Templates by BIGtheme NET
Início » Mangualde (Pagina 20)

Mangualde

Acordo de Cooperação para a Constituição da Rede Intermunicipal das Bibliotecas Viseu Dão Lafões assinado

Foi assinado um acordo de cooperação para a constituição da Rede Intermunicipal das Bibliotecas Viseu Dão Lafões (RIBVDL), pela Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, com os catorze municípios que a integram, e a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB),  fruto de uma parceria desenvolvida pela CIM Viseu Dão Lafões e pela DGLAB, visa a implementação de um serviço de bibliotecas públicas de qualidade no território de Viseu Dão Lafões.

O objetivo da RIBVDL é fomentar a cooperação entre as Bibliotecas Públicas Municipais do território, promovendo a partilha e utilização de recursos e serviços comuns, e contribuir, através da prestação de serviços qualificados e de proximidade, para o desenvolvimento de diferentes literacias, incluindo a digital.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes, “Este acordo abre portas a novas oportunidades de qualificação dos serviços e da oferta da rede bibliotecas públicas municipais. Permite, de forma cooperativa e em articulação com todos os municípios, ir ao encontro das necessidades reais da comunidade de Viseu Dão Lafões, promovendo a literacia, o conhecimento, o acesso à informação e a coesão territorial.”

Esta é mais uma Rede Intermunicipal de Bibliotecas, que a DGLAB formaliza, e que se insere na estratégia que preconiza para as bibliotecas públicas, assente no incentivo à criação de redes de bibliotecas de âmbito regional junto das Comunidades Intermunicipais e Áreas Metropolitanas, procurando garantir, desta forma, uma maior articulação entre as várias bibliotecas, tendo em vista a prestação de serviços em rede às populações.

 

Incentivo ao voluntariado com novos direitos e regalias em Mangualde

Está disponível o novo regulamento de Concessão de Apoios Sociais aos Bombeiros Voluntários no Concelho de Mangualde , que entrará em vigor dia 15 de fevereiro de 2021. Este regulamento tem por objetivo definir, no âmbito das políticas sociais e de proteção civil do município de Mangualde, um conjunto de direitos e regalias inerentes ao exercício de voluntariado no Corpo de Bombeiros Voluntários de Mangualde e respetivas condições de atribuição.

                            Novos descontos, direitos e regalias

Todos os voluntários da corporação dos bombeiros do concelho estão sujeitos a vários deveres e direitos prescritos legalmente no regime jurídico aplicável aos bombeiros portugueses no território nacional. Podendo usufruir de várias regalias enquanto voluntários de uma iniciativa tão nobre. Foram vários os direitos e deveres difundidos neste regulamento, desde descontos municipais a ajudas monetárias a nível de ensino. Ler Mais »

Clubes e Direção da AF Viseu reuniram em videoconferência

Teve lugar , nesta quinta – feira à noite, uma reunião entre a direção da AF Viseu e os seus clubes filiados, onde o tema era a retoma das competições e possíveis apoios.
Assim, segundo apurámos, o presidente da direção da AF Viseu, José Carlos Lopes, fez um ponto de situação relativamente à retoma das competições e aos apoios solicitados à FPF e ao Governo.
Sobre a retoma das competições, existe ainda bastante incerteza de quando será autorizada pelas entidades competentes, a prática desportiva nos campeonatos amadores, referindo que “os campeonatos podem ser prolongados até ao final de julho”. Relativamente aos apoios a prestar aos clubes filiados”.
O líder da AF Viseu, José Carlos Lopes defendeu que “estes apoios são fundamentais para a sobrevivência dos clubes e deverão ser disponibilizados ainda no decorrer do mês de fevereiro”.
GD Mangualde reagiu :
Os clubes vão deixando o seu ponto de vista e o  GD. Mangualde que esteve representado pelo presidente da direção Ricardo Lopes, que defendeu “a sustentabilidade dos clubes está em causa, não pela suspensão das provas, mas pela obrigatoriedade de competir como estávamos a fazer até dezembro. Com enormes riscos para a saúde de todos os agentes desportivos, com a ausência de público e consequentemente de receitas, assumindo os clubes a totalidade da despesa de uma competição ferida na verdade desportiva e com jogos agendados para as 11:00, não permitindo a devida preparação das comitivas”.
Ricardo Lopes referiu ainda que “a manterem-se todos estes constrangimentos desportivos e financeiros na competição, o G.D.Mangualde terá de discutir internamente com os seus Associados a continuidade na prova, uma vez que a minha direção não assumirá tamanha irresponsabilidade, que compromete não só esta época, mas também as próximas”.
foto:GDM

