Templates by BIGtheme NET
Início » Desporto (Pagina 323)

Desporto

AFViseu-Ricardo Lopes reeleito Presidente do GD Mangualde

Grupo Desportivo de Mangualde Assembleia -Geral
 Decorreu ontem pelas 21 horas na sede social do Grupo Desportivo de
Mangualde, a eleição dos Corpos Sociais do clube para o próximo biénio.
Apesar do repto lançado pela direção cessante para o aparecimento de
listas alternativas, apenas uma lista encabeçada pelo atual presidente
Ricardo Lopes se apresentou a sufrágio.

Tendo como ponto único a eleição dos órgãos sociais para o biénio
2015-2017, foram apresentados todos os elementos que integram os
diversos corpos gerentes e definido o plano de ação para o biénio. A
continuidade numa política financeira responsável, a aposta na formação
integral de jovens atletas e competitividade e ambição na equipa sénior
são os três grandes objetivos para o futuro do Grupo Desportivo de
Mangualde.
A tomada de posse dos órgãos sociais eleitos foi agendada para dia 14 de maio, quinta-feira, pelas 21 horas na sede do clube.
Assim a direção do GDM para o biénio 2015-17é composta por:

Assembleia Geral
Presidente: Joaquim Patrício
Vice-presidente: João Loureiro
Secretário: António Angelo
Vice-secretário: Carlos Gonçalves
Conselho Fiscal
Presidente: Lúcio Albuquerque
Vice-presidente: Manuel Azevedo
Secretário: Victor Gomes
Direção
Presidente: Ricardo Lopes
Vice-presidente: Manuel Cadete
Secretário: Rui Cabral
Tesoureiro: José Carlos Correia
Vogais: Cláudio Amaral, António da Costa, Rui Carvalhas, Carlos Silva,
Filipe Santos, Paulo Almeida, Vítor Hugo Silva, António Albuquerque
Costa e Vítor Costa.
Fonte:GDM

APCK – II GASSHUKO 2015 foi bem sucedido na região de Fornos de Algodres

   O passado fim de semana foi bastante rico decorreu mais um encontro da APCK em Vila Ruiva – Fornos de Algodres.
  O evento teve lugar na unidade hoteleira do INATEL em Vila Ruiva e
contou uma vez mais com apoio institucional do Município de Fornos de
Algodres, da União de Freguesias de Juncais, Vila Ruiva e Vila Soeiro do
Chão, bem como do próprio INATEL.
  Este encontro entre karatecas,
familiares e amigos teve como base o aprofundar dos conhecimentos
técnicos dos praticantes da modalidade, mas revelou-se em simultâneo
cheio de programas e de atividades lúdicas, para não falar da degustação
da excelente gastronomia local servida por nesta unidade hoteleira.

