Templates by BIGtheme NET
Início » Educação (Pagina 30)

Educação

Cursos de Gerontologia (pós-laboral) e Desportos de Montanha em Fornos de Algodres

Estão abertas as candidaturas para os Cursos de Gerontologia (pós-laboral) e Desportos de Montanha, a ser ministrados em Fornos de Algodres, através do Instituto Politécnico da Guarda, até dia 17 de setembro.
Desta forma, Fornos de Algodres pode ter pela primeira vez  Ensino Superior no  concelho, casos as candidaturas surjam em número suficiente.
Num esforço de descentralização e aproximação à comunidade, o Instituto Politécnico da Guarda (IPG) oferece a possibilidade de funcionamento de dois dos seus Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) em Fornos de Algodres, numa parceria com a Câmara Municipal de Fornos de Algodres (CMFA) e o Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres (AEFA).

Estes CTeSP dirigem-se a todos aqueles que pretendam adquirir, aprofundar, complementar ou aperfeiçoar as suas competências profissionais na área e melhorar as suas qualificações, permitindo o prosseguimento de estudos no ensino superior, no IPG, a médio prazo.

Está previsto que os CTeSP de Gerontologia (em regime pós-laboral) e de Desportos de Montanha, que fazem parte da oferta formativa do IPG para o próximo ano letivo 21/22, venham a ser ministrados em Fornos de Algodres, o que representará uma resposta formativa diferente e inovadora para o concelho e localidades vizinhas, que pode gerar um impulso significativo na economia local.

A frequência do CTeSP em Fornos de Algodres tem como fator diferenciador e vantagem acrescida às condições que o IPG disponibiliza a todos os seus estudantes o facto de ser oferecido alojamento gratuito a todos os que dele necessitarem, graças à parceria com a Câmara Municipal de Fornos de Algodres.

O processo de candidaturas (2ª fase) a estes cursos decorre entre os dias 01 e 17 de setembro, em modelo online, na página do IPG e tem como habilitação mínima de acesso o 12º ano.

Os potenciais interessados encontram informação adicional na página institucional do IPG e na página do AEFA, onde podem, também, solicitar contacto personalizado para prestação de informações e esclarecimento de dúvidas.

A inscrição pode ser feita através deste link
e para saber tudo sobre o que são estes CTESP consulte

Todo o processo deverá estar concluído no final de outubro de 2021 e, se contarem com uma adesão expressiva aos CTeSP, podem receber duas novas turmas, desta vez de ensino pós secundário, já em novembro de 2021.

flyer_desporto_montanha
flyer_gerontologia

IPG reforça projetos de investigação com 15 novos técnicos

Vão ser  assinados contratos com 15 técnicos de investigação altamente qualificados – 4 doutores, 10 mestres e 1 licenciado – para desenvolverem projetos de investigação em quatro áreas: Saúde e Bem-Estar, Turismo, Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica – TICE e Bioeconomia, pelo  Instituto Politécnico da Guarda (IPG).

Os novos técnicos vão integrar a Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior (UDI) da instituição .

É um reforço da capacidade institucional para o desenvolvimento de novos projetos de investigação em áreas estratégicas para o progresso económico e social do país”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “O objetivo é apoiarem o desenvolvimento e a captação de novos projetos e ideias, de modo a promover a transferência de conhecimento, a aceleração e incubação de projetos de vocação empresarial e o desenvolvimento de competências à medida das empresas”.

A instituição irá ainda contratar mais dois novos técnicos de investigação: um para a área de Saúde e Bem-Estar, no domínio de tecnologias de suporte aos cuidados de saúde, e outro para trabalhar na área Turismo e Lazer, Hotelaria e Restauração. Todas as informações sobre as candidaturas estão disponíveis no site do IPG em www.ipg.pt.

 

Guarda-Investimento de cerca de 75 mil euros em apoios às famílias, no âmbito da ação social escolar para o ano letivo 2021/2022

Deste modo, o Município da Guarda, consciente do papel preponderante da Educação na construção de uma sociedade esclarecida, coesa, inclusiva e participativa, tem orientado toda a sua ação e intervenção para a satisfação das diferentes necessidades e exigências ao sistema educativo no território. Falar de educação é falar de inclusão e justiça social, é falar de um direito inalienável de todos a uma educação de qualidade e com qualidade que permita o acesso de todos os jovens e crianças ao seu desenvolvimento integral e a uma participação social ativa e mobilizadora.

