Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Instituto Politécnico da Guarda

Tag Archives: Instituto Politécnico da Guarda

Cursos de Gerontologia (pós-laboral) e Desportos de Montanha em Fornos de Algodres

Estão abertas as candidaturas para os Cursos de Gerontologia (pós-laboral) e Desportos de Montanha, a ser ministrados em Fornos de Algodres, através do Instituto Politécnico da Guarda, até dia 17 de setembro.
Desta forma, Fornos de Algodres pode ter pela primeira vez  Ensino Superior no  concelho, casos as candidaturas surjam em número suficiente.
Num esforço de descentralização e aproximação à comunidade, o Instituto Politécnico da Guarda (IPG) oferece a possibilidade de funcionamento de dois dos seus Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) em Fornos de Algodres, numa parceria com a Câmara Municipal de Fornos de Algodres (CMFA) e o Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres (AEFA).

Estes CTeSP dirigem-se a todos aqueles que pretendam adquirir, aprofundar, complementar ou aperfeiçoar as suas competências profissionais na área e melhorar as suas qualificações, permitindo o prosseguimento de estudos no ensino superior, no IPG, a médio prazo.

Está previsto que os CTeSP de Gerontologia (em regime pós-laboral) e de Desportos de Montanha, que fazem parte da oferta formativa do IPG para o próximo ano letivo 21/22, venham a ser ministrados em Fornos de Algodres, o que representará uma resposta formativa diferente e inovadora para o concelho e localidades vizinhas, que pode gerar um impulso significativo na economia local.

A frequência do CTeSP em Fornos de Algodres tem como fator diferenciador e vantagem acrescida às condições que o IPG disponibiliza a todos os seus estudantes o facto de ser oferecido alojamento gratuito a todos os que dele necessitarem, graças à parceria com a Câmara Municipal de Fornos de Algodres.

O processo de candidaturas (2ª fase) a estes cursos decorre entre os dias 01 e 17 de setembro, em modelo online, na página do IPG e tem como habilitação mínima de acesso o 12º ano.

Os potenciais interessados encontram informação adicional na página institucional do IPG e na página do AEFA, onde podem, também, solicitar contacto personalizado para prestação de informações e esclarecimento de dúvidas.

A inscrição pode ser feita através deste link
e para saber tudo sobre o que são estes CTESP consulte

Todo o processo deverá estar concluído no final de outubro de 2021 e, se contarem com uma adesão expressiva aos CTeSP, podem receber duas novas turmas, desta vez de ensino pós secundário, já em novembro de 2021.

flyer_desporto_montanha
flyer_gerontologia

IPGuarda-Projeto “Space Food Ideation”para melhorar a experiência gastronómica no Espaço

O Instituto Politécnico da Guarda – IPG está a desenvolver um projeto para melhorar a qualidade das refeições no Espaço. A ideia é permitir que os astronautas e turistas espaciais passem a consumir refeições com sabor – ao invés das habituais pastas e alimentos desidratados – através de técnicas como, por exemplo, o cultivo hidropónico, impressão de alimentos sólidos em 3D ou embalagens comestíveis. Chama-se “Space Food Ideation” e pretende inovar o setor agroalimentar no Espaço com recurso à impressora 3D, à realidade virtual ou ao cultivo no Espaço. Entre oito projetos desenvolvidos, o “Space Food Ideation” foi o vencedor da fase regional e irá representar o IPG no concurso nacional do Link Me UP, em setembro. “Space Food Ideation” foi desenvolvido por estudantes do IPG, em parceria com as associações Inovcluster e Centro de Apoio Tecnológico Agro-Alimentar – CATAA, e venceu a 1ª fase do concurso Demola do Link Me Up – 1000 ideias da Guarda.

“No Espaço as refeições são insípidas: o ambiente de microgravidade dificulta o consumo de alimentos e provoca a perda de olfato, o que afeta diretamente o paladar dos visitantes”, afirma Teresa Paiva, docente no IPG e coordenadora do projeto. “Através do programa Link Me UP, lançámos o desafio aos estudantes para investigarem e pensarem em alternativas alimentares nutritivas e saborosas para o setor agroalimentar no Espaço, as quais melhoram a experiência gastronómica dos astronautas em órbita”.

A equipa de trabalho – constituída pelos alunos Breno Oliveira, Catarina Arada, João Rodrigues, Leonor Rodrigues, Nuno Craveiro e Raquel Pinho e por elementos das associações Inovcluster e CATAA – criou diferentes cenários de experiências gastronómicas que poderão ser desenvolvidos por empresas do setor agroalimentar.

Foram desenvolvidas ideias que vão desde a agricultura no espaço (através do cultivo hidropónico, por exemplo), passando pelas embalagens de alimentos comestíveis e a realização de refeições em grupo através da realidade virtual, até à impressão de alimentos sólidos em 3D. O grupo de trabalho criou ainda refeições com recurso a determinadas especiarias para intensificar o seu sabor.

