Templates by BIGtheme NET
Início » Religião (Pagina 53)

Religião

Corte de feriados só em 2013

Vaticano e Estado português já chegaram a acordo. Igreja abdica do Corpo
de Deus e do 1º de Novembro a partir de 2013 e durante cinco anos.
Feriados civis do 5 de Outubro e 1º de Dezembro também só caem a partir
do próximo ano. Acordo vai ser reavaliado no fim dos cinco anos.

 Os quatro feriados que estavam previstos cair em 2012 – dois civis e
dois religiosos – vão manter-se este ano. Só em 2013 é que a medida
entra em vigor.

O Vaticano e o Estado português chegaram a
acordo, anunciaram esta terça-feira a Nunciatura Apostólica em Lisboa e
os Ministérios da Economia e dos Negócios Estrangeiros. Confirma-se que
as duas festas religiosas que vão deixar de ser feriado são o Corpo de
Deus e o 1º de Novembro, mas só a partir de 2013. Os feriados civis do 5
de Outubro e 1º de Dezembro também só caem a partir do próximo ano, tal
como a Renascença avançou.

“A eliminação dos
feriados de Corpo de Deus, 5 de Outubro, 1 de Novembro e 1 de Dezembro
apenas produzirá efeitos a partir de 1 de Janeiro de 2013, indo assim
também ao encontro do melhor planeamento dos calendários das famílias e
das empresas no corrente ano”, indica um comunicado conjunto dos
Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Economia.

No final da
vigência do acordo, vai haver uma reavaliação. “Ficou estabelecido que,
no final do período de cinco anos, a República Portuguesa e a Santa Sé
reavaliarão os termos do seu acordo”, indica ainda o comunicado do
Ministério.

Mudanças só com autorização de ambas as partes
O
consentimento da Santa Sé era necessário, uma vez que os feriados
religiosos fazem parte da Concordata entre Portugal e o Vaticano e não
podem ser alterados sem autorização de ambas as partes. O acordo firmado
não é definitivo, tendo validade de cinco anos, entre 2013 e 2017.

Liturgicamente,
como já tinha sido explicado pela Igreja, o Corpo de Deus, que é uma
festa móvel, passa a ser celebrado no domingo seguinte. O mesmo não se
aplica ao 1º de Novembro, que, apesar de não ser feriado, continua a ser
assinalado pela Igreja no mesmo dia.

Na base da decisão de corte
dos feriados está um acordo saídaoda concertação social, que foi
estabelecido em Janeiro. O Governo e os parceiros sociais que assinaram o
texto justificaram a medida “com o intuito de reforçar a
competitividade da economia portuguesa”.
fonte:RR

FESTAS EM HONRA DE NOSSA SENHORA DA GRAÇA EM FORNOS DE ALGODRES

A tradição cumpre-se de novo em Fornos de Algodres com a realização das tradicionais Festas em honra de Nossa Senhora da Graça, apoiadas pelo Município, que se realizam de 20 a 22 de Agosto.

O Mercado Municipal é o local que vai acolher a muita música e animação onde, ao longo dos três dias de festejos, vão apresentar-se grupos, bandas musicais e consagrados artistas de variedades nacionais e estrangeiros.
P R O G R A M A
20 de Agosto

(Sábado)
10h30 – Arruada dos Bombos da Quinta do Inferno
18h30 – Procissão com a Imagem de Nossa Senhora da Graça da capela para a Igreja da Misericórdia, seguida de Eucaristia
20h00 – Abertura do Recinto das Festas (Mercado Municipal)
20h10 – Apresentação da exposição fotográfica “ recordar é Viver”
20h15 – Grande arraial com o grupo “FIM DE SÉCULO”
23h00 – NEL MONTEIRO e sua banda
00h30 – “FIM DE SÈCULO”
02h00 – Noite divertida com “DJ”
NOSSA SENHORA DA GRAÇA
(Fornos de Algodres)
21 de Agosto
(Domingo)
10h30 – Saudação à Vila pela “BATUTA D’ALEGRIA – OS VETERANOS”
11h00 – Eucaristia seguida de procissão – Igreja da Misericórdia
15h00 – Torneio de Sueca
15h30 – Animação Cultural – Mercado Municipal:
– Grupo típico “OS CAPELENSES”
– Rancho Folclórico de Vinhó
– Lina Xavier e seus pupilos
– Concertinas de Fornotelheiro
19h30 – Abertura do Recinto das Festas – Mercado Municipal
20h30 – Desfile de Moda
21h30 – Arraial com o grupo “PRATA LATINA”
23h30 – ROBERTA MIRANDA ao vivo
00h30 – “PRATA LATINA” – Parte II
01h30 – DONA BRANCA ao vivo
22 de Agosto
(Segunda-feira)
18h00 – Regresso da imagem de Nossa Senhora da Graça da Igreja da Misericórdia para a Capela – Eucaristia Campal
21h30 – Arraial com o grupo “K 5”
00h00 – Encerramento da Quermesse
José Miranda, Presidente do Município de Fornos de Algodres sublinha o facto de a autarquia se associar a estes festejos que constituem uma manifestação de religiosidade mas também motivo de encontro de todos os fornenses residentes ou não residentes
Por outro lado é de referir que as Festas de Nossa Senhora da Graça constituem, por si, um dos elementos do rico património material e imaterial que caracteriza o concelho de Fornos de Algodres na sua diversidade e expressão secular.
fonte: noticias de viseu