No âmbito do Decreto-Lei nº21/2019, de 30 de janeiro, que define as áreas da educação a transferir/descentralizar para os Municípios, a Câmara Municipal da Guarda assume a competência da Ação Social Escolar passando, a partir de 1 de setembro, a ser responsável pela gestão da mesma desde o 1.º CEB até ao Ensino Secundário.

Para além destes apoios, o Município disponibiliza a todas as crianças que frequentam a rede pública de Ensino Pré-Escolar e 1.º CEB uma Rede de Componentes de Apoio à Família  (AAAF e Rede Municipal de ATL), que acolhem as crianças em horários não letivos, de manhã e de tarde, assegurando o fornecimento da refeição.

A Câmara Municipal vai, ainda, continuar a garantir o transporte escolar dos alunos do 1.º, 2.º e 3.º ciclo e secundário, quando a distância da residência ao estabelecimento de ensino

frequentado for superior a 3 km ou 4 km, dependendo se o mesmo está ou não equipado com cantina/refeitório. Também é garantido o transporte em circuitos especiais a alunos com necessidade de transporte adaptado, independentemente da distância da sua residência ao estabelecimento de ensino que frequentam.

A autarquia prossegue empenhada na valorização das políticas educativas e sociais, disponibilizando meios e recursos para que todos os jovens do concelho da Guarda tenham acesso a uma educação de sucesso, acompanhando-os no processo de formação pessoal que, consequentemente, tornará a nossa sociedade mais humanizada e ética.

IPG capacita quadros para acelerar a digitalização das PME e da Administração Pública

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai passar a capacitar quadros de pequenas e médias empresas (PME) e da Administração Pública para a transformação digital, através da sua inclusão no consórcio do polo de inovação digital PTCentroDiH. O objetivo é tornar os tecidos governamental, humano e empresarial da Região Centro mais inovadores e mais competitivos no mercado global.

Docentes do IPG irão responder às necessidades das empresas e dos serviços da Administração Pública que procuram o PTCentroDiH para atualizar os seus conhecimentos digitais, em conjunto com outras entidades parceiras deste polo de inovação digital. O objetivo é tornar os tecidos governamental, humano e empresarial da Região Centro mais competitivos no mercado global.

“O Politécnico da Guarda destacou uma equipa qualificada na área das Tecnologias de Informação e Comunicação para integrar o PTCentroDiH”, afirma Joaquim Brigas, Presidente do IPG. “A capacitação digital, quer ao nível profissional, quer ao nível pessoal, é essencial para acelerar o crescimento social e económico do país”.

Segundo Pedro Arrifano Tadeu, docente e coordenador do projeto pelo IPG, “os docentes do IPG irão responder às necessidades das empresas e dos serviços da Administração Pública que procuram o PTCentroDiH para atualizar os seus conhecimentos digitais, em conjunto com outras entidades parceiras deste polo de inovação digital. Vamos ajudar a formar recursos humanos em áreas ligadas à programação e à utilização de elementos multimédia, como por exemplo o LEGO MindStorm EV3 ou  o Thinglink”.

O PTCentroDiH é um consórcio alargado de entidades da Região Centro que, em junho deste ano, foi reconhecido como polo de inovação digital e irá integrar a rede nacional. O PTCentroDiH funciona como um balcão único para promover a competitividade, a inovação e a coesão territorial da Região Centro.

É constituído por 21 entidades: Cluster Engineering & Tooling, Cluster Habitat Sustentável, InovCluster, TICE.PT, AEMITEQ, AIBILI, BLC3, CENTIMFE, Itecons, CTCV, Instituto de Telecomunicações, Instituto Pedro Nunes, Institutos Politécnicos da Guarda, de Castelo Branco, de Coimbra, de Leiria, de Tomar, de Viseu, e ainda, pelas Universidades da Beira Interior, de Aveiro e de Coimbra.

