Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Constálica Rallye Vouzela

Tag Archives: Constálica Rallye Vouzela

Desempenho perfeito para trio no Constálica Rallye Vouzela

Chegou ao fim mais uma edição do Constálica Rallye Vouzela, com os triunfos de Vítor Pascoal (geral e Campeonato Nacional de GT Ralis), André Cabeças (Campeonato Centro de Ralis) e José Loureiro (Prova Extra – X5). A prova do Gondomar Automóvel Sport, promovida pela Promolafões, foi disputada sob intenso calor, dentro e fora das classificativas.

Aos comandos de um Porsche 911 GT3 Cup, a dupla formada por Vítor Pascoal e Ricardo Faria foi a mais rápida no contexto global e vencedora da prova pontuável para o Campeonato Nacional de GT Ralis. O piloto de Baião a residir em Amarante, colecionou no Constálica Rallye Vouzela, o seu terceiro triunfo, à semelhança de Ricardo Faria.

Vítor Pascoal, que já havia ganho em 2017 e 2018 – o navegador Ricardo Faria também venceu em 2018, 2020 (este com Carlos Matos) –, liderou de fio-a-pavio a prova do GAS, tendo sido secundado pela equipa André Cabeças e Bino Santos, que conduziu o Mitsubishi Mirage Evo ao lugar mais alto do pódio na competição referente ao Campeonato Centro de Ralis (CCR).

O piloto de Lisboa ocupou praticamente a liderança no CCR, apenas não logrou o triunfo na primeira passagem por Senhora do Castelo/Constálica, com Pedro Silva e Nuno Rodrigues da Silva, em Peugeot 208 VTI R2B a intrometer-se com raça e determinação na luta pelo primeiro lugar, registando o melhor tempo nos 6.05 km da especial.

Previamente avisado do entusiasmo do piloto proveniente de Vila Velha de Rodão, André Cabeças desferiu um ataque cirúrgico nos 13,5 km da segunda especial do dia, Penoita/SIN Profile, para passar a comandar as operações a seu bel-prazer, não se deixando surpreender com a ofensiva de Pedro Silva, assinando um excelente segundo lugar final.

Antes, porém, o piloto da região albicastrense ainda passou por alguns calafrios quando, na primeira passagem pela classificativa de Penoita/SIN Profile, viu-se relegado para o terceiro posto, ultrapassado por José Gomes e Bruno Pedrosa, em Renault Clio R3, segundos mais rápido.

O mesmo cenário aconteceu na especial seguinte, com André Cabeças a “passear” a performance, seguido de José Gomes e Pedro Silva, com as duplas Luís Mota/Alexandre Ramos (Mitsubishi Lancer Evo VII) e Nuno Mateus/Roberto Santos (Mitsubishi Lancer Evo VI) a ocuparem, respectivamente, na quarta e quinta posição, respectivamente.

Com a luta pela segunda posição ao rubro, a segunda passagem por Penoita/SIN Profile ditou alguns contratempos, sobretudo para José Gomes com problemas no carro da marca francesa do losango, a cair para a 4.ª posição da geral, com especial benefício de Pedro Silva e Luís Mota que passaram para segundo e terceiro, respectivamente.

Pedro Silva triunfa nas Duas Rodas Motrizes

Até ao final da prova, as posições não se alteraram. André Cabeças conduziu com sucesso o Mitsubishi Mirage Evo ao lugar mais alto do pódio, com o tempo total de 35m44,2s, relegando para o degrau intermédio Pedro Silva, a 1m09,6s – o piloto de Vila Velha de Rodão venceu as Duas Rodas Motrizes –, cabendo a Luís Mota ocupar o mais baixo, a 1m19,5s, ao passo que José Gomes encerrou a sua prestação às portas do pódio, a 1m26,1s do topo da pauta classificativa.

A dupla formada por Miguel Carvalho e António Reis, em Peugeot 206 GTi, terminou na quinta posição, a 2m08,7s, com Viana Martins e Gonçalo Palmeira, em Renault Clio 3 RS, a ocuparem o sexto lugar, a 2m18,7s dos vencedores.