  Na chegada a Vila Ruiva e depois de instalados, os participantes foram
surpreendidos com uma inesperada celebração de um aniversário, que ficou
marcado pela entrega de um “símbolo” com um significado muito especial.
Este foi um momento envolto de emoção, através do qual a APCK,
representada pelo seu Diretor Técnico, o Sensei António Regadas prestou o
seu agradecimento pelo empenho de todos os familiares e amigos que são
muitas vezes, com um elevado empenho e esforço, o garante da
participação dos nossos praticantes mais jovens nos treinos, estágios ou
neste tipo de eventos. Para eles e em nome da APCK, os mais profundos
agradecimentos.
  Para as atividades desportivas, este ano a APCK
contou com a cedência do Pavilhão Desportivo da Escola EB2/3 de Fornos
de Algodres, gentilmente cedido pela União de Freguesias de Juncais,
Vila Ruiva e Vila Soeiro do Chão, cumprindo-se assim a promessa levada a
cabo no evento do ano passado pelo Exmo. Presidente, o Dr. Manuel
Paraíso.
  No primeiro dia de atividades desportivas o treino foi
ministrado pelo Sensei Sá e Silva – NKSR, que apesar de praticar Karate
num outro estilo (Shito-Ryu), premiou todos os Karatecas com a belíssima
Kata SEIENCHIN e com a sua aplicação prática (Bunkai).
  No final do
treino, o Sensei Sá e Silva dirigiu algumas palavras aos atletas, tendo
manifestado de forma muito sentida a sua satisfação por poder
participar neste evento e essencialmente por estar perante uma
associação onde o respeito e o convívio entre todos, incluindo atletas,
familiares e amigos prevalecem acima de tudo. Isto é Karate!
  Da
parte da tarde houve espaço para a realização dos Tradicionais Jogos
Portugueses como o jogo do “Burro” ou da “Malha”, onde predominou a boa
disposição e acima de tudo o Fair Play, desde as camadas mais jovens até
às menos jovens.
  Depois do jantar, continuando num ambiente
descontraído, foram distribuídos os diplomas de participação, com a
classificação de todos os participantes nos jogos.
  Após a entrega
dos diplomas e de uma breve reunião realizada pelo Conselho Técnico da
APCK, reuniram-se no auditório do complexo praticantes, familiares e
amigos, num espaço onde todos puderam intervir e apresentar sugestões de
melhoria, bem como abordar temas diversos relacionados quer com a APCK
quer com as suas actividades em curso.
  No segundo dia, de volta às
actividades desportivas, o mestre António Regadas ministrou um treino
onde foram aprofundados os conhecimentos sobre a Kata BASSAI DAI, bem
como a sua aplicação técnica (Bunkai).
  Para a tarde, o Exmo. Dr.
Manuel Paraíso, Presidente da União de Freguesias de Juncais, Vila
Ruiva e Vila Soeiro, fez as honras da casa e acompanhou todo o grupo na
qualidade de guia, numa caminhada de cerca de 5Km, onde foram
apresentadas algumas das plantas predominantes na região, com maior
destaque para a Urtiga, planta ex-libris na região.
Especial
referencia para o elevado esforço que todos tiveram que fazer para
recuperar as energias, com um belo repasto recheado com tremoço,
amendoins e umas excelentes empadas de galinha, bem acompanhadas no
habitual ponto de encontro – o já famoso TRINDADE.
  No final da
tarde, no interior do complexo hoteleiro INATEL, teve lugar um workshop
levado a cabo pela Confraria da Urtiga, onde foram apresentadas as
variadas aplicações desta planta da região, desde os seus fins
medicinais até à sua introdução na gastronomia local.
  O final deste
workshop ficou ainda marcado pela entrega pelas próprias mãos do Sensei
António Regadas ao Exmo. Dr. Manuel Paraíso de um dístico da APCK, como
forma de agradecimento pela forma caloroso com que tem recebido a APCK e
os seus membros, familiares e amigos na região.
Para fechar o tema e
em jeito de introdução para o jantar, seguiram-se várias provas
gastronómicas deste produto, como tostas barradas com paté de urtigas,
passando pela sopa e pelas extraordinárias alheiras de urtiga,
terminando com uma mousse de urtiga regada com molho vinagrete. Em suma,
um excelente produto, que se revelou um verdadeiro sucesso e que se
destacou acima de tudo pela agradável surpresa que gerou em todos os
visitantes.
  Depois do jantar, o Sensei Ernesto Guedes e a Joana
Guedes (esposa), fizeram furor com uma brilhante aula de Salsa, que
culminou numa noite intensa cheia de dança e de ânimo.
Escusado será
dizer que no final todos os participantes saíram da sala plenamente
convictos que são os melhores dançarinos do mundo, apesar de alguns “pés
de chumbo”.
 Parabéns aos professores que com muita paciência, conseguiram fazer um trabalho simplesmente brilhante! Recomenda-se.
  No terceiro dia de treinos, depois de um excelente aquecimento
ministrado pelo Sensei Luis Bessa, foi trabalhada a Kata JION e a sua
Bunkai, que serviu de base para fazer algumas aplicações no âmbito da
defesa pessoal.
  No final do treino o Sensei António Regadas e o
Sensei Sá e Silva proferiram algumas palavras de agradecimento,
enaltecendo a participação de todos neste II Gasshuko da APCK,
reafirmando que todos, sem excepção, são a principal razão para a
continuidade da APCK, bem como para a realização deste ou de qualquer
outro tipo de eventos.

Por -APCK – Departamento Logística

XCO MANGUALDE 2015» Btt no Monte Senhora do Castelo

 3ª prova da Taça Regional de Viseu no dia 7 de junho
  O
Monte da Nossa Senhora do Castelo, em Mangualde, vai ser pista de uma
prova de XCross BTT, a «XCO Mangualde 2015». A iniciativa integra  3ª
prova da Taça Regional de Viseu da modalidade e realiza-se no domingo, 7
de junho. Na véspera, poderá assistir aos treinos a partir das 14h30.

