Templates by BIGtheme NET
Início » Património (Pagina 10)

Património

Webinar” Centro: O Património como Vetor de Desenvolvimento do Interior”

Vai decorrer na quinta-feira, dia 8 de julho, às 14h30 em Fornos de Algodres o webinar” Centro: O Património como Vetor de Desenvolvimento do Interior”, com apoio do Município de Fornos de Algodres e da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, promovido pela consultora Passado Vivo .

O objetivo deste webinar é refletir sobre estratégias regionais de desenvolvimento, a partir de exemplos inspiradores vindos das áreas da cultura, do turismo e da valorização dos produtos endógenos.

Inscreva-se aqui: Webinar – Património vetor de Desenvolvimento do Interior Centro – 8 de Julho 2021 – Fornos de Algodres (google.com)

Os Virgem Suta atuam em Gouveia

O “Anfiteatro da Cerca”, vai receber o primeiro espetáculo musical que terá lugar no âmbito da iniciativa “Gouveia – “Um Verão 5 Estrelas, sobem ao palco ,Os Virgem Suta no próximo sábado, dia 3 de julho, pelas 21h30,

“Gouveia – “Um Verão 5 Estrelas” constitui a aposta do Município de Gouveia para animar o Verão de 2021, que decorre de 03 de julho a 15 de agosto, com atividades nas áreas da cultura, desporto, património, gastronomia e ambiente.

Os Virgem Suta vestem-se a rigor e apresentam o espetáculo “Sem Rede”, ao qual o público poderá assistir de forma gratuita.

A Amizade e cumplicidade são adjetivos que marcam esta, já, duradoura parceria entre Jorge Benvinda e Nuno Figueiredo.

O que um escreve, o outro canta ou transforma em música. E se um descobre uma linha de acordes melodiosa, o outro sugere mais uma ideia para a canção. Não existem funções definidas na hora de compor, mas é em dupla que chegam a um resultado. Agora, decidem mostrar em palco como soam as músicas pouco tempo depois de serem criadas.

É a primeira vez que os Virgem Suta fazem um espetáculo deste género: Reunir as canções e (re)interpretá-las na sua forma mais simples, mais “pura”, privilegiando a suavidade e a doçura do acústico. É um desafio em que os dois artistas procuram regressar às “raízes” dos temas, aproveitando ainda a ocasião para interpretar as músicas que poucas vezes foram tocadas ao vivo.

Guitarra e voz são os ingredientes principais de concertos que prometem deliciar os verdadeiros fãs.

Domingos Loureiro vence 1ª edição do Prémio Internacional de Artes Plásticas

Teve lugar recentemente , no Museu da Guarda, a inauguração da exposição e também a entrega a  Domingos Loureiro  vencedor da 1ª edição do Prémio Internacional de Artes Plásticas – Cidade da Guarda, do prémio, no valor de 7.500 euros,  Esta exposição, que marca o encerramento 5º Simpósio Internacional de Arte Contemporânea, estará patente até o próximo dia 29 de agosto.

Projeto Reviver José Santos Pinto em Mangualde

O concelho de Mangualde vai acolher o projeto Reviver José Santos Pinto, nos dias 10 e 11 de julho. Um projeto que pretende recuperar duas sonatas para oboé compostas pelo próprio José dos Santos Pinto, apresentando-as ao público em forma de tertúlia e concertos, onde estará presente o oboé que o músico utilizou durante toda a sua carreira.

O primeiro dia de divulgação junto ao público decorrerá no dia 10 de julho, sábado, com um Concerto Sinfónico com a Orquestra Poema (integrado na Programação Anual da Orquestra Poema), pelas 21h30, no Complexo Paroquial de Mangualde, com a seguinte programação:

  • Sinfonia nº 29 de W.A. Mozart (I. Allegretto Moderato)
  • Concerto para Oboé em Dó Maior de Mozart
  • José S. Pinto – Concertino para oboé e orquestra
  • Sinfonia nº 10 de W. A. Mozart
  • Tiago Coimbra, Oboé
  • Tiago Correia, Direção
  • Orquestra Poema

 No domingo, dia 11 de julho, terá lugar uma Tertúlia – Concerto Comentado, na Igreja Matriz de Lobelhe do Mato, pelas 21h30, com a moderação de Ana Margarida Cardoso e com os seguintes convidados: Luís Francisco Vieira e Lopes da Cruz (oboístas); Alda Santos Pinto e António Bordelo Ruivo (família); Prof. ª Maria do Rosário Pestana (INET-md | UA); Tiago Coimbra (Oboé); e Joana Moreira (Piano), com o seguinte repertório:

  • José S. Pinto – Sonate dans l’Spirit Classique, para oboé e piano
  • Tomás Borba – Rosas Bravas: Melodia do Pastor (para oboé)
  • José S. Pinto – Segunda Sonata, para oboé e piano

Para que o evento seja realizado em segurança e de forma a cumprir com todas as normas impostas pela DGS, existirá lotação limitada, pelo que a reserva de bilhetes é obrigatória e deverá ser realizada através do contacto telefónico 232 619 889.

PROJETO REVIVER SANTOS PINTO

O projeto Reviver Santos Pinto é da autoria de Ana Margarida Cardoso, que escreveu o livro “José dos Santos Pinto: retrato de um músico profissional durante o Estado Novo”, em parceria com o oboísta Tiago Coimbra. Através desta parceria pretendem recuperar duas sonatas para oboé compostas pelo próprio José dos Santos Pinto, apresentando-as ao público com o oboé que o músico utilizou durante toda a sua carreira. Este instrumento faz parte do espólio constante na Sociedade Filarmónica Lobelhense, foi restaurado e é único no mundo, uma vez que a sua dedilhação foi patenteada pelo músico.

ICNF.I.P. e Município de Gouveia assinam protocolo

Vai ser assinado, no próximo dia 28 de junho, segunda -feira, pelas 12 horas, na Quintã, em Folgosinho,pelo Município de Gouveia e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF.I.P.)   o protocolo de colaboração no âmbito do projeto “Cooperativa Cowork – Aldeias de Montanha”. A cerimónia irá contar com a presença de Fátima Araújo Reis, Diretora Regional do Centro do ICNF, I.P.
O Município de Gouveia pretende implementar e desenvolver, em regime de parceria com o ICNF, I. P. e com outras entidades, o projeto denominado “Cooperativa Cowork I Aldeias de Montanha”, o qual compreende a criação de um espaço multifuncional dedicado à vivência de aldeia, à ciência cidadã, ao conhecimento e à educação ambiental em torno do património natural e florestal local e da Serra da Estrela.
Para a concretização e desenvolvimento desta iniciativa torna-se indispensável a reabilitação e adaptação do “Centro de Acolhimento de Folgosinho”, que funcionará como equipamento de suporte, num investimento de cerca de 100.000,00 € por parte do Município de Gouveia.
Os objetivos do projeto “Cooperativa Cowork / Aldeias de Montanha” são compagináveis com os pressupostos consagrados no Programa Regional de Ordenamento Florestal do Centro Interior (PROF CI), aprovado pela Portaria n.º 55/2019, de 11 de fevereiro, no Plano de Ordenamento do Parque Natural da Serra da Estrela e na Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e Biodiversidade 2030. No âmbito desta estratégia foram elegidos como vértices estratégicos fundamentais, a melhoria do estado de conservação do património natural, a promoção do reconhecimento do valor do património natural e o fomento da apropriação dos valores naturais e da biodiversidade pela sociedade.
O desenvolvimento do projeto proposto pelo Município de Gouveia tem em vista a utilização sustentável de recursos endógenos e a manutenção de infraestruturas e equipamentos para fins multitemáticos associados à floresta, conservação da natureza e educação ambiental, bem como de defesa e requalificação do património com relevância arquitetónica.

Reabriram Piscinas de Canas de Senhorim já requalificadas

Teve lugar a inauguração da requalificação das Piscinas de Canas de Senhorim que foram já reabertas no Parque Urbano Professora Maria Benilde Pereira Mouraz.
Deste modo, marcaram presença, o Presidente da Câmara , Borges da Silva e o Tesoureiro da Junta de Freguesia de Canas de Senhorim , nesta cerimónia, da reabertura do requalificado complexo de piscinas de Canas de Senhorim, complexo de piscinas e balneário sujeitos a profundas obras de beneficiação por parte da Junta de Freguesia que contou com o apoio da Câmara Municipal, com substituição de todo o revestimento interior e exterior, bem como da cobertura do balneário, num investimento superior a 55 mil euros.
Grande parte do financiamento para estas obras (40 mil euros) resultou de um donativo à Junta de Freguesia da benfeitora Professora Maria Benilde Pereira Mouraz, facto que a mesma Junta fez questão de assinalar na placa comemorativa da realização das obras.
As piscinas, agora renovadas, passaram também a estar inseridas no Parque Urbano com o nome da benfeitora, conforme deliberação aprovada por unanimidade na Assembleia de Freguesia de Canas de Senhorim sob proposta da Junta de Freguesia.

