Templates by BIGtheme NET
Início » Distrito da Guarda » 82ª Volta a Portugal Santander-Alejandro Marque voltou a brilhar no Alto da Torre

82ª Volta a Portugal Santander-Alejandro Marque voltou a brilhar no Alto da Torre

A vitória da veterania

Alejandro Marque é um dos ciclistas mais velhos do pelotão, mas provou este sábado que a idade nem sempre trava os grandes momentos como o que viveu na subida à Torre este sábado. O espanhol tem 39 anos e venceu com mais de um minuto de vantagem uma das mais importantes etapas da 82ª Volta a Portugal Santander, regressando aos bons resultados que lhe permitiram ser vencedor da prova em 2013.

Com a W52-FC Porto (Amaro Antunes, Joni Brandão e João Rodrigues) e a Efapel (António Carvalho, Frederico Figueiredo e Mauricio Moreira) a controlarem-se mutuamente, foi o homem da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel a atacar no grupo perseguidor de Luís Gomes (Kelly/Simoldes/UDO), que fez boa parte da subida em fuga, mas acabou por claudicar nos quilómetros finais. Marque passou para a frente e ninguém mais o agarrou, sendo recebido por uma calorosa receção do público a contrastar com o ar bem fresco que estava na serra. O minuto e três segundos que conseguiu na chegada deram-lhe a liderança da Volta.

“É uma alegria imensa [ganhar na Torre]. Já há algum tempo que não tinha uma vitória. A última vez foi no Tour de China em 2018 e durante estes anos estive sempre a tentar. Ganhar aqui em cima faz-me lembrar o meu grande amigo David Blanco [recordista de vitórias na Volta a Portugal, com cinco triunfos] quando ganhou aqui. Esta manhã mandou-me uma mensagem, a mim e ao Gustavo Veloso, a explicar qual a melhor a tática para vencer aqui .

Agora é tempo de começar a pensar na defesa da Camisola Amarela Santander. “Vamos ver o que acontece nos próximos dias, a Volta é muito comprida. Sei que vou ter comigo o meu grande amigo Gustavo, vamos ajudar-nos mutuamente e esperemos que no final da Volta possamos festejar, referiu Marque.

 Infrações Ditaram Nova Classificação após a Torre

Marque foi protagonista na chegada, mas Mauricio Moreira continua a confirmar estatuto na Efapel. Depois do brilharete vitorioso na Volta ao Alentejo fez segundo lugar na Torre com o mesmo tempo de Abner González (Movistar), mas ambos acabaram penalizados por abastecimento irregular. Foi pior para o uruguaio Moreira, porque repetiu a infração e em vez de 20 segundos levou castigo a dobrar, o que o arredou da vice-liderança da Volta.

Com as penalizações do colégio de comissários, a classificação geral teve uma nova reviravolta já depois de terminada a etapa e a Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel passou a ter dois homens nos dois primeiros lugares.

Gustavo Veloso, outro veterano (41 anos) está agora a 1:09 minutos do companheiro, enquanto Joni Brandão (W52-FC Porto) surge no terceiro lugar, a 1:26, a mesma diferença de Amaro Antunes, outro ciclista da equipa portista.

Suspeita de Covid 19 retirou Equipa Espanhola da Volta

As primeiras noticias deste domingo contaram o abandono da Caja Rural-Seguros RGA. Devido aos procedimentos de despiste existentes na 82ª Volta a Portugal Santander, foram identificados dois casos suspeitos de Covid 19 na equipa espanhola. A formação, cumprindo o normativo de segurança sanitária da organização, já não alinhou à partida da etapa que começou este sábado na Sertã.

Na sequência das suspeitas e seguindo o protocolo sanitário, foram efetuados testes às equipas que partilharam o mesmo hotel da Caja Rural, a Movistar, W52/FC Porto e Atum General-Maria Nova Hotel-Tavira, tendo os resultados sido negativos.

Fuga a Pensar nas Camisolas

Se é certo que as grandes movimentações desta terceira etapa, iniciada na Sertã, aconteceram na subida da Covilhã para o alto da Torre, também é preciso dizer que desde os primeiros metros da tirada que vários corredores tentaram escapar e não demorou a formar-se uma fuga de 11 homens onde já estava Luís Gomes (Kelly/Simoldes/UDO) que seria o último aventureiro a ser alcançado na parte final dos 170 quilómetros. Gomes dedicou-se a somar pontos e no final envergou a Camisola Verde Rubis Gás, prémio de consolação para uma boa etapa, apesar de não ter conseguido ganhar como queria. Na montanha, Hugo Nunes (Rádio Popular-Boavista) bem tentou vestir a Camisola Bolinhas Continente, mas a chegada de Alejandro Marque ao topo da Estrela destronou-lhe esse sonho e é o espanhol também o líder dos trepadores.

 

A Camisola Branca da Juventude Jogos Santa Casa ficou na Movistar, mas agora com Abner González. Por equipas, a Efapel mantém-se em primeiro.

Como era esperado, a Serra da Estrela iniciou a seleção daqueles que querem e que estão em condições de lutar por uma geral em aberto, mas com um veterano a ser aquele que todos vão ter de perseguir.

 

Depois da Torre vem aí uma Etapa “Rompe Pernas”

Segunda-feira é dia de folga, mas este domingo ainda há muito trabalho pela frente nos 181,6 quilómetros entre Belmonte e Guarda. A parte final será de muito sobe e desce com três contagens de montanha: Videmonte (aos 152 quilómetros, segunda categoria), Guarda (172,2, terceira categoria) e a meta está numa terceira categoria, na mesma cidade. Antes, logo a abrir, aos 19,3 quilómetros, haverá uma quarta categoria, em Sortelha. As metas volantes estão no Sabugal (31,8), Pinhel (92,9) e Celorico da Beira (132,5).

Classificações 3ª Etapa - 82ª Volta a Portugal Santander 2021_V1
Resumo Classificações 3ª Etapa - 82ª Volta a Portugal Santander 2021_V1

Publicidade...