Feriado Municipal de Trancoso assinala batalha de São Marcos

A Câmara Municipal de Trancoso comemora no domingo o Feriado Municipal e mais um aniversário da Batalha de São Marcos, ocorrida em 1385, em plena guerra de sucessão.
A batalha entre as tropas portuguesas e castelhanas ocorreu num descampado próximo da igreja de São Marcos e teve resultado favorável para os lusitanos.

“Com estas comemorações, o Município de Trancoso relembra anualmente este dia, promovendo uma série de actividades evocativas, sendo de salientar a tradicional distribuição do pão e laranjas à população, simbolizando o gesto nobre dos portugueses face ao estado frágil em que ficaram os castelhanos após o confronto”, refere a autarquia.
O programa integra, pelas 16:00, um cortejo cívico em direcção ao planalto de São Marcos, intervenções evocativas da batalha, a tradicional distribuição de pão e laranjas às crianças presentes, um arraial popular e um lanche convívio.
in terras da beira

Comemorações do 62º. Aniversário da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres

Domingo dia 05 de Dezembro de 2010.

 PROGRAMA
 08.45 h – Formatura Geral – Quintas da Vila
09.00 h – Hastear das Bandeiras
09.15 h – Romagem ao talhão dos Bombeiros – Cemitério
10.30 h – Recepção às Entidades convidadas – Quintas da Vila
                 Atribuição de Condecorações
11.30 h – Missa – Igreja paroquial
15.00 h – Saudação à Vila com desfile motorizado da A.H.B.V.F.A. com a participação
                 das “nossas” crianças