Miguel Teixeira novo 2º Comandante Regional de Emergência e Proteção Civil do Centro

O bombeiro Pinhelense Miguel Teixeira foi nomeado 2º Comandante Regional de Emergência e Proteção Civil do Centro, recentemente.

O jovem bombeiro iniciou o seu percurso em 1992 no Bombeiros Pinhelenses, foi subindo e chegou a subchefe, na altura que passou a 2ºcomandante, mas eis que foi convidado para 2ºComandante Operacional Distrital da Guarda e agora vai exercer novas funções. Um homem sempre em ação e a subir gradualmente na carreira. Foi agora designado, João Rodrigues no cargo de segundo Comandante Operacional Distrital da Guarda, licenciado em Segurança Comunitária, é formador na Escola Nacional de Bombeiros e possui vasta experiência no exercício de funções de comando em corpo de bombeiros.

Parque Ecológico de Gouveia reabre ao público

O Parque Ecológico de Gouveia vai reabrir ao público a partir deste sábado, dia 26 de junho. A reabertura visa promover a fruição deste equipamento municipal durante o período de verão, época em que se verifica, habitualmente, um maior número de visitas. O Parque Ecológico de Gouveia irá permanecer aberto até à segunda fase da sua intervenção de requalificação.

O Parque Ecológico de Gouveia tinha encerrado ao público no âmbito das medidas de mitigação da pandemia covid-19 em janeiro de 2021 e manteve-se encerrado em função do início das obras de requalificação. A obra foi consignada a 05 de junho tendo sido possível fasear a intervenção prevista. A empreitada terá início pela construção do edifício de acolhimento e serviços que fica localizado na cota inferior e para uma segunda fase decorrerá a intervenção nas áreas de cercados e habitat´s das espécies existentes no parque Ecológico.

Com este planeamento é possível retomar as atividades de visitação do parque ecológico, o que ocorre já este sábado 26 de junho, mantendo-se o parque aberto ao público até início da e beneficiação dos cercados e habitat’s.

Foto:Mun.Gouveia

Oficina de Canto Polifónico Feminino vai funcionar

A prática polifónica a 3 vozes, que tem passado de geração em geração desde tempos imemoriais, corre hoje em dia um sério risco de se perder. Os objetivos desta oficina são claros: conhecer, aprender, preservar e integrar no património cultural o Canto Polifónico Feminino, atualmente alvo de candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO). É através desta iniciativa de desenvolvimento artístico e comunitário, promovida no âmbito do projeto “Cultura Entre Pontes”, que esta prática não será perdida. Em Sever do Vouga, Vouzela, Oliveira de Frades e São Pedro do Sul serão selecionadas 10 mulheres por município que gostem de cantar. O grupo, composto pelas vozes dos 4 municípios, irá posteriormente atuar nos 4 concelhos, num espetáculo a 40 vozes.

 A oficina “Canto Polifónico Feminino” tem como objetivo preservar e reinterpretar o cancioneiro tradicional do território articulado com as novas sonoridades e formas de apresentação para que esta importante e identitária prática não se perca no tempo. Numa altura em que o Canto Polifónico Feminino está a ser alvo de uma candidatura a Património Cultural e Imaterial da Humanidade da UNESCO, esta oficina reveste-se de especial importância.

 O objetivo passa pelo ensino, disseminação e valorização do canto a 3 vozes junto da população mais jovem. Para isso, serão recuperadas e transcritas para pauta, 10 cantadas a partir do património musical polifónico dos 4 Municípios – Sever do Vouga, Vouzela, Oliveira de Frades e São Pedro do Sul. Em termos práticos, em cada Município será constituído um grupo de 10 mulheres locais, com ou sem experiência prévia, mas 70% das participantes devem ser jovens até aos 30 anos de idade. Este aspeto é determinante considerando o envelhecimento associado às detentoras desta tradição, e consequente necessidade de renovação da geração de praticantes.