Mário Castro e Ricardo Cunha (Ford Fiesta 1.0 Ecoboost), Ricardo Coelho e Pedro Santana (Toyota Starlet 1.3), Hélder Cordeiro e Bruno Pereira (BMW M3 Coupe) e Luís Martins e Paulo Marques (Peugeot 208 R2), encerraram o “top ten”. Concluíram a prova do Campeonato Centro de Ralis mais 15 equipas.

Conforme já referimos, a prova do Campeonato e Portugal GT de Ralis teve o condão de ser conquistada por Vítor Pascoal e Ricardo Faria, com o segundo lugar a ficar na posse de Paulo Carvalheiro e Dércio Carvalheiro, em Porsche 911 GT3 Cup – 10.º à geral – a 4m14,3s.

Finalmente, na Prova Extra – X5, a vitória sorriu a José Loureiro. Navegado por Nuno Alves, o piloto do Renault Clio RS R3T, que enfrentou com mestria as exigências do Constálica Rallye Vouzela, concluiu a prova com o tempo total de 26m58,9s.

A segunda posição fica conquistada por António Santana e Pedro Pereira, aos comandos de um Mitsubishi Evolution X, a 19m30s dos vencedores, enquanto a formação Rui Custódio e José Azevedo, ao volante de um Renault Clio R3T, finalizou a sua participação na prova do GAS no terceiro posto, a 25m80s.

Os abandonos por avaria, saída de estrada ou por outro motivo qualquer, fazem parte integrante dos ralis em qualquer pare do mundo e o Constálica Rallye Vouzela não foi excepção.

O mais aparatoso abandono foi registado por Tiago Pereira e Fernando Pereira, ao volante e um 205. Filho e o pai não evitaram uma saída de estrada na primeira passagem pela classificativa de Penoita/SIN Profile e tiveram de abandonar. Por motivos de precaução, dado o impacto da saída da viatura, piloto e navegador foram observados numa unidade hospitalar.

Também Raul Aguiar e Pedro Pereira (Mitsubishi Lancer Evo VIII), Eduardo Veiga e Inês Veiga (Ford Escort MK II), entre outros, ficaram de fora da prova muito cedo por avaria nas suas viaturas

António Cabrita Grade homenageado

A cerimónia final do Constálica Rallye Vouzela ficou marcada por uma homenagem ao médico António Cabrita Grade, figura incontornável na região e no país, que assumiu as funções de responsável clínico nas edições anteriores da prova promovida pela Promolafões, falecido na semana anterior à competição.

Rui Ladeira, presidente da Câmara Municipal de Vouzela, Sérgio Matos, CEO da Constálica, e José Correia, responsável pela Promolafões, Paula Marques, administradora da Constálica, entregaram à esposa e filha do saudoso António Cabrita Grade um quadro em forma de agradecimento pela amizade e colaboração que sempre prestou à comunidade vouzelense e da região de Lafões, como também ao Constálica Rallye Vouzela.

Constálica Rallye Vouzela na estrada em 11 e 12 setembro

Constálica Rallye Vouzela mantém estrutura desportiva e reforça mensagem de consciência ambiental

O belíssimo cenário de Vouzela e da região de Lafões serviu como pano de fundo para a apresentação oficial do 8.º Constálica Rallye Vouzela, que decorreu esta segunda-feira, nas instalações da Constálica. Edição de 2021, a disputar nos dias 11 e 12 de setembro, promete continuar o legado de sucesso dos anos anteriores, numa estratégia de continuidade da Promolafões e do G.A.S. Prova terá seis classificativas de asfalto e repete forte aposta na minimização do impacto ambiental e nas condições de segurança sanitária.

Beleza natural, arte de bem receber, capacidade de inovação e paixão pelos automóveis.

A apresentação oficial do 8.º Constálica Rallye Vouzela reuniu todos os ingredientes que já tornaram o evento promovido pela Promolafões e organizado pelo G.A.S. numa referência em Portugal e não só. Rui Ladeira, presidente da Câmara Municipal de Vouzela, Jorge Loureiro, vice-presidente do Turismo Centro de Portugal, Ni Amorim, presidente da FPAK, Sérgio Matos, CEO da Constálica, Joaquim Neves, presidente do G.A.S., e José Correia, diretor da Promolafões, juntaram-se a representantes de outras entidades ligadas ao rali, convidados e membros da Comunicação Social para um evento que revelou as linhas mestras da edição agendada para 11 e 12 de setembro, que é pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis GT, Campeonato Centro de Ralis, Desafio Kumho Asfalto e Desafio Kumho Centro, tendo, como é hábito, uma prova-extra reservada ao grupo X5.