Biblioteca Municipal continua ligada à comunidade em Mangualde

No período do 1º confinamento, a Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves de Mangualde esteve ativamente presente na rede social Facebook da biblioteca. Foram elaborados conteúdos sobre temáticas ligadas às tradições, às personalidades e à história local, bem como concertos e desafios à comunidade. Diariamente a biblioteca esteve em contacto com os seus utilizadores, procurando manter o interesse pela leitura.

Atualmente de portas fechadas, devido ao 2º confinamento, a Biblioteca Municipal continua ligada à comunidade, voltando a enriquecer a programação na rede social do Facebook.

São publicadas atividades regulares desde contos, sugestões de leitura, biblioterapia/cineterapia, histórias e tradições locais, tutoriais para o dia-a-dia, entre outras atividades, convidando sempre o público a participar neste trabalho, através de desafios temáticos como: “Mangualde a partir da minha Janela”“Mangualde Confinado: A Grande Recolha” e “Os Livros da Minha Vida”.

EMPRÉSTIMO DE LIVROS EM TAKEAWAY E ENTREGA AO DOMICÍLIO

Os serviços tradicionais de empréstimo domiciliário da Biblioteca continuam a ser prestados, embora no formato de Takeaway e entrega ao Domicílio, podendo ser requeridos e reservados através do Catálogo Online (https://catalogobmm.cmmangualde.pt/), do email: biblioteca@cmmangualde.pt, ou através do telefone: 232619889. Estão ainda disponíveis os serviços de Informação e referência através das mesmas vias.

Setor da Saúde: Quase 800 reclamações em janeiro

Janeiro passado, mês em que Portugal voltou a um confinamento geral devido ao agravamento da situação pandémica no país, foi o pior mês de sempre relativamente às queixas apresentadas pelos portugueses na área da Saúde. Um estudo do Portal da Queixa revela que foram registadas quase 800 reclamações, naquela que foi a maior média diária de queixas dirigidas ao setor da Saúde, cerca de 25 por dia. O SNS é o maior foco das reclamações e a impossibilidade de ser atendido por um médico é a principal queixa dos portugueses.

De acordo com o estudo analítico desenvolvido pela equipa do Portal da Queixa, entre os dias 1 e 31 de janeiro de 2021, foram registadas na plataforma 787 reclamações. O pior mês que há registo e um recorde em termos de reclamações diárias dirigidas ao setor da Saúde, uma média de 25 por dia. Comparativamente com o período homólogo (janeiro de 2020) – com 455 queixas registadas -, verificou-se um aumento de 73% do número de reclamações, facto que evidencia todas as dificuldades que o setor enfrenta para dar resposta à pandemia de COVID-19.

Relativamente ao TOP 5 das entidades com o maior número de reclamações recebidas, a análise revela que, em janeiro último, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) liderou o foco das queixas (com 186 reclamações registadas no Portal da Queixa). Seguem-se os Hospitais e Centros de Saúde (142), em terceiro os Planos e Seguros de Saúde (135), em quarto os Grupos Privados de Saúde (115) e em quinto, as Farmácias (74).

Entidades foco do maior número de reclamações em janeiro:

Entidades Reclamações
Serviço Nacional de Saúde 186
Hospitais e Centros de Saúde 142
Planos e Seguros de saúde 135
Grupos de Saúde Privados 115
Farmácias 74
Clínicas médicas 29
Laboratórios e analises clínicas 28
Equipamentos e materiais de Saúde 27
Clínicas dentárias 21
Outras 30

Principais motivos de reclamação:

Segundo a análise feita pela maior plataforma de comunicação entre consumidores e marcas do país, as reclamações recebidas espelham, sobretudo, a falta de acompanhamento que os doentes precisam e a preocupação em não conseguir atendimento médico, seja presencial ou por teleconsulta. A “impossibilidade de ser atendido por um médico” é o principal motivo de reclamação, gerando 36% das queixas dirigidas ao setor da Saúde. A “falta de atendimento telefónico” é a segunda causa mais apontada pelos consumidores, perfazendo 34.4% das queixas.