Estudantes da Universidade Católica participam em “Fly 2021”

“Fly 2021” é o nome do programa europeu de voluntariado e aprendizagem-serviço, intercultural, interdisciplinar, intensivo e interuniversitário onde estudantes da Universidade Católica Portuguesa no Porto participaram pela primeira vez. O grande propósito foi o de permitir que estudantes de várias universidades europeias pudessem fazer intercâmbio e participar em projetos solidários. 

Coordenado pela Universidade de Comillas (Madrid), o programa “Fly 21” juntou, além da Universidade Católica Portuguesa, as Universidades de Deusto (Bilbao), ESADE (Barcelona), Loyola (Andaluzia), LUMSA (Roma, Itália) e Mateja Bela (Banská Bystrica, Eslováquia). Cada Universidade participou quer com projetos, quer com a integração de estudantes em projetos de outras universidades. No total, este verão de 2021, foram desenvolvidos 45 projetos solidários nos quais participaram 150 estudantes universitários.

“A participação no programa FLY 2021 permitiu reforçar a aposta da Universidade Católica Portuguesa na formação integral dos seus estudantes,” refere Carmo Themudo, responsável pela Unidade para o Desenvolvimento Integral da Pessoa (UDIP) da Universidade Católica no Porto, acrescentando que “foi uma oportunidade única não só de estabelecer parcerias com outras universidades europeias congéneres, mas também, e sobretudo, de proporcionar aos estudantes experiências de voluntariado que, acreditamos, deixam marcas para a vida”.

Em Portugal foram desenvolvidos dois projetos em diferentes cidades do país. Um projeto decorreu no Porto e contou com a presença de sete estudantes universitários, cinco espanhóis e dois portugueses. Em conjunto com as organizações U.DREAM e Porta Solidária da Paróquia do Marquês, no Porto, os estudantes trabalharam as questões da liderança social, desenvolvendo uma campanha de sensibilização urbana e apoiaram a preparação e entrega de kits de refeições a pessoas carenciadas. O outro projeto foi desenvolvido em parceria com a Just a Change, uma organização de recuperação de casas para pessoas carenciadas, na qual 10 estudantes espanhóis participaram em campos de férias nas cidades de Faro, Óbidos e Sever do Vouga. Além dos projetos que decorreram em Portugal, coordenados pela Universidade Católica no Porto, alguns estudantes universitários portugueses participaram em três projetos que decorreram nas cidades de Malta, Valladolid e Madrid.

Confirmamos, através dos testemunhos daqueles que participaram, que no serviço voluntário aos outros e em comunidades com culturas diferentes, se desenvolvem qualidades humanas e competências sociais nos estudantes que permitirão formar futuros profissionais mais sensíveis aos outros e aos temas da solidariedade e do compromisso social. Assim, acreditamos que este foi o primeiro “voo” de muitos da Universidade e dos nossos estudantes!”conclui Carmo Themudo.

//

Mais de 1,2 milhões de vouchers já foram disponibilizados

Já foram disponibilizados mais de 1,2 milhões de vouchers para a aquisição de manuais escolares gratuitos, permitindo o seu levantamento nas livrarias aderentes, depois de garantida a antecipação do calendário de início de disponibilização de vouchers em uma semana.
Tal como nos anos anteriores, os vouchers vão sendo disponibilizados gradualmente, à medida que são constituídas as turmas e devidamente carregadas pelas escolas. Por essa razão, os encarregados de educação devem estar atentos à plataforma, visitando-a ao longo do tempo, sendo também avisados da disponibilização dos vouchers através de correio eletrónico.
Sublinha-se que para beneficiar de manuais escolares gratuitos, os encarregados de educação têm de registar-se na plataforma MEGA, em www.manuaisescolares.pt, ou através da app Edu Rede Escolar.
A partir de qualquer uma destas opções, terão acesso aos dados escolares dos seus educandos, aos respetivos vouchers para os manuais escolares, bem como à lista das livrarias aderentes, onde poderá ser feito o levantamento.
As livrarias, para fazerem parte do programa MEGA – Manuais Escolares GrAtuitos, devem inscrever-se na área reservada da plataforma.

