Templates by BIGtheme NET
Início » Fornos de Algodres (Pagina 2)

Fornos de Algodres

Cursos de arbitragem com inscrições abertas

O Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol da Guarda informa que se encontram abertas as inscrições para mais um curso de árbitros de Futebol.
Todos os interessados em seguir uma carreira na arbitragem, este é o
momento certo para apostar no seu futuro.
As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até ao dia 15 de
Outubro, através do Conselho de Arbitragem da Associação de
Futebol da Guarda: arbitragem@afguarda.pt

Inscrições para os Cursos de Treinadores 2022-2023

Até ao dia 15 de setembro, os interessados podem apresentar a sua candidatura para os Cursos de Treinadores de Futebol e Futsal
UEFA “C” (Grau I) e UEFA “B” (Grau II).

A Associação de Futebol da Guarda informa que a partir do dia 1 de agosto de 2022, estão abertas as candidaturas para os cursos de
treinadores de Futebol e Futsal, UEFA “C” (Grau I) e UEFA “B” (Grau II).

As candidaturas devem ser formalizadas até às 23:59h do dia 15 de setembro de 2022, de acordo com os procedimentos definidos nos
documentos(https://afguarda.fpf.pt/Associa%C3%A7%C3%A3o/Treinadores)

Somente serão consideradas válidas as candidaturas cuja ficha de inscrição seja preenchida informaticamente, acompanhada de toda a
documentação requerida e do comprovativo de pagamento da respetiva taxa administrativa, que devem ser remetidos em anexo
constantes no formulário de inscrição.

Os cursos têm início previsto para outubro de 2022.

APS Fornos de Algodres desenvolve programa ERASMUS+

A APS de Fornos de Algodres está a desenvolver um curso de formação, desde o passado dia 19, ao abrigo do programa ERASMUS+, onde o tema central é: “I write, I become: developing competences through creative writing”. Este curso, decorre nas instalações do Hostel EntryFik, em Maceira , onde desenvolvem diversas atividades em locais ao ar livre do concelho e conta com a participação de jovens oriundos de diferentes ppaíses, tais como Grécia, Polónia, Espanha, República Checa, Macedónia do Norte e Portugal. “É para nós uma honra, poderemos servir de casa para a promoção da interculturalidade ao mesmo tempo que promovemos a aquisição de competências pelos  nossos jovens”, refere a APS Fornos de Algodres . Fotos:APS

Reciclagem aumentou 70% no Concelho de Fornos de Algodres

Depois de apurados os dados relativos ao 1º semestre de 2022 (fonte: RESIESTRELA), em termos de resíduos recolhidos, apraz-nos confirmar a consolidação do trabalho e a maior consciencialização da população, em termos de capacidade de reciclagem e na consequente diminuição de produção de resíduos sólidos urbanos (RSU), vulgo lixo comum.

De facto, desde 2018 – ano de referência – temos assistido a aumentos sucessivos, ano após ano, na capacidade de reciclagem e quebras, também sucessivas, na produção de RSU. Senão, vejamos:

No que se refere à recolha em ecoponto, as 33.46 ton do 1.º semestre de 2018 comparam com as 55.58 ton deste ano (1.º semestre). Um aumento de 66% e mais 2 ton relativamente ao ano passado.

No serviço porta-a-porta – relativo ao Canal Horeca (recolha em estabelecimento hoteleiros, restauração e similares) – o aumento relativo ao 1.º semestre de 2019 (ano de arranque do serviço) é de 120% , passando de 14.46 ton para 31.74 ton, este ano, mais 4 ton que em mesmo período de 2021.

As recolhas no Ecocentro sofreram uma diminuição, mas esta está intrinsecamente ligada ao início da oferta do serviço de recolha porta a porta.

Assim, em termos totais, as 60.84 ton recicladas no 1.º semestre de 2018 comparam com as 103.58 ton deste ano (1.º semestre), um aumento de 70%, sendo que relativamente ao mesmo periodo de 2021 recolheram-se mais 4 ton.

Estes números traduzem-se, obviamente e para nossa satisfação, numa diminuição na produção dos RSU em cerca de 10%, (80 ton) relativamente ao 1.º semestre de 2018. De 815 ton passámos para 736 ton. Aqui, é importante referir que o concelho de Fornos de Algodres tem uma média per capita bastante inferior à média nacional e mesmo à da União Europeia (UE). Na UE a média de produção de RSU é de 502 kgs por habitante/ano; em Portugal é de 512 kgs por habitante/ano e, no nosso concelho, está muito abaixo, com 356 kgs por habitante/ano (dados de 2021).

Os números falam por si e todos se devem orgulhar dos mesmos mas, como também sempre temos dito, devemos sempre querer ainda mais. Porque podemos e porque devemos, segundo fonte do Município Fornense.