 A seleção será da responsabilidade do diretor artístico Paulo Pereira e, em cada Município, as oficinas serão dinamizadas por uma cantora profissional que ensinará esta prática. Assim, em Sever do Vouga a responsável é Carmina Repas Gonçalves, em Vouzela é Joana Negrão, em Oliveira de Frades é Celina da Piedade, e em São Pedro do Sul é Teresa Campos. As inscrições estão abertas até 15 de julho e têm um limite de 10 vagas por Município.

Em Sever do Vouga as oficinas acontecem dias 31 de julho, 18 e 19 de agosto; em Oliveira de Frades dias 16, 17 e 18 de agosto; São Pedro do Sul a 16, 17 e 18 de agosto; e em Vouzela dias 17, 18 e 19 de agosto 2

 As datas dos concertos já estão agendadas: Sever do Vouga: 21 de agosto; Vouzela: 22 de agosto; Oliveira de Frades: 11 de setembro e São Pedro do Sul: 12 de setembro. Aos espetáculos irão juntar-se duas associações locais de cada Município. Cada uma, com base no património recolhido por Giacometti, vão apresentar cerca de 3 cantadas. Os espaços de apresentação escolhidos são ao ar livre e de elevado valor patrimonial, desde moinhos, pelourinhos, eiras, dolmens, museus, parques, igrejas, bibliotecas ou torres medievais.

Nelas recebe “Sentinelas do Mar”

Através uma parceria instituída entre a Câmara Municipal de Nelas e a Autoridade Marítima Nacional, surge o Projeto “Sentinelas do Mar”, com a finalidade de divulgar o património em torno dos faróis nacionais (continentais e insulares).
Neste sentido o objetivo passa por valorizar um património notável e uma história ligada ao mar que tanto honra os portugueses. Os faróis tiveram sempre um papel importante tanto na orientação como também um sinal de regresso a casa durante os séculos. Por isso desempenham um papel importante na cultura, daí serem a grande maioria classificados como Monumentos Nacionais.

O Município de Nelas através do seu Vereador da Cultura Aires dos Santos, também ele pintor, convidou para este projeto 10 conceituados pintores ibéricos neste período pós de confinamento, com o intuito de poderem retomar as suas atividades artísticas.
Etimologia e breve historial da palavra Farol:

“O termo farol deriva da palavra grega Faros, nome da ilha próxima à cidade de Alexandria onde, no ano 280 a.C., foi erigido o farol de Alexandria — uma das sete maravilhas do mundo antigo. Faros deu origem a esta denominação em várias línguas românicas; como em francês (phare), em espanhol e em italiano (faro) e em romeno (far).
Os navegadores da Odisseia guiavam-se por fogos acesos nos promontórios. Um dos fogos mais antigos de cuja existência se sabe, é o que existia na ilha de Faro (Pharos), colocado em cima de uma torre de mármore branco de 135 metros de altura, mandado construir por Ptolomeu Filadelfo. Esta ilha, que pelo seu nome deu origem à palavra farol, foi ligada 285 anos a. C. por um molhe, à cidade de Alexandria. A torre, uma das sete maravilhas do Mundo, devido a vários tremores de terra que sofreu, acabou por se desmoronar em 1302.Em Portugal, o primeiro farol foi mandado acender em 1520, na torre do convento de S. Francisco, no Cabo de S. Vicente”

Cabendo à CMN a coordenação do projeto, gestão técnica das obras e organização evento inaugural  no seu Feriado Municipal! A partir das 15:30h no Balneário dos Ingleses na Urgeiriça a Exposição “Sentinelas do Mar” vai estar patente até domingo passando a itinerante inicialmente na Biblioteca Municipal de Nelas até 11 de julho  e posteriormente em Lisboa na AMN, também nas regiões autónomas e finalizando este ciclo de exposições na Associação das Caldas da Felgueira (parceira da iniciativa).
A exposição é composta por 33 obras dos seguintes 11 artistas:
1. Aires dos Santos
2. Alice Piloto
3. António Dias
4. Graça Freitas
5. José Dell Castillo
6. Lena Jorge
7. Luís Duro
8. Mário Costa
9. Nelson Santos
10. Nuno Angélico
11. Ricardo Rodrigues

Além da componente artística das pinturas, a Autoridade Marítima Nacional vem reforçar essa exposição com documentação e espólio alusivos à temática dos faróis, bem como de garantir o guionamento da exposição com a presença de dois faroleiros para toda a comunidade e publico escolar que queira realizar a visita!