2.ª edição da Escola de Queijeiros com inscrições abertas

Numa perspetiva de continuidade, e considerando o sucesso da primeira edição, o Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro anunciou a segunda edição da Escola de Queijeiros, com início previsto para o dia 27 de setembro. As candidaturas são efetuadas, até ao próximo dia 12 de setembro em em: https://forms.gle/PrMXcXiddR8tucnD6

Destinada a abranger as três regiões DOP do Centro (Beira Baixa, Serra da Estrela e Rabaçal), a Escola de Queijeiros tem como entidades coordenadoras os Institutos Politécnicos de Castelo Branco, Coimbra e Viseu, tendo lugar nas suas Escolas Superiores Agrárias. Mais informações podem ser obtidas aqui:Regulamento-de-candidatura.pdf (queijoscentrodeportugal.pt)

178 vagas em 28 cursos de licenciatura no IP Viseu

A 1.ª fase de candidatura do Concurso Especial de Acesso ao Ensino Superior para Diplomados de Vias Profissionalizantes decorre até dia 3 de setembro de 2021.

O Politécnico de Viseu (PV) disponibiliza 178 vagas em 28 cursos de licenciatura. Toda a informação sobre as provas teóricas ou práticas de avaliação dos conhecimentos e competências exigida para cada uma dessas licenciaturas, bem como o número de vagas, está disponível aqui.

Campanha “Olhe pelas Suas Costas” alerta para a importância do exercício físico no regresso às aulas

Numa altura em que as famílias portuguesas preparam a chegada de mais um ano letivo, a campanha “Olhe pelas Suas Costas” deixa um alerta: a escolha da mochila adequada é um ponto fundamental para a saúde das costas dos mais novos, mas é igualmente importante não descurar o exercício físico e suporte muscular da coluna.

Transportar mochilas com mais de 10% do peso da criança/jovem ou com alças pouco ergonómicas, adotar uma má postura na escola ou até ao estudar em casa, dois hábitos comuns de crianças e adolescentes, podem originar distúrbios musculoesqueléticos. Além disto, a obesidade e o sedentarismo são também prejudiciais para a saúde das costas, devendo ser contrariados desde a infância através do exercício físico, uma vez que é também nesta altura que podem surgir os primeiros sinais de alerta para doenças na coluna.

“Com o regresso às aulas e muitas crianças a iniciarem agora o seu percurso académico, é crucial garantir que estas começam já a adotar hábitos saudáveis e benéficos para a saúde das suas costas, evitando problemas futuros”, afirma Bruno Santiago, neurocirurgião e coordenador nacional da Campanha “Olhe pelas Suas Costas”.

“É aqui que entra a importância do exercício físico. A grande causa para as dores de costas é o sedentarismo, sendo que a melhor forma de prevenir o aparecimento destas, em qualquer faixa etária, é adotando um estilo de vida ativo. A prática de desporto, por exemplo, é uma atividade extracurricular que tem benefícios inequívocos para a saúde dos mais novos”, acrescenta.

Desde prevenir a obesidade, fortalecer ossos e músculos, incentivar a adoção de uma boa postura e até fomentar a disciplina, esta é uma forma divertida mas também pedagógica de garantir que os mais novos têm um estilo de vida mais ativo e saudável.

Segundo o Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física da DGS, a atividade física melhora a aptidão física (cardiorrespiratória e muscular), a saúde cardiometabólica (pressão arterial, dislipidémia, glicose e resistência à insulina), a saúde óssea, a cognição, a saúde mental e promove a redução da gordura corporal de crianças e adolescentes entre os 5 e os 17 anos. É, por isso, recomendado que estes realizem pelo menos uma média de 60 minutos por dia de atividade física de intensidade moderada a vigorosa, maioritariamente aeróbia. A DGS recomenda ainda que seja limitado o tempo em comportamento sedentário, particularmente o tempo de ecrã .

No entanto, segundo a Organização Mundial de Saúde e o estudo de saúde mundial Global Burden of Disease, publicado na revista The Lancet, mais de 80% dos adolescentes entre os 11 e os 17 anos não cumprem as recomendações atuais de pelo menos uma hora diária de atividade física, colocando em risco a sua saúde .