 São
esperados cerca de três centenas de atletas federados, divididos por
diversos escalões. A prova é destinada a atletas federados em competição
e não federados, sendo a classificação distinta. Os atletas Federados
competem para a Taça Regional, os atletas Não federados competem na
Classe “Promoção”.
 Esta
é uma organização da Camara Municipal de Mangualde em parceria com o
Clube de BTT Azuribike Mangualde Team e conta com o apoio da Associação
de Ciclismo de Viseu e da Federação Portuguesa de Ciclismo. Mais
informações em http://azuribike.wix.com/xcomangualde
PROGRAMA
Sábado, dia 06 de junho
14h30 – Abertura do Secretariado
14h30 – Abertura do circuito para treinos
17h00 – Encerramento do circuito para treinos
18h00 – Encerramento do Secretariado
18h15 – Reunião dos Diretores Desportivos (no local da prova)
21h30 – Fecho do Parque de Equipas (Paddock)
Domingo, dia 07 de junho
07h00 – Abertura do Secretariado
08h00 – Encerramento da confirmação das inscrições
08h45 – Chamada da Corrida C1 (Promoção Masculinos, Masters masculinos M30, M40, M50, Paraciclismo masculino)
09h00 – Partida da Corrida C1 (Promoção Masculinos, Masters masculinos M30, M40, M50, Paraciclismo masculino)
11h41 – Chamada da Corrida C2 (Cadetes masculinos, e todas as categorias Femininas (Incluindo Promoção).
11h30 – Partida da Corrida C2 (Cadetes masculinos, e todas as categorias Femininas (Incluindo Promoção).
13h30 – Entrega de Prémios da Corrida C1+C2
14h15 – Chamada da Corrida C3 (Juniores, Elites/Sub 23 Masculinos.)
14h30 – Partida da Corrida C3 (Juniores, Elites/Sub 23 Masculinos.)
16h30 – Entrega de Prémios da Corrida C3 e Equipas
17h00 – Encerramento do evento
Fonte:Mun.Mangualde

FIT Guarda recebeu mais de 30 mil visitantes

  Mais
de 30 mil pessoas visitaram a segunda edição da Feira Ibérica de
Turismo (FIT) que decorreu na cidade da Guarda entre quinta-feira e
domingo, anunciou ontem o presidente da Álvaro Amaro.
  Segundo
o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, a forma como
decorreu o evento, que contou com a participação de mais de 100 empresas
e instituições ligadas ao setor turístico, é motivo de “encanto” e de
“orgulho” para o executivo que lidera.
“Foi uma aposta ganha,
vamos pensar já na 3ª edição”, disse o autarca, à margem da cerimónia de
assinatura de acordos de execução com as Juntas de Freguesia do
concelho realizada na sala António de Almeida Santos, no edifício da
autarquia.
Álvaro Amaro mostra-se satisfeito e “orgulhoso” com o
balanço do evento que pretendeu divulgar as potencialidades do setor
turístico de Portugal e de Espanha e atrair visitantes para a cidade
mais alta do país.
  A Câmara Municipal da Guarda emitiu também
ontem um comunicado onde refere que a edição 2015 da FIT se afirmou,
pelo segundo ano consecutivo, “como um importante centro de negócios e
como plataforma impulsionadora da divulgação e promoção turística da
região”.
“Durante quatro dias, a Guarda foi um importante ponto de
encontro para parcerias por parte das empresas e instituições que
estiveram presentes na feira”, sublinha a nota.
  Acrescenta que
“apenas na segunda edição, a FIT tornou-se, claramente, numa referência
ibérica”, assinalando que, “entre 30 de abril e 3 de maio, a Guarda foi
mesmo a Capital Ibérica do setor turístico, congregando sinergias na
região”.
  A autarquia lembra que a região transfronteiriça tem
várias potencialidades como as serras da Estrela, da Gardunha e de
Béjar, os patrimónios mundiais do Vale do Côa, de Siega Verde e de
Salamanca, ou as Aldeias Históricas, as Aldeias do Xisto e a Rede de
Judiarias.
  A feira foi realizada no recinto do parque urbano do
rio Diz, também conhecido por parque Polis, na Guarda-Gare, ocupando o
semicoberto existente e duas tendas, com uma área coberta com cerca de
sete mil metros quadrados.
  Participaram no certame regiões de
turismo, agências de viagens, hotéis, termas, associações de municípios,
autarquias, empresas ligadas ao desporto de aventura, gastronomia e
artesanato, entre outras entidades dos dois países.
Fonte:Lusa

E.Almeida-AD Fornos de Algodres disputam Final da Taça de Promoção

  Vai realizar-se no próximo dia 17 de maio, no Municipal da Guarda, a Final da Taça de Promoção civil Casa Group, numa organização da Associação de Futebol da Guarda.
 Vão a jogo as equipas do Estrela de Almeida e Associação Desportiva de Fornos de Algodres, apartir das 17 horas.

Uma partida que detém frente a frente duas equipas muito fortes que militaram na 2ªdivisão distrital .

Chuva presente na Caminhada do Coração em Vila Franca da Serra

Caminhar faz bem à saúde
  Perante um cenário pouco agradável, dado que a chuva estava para ficar, mas logo cedo na concentração, os cerca de meia centena de participantes, nas duas vertentes desportivas(corrida e caminhada), estavam de pedra e cal e partida foi dada, ao que todos se mostraram com vontade de concluir a prova.