Estrutura concentrada

O parque industrial da Constálica será o centro operacional de uma prova que terá um esquema de seis classificativas de asfalto, com três passagens pelos troços da Senhora do Castelo / Constálica (6,05 km) e da Penoita / SIN Profile (13,50 km). O percurso totaliza 58,65 quilómetros cronometrados, integralmente disputados no domingo (dia 12).

Durante a apresentação oficial ficou novamente patente a aposta da organização numa mensagem de consciência ambiental, materializada no projeto Race4Eco, que implementa um conjunto de medidas destinadas a minimizar a pegada ambiental do evento, como a utilização de viaturas elétricas pela organização ou a separação de resíduos no parque de assistência e nas zonas de público. A segurança desportiva e a segurança sanitária também continuam a ser pontos prioritários no Constálica Rallye
Vouzela, que na edição de 2020 chegou inclusive a ser apontada como um exemplo nos meios de comunicação em Portugal e Espanha, pelas medidas de controlo e prevenção
da Covid-19.

Uma das inovações da edição deste ano é o cartaz oficial da prova, que foi desenhado e pintado à mão por Bob Targino, artista brasileiro que há três anos se rendeu aos encantos e qualidade de vida do Interior de Portugal, deixando a metrópole de São Paulo para a residir em Vouzela. A convite da Promolafões, Bob Targino também pintou um quadro alusivo à carreira de Ni Amorim, passando para a tela uma imagem do consagrado piloto português, atual presidente da FPAK, numa das suas participações nas míticas 24 Horas de Le Mans. A arte e a emoção do desporto automóvel, em simbiose, no Constálica Rallye Vouzela.

Os protagonistas em direto Rui Ladeira (Presidente da Câmara Municipal de Vouzela): “O rali já uma imagem de marca da dinamização da Economia local, do território e da prática do desporto automóvel, que é uma paixão de muitos vouzelenses e das populações da região. É um caminho construído ao longo de oito anos, com parceiros credíveis como a Promolafões e a Constálica, mas que é também fruto do empenho dos colaboradores do Município, dos Bombeiros Voluntários, das forças de segurança, das
associações setoriais e locais, das Juntas de Freguesia. E depois é um evento importante também pelas mensagens que passa, como a da consciência ambiental, neste desporto
que obviamente queima combustíveis, mas que com estas medidas tenta atingir a neutralidade carbónica, dando um sinal educativo para a comunidade. Mas também com as boas práticas de prevenção da Covid-19, por exemplo, com o túnel de desinfeção, que foi uma medida pioneira e que faz parte de um plano para proporcionar condições de segurança sanitária aos participantes do rali e a quem nos visita. Destaco também as atividades solidárias com quem mais precisa, com a ASSOL, que é uma associação local muito prestigiada e acarinhada pela nossa comunidade. Esta postura de envolvimento com a comunidade, de colaboração entre entidades, de criação de riqueza e de dinâmica desportiva tem sido a raiz do sucesso do Constálica Rallye Vouzela.”

Ni Amorim (Presidente da FPAK): “Felizmente a evolução da pandemia permite-nos hoje ter um plano de contingência diferente do do ano passado, que obviamente criou enormes dificuldades ao desporto, à FPAK e às organizações. Por isso, tenho a expectativa que esta edição do Constálica Rallye Vouzela seja ainda melhor do que a do ano passado. A forma de comunicar a componente ambiental e ecológica aqui em Vouzela também deveria servir de exemplo, para que outros clubes repitam estas iniciativas. Se poluímos, temos depois de fazer algo para compensar essa poluição. Cada um de nós tem de fazer a sua parte e o desporto automóvel também deve ter essa preocupação, aliás como tem sido reforçado pelos programas da FIA. Fiquei totalmente surpreendido com o presente da organização, não esperava ter um artista brasileiro em Vouzela a desenhar um retrato meu. Foi naturalmente uma emoção especial e fico-lhe agradecido, pela qualidade da obra e por me fazer recordar uma das minhas seis participações nas 24 Horas de Le Mans.”