“As empresas parceiras do Politécnico da Guarda, em conjunto com docentes e estudantes, têm tido um papel importante no desenvolvimento de projetos inovadores e nas ideias de negócio com utilidade prática para a comunidade”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “Estas iniciativas cumprem também a missão de aproximar os estudantes do tecido empresarial”.

Entre oito projetos desenvolvidos, o “Space Food Ideation” foi o vencedor da fase regional e irá representar o IPG no concurso nacional do Link Me UP, em setembro. O anúncio foi feito no dia 2 de julho, durante a cerimónia de celebração das empresas parceiras do IPG nos projetos Link Me Up – 1000 ideias. A iniciativa contou com a presença de Joana Mendonça, Presidente da Agência Nacional de Inovação que aproveitou a ocasião para salientar a importância das parcerias entre as empresas e a academia, como uma forma de excelência na introdução da inovação e transferência do conhecimento.

Todas as equipas fizeram um trabalho de excelência satisfazendo as expectativas dos parceiros externos e conseguindo apresentar soluções inovadoras face aos desafios propostos”, afirma Teresa Paiva.

IPG realiza estudos para criar sistemas de recolha de biorresíduos nos municípios da Cova da Beira

O Instituto Politécnico da Guarda – IPG foi escolhido pela Associação de Municípios da Cova da Beira para realizar estudos municipais que irão permitir o desenvolvimento de sistemas de recolha seletiva de biorresíduos: sobras de refeições, cascas de frutas e legumes, folhas e ervas do jardim. As versões preliminares dos estudos encontram-se disponíveis para consulta pública e para submissão de contributos que visem a melhoria dos documentos até julho. A iniciativa é financiada pelo Fundo Ambiental.

“O projeto visa identificar estratégias e soluções eficazes para que cada município possa assegurar a separação e a reciclagem dos biorresíduos”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “Estamos empenhados em desenvolver projetos de investigação ambiental em parceria com empresas e municípios. Iniciativas como esta permitem melhorar a educação ambiental, sensibilizar para a economia circular e pôr o nosso conhecimento ao serviço da comunidade”.

Os biorresíduos representam 37% dos resíduos urbanos produzidos em Portugal. A diretiva do Parlamento Europeu e do Conselho sobre os resíduos obriga os Estados Membros a fazerem a recolha seletiva de biorresíduos ou a sua separação e reciclagem na origem, a partir de 1 de janeiro de 2024.

“Escolhemos o Politécnico da Guarda para desenvolver este projeto pela reconhecida qualidade científica, pelo mais baixo custo e pela longa relação de confiança que existe entre as duas instituições”, afirma José Manuel Biscaia, secretário-geral da Associação de Municípios da Cova da Beira. “Os estudos elaborados pelo IPG irão trazer grandes vantagens para o planeamento intermunicipal, permitindo uma visão integrada sobre os biorresíduos, bem como a definição de estratégias de atuação – ao nível de equipamentos e transportes – que beneficiem a região”.

A presidência do IPG nomeou Pedro Rodrigues, docente responsável pelo Laboratório de Monitorização e Investigação Ambiental do IPG, para coordenar este projeto. Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Guarda, Manteigas, Mêda, Penamacor, Pinhel, Sabugal e Trancoso foram os municípios analisados para a elaboração dos estudos que irão permitir implementar eficazes sistemas de recolha de resíduos orgânicos.

“Este projeto faz parte da estratégia europeia para diminuir a deposição de resíduos sólidos em aterros sanitários”, afirma Pedro Rodrigues, docente do IPG. “Em termos ambientais iremos dar um salto qualitativo muito importante: os biorresíduos separados do lixo indiferenciado serão transformados em energia e/ou em composto orgânico para os solos. Para além destas vantagens ambientais, a reciclagem dos resíduos orgânicos irá permitir maior longevidade dos aterros sanitários”.

Novas caras nas diversas escolas do IP Guarda

Maria Hermínia Barbosa foi nomeada diretora da Escola Superior de Saúde e Ana Margarida Fonseca diretora da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico da Guarda – IPG.

O Conselho Geral aprovou a proposta de nomeação do presidente Joaquim Brigas durante a cerimónia da passagem de testemunho da presidência do Conselho Geral do IPG. Fernando Carvalho Rodrigues recebeu o testemunho pelas mãos de José Augusto Alves, que presidiu o órgão mais importante do IPG durante 12 anos.

“É a primeira vez que se faz a passagem de testemunho no Politécnico da Guarda e esperamos que se torne uma tradição”, afirma Fernando Carvalho Rodrigues, presidente do Conselho Geral do IPG. “É uma passagem simbólica do poder que permite manter o contacto entre as gerações e garante a memória histórica da instituição”.