Casos denunciados no Portal da Queixa

A atestar a insatisfação dos portugueses, estão alguns dos casos partilhados no Portal da Queixa em janeiro passado. Carla Amoreira, uma doente que acusou teste positivo para a COVID-19, denunciou na sua reclamação: “ninguém me quis avaliar nos serviços COVID e urgência USLCB”. 

Outra consumidora, Paula Teixeira, reclama ter estado mais de doze horas à espera de uma consulta COVID-19: “Já há 12h30m à espera nas urgências covid-19, tendo vindo a mando da médica da consulta Covid-19 e SNS 24. Não opção própria”. Por seu turno, Inês Almeida, reporta a falta de atendimento telefónico: “Não atendem e chegam a rejeitar chamadas”.

O consumidor e utente António Santos, alerta na sua reclamação para eventuais altas forçadas em doentes com COVID-19: “Alta forçada aos doentes covid apesar de testarem positivos e irem para o lar”.

 

De referir que, em 2020, o total de reclamações dirigidas ao setor da saúde foi de 7.277, um aumento de 80% face a 2019.

 

ETAR de Abrunhosa-a-Velha já está a funcionar

Foi recentemente inaugurada a ETAR de Abrunhosa-a-Velha, que resultou num investimento de 280 mil euros, com subsídio a fundo perdido de 223 mil euros. esta foi mais uma das quatro que entraram em funcionamento no concelho.

Marcaram presença, o presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira, vice-Presidente e Vereadores, e o presidente da Junta de Freguesia de Abrunhosa-a-Velha, Eduardo Albuquerque,  na inauguração desta nova estrutura do município. “Está em marcha este plano de revolução ambiental que tanta falta fazia ao nosso concelho, no fundo era uma necessidade de toda a população, mas também do nosso Ambiente”, destacou Elísio Oliveira.
O presidente da Junta de Freguesia sublinhou que este foi um “dia histórico para a freguesia, porque veio resolver um problema que tanto transtorno causou ao longo de várias décadas”.

Covid-19 -Programa Apoiar /Medida Apoiar + Simples para as empresas

Neste tempo de pandemia à necessidade de apoiar financeiramente as empresas afetadas, deste modo, o Governo aprovou ao abrigo do Programa APOIAR, a Medida Apoiar + Simples, tendo em vista preservar a continuidade da atividade económica e do emprego.

Podem candidatar-se à Media Apoiar + Simples, os empresários em nome individual (ENI), sem contabilidade organizada, com trabalhadores a cargo, nos setores abrangidos pelo Programa APOIAR. As candidaturas decorrem de 28 de janeiro de 2021 até ao esgotamento da dotação e o apoio a conceder equivale a 20% do montante da diminuição de faturação da empresa, até ao limite máximo de 4.000€.

Para apresentação de candidaturas, consulte o Aviso n.º 01/SI/2021, de 28 de janeiro.

Candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”aprovada

Cultura como um fator diferenciador da atratividade e competitividade do nosso território”

Recentemente a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, viu aprovada a  candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”, submetida ao fundo extraordinário “Programação Cultural em Rede”, no âmbito do PO Centro 2020, com um valor de trezentos mil euros.

Com esta candidatura, a CIM Viseu Dão Lafões pretende dar continuidade ao investimento na cultura que tem preconizado nos últimos anos e cuja atividade tem sido fortemente limitada fruto da pandemia COVID-19.

O projeto “Programação Cultural em Rede” visa articular em todo território, no decurso do ano de 2021, uma programação cultural que permita, não só, a valorização dos recursos patrimoniais e museológicos regionais, mas também, apoiar os agentes culturais e turísticos locais, apostando numa agenda cultural rica e diversificada.

Este projeto pretende dar continuidade à rede cultural de cooperação intermunicipal que a CIM Viseu Dão Lafões tem vindo a dinamizar, em parceria com os catorze municípios do território, e que tem permitido, não só, promover a itinerância de conteúdos artísticos, como tem contribuído para o desenvolvimento de um produto cultural regional de características únicas.

Essas manifestações culturais assentarão, maioritariamente, em propostas culturais apresentadas por agentes culturais e na dinâmica patrimonial e artístico-cultural da região.