 Tudo foi decorrendo com grande normalidade, pelo meio a visita ao lugar da casinha dos Morcegos, um dos lugares emblemáticos da freguesia.
  Depois era a descida à Ponte Nova, onde estava preparado o reforço, junto ao rio.
O regresso foi por trilhos enriquecedores a nível paisagístico, apesar da chuva, os caminheiros foram observando a Natureza, ao chegar ao Largo Principal, era hora de descomprimir os músculos, uma boa demonstração de Danças, no salão da Junta de Freguesia, onde a participação aqui também foi satisfatória, ao que todos os participantes foram contemplados com diplomas de participação para mais tarde recordar.
Vila Franca da Serra iniciou o Mês do Coração caminhando.
Reportagem de António Pacheco

Biografia do Dr António Menano

Nascido nas faldas da Serra da Estrela de uma família de 12 irmãos, António Menano foi sem sombra de
dúvida o mais conhecido e popular cantor de fados de Coimbra. Tal como Hylário, o fabuloso cantor boémio
seu antecessor, também António Menano cedo se tornou ídolo  da Academia, enriquecendo o espírito estudantil
de Coimbra e a lenda coimbrã de uma certa boémia própria da juventude, de fados e serenatas, misto de
arte e romantismo, de sonhos e ilusões. António Menano está tão intimamente ligado ao fado de Coimbra
e este a ele que verdadeiramente se não pode dissociar um do outro; falar de António Menano é falar do
fado de Coimbra e da chamada década de oiro.

Segundo nos conta João Seabra(Nº 56, de JAN/FEV de 1944,
da Revista Turismo), a lembrança e a saudade de Hylário foram esmorecendo com o tempo mas as guitarras
eos cantadores continuaram a ouvir-se no Mondego. Um dia todos os rouxinóis se calaram para ouvir um
outro que erguia mais alto os seus harmoniosos trinados, o estudante António Menano. Mais nos conta que
a recordação do seu nome traz à memória a loucura que se apossou de Coimbra e, depois, de Lisboa e de
todas as terras do País, para ouvirem a sua voz de tenor. Diz-nos ainda que iam a Coimbra milhares de
pessoas só para o ouvir cantar e, em Lisboa, nalgumas festas em que participou, mesmo em recintos de
grande lotação como o Coliseu e o Jardim Zoológico, os bilhetes se esgotavam e a ansiedade para o ouvir
era enorme, tendo-lhe sido prestadas ovações”como raras vezes se fizeram às maiores celebridades líiricas”.
O DR. João Falcato vai até mais longe e afirma que essas ovações apoteóticas nunca se fizeram às maiores
celebridades líiricas(In Coimbra dos Doutores, 1957, pág.169).
Os chamados Irmãos Menano(Francisco,
Horácio, António e Alberto) constituiram a mais famosa e fecunda plêiade de finos artistas que passou
por Coimbra, precedida no final do séc. anterior por outros dois Menanos,José Paulo Menano e Paulo da
Costa Menano(ambos formados em Direito, em 1901 e 1903, respectivamente) que se notabilizaram em récitas
e outras atividades artísticas.
Matriculado na Universidade, António Menano vê despontar a sua estrela
em Março de 1915, quando canta um fado em Aveiro, num sarau organizado pela Associação Académica de Coimbra,
com a participação da Tuna e do orfeon. É nesse ano lectivo de 1914-1915 que se procede à reorganização
do Orfeon Académico, agora sob a regência do saudoso Dr. Elias de Aguiar e onde António Menano se torna
solista e ensaiador do naipe dos lºs tenores, passando também a cantor “titular” de fados e canções nos
saraus e outros espetáculos e atividades que se realizavam.
Talves seja importante abrir aqui um
pequeno parêntesis para referir que o seu irmão Francisco, exímio guitarrista e excelente compositor,
fôra, anteriormente e até concluir o curso de Direito em 1912, ensaiador do naipe dos 2ºs tenores do
Orfeon, quando este era dirigido por António Joyce, e que um dos guitarristas que habitualmente acompanhava
António Menano era, além de Paulo de Sá, Alberto Menano, seu irmão. Um outro guitarrista que por vezes
também o acompanhou foi o seu irmão Horácio.
Nos anos 20. Artur Paredes foi também um dos seus acompanhantes
habituais.
No final desse mesmo ano letivo, em 10 de Junho de 1915, na festa de homenagem a Camões
promovida pelos alunos do Liceu José Falcão, de Coimbra, António Menano foi convidado a participar e,
em vez dos habituais fados, surge a cantar um trecho de “Os Lusíadas” que fôra musicado pelo já referido
Dr. Elias de Aguiar. É também em 1915 que surge a primeira edição musical com fados da autoria de António
menano, “Os três mais lindos fados de Coimbra”, publicada pela Livraria Neves, à Rua Larga, com o fado
“D’um olhar”(“As meninas dos meus olhos”), de Alexandre de Resende, dedicado “ao António Menano”, com
quadras populares, sendo os outros fados da autoria de António menano, o “Fado da Morenas”(“Todos gostam
das morenas”), dedicado “ao Estevão Neto”, com uma quadra popular e três outras de Fernando Correia,
e o “Fado da Noite”(“Há quem diga que quem chora”), dedicado “ao J.Gamboa, com cinco quadras de Alfredo
Fernandes Martins.