A nova diretora da Escola Superior de Saúde é Maria Hermínia Barbosa, que integra a Unidade Técnico Científica de Enfermagem do IPG há 22 anos e faz parte da bolsa de peritos da Ordem dos Enfermeiros. Para além de investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia, pertence também ao grupo da Saúde da Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior, e é autora de inúmeros artigos científicos, alguns de circulação internacional, nas áreas do envelhecimento ativo e da sexualidade.

Para o cargo de diretora da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, foi nomeada Ana Margarida Fonseca, doutorada em Estudos Literários pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Autora de várias obras e artigos técnico-científicos, prestou também o seu contributo na organização de iniciativas de caráter pedagógico, nomeadamente em concursos de escrita criativa e poesia.

“A nomeação da Professora Maria Hermínia Barbosa e da Professora Ana Margarida Fonseca como diretoras de duas grandes escolas do IPG mostra a confiança e o reconhecimento pelo percurso que têm vindo a desempenhar”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “Estou confiante que iremos trabalhar conjuntamente no sentido de continuar a missão de acrescentar valor e prestígio às nossas escolas, estudantes, docentes e funcionários, e de desenvolver projetos de investigação científica e transmissão de conhecimento aumentando a interação com a sociedade”.

Por :IPG

Centro de Estudos Ibéricos celebra aniversário de nascimento de Eduardo Lourenço

O Centro de Estudos Ibéricos, associação transfronteiriça sediada na Guarda que resultou da parceria entre a Câmara Municipal da Guarda, as Universidades de Coimbra e de Salamanca e o Instituto Politécnico da Guarda, vai assinalar simbolicamente o aniversário do seu mentor no próximo dia 21 de maio com as seguintes iniciativas:

11h00 – Sessão de Entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2020, ao Prof. Ángel Marcos de Dios, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda (sessão presencial e online)

15h00 – Webinar “Leituras de Eduardo Lourenço”, com apresentação e moderação de Guilherme d´ Oliveira Martins e intervenções de Paulo Filipe Monteiro (Universidade Nova de Lisboa), Francisco Noa (Moçambique) e Nuno Grande (Universidade de Coimbra) (online)

17h00 – Inauguração do Memorial Eduardo Lourenço, na sede do Centro de Estudos Ibéricos, na Guarda – Apresentação da Gravura “Eduardo Lourenço – Heterodoxias” e da Medalha Comemorativa dos 20 anos do CEI (sessão presencial e online)

Sessão de Entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2020 ao Prof. Ángel Marcos de Dios, Professor Catedrático jubilado da Universidade de Salamanca.

O Prémio Eduardo Lourenço visa galardoar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas.

Na 16ª edição, o júri reconheceu o mérito académico e científico de Ángel Marcos de Dios na área da Língua e Literatura portuguesas e a sua longa e profícua dedicação ao desenvolvimento e aprofundamento das relações culturais e académicas entre Portugal e Espanha. O Catedrático da Universidade de Salamanca junta-se a um vasto leque de premiados, onde se inclui Maria Helena da Rocha Pereira, Professora da Universidade de Coimbra (2005), Maria João Pires, Pianista (2007), César António Molina, Escritor (2010), Mia Couto, Escritor (2011), Agustina Bessa- Luís, escritora (2015), Luis Sepúlveda, escritor (2016), Fernando Paulouro das Neves (2017), jornalista e escritor e Carlos Reis, professor e investigador (2019), entre outros.

Webinar “Leituras de Eduardo Lourenço”

Honrar o legado de Eduardo Lourenço também passa por manter o Conhecimento, a Cultura e a Cooperação como coordenadas estratégicas duma missão nele inspirada.

O Projeto “Leituras de Eduardo Lourenço” assume a obra do Ensaísta como elemento congregador e pretende, além de gerar um movimento cultural de discussão e (re)leitura critica do seu legado, promover a reflexão dum pensamento vasto e labiríntico através de múltiplas iniciativas, onde se inclui um Ciclo de Seminários que decorrerão durante 2021 e 2022.

O projeto é coordenado por António Pedro Pita (Universidade de Coimbra), Margarida Calafate Ribeiro e Roberto Vecchi (Cátedra Eduardo Lourenço, Universidade de Bolonha) e Rui Jacinto (Centro de Estudos Ibéricos e CEGOT-Universidade de Coimbra).

