela. Esta indústria caseira figura no primeiro plano, não só das atividades relacionadas com a vida rural, mas de todas atividades económicas do concelho, representando uma valiosa fonte de receitas para um município desfavorecido como é o caso de Fornos de Algodres”, referiu o responsável numa nota publicada na página oficial da internet do município.

De acordo com João Pina Gomes, o Queijo Serra da Estrela produzido no concelho de Fornos de Algodres “tem como base os sistemas tradicionais, quer de produção de leite, quer de produção de queijo”.

Feira do Queijo Serra da Estrela – Seia de 23 de Abril a 25 de Abril

A Feira do Queijo Serra da Estrela, que há 44 anos acontece em Seia, no fim de semana de Carnaval, irá realizar-se em abril, em virtude da incerteza das regras de gestão da pandemia.
O certame dedicado ao afamado queijo de ovelha, o Queijo Serra da Estrela DOP, a que se acoplam outros produtos endógenos (enchidos serranos, pão, mel, vinho…), e que iria decorrer entre os dias 26 de fevereiro e 1 de março, irá realizar-se nos dias 23, 24 e 25 de abril.
A decisão do adiamento da feira foi tomada esta quinta-feira pela Câmara Municipal, após reunião mantida com os produtores do concelho e as associações parceiras.
Analisadas as contrapartidas financeiras, sociais e económicas, face à evolução da situação pandémica e as contingências de segurança que teriam de ser implementadas, foi entendimento geral não estarem reunidas as condições favoráveis para a realização da feira, na data tradicional.
O Presidente da Câmara Municipal, Luciano Ribeiro, considera esta decisão assertiva e mais prudente, “pelos riscos acrescidos que nesta fase um evento desta dimensão e natureza poderá implicar, na propagação do vírus, e contrapondo o investimento associado a esta iniciativa para um número reduzido de pessoas.”

Webinar: Valorização Integrada do Cardo – DOP Serra da Estrela em Análise

A Estrelacoop – COOPERATIVA DE PRODUTORES DE QUEIJO SERRA DA ESTRELA, CRL está a organizar em conjunto com o Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo (CEBAL), o Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) e a Universidade de Évora (UÉvora), a 6ª sessão online do Roadshow Tecnológico intitulado “Valorização Integrada do Cardo – DOP Serra da Estrela em análise”.

A ação terá lugar no dia 6 de outubro pelas 17h00, em formato online via videoconferência Zoom. No programa consta a sessão de boas-vindas e a apresentação da Cynaratec, a caracterização bioquímica de cardosinas – do perfil enzimático ao coagulante personalizado, a mesa redonda: flor do cardo no Queijo Serra da Estrela DOP e as considerações finais. Para assistir basta efetuar a inscrição, gratuita, em: https://forms.gle/hJpZteKCqAFVmgYy8

Esta é uma iniciativa integrada no projeto Cynaratec – Transferência de Tecnologia para a Valorização do Cardo, que pretende unir investigadores, produtores e indústrias na valorização transversal do Cardo, desde a aptidão tecnológica da planta Cardo até ao seu valor económico. Esta sexta sessão, com enfoque no Queijo Serra da Estrela DOP e no potencial impacto económico da planta na região, tem como objetivos a disseminação e troca de novos conhecimentos e tecnologias na valorização da planta Cardo.

O roadshow tecnológico nacional “Valorização Integrada do Cardo” termina agora na região da Serra da Estrela, depois de ter passado por Azeitão, Serpa, Évora, Nisa e Castelo Branco. A sessão é aberta a todos os interessados na valorização deste recurso endógeno.

PROGRAMA

17h00 | Boas Vindas Roadshow Tecnológico
Fátima Duarte – CEBAL, MED

17h15| Cynaratec Tranferência Tecnológica na Valorização do Cardo Fátima Duarte – CEBAL, MED

17h30| Caracterização Bioquímica de Cardosinas – do perfil enzimático ao coagulante personalizado

Nuno Rosa – U. Católica P.

18h00| Mesa Redonda: Flor do cardo no Queijo Serra da Estrela DOP Dinamizado por Estrelacoop

19h30|Considerações Finais

Cristina Conceição – UÉvora, MED

“Ajudar a economia familiar”-Manuel Fonseca – Presidente da  Câmara Municipal de Fornos de Algodres

Em conversa com o Presidente do Município de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca, sobre a atualidade, com destaque para o Queijo Serra da Estrela que é rei nesta época do ano.

“Posso afirmar que somos o único Município, da área de intervenção da ESTRELACOOP, que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos. Estamos completamente em contraciclo com os restantes Municípios. Este indicador é demonstrativo que estamos a trabalhar no bom sentido.”