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, “A CIM Viseu Dão Lafões sempre entendeu a cultura como um fator diferenciador da atratividade e competitividade do nosso território. Atendendo à pandemia COVID-19, vimo-nos na contingência de reformular estratégias e a programação com vista a responder às necessidades dos agentes culturais, populações e operadores turísticos, tendo, neste contexto, surgido a candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”. Esta iniciativa é assim, também, uma mensagem de confiança que queremos deixar a todas as Instituições da nossa região e a todos os profissionais que têm sofrido fortemente com esta pandemia”. “No âmbito da CIM foi ainda, possível, concertar uma estratégia intermunicipal que permitiu, através da agregação de agrupamentos de municípios, aprovar candidaturas, com diversas geometrias geográficas, reforçando a oferta e a complementaridade dos eventos no território. No total, este conjunto de ações representam um investimento no território de aproximadamente 1.2M€”, concluiu o Secretário Executivo.

CIM Viseu Dão Lafões Capacita Técnicos de Fogo Controlado e Operacionais de Queima

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, através da sua Unidade de Proteção Civil Intermunicipal, no âmbito do projeto europeu LIFE Landscape Fire Project, promove a capacitação e credenciação de Técnicos de Fogo Controlado e de Operacionais de Queima.

A decorrer entre os meses de janeiro e abril de 2021, estas ações de capacitação visam dotar os agentes de proteção civil do território de ferramentas que lhes permitam realizar planos de fogo controlado e executar técnicas de ignição para queima prescrita, bem como a posterior avaliação dos impactes da queima.

Estas formações são dirigidas a técnicos e operacionais provenientes de diversas estruturas do território da CIM Viseu Dão Lafões, nomeadamente: Gabinetes Técnicos Florestais, Serviços Municipais de Proteção Civil, Bombeiros Sapadores Municipais, Bombeiros Voluntários, Sapadores Florestais, Organizações de Produtores Florestais e da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR.

Atendendo ao contexto causado pela pandemia COVID-19, numa primeira fase, o ciclo formativo teórico será ministrado via online, sendo que numa segunda fase serão desenvolvidas sessões práticas e teórico-práticas de uso de fogo nos mais diversos níveis de atuação.

As sessões teóricas, para a formação de Técnico de Fogo Controlado e de Operacional de Queima, terão início dia 28 e 29 de janeiro respetivamente, estando prevista a sua conclusão no mês de março.

As sessões práticas e teórico-práticas, apesar da incerteza determinada pela pandemia, deverão ocorrer a partir do mês de fevereiro, prolongando-se até ao mês de abril, estando a sua realização dependente da ocorrência de condições climatéricas favoráveis.

Cada um dos cursos contempla 25 participantes por turma. Assim, o Curso de Técnico de Fogo Controlado é composto por uma turma e o Curso de Operacional de Queima envolve três turmas, para um total de 100 formandos.

Recorde-se que no âmbito da prevenção, o Fogo Controlado consiste no uso planeado do fogo em condições ambientalmente favoráveis, tendo um papel fundamental na gestão dos combustíveis, na redução do risco de incêndio rural, na renovação das pastagens, na fertilização dos solos e no controlo espécies invasoras, constituindo, ainda, uma ferramenta muito eficiente de combate a incêndios rurais.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogerio Mota Abrantes “Esta proposta de capacitação, desenvolvida pela CIM no âmbito do projeto Life Landscape Fire Project, vai permitir capacitar, a nível regional, técnicos especializados no uso de fogo controlado. Este projeto reveste-se de grande importância pois vais dotar a região de um know-how extremamente valioso para o reforço da nossa capacidade de prevenção e combate ao flagelo dos incêndios rurais.”

Ao promover estas formações, a CIM Viseu Dão Lafões, através da sua Unidade de Proteção Civil Intermunicipal, mostra o seu forte compromisso no esforço, que deve ser de todos, para o reforço da resiliência do território.”, concluiu o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões.

GNR- Atividade operacional das últimas 12 horas

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de ações policiais, em todo o território nacional, entre as 20h00 de sábado e as 08h00 de domingo. Estas ações visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais:

  1. Detenções: 12 detidos em flagrante delito, destacando-se:
  • Cinco por condução sob o efeito do álcool;
  • Três por desobediência;
  • Dois por condução sem habilitação legal;
  • Um por condução perigosa;
  • Um por violência doméstica.
  1. Apreensões:
  • Oito doses de cocaína;
  • 3,16 doses de canábis;
  • 1,64 doses de haxixe;
  • 0,2 doses de liamba.