No ano letivo de 1915-1916, em Fevereiro, na excursão do Orfeon Académico ao Porto, Braga e Vila do
Conde, António Menano consagra-se definitivamente como estrela de 1ª grandeza do meio artístico coimbrão,
acompanhado à guitarra por Paulo de Sá e Alberto Menano.
Os anos de 1917, 1918 e 1919 constituem um período relativamente morno em termos de “Fados e Guitarradas”, contribuindo talvez para isso o artigo
de Manuel da Silva Gaio, ao tempo Secretário da Universidade, publicado na Ilustração Portuguesa de 29-04-1918,
pedindo aos estudantes para não cantarem o “venenosos cogumelo do fado, produto originário da viela urbana”
e, em vez disso, entoarem as cantigas populares do Orfeon. Curiosamente, este período coincide de certo
modo com o facto de António Menano ter passado a cantar canções acompanhadas ao piano, em vez dos tradicionais
fados que haveriam de ser profusamente divulgados e conhecidos através dos discos de 78 RPM, de edições
musicais impressas e de rolos para auto-pianos, consagrando definitivamente para a posteridade o seu
nome e o registo da sua voz.
Em 1918 António Menano passa a integrar a Direcção do Orfeon Académico
e nas Fogueiras de S.João desse ano novamente canta canções populares portuguesas, com muito agrado e
satisfação dos presentes, e não fados.
Em Dezembro de 1919, a Associação Académica de Coimbra promove
um sarau musical no Teatro Avenida, organizado pelo próprio António Menano, no qual também participa
e cujo programa não contem qualquer fado ou guitarrada. E no sarau promovido pelo Orfeon e a Tuna no
Teatyro Sousa bastos também não haveria fados nem guitarradas.
No final de 1919 surge a primeira proibição
de se fazerem serenatas: A imprensa local reage contra esta medida policial e a proibição, em vez de
acabar com os fados e as guitarras, provoca aparentemente o seu resurgimento.
Entretanto vem a lume
uma colecção de edições musicais do “reportório do Orfeon da Universidade”, com fados de António Menano(“Patriótico”,
“Da Granja”, “Das Romarias”, “Do Choupal”, “Dos Passarinhos” e “Morena”) que alcançaram enorme sucesso,
tendo quase todos eles “atingido a 4ª edição antes de 1923, fados que também foram gravados em rolos
para auto-piano.
Em Abril de 1923, António Menano, já casado mas ainda não formado, participa na digressão
do Orfeon e da Tuna a Espanha, atuando em Salamanca, Madrid e Valladolid. No Monumental Praça de Madrid,
na presença dos Reis de Espanha e encontrando-se a praça completamente cheia, António Menano obteve um
retumbante sucesso repetindo os fados várias vezes, inclusivé a pedido do Rei, sendo de notar que apesar
de não dispôr de qualquer amplificação sonora, a sua voz encheu a praça de toiros, ouvindo-se perfeitamente
nos seus famosos “pianissimos”, tal o silêncio em que era escutado. A acompanhá-lo estiveram, como sempre,
Paulo de Sá e Alberto Menano.
Em Junho de 1924, o Orfeon Académico segue para Paris, onde actua no
Trocadero, realizando depois saraus em Toulouse, Bordéus e Bayona. António Menano toma parte na digressão,
cantando fados com Agostinho Fontes, acompanhados à guitarra por Manuel Paredes, outro grande guitarrista
da época, tio do célebre Artus Paredes.
Concluido o curso de medicina, António menano passa a exercer
clinica em Fornos de Algodres, terra natal da família Menano e onde seus pais, António da Coista Menano
e D. Januária Paulo Menano, residiam. Embora já formado, continua muito ligado à vida artística e académica
de Coimbra, onde certas tradições estudantis se revitalizam.
António Menano tornar-se-ia definitivamente
o cantor de Coimbra mais conhecido e de maior fama em todo o País com as gravações que fez entre os anos
de 1927 e 1929, em Paris, Lisboa e Berlim, para a Companhia Odeon de Paris. De todos os cantores da chamada
década de oiro da Academia de Coimbra, António Menano foi aquele que mais discos gravou e maior e mais
estrondoso sucesso alcançou. Essas séries de discos têm etiquetas de cores diferentes, lilás, azul,escuro
e dourada(alguns discos, muito poucos, têm etiqueta vermelha), tendo sido produzidas muitas e muitas
dezenas de milhares de discos que se vendiam ainda depois da II Guerra Mundial. No Brasil, com base nessas
mesmas gravações realizadas por processos mecânicos, foi feita pela Trans-Oceanic Trading Company para
a Casa Edison do Rio de Janeiro a reprodução, já por processos elétricos, da maior parte dessa gravações,
discos esses a que foi aposta a etiqueta Odeon de cor azul forte e que tiveram muito boa venda. Pena
é que o seu espantoso talento de cantôr não se possa aquilatar muito bem através dos discos pois, além
das gravações terem sido efectuadas por processos mecânicos, os acompanhamentos de guitarra e viola são,
de uma maneira geral, francamente modestos.