[Magazine Serrano – MS] Neste tempo de pandemia, os eventos físicos/locais estão cancelados, mas a nova edição da Feira do Queijo Serra da Estrela aconteceu online em março?
[Presidente Manuel Fonseca- MF]  Gostaria de começar esta entrevista por agradecer o convite e, dar os parabéns pelo trabalho que estão a desenvolver no nosso Concelho, à semelhança da restante comunicação social local.
Sim é verdade. Infelizmente vamos ter mais um ano sem a verdadeira Feira do Queijo Serra da Estrela. Vai faltar o calor humano, os grupos musicais, as tradições locais, a prova de Queijos, os abraços, os cheiros, as ovelhas, os cães Serra da Estrela … enfim, um conjunto de sensações que, por mais que os Municípios se reinventem, nada irá substituir a verdadeira Feira do Queijo Serra da Estrela.
No entanto e à semelhança do que aconteceu no ano transato, realizamos a nossa Feira do Queijo Serra da Estrela no formato online, com maior ênfase no mês de março.
Estando já familiarizados com o modelo existente, quer os produtores, quer os nossos técnicos, tenho plena consciência que iremos, desta forma, ajudar os nossos produtores a escoar o produto. Recordo que a existência destes novos mecanismos de venda, devem ter um só objetivo: ajudar a economia familiar.

MS-Tempos complicados, mas ainda existem muitos pastores a resistir em Fornos de Algodres. Como tem acompanhado esta atividade no nosso concelho?
MF-Tenho acompanhado de muito perto a atividade e, obviamente, os nossos pastores.
Por exemplo, a plataforma “O Bom Sabor da Serra”, felizmente, deu um novo ânimo aos nossos pastores e à sua economia. Esta minha afirmação está assente em dois princípios relevantes: por um lado, pelas conversas que tenho tido com os nossos produtores e, por outro lado, com o aumento do número de produtores, desde 2018 até à presente data. Crescemos 250% em produtores certificados!
Posso afirmar que somos o único Município, da área de intervenção da ESTRELACOOP, que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos. Estamos completamente em contraciclo com os restantes Municípios. Este indicador é demonstrativo que estamos a trabalhar no bom sentido.
Gostaria de destacar o papel fundamental e importante que a ESTRELACOOP tem neste setor. São eles e os nossos técnicos da Câmara Municipal que orientam, ajudam e estruturam os nossos produtores.

MS- Com a pandemia, muitas foram as medidas para apoiar a economia local, estão em prática neste momento as da 2ª fase. Que resenha faz da situação atual neste concelho?
MF- Considerando a situação pandémica vivida no nosso Concelho em virtude do Covid-19 e aos seus impactos negativos na economia local, o Executivo Municipal de Fornos de Algodres aprovou, por unanimidade, em reunião de câmara ordinária de 12/02/2021 o ”Programa “Fornos – Por Todos Nós [2.ª Fase]”.
Este programa estruturado em 28 medidas de apoio, já em execução, e com um pacote financeiro estimado de 360 mil euros, tem por base o apoio às entidades do Concelho, às Juntas de Freguesia, à proteção dos rendimentos das famílias, à educação e ao setor da Solidariedade.
Agora é importante que todas as empresas submetam a candidatura. Simplificámos os procedimentos para uma celeridade de transferências de verbas. Se existirem dúvidas, liguem para a Câmara Municipal que os nossos técnicos iram ajudar de imediato.

MS- A nível ambiental, Fornos de Algodres tem conquistado imensos feitos a nível da água, reciclagem, fruto de um bom trabalho da autarquia, que novidades podemos ter no futuro?
MF- Portugal tem um grande objetivo que será atingir a neutralidade carbónica em 2050. Logo, para o nosso País atingir essa meta, é necessário que cada Município, independentemente da sua dimensão, trabalhe as políticas ambientais. Nós, aqui em Fornos de Algodres, temos tido um trabalho muito focado em diferentes temáticas do setor ambiental, como é reconhecido em diferentes fóruns.
Os resultados já publicados, evidenciam o caminho que estamos a trilhar. Por exemplo: no setor da água em 2020, face a 2017, conseguimos reduzir as perdas de água em 9,6%. Isto equivale a uma elevada poupança financeira para o Município. Aliás, considerando a gestão em baixa, o Município de Fornos de Algodres destacou-se de todos os Municípios da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE), como o Município com perdas mais baixas. Este indicador da entidade reguladora do setor, na minha opinião, é um dos indicadores que revelam bem o caminho que estamos a trilhar.
Relativamente ao futuro, para além das temáticas que mencionou na sua questão, iremos focar-nos na temática dos biorresíduos – em articulação com o setor escolar – e na mobilidade sustentável.