Esta atividade contribui diretamente para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável n.º 12 {Produção e Consumo Sustentáveis}.

AHRESP destaca posição de WTTC e ETC no pedido de ação urgente para resolver escassez de trabalhadores no turismo

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) e a Comissão Europeia de Viagens (ETC) alertam que a recuperação do setor de Viagens e Turismo pode ser colocada em sério risco se quase 1,2 milhões de postos de trabalho permanecerem vagos em toda a União Europeia (UE). Em 2020, o setor perdeu quase 1,7 milhões de postos de trabalho em toda a UE. Em 2021, quando começaram a ser aliviadas as restrições de viagens e a confiança dos consumidores melhorou, a contribuição direta do setor do turismo para a economia europeia recuperou 30,4% e 571 mil novos empregos foram criados. Este ano, o WTTC projeta que a recuperação do setor continuará a acelerar e quase atingirá os níveis pré-pandemia, com um aumento esperado de 32,9% na sua contribuição direta para a economia da UE.

Contudo, Julia Simpson, presidente e CEO do WTTC, reitera: “A Europa mostrou uma das recuperações mais fortes em 2021, acima da média global. No entanto, a atual escassez de mão de obra pode atrasar essa tendência e pressionar ainda mais um setor já em dificuldades”. Em consonância, Luís Araújo, presidente da ETC, afirma: “A Europa, como o destino turístico líder e mais competitivo do mundo, está empenhada em se tornar mais sustentável. Mas o objetivo da dupla transição (verde e digital) só será alcançado se conseguirmos atrair e reter talentos para o setor. Este é um dos maiores desafios para o setor e necessita de soluções coordenadas, multifacetadas e conjuntas (públicas e privadas).”

Assim, o WTTC e o ETC identificaram seis medidas que os governos e o setor privado podem implementar para resolver esse problema urgente:

•             facilitar a mobilidade de mão de obra dentro dos países e além-fronteiras, fortalecendo a colaboração em todos os níveis e fornecendo vistos e autorizações de trabalho;

•             permitir o trabalho flexível e remoto sempre que possível;

•             garantir a dignidade do trabalho, fornecer redes de proteção social e destacar oportunidades de crescimento na carreira;

•             capacitar e requalificar talentos e oferecer formação abrangente, para equipar a força de trabalho com novas e aprimoradas capacidades;

•             criar e promover educação e aprendizagem – com políticas eficazes e colaboração público-privada, que apoiem programas educacionais e formação baseada na aprendizagem;

•             adotar soluções tecnológicas e digitais inovadoras para melhoria das operações diárias, bem como mobilidade e segurança nas fronteiras para garantir viagens seguras e uma melhor experiência para o cliente.

Em Portugal, o problema da falta de pessoas disponíveis para trabalhar também se tem vindo a agravar. A AHRESP tem vindo a apresentar várias propostas ao Governo para colmatar este problema a nível nacional. Dados do INE revelaram que nos últimos dois anos se perderam mais de 76 mil postos de trabalho durante os últimos dois anos em Portugal – menos 16.100 trabalhadores no alojamento turístico e menos 60.200 na restauração e similares. É uma situação sem precedentes e que, tal como a AHRESP tem vindo a alertar, poderá comprometer a sustentabilidade das empresas e a qualidade do serviço. A AHRESP tem vindo a defender que a contratação de trabalhadores estrangeiros, nomeadamente provenientes dos PALOP, pode fazer parte da solução e ajudar a colmatar a falta de trabalhadores. Mas para que tal seja assim, devem existir programas de imigração organizada e com todas as condições de trabalho, quer ao nível da formação, da inserção profissional e familiar, quer ao nível da habitação.

Informação completa:

https://wttc.org/News-Article/According-to-WTTC-and-ETC-1-2-million-Travel-and-Tourism-jobs-across-the-EU-will-remain-unfilled-unless-urgent-action-is-taken

Fernando Rocha animou o sábado e “Mondego Voces” estreia este domingo

A Praia Fluvial da Ponte de Juncais registou uma grande enchente na noite deste sábado, a temperatura estava elevada, mas a adrenalina também foi muita com Fernando Rocha a animar a grandiosa plateia que pisou a areia desta Praia. Seguiu-se o grupo fornense The Heels que ao seu jeito tocaram diversos números musicais da era moderna e o público vibrou. Para finalizar a noite o DJ para fazer gosto de todos , as músicas com diversas passagens fantásticas, pouco eram os que arredaram pé, a noite foi grande e era preciso refrescar , não nas águas do Mondego, mas nos bares ao lado.