Conversa com Jose miranda ao Guarda.pt

O maior drama do concelho de Fornos de Algodres é mesmo o desemprego no feminino. Para o autarca a única saída é o turismo. Nesse sentido estão em curso alguns projectos para dinamizar economicamente o concelho. O património arqueológico, a gastronomia e o Queijo da Serra são algumas das apostas.
P – Quais são os problemas principais com que se debate o concelho?
R – O maior problema com que se debate o concelho é o desemprego, principalmente o desemprego feminino. Por isso, a autarquia está a fazer de tudo, não só com parcerias para a zona industrial mas também com estratégias do seu desenvolvimento, no sentido de colmatar esta grande lacuna que o concelho tem, porque em relação a infra-estruturas o concelho já está bem equipado. Agora o que precisamos é de sustentar o concelho numa economia mais desenvolvida. E neste momento são poucas as empresas que dão emprego no nosso concelho, para além da Câmara e das instituições particulares de solidariedade social, a economia quase não existe….com a crise que existe também na agricultura… Portanto vamos ver se o Plano de Desenvolvimento Rural que vai ser implementado pelo governo com os apoios dos fundos comunitários, se também aí no domínio da agricultura serão criados alguns postos de trabalho. Agora esse é o grande drama e é para aí que todos os esforços do município estão virados.
P – Que projectos pretende implementar para lançar a dinamização económica do município?
R – O concelho não tem outra saída a não ser o Turismo. Mas para nós termos um Turismo de qualidade e que traga mais-valias ao concelho precisamos em primeiro lugar de infra-estruturas de qualidade. Já temos uma, em parceria com o Inatel. Está em construção um Centro de Estágios com quartos, em parceria com um privado, que poderá ter também um SPA e, eventualmente, umas termas que é um sonho da autarquia. E depois pequenos projectos na área da restauração e do artesanato, com privados. Também temos uma zona industrial nova, na qual não queremos cometer os mesmos erros do passado. Há um projecto que estabelecemos com uma empresa de Ovar, mas que está apenas no seu início, que é uma empresa de construção de “painéis -sandwich”. Portanto, temos uma área enorme na zona industrial que está ao dispor dos empresários, mas que também está em legalização. Não queremos proceder à venda de qualquer lote sem termos a zona devidamente legalizada para não cometermos os mesmos erros que cometemos no passado.
P – Em termos culturais, o município está bem equipado? Esta área é importante para a autarquia?
R – Também. Em termos culturais nós temos aquilo que é indispensável para um município com 5 a 6 mil pessoas. Temos aquilo que é indispensável em termos de infra-estruturas. Como é o caso do Centro Cultural e dos espaços culturais que existem na Escola E.B. 2,3 e na Instituição Particular de Solidariedade Social de Fornos. Temos três auditórios só na sede do concelho. Temos uma área museológica muito interessante na área da arqueologia, que está a sofrer amplas modificações e requalificações. Temos também um Espaço Internet e uma Biblioteca em construção, mas a actual é um espaço altamente activo e interage com as escolas no âmbito da leitura. Enfim, estas três áreas – Internet, Biblioteca e Museu –, em sintonia permanente com a área escolar, têm feito um trabalho extraordinário com os recursos que a autarquia tem, não é possível fazer mais e melhor. Nós queremos melhorar aquilo que temos, mas os recursos são pouco. No entanto, acho que em função daquilo que possuímos temos desenvolvido um trabalho extraordinário nessa área.
P – O sector turístico é uma aposta deste executivo?
R- O meu grande sonho era haver duas unidades hoteleiras. Uma já esta feita, em parceria com o Inatel. Tem cerca de 40 quartos, piscina, e é uma infra-estrutura que envolveu muitos recursos do município em fundos comunitários e está a funcionar em pleno! Entretanto está em construção esta unidade hoteleira que pretendia ser, inicialmente, um Centro de Estágio, mas poderá ser também um lugar termal se os estudos que apontam para aí se vierem a confirmar. E depois temos pequenos projectos na área da restauração, na área museológica, na área do artesanato, mas com parcerias com privados, que também pretendemos implementar. Este é um dos municípios mais pequenos no distrito, mas apesar disso nós temos feito o que é possível, com o apoio dos particulares e das instituições.
P – O que é que Fornos de Algodres pode oferecer a quem visita a região que lhe permita distinguir-se?
R – Pode oferecer muita coisa, desde um património arquitectónico extraordinário, um património natural maravilhoso e depois também uma gastronomia que é muito típica daqui, para além do queijo da Serra. Nós estamos a trabalhar para melhorar esta oferta e portanto o que pretendemos é que este património seja visitado por mais gente. E para isso a estratégia do município é criar condições para que as pessoas fiquem aqui mais do que umas horas.
P – Qual a “prenda” que gostaria de receber para a autarquia?
R – Eu tenho um sonho para o município antes de sair. Eu já não vou candidatar-me mais porque a lei não o permite. Mas estou a trabalhar num grande projecto para aproveitar aquele espaço que era do Seminário, em conjunto com a Igreja. Há um Seminário antigo com um terreno com 50 hectares e nós estamos a trabalhar no sentido de implementar ali um grande projecto de dimensão regional que crie emprego, que crie riqueza no concelho e na região. Ainda é um “segredo guardado a sete chaves”! Estamos a trabalhar nele com uma empresa francesa. Vamos ver se o mesmo terá o financiamento que o investidor deseja. É um projecto inovador e de grande envergadura. Assim, esperemos que o AICEP e o governo acarinhem este projecto. Para o município será um grande projecto de impacto regional!
Fonte: in Guarda.pt

Baile Finalistas, noite inesquecível

Os finalistas da escola EB 2,3 de Fornos de Algodres organizaram o seu baile de gala, uma noite ainda assim agradável graças ao isolamento do recinto, onde o mercado municipal se engalanou para a festa, e o publico aderiu em massa para ver os filhos deste concelho numa noite inesquecível nas suas vidas. Era natural a grande pressão nervosa dos jovens finalistas que tentavam assim desta maneira que nada falhasse. Tudo se iniciou ao meio da manhã, com a eucaristia celebrada na Igreja paroquial, onde foram homenageados todos os finalistas, seguindo-se o almoço. Mas alguns deles deixaram as suas famílias a almoçar e foram até Foz côa disputar pelo Desportivo de Gouveia um jogo que lhe deu o título de campeões distritais de juniores, ora a alegria era ainda maior. À noite, para além da expectativa de ver os fatos, foi possível apreciar a maneira como estes jovens se esforçaram para dançar bem a valsa, que é sempre uma imagem de marca nestas noites de gala, onde se saíram muito bem. De dizer ainda que os estudantes finalistas da EB 2,3 de Fornos de Algodres conseguiram o seu objectivo, e vão agora preparar-se para a viagem de finalistas ao sul de Espanha. Um prémio justo para o trabalho desempenhado durante estes anos de trabalho António Pacheco