Sérgio Matos (CEO da Constálica): “Apoiámos o rali desde a primeira hora e tem sido uma boa experiência, é um evento que dinamiza o concelho e a nossa empresa. Gosto de fazer parcerias, sentimo-nos mais fortes, mais capazes. O rali tem sido isso, uma parceria entre diferentes entidades, que ajuda a trazer milhares de pessoas a Vouzela e a promover as empresas, o comércio, a restauração e toda a região aqui à volta.”

José Correia (Diretor da Promolafões): “Ao longo destes anos conseguimos sempre introduzir inovações no Constálica Rallye Vouzela e penso que o evento atingiu um nível muito alto em termos desportivos, de impacto na região e na promoção do nosso território. Este ano, numa altura em que ainda estamos a lidar com os efeitos da pandemia mundial, quisemos apostar numa estratégia de continuidade, mas tentando sempre inovar e surpreender pela positiva, como aconteceu com o cartaz oficial da prova. A nossa missão é a de promover as mensagens certas associadas ao desporto automóvel e esta 8.ª edição do Constálica Rallye Vouzela tem todas as condições para continuar esse legado de sucesso.

Cartaz do Constálica Rallye Vouzela desenhado por Bob Targino

Foram cerca de 30 horas para delinear o cartaz a lápis que o pintor e ilustrador brasileiro a residir em Vouzela há três anos , sendo o autor do desenho do cartaz da oitava edição do Constálica Rallye Vouzela 2021. Bob Targino , o resultado é brilhante.

O cartaz do Constálica Rallye Vouzela 2021 desenhado por Bob Targino teve duas fases e no final traduz os elementos que a organização traçou para a edição da prova deste ano, na estrada nos próximos dias 11 e 12 de Setembro. O artista brasileiro, natural de S. Paulo, empregou a paixão pela ilustração para dar corpo a um inovador quadro que enobrece a competição do Gondomar Automóvel Sport promovida pela Promolafões.

Bob Targino vive em Vouzela há três anos e dedica-se, em exclusivo, à ilustração, graffiti, pintura artística e tatuagem. Uma arte que aprendeu a gostar muito antes de dar os primeiros passos na escola para aprender a ler e a escrever. Foi já nos primeiros anos de escolaridade que apurou o dom de pintor e ilustrar, tornando-se artista de renome internacional.

Conhecedor dos atributos do artista brasileiro, José Correia, responsável pela Promolafões, incumbiu-o de destacar o Constálica Rallye Vouzela através do papel e do lápis, como forma de vincar os valores ambientais, assim como promover o património da região da Beira Alta, na fértil zona de Lafões. Por outro lado, a iniciativa visou também de enaltecer as gentes do território, como forma de conceber mais-valias e aproximar cada vez mais as pessoas.

Bob Targino agarrou a oportunidade com as duas mãos e desenhou uma obra de arte, além de estar no centro de uma conjunção de esforços «para ostentar as emoções dos ralis, uma disciplina automóvel que nunca vivi de perto, mas que terei agora a ocasião de imiscuir-me entre os aficionados».

O artista paulista confessou ser «um apaixonado por Vouzela», encontrando na vila o refúgio predileto, «pelos mais diversos motivos, entre os quais o ambiente, a gastronomia, as pessoas, a qualidade de vida, a beleza dos locais», enfim, propriedades que resumem o que de excelente tem Portugal».

Em Vouzela há cerca de três anos, Bob Targino descobriu «o território através de uma amiga, com que mantinha contacto pelas redes sociais, acabando por ser o principal motor que deu azo a deixar o Brasil, soltando-me do caos urbano paulista e radicar-me no paraíso onde pretendo permanecer até ao fim dos meus dias, embora pretenda conhecer ostros lugares», confidenciou.

O Constálica Rallye Vouzela, que sempre outorgou o valor aos artistas locais, é um veículo por excelência para projetar o turismo local, regional e nacional, ampliando a reputação do destino turístico numa região em articulação com uma estratégia de competitividade e, naturalmente, de desenvolvimento da economia. O pintor e ilustrador brasileiro Bob Targino já começou por destacar a competição como um cartaz singular e que vai, com toda a certeza, correr mundo.