Em 1929, por ocasião da célebre Exposição Ibero-Americana de Sevilha, o Dr.António Menano, apesar de
já ter concluído a formatura Há alguns anos, foi o cantor escolhido para a “embaixada artística” enviada
pela Academia de Coimbra para atuar no festival oferecido aos Reis de Espanha aquando da inauguração
do Pavilhão de Portugal e que era constituída por mais três elementos: Artur Paredes, solista e acompanhador,
Afonso de Sousa, 2ª guitarra, e Guilherme Barbosa, viola.
Anos depois, em 1933, abandonando voluntariamente
a sua meteórica e impressionante carreira artística, que fôra a mais prometedora da década de oiro(1920-1930),
o Dr. António Menano parte para Moçambique onde exerce clinica durante quase trinta anos, pois só em
1961 regressaria definitivamente. A sua última residência foi na Rua José Falcão, nº 57, 5º Esquerdo,
em Lisboa, onde viria a falecer.
Entre as atuações de António Menano depois da sua ida para Moçambique
podemos destacar as seguintes, já que ele continuaria preso para sempre ao seu passado coimbrão:

Em Outubro de 1956, em Lisboa, no Instituto Superior de Agronomia, na Tapada da Ajuda, no célebre recital
que deu, já sexagenário,, e que constituiu um êxito retumbante. O espectáculo estava marcado para a meia-noite,
começou às duas horas da manhã e só viria a terminar de madrugada sem que ninguém tivesse arredado pé.
 Do Diário de Notícias de 23-10-1956 respigamos o seguinte: “Até madrugada alta, com um céu em que a
Lua e as estrelas paradas pareciam acercar-se da Terra, no sortilégio das canções de Menano ressurgiu
Coimbra de há quatro décadas.” Conclui dizendo:”Sem luz eléctrica nem microfones a voz de Menano, casada
coma das violas e das guitarras, brindou Lisboa com uma noite inesquecível, única. Espectáculo imprevisto
e verdadeiramente sensacional…”
– De tempos a tempos aparecia em Coimbra e acabava sempre por cantar
fazendo-o em qualquer sitio, desde que isso se proporcionasse; uma noite acabou por cantar nas escadas
da secular Igreja de Santa Cruz, “Feita de Pedra Morena”, perante o entusiasmo e admiração da multidão
que ali logo se juntou e que obrigou a parar o trânsito.
–  Em 1967, dois anos antes da sua morte,
teve ainda duas brilhantes atuações que foram bastante noticiadas e ficaram na lembrança. A primeira
em Coimbra, na madrugada de 24 de Junho, do alto das escadarias da Sé Velha, por ocasião da reunião do
Curso Juridico de 1907-1912, de que fazia parte o Dr. Francisco menano, seu irmão, na serenata monumental
que ali teve lugar com a participação de três cantores de uma nova geração, José Manuel dos Santos, António
Bernardino e Luiz Góes. António Menano, que veio cantar quatro fados, provocou a maior admiração pela
forma maravilhosa como um septuagenário conseguia cantar assim.
–  A sua última actuação pública teve
lugar em 16 de Dezembro por ocasião da inauguração em Lisboa da Galeria Rodin, do Pintor Mário Silva,
que reuniu muitos antigos estudantes de Coimbra, entre os quais Luiz Góes, Jorge Tuna, João Bagão, Aurélio
Reis, Tossan e Vitorino Nemésio. António Menano cantou duas das suas melhores interpretações, o “Fado
dos Passarinhos” e o “Fado da Ansiedade”.
António Menano morreu em 11 de Setembro de 1969 mas a sua
memória perdura na nossa lembrança, e a saudade da sua voz pode ser algo mitigada ouvindo os discos que
nos deixou.
Fonte: macua.org/biografias

1ª Feira Medieval de Pinhel, A Cidade do Falcão – 8, 9 e 10 de maio

Feira Medieval – A
Cidade do Falcão
Nos dias 8, 9 e 10 de maio, Pinhel
vai recuar no tempo e viver três dias de grande animação ao estilo medieval…

 Partindo da grande praça
central da cidade, frente aos Paços do Concelho, e prosseguindo pelas ruas do
Centro Histórico, a Feira Medieval culminará junto ao Castelo de Pinhel, local
de singular beleza e encanto, com as melhores vistas da cidade…

Um povo, um rumo, uma
história… a nossa História!