Para finalizar, o evento no Domingo, será celebrado o Dia dos Avós, numa tarde de grandes atividades, com ponto alto a

estreia do Coro Sénior local , denominado “Mondego Voces”. Grande animação da parte sénior e a participação do Mercadinho  da Terra.fotos:MFA

Fornos de Algodres Biodiversity Festival 2022 ao rubro

Fernando Rocha e The Heels sobem ao palco nesta noite de sábado

Está a decorrer na Praia Fluvial da Ponte de Juncais, na localidade de Fornos de Algodres, a edição de  Fornos de Algodres Biodiversity Festival 2022, com ambiente de Verão.

Na primeira noite, aconteceu o espetáculo Os Sons da Estrela”, mais um espetáculo inserido no Festival Cultural da Serra da Estrela, cultura em Rede da CIMBSE . Marcaram presença agentes da comunidade local.Trata-se da história de Rosa, uma menina criança, que desde sempre fora fascinada pela paisagem da sua aldeia. Apesar deste fascínio, Rosa conhece uma senhora que a faz admirar ainda mais toda a natureza ensinando-lhe que, para a viver inteiramente, precisa de tempo e, claro, amor. Numa aventura que enaltece lendas, costumes, cultura e gentes da região, este espetáculo musical procura envolver o público não só numa vertente de espetador, mas, também, participante, deixando-se levar pelas músicas bem conhecidas de todos.

Na segunda noite, subiu ao palco Marco Rodrigues que animou os muitos presentes neste ambiente tão natural, agora só mesmo quem esteve presente pode constatar a magia natural que este ambiente traz, em noites de verão com a brisa do Mondego a pairar e a refrescar a larga plateia presente neste espaço.

 

 

 

 

Fornense Gabriel Santos vai representar o Viseu e Benfica

Trata-se de um jovem fornense que tem dado, nas vistas no futebol jovem e não só na AD Fornos de Algodres , mas também recentemente ao serviço da Seleção distrital da AF Guarda, no Torneio Lopes da silva . Recorde-se que na seleção egitaniense foi sempre titular e foi uma das peças chave do onze e no final o coletivo conquistou a Liga de Bronze.

Assim agora o jovem Gabriel Santos vai rumar ao Viseu e Benfica a fim de pisar outros palcos e ao evoluir , poderá vir a dar o salto para um outro patamar do futebol português.

Vai ser um novo rumo, de mais um jovem que sai deste clube serrano , onde outros jovens talentos, já viu partir para os grandes deste País e estrangeiro.

foto:TS

 

Artigo de Música – Política -Madalena Fonseca

O single “Triste, Louca ou Má”, de “Francisco, el Hombre”, é o exemplo de como a música pode não ser apenas um entretenimento, mas também uma melodia de revolta, atual e intemporal, com uma mensagem por trás.

“Triste, Louca ou Má” engloba toda uma série de mensagens subliminares e também diretas, através do som, letra e videoclipe, conjugados de forma a provocar a rutura de várias construções sociais. O single foi executado de maneira excecional, com a assertividade da mensagem transmitida, combinada com a leveza dos instrumentos que vão ganhando cada vez mais força, criando este chamamento arrojado, para o que é o lugar da mulher na sociedade e a necessidade de uma mudança. Uma característica unitária desta revolução pelas mulheres, é o facto de a música ser cantada por uma mulher e um coro de mulheres, assim como o videoclipe é executado por um grupo de dançarinas também do sexo feminino. A voz da vocalista começa com toda uma suavidade, para se vir a transformar numa voz revoltada, arranhada e sedenta de libertação. É um importante objeto cultural, com o poder de influenciar a sociedade através de algo belo de ouvir, para chegar a cada um, fazendo-nos interiorizar e compreender coisas que de outra forma não seriam tão interessantes e profundas.  A música é visceral, quase como se explodisse algo das profundezas das cantoras, com vocalizos que têm tanto de belo, emotivo e doloroso.

 

Madalena Fonseca

GNR fez ação de sensibilização na Praia Fluvial da Ponte de Juncais – Fornos de Algodres

Aconteceu uma ação de sensibilização na Praia Fluvial da Ponte de Juncais – Fornos de Algodres, pelo Comando Territorial da Guarda, através dos militares da Secção de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário do Destacamento Territorial de Gouveia, em colaboração com a CPCJ de Fornos de Algodres, CLDS 4G Servir Fornos e o Município de Fornos de Algodres, no âmbito da Operação “Prevenção de Afogamentos 2022” que está a se levada a cabo pela GNR, até ao próximo dia 15 de setembro de 2022.
Os afogamentos poderão ser evitados através da adoção de estratégias específicas, complementares e articuladas, no sentido de reforçar a consciencialização da sociedade para a problemática do afogamento de crianças e jovens.
A morte por afogamento é um acontecimento rápido e silencioso.