Apresentação e Moderação:

Guilherme d´ Oliveira Martins – Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian e Presidente do Centro Nacional de Cultura

Intervenções: Paulo Filipe Monteiro (Universidade Nova de Lisboa) Francisco Noa (Moçambique); Nuno Grande (Universidade de Coimbra)

Informações e inscrições: https://www.cei.pt/webinar-leituras-de-eduardo-lourenco/

(cartaz em anexo)

Memorial Eduardo Lourenço

A ideia seminal lançada pelo Professor Eduardo Lourenço (1923-2000) num célebre discurso que proferiu em 27 de novembro de 1999, por altura das Comemorações do Oitavo Centenário da Cidade da Guarda, que intitulou “Oito séculos de altiva solidão”, esteve na génese do Centro de Estudos Ibéricos (CEI) e da relação tutelar que acabaria por manter com o Centro criado sob a sua inspiração.

No ano em que se comemoram 20 anos da assinatura do protocolo fundador do CEI entre os Reitores da Universidade de Coimbra, da Universidade de Salamanca e a Presidente da Câmara Municipal da Guarda (27.11.2000), como da formalização da respetiva escritura pública (18.05.2001), o Centro de Estudos Ibéricos presta uma singela e sentida homenagem ao seu mentor, patrono e Diretor Honorífico com a inauguração de um espaço Memorial na sua  sede  onde estão expostos alguns Prémios, Diplomas e Condecorações que o Professor Eduardo Lourenço legou à Guarda.

Para assinalar a data, será apresentada a Gravura “Eduardo Lourenço – Heterodoxias” e a medalha comemorativa dos vinte anos do CEI, ambas da autoria de João Pedro Cochofel.

Escape Livre atribui Bolsa de Mérito João Lopes a aluna do IPG

Bolsa de Mérito João Lopes na 5ª edição

O Clube Escape Livre volta a oferecer, pelo quinto ano consecutivo, a Bolsa de Mérito João Lopes a um aluno do Instituto Politécnico da Guarda. Este ano, foi vencedora Natacha Fernandes.

A cerimónia de entrega da Bolsa decorreu no dia 3 de dezembro, durante a sessão solene de abertura do ano académico 2019/2020, na cidade da Guarda. Natacha Maria Fernandes foi a aluna do curso de Comunicação e Relações Públicas que conquistou a melhor nota do seu curso, de 16.73 valores, tendo cumprido todos os requisitos do regulamento. No entanto, na impossibilidade de estar presente, recebeu o certificado, o docente do IPG, Handerson Engracio.

A aluna recebe assim o prémio monetário de 1500 euros, valor atribuído pelo Clube Escape livre. O prémio foi entregue por Beatriz Lopes, filha de João Lopes, que afirma:É com enorme orgulho que, pelo quinto ano consecutivo, entrego esta Bolsa de Mérito João Lopes, que não só homenageia o meu Pai, um comunicador nato, como incentiva cada um dos estudantes de comunicação a serem os melhores”. 

Para Luís Celínio, presidente do Clube Escape Livre: “é com grande alegria que uma vez mais conferimos esta bolsa de mérito a um aluno de Comunicação e Relações Públicas que se destacou ao longo da sua formação no Instituto Politécnico da Guarda. Desejamos que esta gesto seja um bom incentivo para se destacar agora pelos melhores motivos na sua vida profissional, e que tenha sempre presentes os valores que levaram à sua criação. Votos de muito sucesso a esta aluna.”

A Bolsa de Mérito João Lopes foi instituída em 2015 pelo Clube Escape Livre em colaboração com o Instituto Politécnico da Guarda. O prémio pretende não apenas honrar a memória de João Lopes, colaborador e amigo do Escape Livre, e figura de referência na cidade e região da Guarda, como servir de incentivo a um início de vida profissional ou ampliação de conhecimentos académicos para que a comunicação seja sempre realizada com os melhores valores: profissionalismo, honestidade, respeito, responsabilidade e transparência, muito importantes para o também comunicador e escritor.

A Bolsa de Mérito João Lopes estará novamente disponível no próximo ano letivo, no Instituto Politécnico da Guarda.

 

Sobre João Lopes:

João Oliveira Lopes faleceu a 11 de Setembro de 2014, com 55 anos, vítima de um enfarte agudo de miocárdio. A amizade, a boa disposição, o espírito de família e a ligação forte aos amigos, o sentido de responsabilidade e o sentido crítico, o respeito e subtileza nas palavras, o espírito solidário foram algumas das suas principais características. Técnico Especialista de Radiologia, sempre teve estreita ligação à comunicação de rádio e escrita, tendo sido responsável por diversos programas de rádio, repórter e jornalista, director de programas e de recursos humanos e ainda director comercial. A ligação com o Escape Livre é praticamente desde o início desta organização, ao nível do programa de rádio, como co-fundador das Organizações Escape Livre, apresentador de diversas iniciativas e sobretudo como amigo. João Lopes desempenhava funções de jornalista do sector automóvel e era responsável pelo editorial da revista Escape Livre Magazine. Em 2012, tornou-se também autor de um livro, o romance “Porta da Baía”.