Já dados do Inquérito Nacional de Saúde (INS), a partir de diários de atividade física, estima-se que, em média, crianças e adolescentes entre os 6-14 anos passem cerca de 9 horas/dia em comportamentos sedentários, excluindo o tempo de sono .

Dados recolhidos em 2019 revelam ainda que as dores lombares ou outros problemas crónicos nas costas continuam a ser as que mais afetam a população. No entanto, 65% da população portuguesa com 15 ou mais anos indica nunca praticar qualquer tipo de exercício físico. Para inverter esta situação, é essencial ter uma atitude preventiva desde a infância .

Por:Medtronic

Novo curso executivo – Medicina do Desporto, Reabilitação e Gestão na Católica do Porto

Escola de Negócios da Universidade Católica no Porto estabeleceu uma parceria com a Academia Clínica do Dragão e lançou um novo curso executivo – Medicina do Desporto, Reabilitação e Gestão. O arranque está previsto para outubro deste ano e será totalmente em formato online.

A prestação autónoma de serviços de medicina no desporto, saúde e reabilitação tem apresentado uma procura significativa e crescente, requerendo por isso uma diferenciação técnico-científica continuada. Aos profissionais de ciências médicas, de reabilitação e desporto, exigem-se elevados padrões de competência, organização e de gestão. Por sua vez, a prestação de serviços clínicos e de saúde requerem um exercício profissional seguro e eficaz, suportado em boas práticas e nas últimas evidências. Frequentemente desenvolvido num contexto interdisciplinar, determinantes como a liderança, o compromisso e o desempenho das pessoas impactam os resultados económicos da atividade profissional.

João Espregueira-Mendes, diretor do curso da Clínica Espregueira FIFA Medical Centre of Excellence, no Porto, explica que o Curso Executivo Medicina do Desporto, Reabilitação e Gestão, vem contribuir decisivamente para o sucesso profissional e empresarial de profissionais de saúde e desporto. Uma oportunidade única no contexto universitário para todos os que querem desenvolver as suas equipas e serviços.” 

O curso pretende assim promover o desenvolvimento de conhecimentos e competências de gestão e de liderança de equipas que servem para a prestação de serviços de qualidade em diferentes contextos, bem como desenvolver conhecimentos em medicina do desporto e reabilitação. Tudo isto sem esquecer a evolução técnico-científica no exercício profissional e o acesso a princípios para controlo de gestão de unidades económico-empresariais de medicina, de reabilitação e de saúde. Aos alunos oferece-se a possibilidade de se diferenciarem num contexto teórico e prático de excelência académica e clínica, internacional e pluralmente reconhecido através de um conjunto abrangente e singular de acreditações.

Gonçalo Faria, diretor do curso e professor da Católica Porto Business School salienta que A Católica Porto Business School tem como visão ser uma escola líder na área da gestão e da economia com impacto na sociedade. Entendemos como nossa missão o desenvolvimento de profissionais para uma sociedade sustentável e contribuir com avanços no conhecimento em gestão e economia, inovando e com uma visão global. Os nossos programas de formação executiva refletem esta visão e missão. Em consistência com estas linhas orientadoras, é com grande entusiasmo que estabelecemos esta parceria com a Academia Clínica do Dragão para o desenvolvimento e implementação da componente de Gestão do Curso Executivo em Medicina do Desporto, Reabilitação e Gestão.” 

O curso é especialmente direcionado a fisioterapeutas, médicos, profissionais da educação física ou ciências do desporto e enfermeiros e tem como objetivo oferecer formação teórica e teórico-prática sólida que, no contexto de competências da sua graduação permitam trabalhar de forma mais segura e capaz, desenvolver capacidades de comunicação e referenciação no contexto interdisciplinar da Medicina e das Ciências da Saúde, assim como o desenvolvimento da atividade económico-empresarial autónoma com controlo da gestão.

 

O curso executivo, em formato online, terá a duração de 220 horas letivas e 20 horas de aulas práticas opcionais e tem data prevista de arranque para outubro deste ano.