Assim se anuncia esta 1ª Feira
Medieval de Pinhel – A Cidade do Falcão.

Manjares, Tabernas, Cortejos,
Torneios, Teatro, Música, Dança e animação de rua… onde não podemos deixar de
destacar uma forte componente cénica baseada na representação da Lenda
do Falcão
(lenda associada à história de Pinhel e que lhe dá o epíteto
de Cidade
Falcão
).
Assim fica o programa desta feira: 

8 de maio | sexta-feira
14.00h: Abertura do Mercado (em
frente à Câmara Municipal)
14.30h: Cortejo Medieval
(Centro Histórico) – participação da comunidade escolar
15.00h: Discurso de Abertura
(Castelo)
15.30h: Voo do Falcão (Praça
Sacadura Cabral) e Torneio de Tiro ao Arco (Castelo)
16.00h: “Os 2 Charlatões”
(praça alimentar)
16.30h: “O Pai da Noiva”
(entrada do Mercado)
17.00h: “A Latrina” (ambulante)
17.30h: Acrobacias e Malabares
(ambulante)
18.00h: Cânticos (Igreja de
Santa Maria)
18.30h: Torneio apeado
(Castelo)
19.00h: Voo do Falcão (Castelo)
19.30h: Degustação de iguarias
(Tabernas)
20.00h: Danças Medievais e
Músicos (Tabernas)
21.30h: Cânticos (entrada do Mercado)
22.00h: Julgamento dos
Condenados (peça no Mercado e cortejo para o Castelo)
22.30h: Músicos deambulando
(Centro Histórico)
23.00h: Espetáculo de Fogo
(entrada do Mercado)
00.00h: Encerramento

9 de maio | sábado
10.00h: Abertura do Mercado (em
frente à Câmara Municipal)
10.30h: “Os Leprosos”
(ambulante)
11.00h: Voo do Falcão (Praça
Sacadura Cabral) e Torneio de Tiro ao Arco (Castelo)
11.30h: Músicos deambulando e
demonstração de armas (Acampamento)
12.00h: “A Nau Catrineta”
(entrada do Mercado)
12.30h: Degustação de iguarias (Tabernas)
14.00h: Rixas na Taberna (praça
alimentar)
14.30h: Voo do Falcão (entrada
do Mercado)
15.00h: Cânticos (Igreja de
Santa Maria)
15.30h: Músicos deambulando
(Centro Histórico)
16.00h: Torneio apeado
(Castelo)
16.30h: Voo do Falcão (entrada
do Mercado)
17.00h: Cânticos (entrada do
Mercado)
17.30h: “Passeio dos Nobres”
(ambulante)
18.00h: Músicos e Malabares
(Centro Histórico)
18.30h: “A Latrina” (ambulante)
19.00h: Voo do Falcão (entrada
do Mercado)
19.30h: Ceia Medieval (c/
reserva prévia) (Jardim 5 de Outubro)
20.30h: Degustação de iguarias (Tabernas)
21.00h: Acrobacias e Malabares
(praça alimentar)
21.30h: Cânticos (entrada do
Mercado)
22.00h: “Chegada do Mensageiro”
(Mercado)
Músicos deambulando (Centro
Histórico)
22.45h: Ameaça à Cidade do
Falcão (Castelo)
23.30h: Espetáculo de Fogo
(Castelo)
00.00h: Encerramento

10 de maio | domingo
11.00h: Abertura do Mercado (em
frente à Câmara Municipal)
11.30h: Voo do Falcão (entrada
do Mercado)
“A vida faustosa de um
cavaleiro” (Castelo)
12.00h: “Os Leprosos”
(ambulante)
12.30h: Degustação de iguarias (Tabernas)
14.00h: “O Tesouro” (Praça
Sacadura Cabral)
Torneio de Tiro ao Arco
(Castelo)
14.30h: Voo do Falcão (Castelo)
15.00h: “A Latrina” (ambulante)
15.30h: Músicos deambulando
(Centro Histórico)
16.00h: A Grande Batalha
(Castelo)
16.45h: Danças Medievais
(entrada do Mercado)
17.00h: Cânticos (Igreja de
Santa Maria)
17.30h: Cortejo da animação (do
Mercado ao Castelo)
18.00h: Espetáculo de
Encerramento (Castelo)
19.00h: Encerramento do Mercado

AD Fornos promove convivio na derradeira jornada para coroar os campeões

  Mais um fim de semana em Fornos de Algodres , com as equipas a jogar…
  De
salientar o último jogo do campeonato de Seniores da  equipa
campeã, vai ser uma tarde especial, pois será a coroação de êxito da época desportiva que caminha a passos largos do final.