MS-Este ano de 2021, vai ser ano de Eleições, mas também com novos projetos podem surgir e conclusão de outros já lançados?
MF-Relativamente às eleições teremos oportunidade, certamente, para abordar esse tema com maior detalhe.
No que diz respeito a obras para Fornos de Algodres queremos concluir a empreitada de “Requalificação da Escola de Figueiró da Granja”, uma aposta forte no setor na Educação e conforto para as nossas crianças, queremos ainda melhorar as condições do nosso Mercado Municipal, com “a requalificação do Mercado Municipal de Fornos de Algodres”, que se encontra em análise pelo Tribunal de Contas e, requalificar a Rua Dr. Fernando Menano que terá ligação ao Centro Escolar de Fornos de Algodres.
No setor económico queremos iniciar a construção da área de acolhimento empresarial de Juncais, uma obra extremamente estruturante para o nosso Concelho.
Como é habitual, iremos apoiar os Presidentes de Junta em necessidades levantadas por eles. Felizmente, existe uma grande articulação do executivo com os Presidentes de Junta, o que, é um sinal de união pelo bem-estar das nossas populações.

MS- Que mensagem deixa nesta fase do ano a todos os fornenses e comunidade em geral?
MF- Quero transmitir uma palavra amiga e cheia de solidariedade a todos os Fornenses, nesta fase menos positiva. Eu e a minha equipa estaremos sempre ao vosso lado pois, só unidos, faremos a verdadeira diferença.

Fornos de Algodres- Triplicaram os produtores de queijo com certificação DOP Serra da Estrela

Tem- se assistido a um aumento gradual da qualidade do Queijo Serra da Estrela em Fornos de Algodres, dado que, em dezembro de 2018 ,tinha dois produtores com certificação Serra da Estrela DOP.

Depois da aposta por parte do Município na criação da plataforma “O Bom Sabor da Serra” que pode ser visitada, através de um simples clique, em www.obomsabordaserra.pt., em março de 2019, começou a aumentar o numero de produtores que queriam certificar o seu produto.

O principal objetivo deste mecanismo foi ter uma loja online intuitiva, que conseguisse impulsionar os melhores sabores de Fornos de Algodres em Portugal e, ao mesmo tempo, valorizar a Região e o trabalho dos nossos produtores. 

Com esta alavanca, na época produtiva 2019/2020, no Município de Fornos de Algodres verificou-se um aumento de 250% de produtores de queijo a certificarem o seu produto, como Queijo DOP Serra da Estrela. 

Das 15 queijarias licenciadas à data existentes no Município de Fornos de Algodres, 5 já aderiram ao processo de certificação de queijo DOP Serra da Estrela. Todo o processo de certificação do Queijo Serra da Estrela foi suportado pela Câmara Municipal de Fornos de Algodres. 

Na área geográfica de produção de Queijo Serra da Estrela, que engloba 18 concelhos, e de acordo com os dados da ESTRELACOOP – Cooperativa dos Produtores de Queijo Serra da Estrelao Município de Fornos de Algodres é o único Município que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos, estando em contraciclo com os restantes Municípios. 

Nas  queijarias tradicionais a qualidade e a genuinidade são uma constante, no entanto para quem está longe e não pode visitar e comprovar localmente estas características, adquirir o queijo com certificação DOP Serra da Estrela e garantir a verdadeira qualidade nunca foi tão fácil: basta visitar a plataforma www.obomsabordaserra.pt. 

 

Feira Pastor e do Queijo pode acontecer mais à frente mediante evolução pandémica em Penalva

Em Penalva do Castelo, o queijo é muito importante, assim como a Feira do Pastor e do Queijo para os produtores de queijo do concelho , face a isso , o Município local pretende ainda realizar o certame mais à frente em março ou abril, agora tudo vai depender da evolução da pandemia COVID-19, para que o evento possa acontecer dentro das normas de Segurança emanadas pela Direção-Geral de Saúde (DGS).

“Esta atividade exige enormes sacrifícios aos produtores. A não realização da feira seria um rude golpe nas suas expectativas, podendo levar ao encerramento da atividade de alguns, pois é neste evento que eles faturam e conseguem equilibrar a rentabilidade”, refere Francisco Carvalho, autarca penalvense.

Aproveitando a logística que está implementada, devido à pandemia, para apoio daqueles que não podem deslocar-se para efetuar as compras, também aqui serão apoiados os pequenos produtores que não têm meios de transporte.

Desta forma, o Município procederá à entrega das suas vendas dentro do concelho, ou nos concelhos limítrofes.