  Face a isso a ADFA pede a todos que venham apoiar os campeões !!
  Como se trata do Dia da Mãe vai haver uma surpresa para todas as Mães dos atletas do clube e também vai haver um lanche de convivio para todos os sócios,
simpatizantes e colaboradores!
Em suma, um dia de festa na vida da AD Fornos de Algodres, um clube que renasceu das cinzas!!

CRIANÇAS DE MANGUALDE ‘DORMIRAM COM LIVROS’

   Crianças
e adultos participaram em mais uma edição do ‘Dormir com Livros’ que se
realizou da noite de 24 para 25 de abril, na Biblioteca Dr.º Alexandre
Alves, em Mangualde. O vereador da Cultura da Câmara Municipal de
Mangualde, João Lopes, abriu a sessão e deu as boas vindas àqueles que,
com entusiasmo, ansiavam ouvir histórias de encantar. A iniciativa,
organizada pela Câmara Municipal de Mangualde e que vai já na sua 9ª
edição, decorreu como forma de assinalar o Dia Mundial do Livro e dos
Direitos de Autor, que se comemorou a 23 de abril, e com o objetivo de
fomentar o gosto pela leitura junto dos mais novos.

 A
ação contou com a presença do Contador de histórias e ilustrador Rui
Ramos, que se deslocou à Biblioteca Municipal especialmente para a
sessão do ‘Dormir com Livros’, enquanto colaborador da Associação
AJUDARIS, no projeto Histórias da Ajudaris. Rui Ramos contou várias
histórias que fizeram as delícias das crianças e adultos presentes na
iniciativa. Durante a sessão o
Ilustrador fez ainda uma apresentação da Associação AJUDARIS e da
exposição de ilustração patente na Biblioteca Municipal de Mangualde até
à próxima quinta-feira, 30 de abril, salientando a importância desta
associação.
 A
noite continuou com muitas outras histórias preparadas pela equipa da
Biblioteca Municipal. As crianças, acompanhadas pelos respetivos pais e
membros da biblioteca participaram, entusiasticamente, nas leituras, até
o sono não permitir mais. Jogos e atividades em volta dos livros, até
perto das 3 e meia da manhã, foram as diversões desta noitada, como o
“pedypaper” pela sala de leitura, descobrindo ingredientes para
elaboração de uma receita, onde os livros e contos não faltaram. Na
manhã de 25 de abril, para além do pequeno-almoço quentinho, oferecido
pela Câmara Municipal de Mangualde, houve ainda tempo para contar
algumas histórias antes da despedida até ao próximo ano.
Foi
sem dúvida uma noite diferente para as cerca de 30 pessoas, entre pais e
crianças, onde a maratona dos contos só terminou quando o sono já se
fazia sentir.
RUI RAMOS
 Rui
Ramos é Contador de histórias e Formador de oficinas e workshops de
escrita criativa, ilustração, banda desenhada e narração oral. Mestre e
Doutor em Geologia, dedicou-se durante doze anos à investigação
científica na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, com
algumas passagens pela geotecnia (barragens e túneis). Em paralelo,
formou-se nas áreas da escrita criativa, da banda desenhada, do canto
coral e da narração oral.
Tem
vindo a coordenar vários projetos de Banda Desenhada sendo que alguns
já lhe permitiram nomeações e vários prémios. Em 2007, fundou e
coordenou a equipa R’Lyeh Dreams responsável pelos fanzines Murmúrios das Profundezas (2008) e Voyager (2011),
tendo o primeiro sido nomeado para o melhor projeto de BD de 2008,
melhor fanzine da década, em 2012, e vencedor do Troféu Central Comics
para melhor fanzine de 2008. Em 2012, criou O Baú do Contador
projeto pessoal direcionado para a narração oral e formação nas áreas da
ilustração e banda desenhada, escrita criativa e narração oral.
EXPOSIÇÃO ‘HISTÓRIAS DA AJUDARIS’ – NA BIBLIOTECA DR.º ALEXANDRE 

 A
exposição, da Associação AJUDARIS, integra o projeto da mesma,
denominado “Histórias da Ajudaris” e pretende incentivar à leitura, à
escrita e ajudar os que mais precisam. A mostra é composta por 93
ilustrações correspondentes aos originais do livro com o mesmo nome.
Nestes livros as crianças são as protagonistas e as autoras na partilha
de magia e de criatividade com os seus pares e com a sociedade em geral.
Colhendo a inspiração em termos da cidadania, de partilha e dos afetos,
ingredientes essenciais naquela que é a missão da Ajudaris, descobrem o
gosto pela escrita e publicam-se os livros. O livro é uma casa
encantada que junta contos escritos por 7000 crianças autoras orientadas
por professores generosos em contexto de sala de aula. Os contos são
pincelados por artistas iluminados.
Fonte: Mun.Mangualde