A Autarquia disponibilizou a informação necessária que permita aos interessados o contacto com os produtores, existindo outros no concelho:

Queijaria da Casa da Ínsua
Parador Casa da Ínsua,
3550-126 Penalva do Castelo
Tel.: 232 640 110
Email: casadainsua@parador.es
www.montebelohotels.com

Queijaria de Germil
Quinta do Patarrego
3550-093 Germil
Tel.: 232 611 078 / 963 511 237
Email: queijariadegermil@hotmail.com

Isabel Clara Coelho Abrantes Garcia
Rua da Devesa nº35
Matela
3550-221 Matela
Telem.: 967 509 127

Mª Dolores Fonseca Pinto da Silva
Quinta da Cerca – Matela
Tel.: 232 599 173

Mª Adelaide Coelho de Abrantes Ferreira
Matela
Telem.: 917 094 646

Estrelacoop sugere que comprar Queijo Serra da Estrela é importante

Segundo avança a Estrelacoop que:”Estamos em plena Época do Alavão, período em que se produzem os melhores queijos nacionais, mas há um que se destaque pelas suas características intrínsecas – o Queijo Serra da Estrela com Denominação de Origem Protegida (DOP). Num ano normal, por esta altura tanto pastores, como os produtores e queijarias, não tinham mãos a medir com as múltiplas feiras e eventos espalhados pelo país que garantiam vendas significativas. Mas com a atual crise pandémica, a grande maioria dos pastores, dos produtores de leite e queijo da Serra da Estrela estão a braços com uma crise sem precedentes. Há excesso de produto e matéria-prima resultante do decréscimo de escoamento nos canais de vendas e divulgação. As preocupações face ao futuro próximo são muitas, mas o presente não pode ficar refém da incerteza. Face à redução drástica das vendas das Queijarias nossas associadas, registamos uma quebra superior a 60% e estamos a entrar numa fase crítica da nossa atividade. Caso não seja efetuada uma inflexão agora, durante o mês de dezembro com as vendas do Natal, no limite, todo o circuito associado à produção do Queijo Serra da Estrela DOP pode ser posto em causa”, alerta a Direção da Cooperativa dos Produtores de Queijo da Serra da Estrela (ESTRELACOOP).

 Neste momento temos 27 queijarias DOP e 125 pastores com rebanhos Serra da Estrela, totalmente dependentes desta atividade, com uma dedicação ímpar na proteção de um produto de denominação de origem protegida, com existência há mais de 1.000 anos e que, teimosamente, mantêm a produção de leite e Queijo DOP, com um sentimento de responsabilidade para fazer perdurar uma herança coletiva que é pertença de todo o povo português”, sustenta a direção da Associação.

A qualidade do Queijo Serra da Estrela DOP começa na qualidade das pastagens e passa pelo material genético da raça de ovinos a partir da qual se produz este Queijo único – as ovelhas da raça Serra da Estrela ou Churra Mondegueira. Não se pode produzir este Queijo DOP sem estes ingredientes basilares – leite cru de ovelha serra da estrela, sal e flor de cardo, produzido até 24 horas após a ordenha, um leite puro. Depois há todo um método de produção artesanal que obedece a todas as regras de rastreamento, monitorização da qualidade e segurança que tornam este produto ímpar. Na produção de leite para queijo DOP é privilegiado o pastoreio dos animais ao ar livre e na vegetação natural da região demarcada, sendo que a mesma confere características mais ricas e distintivas ao leite e, consequentemente, ao queijo que é produzido. O acompanhamento do pastor junto do rebanho também exige uma carga laboral superior ao método de produção intensivo: estima-se que o pastoreio em terreno livre de um rebanho com até 200 ovelhas exige uma carga horária de horas de trabalho diário, o equivalente a um trabalhador a tempo inteiro. Não há folgas, feriados nem férias.

Este é o momento para, mais do que nunca, dignificar todos aqueles que, diariamente saem ainda de madrugada para o início de um dia longo, sejam nos pastos verdes da Serra da Estrela com os seus rebanhos, seja na Queijaria a tratar de cada um dos queijos com as suas mãos dedicadas”, revela a Direção da Estrelacoop. “Os consumidores têm aqui um papel crucial na compra e, consequentemente, na valorização do que é verdadeiro e endógeno de toda uma região – o Queijo Serra da Estrela com selo DOP. Ao compramos este queijo temos a certeza que esta cadeia de valor composta por pastores, queijeiras/os credenciados e produtores, não se perde e que a qualidade, essa, prevalece. Comprar o que é nosso – o que é tradicional, original, único, saudável para não perdermos a nossa identidade. Sensibilizamos por isso todos os portugueses que não se esqueçam destas gentes e que o Queijo Serra da Estrela DOP seja umas das Estrelas da sua mesa de Natal.