Templates by BIGtheme NET
Início » Mangualde (Pagina 2)

Mangualde

Programa «IVAucher entrou em funcionamento

Foi lançado recentemente pelo Governo,  o programa «IVAucher: o IVA que vai e volta», que permite acumular, a partir de hoje, 1 de junho, o valor do IVA pago nos setores do alojamento, cultura e restauração, e usá-lo posteriormente como forma de benefício nestes setores.

Na prática, qualquer contribuinte poderá acumular o IVA gasto em alojamento, restauração ou cultura, entre os meses de junho e agosto, e utilizá-lo em forma de desconto – até 50% do valor da factura – entre outubro e dezembro em gastos nos mesmos setores.

O valor total do IVA, pago pelos contribuintes, é automaticamente apurado, durante o mês de setembro, podendo o benefício acumulado ser consultado posteriormente no Portal das Finanças (e-fatura) ou na app e-factura.

A apresentação do programa «IVAucher: o IVA que vai e volta», decorreu em Lisboa, no Jardim do Museu Nacional de Arte Antiga. No evento estiveram presentes o Ministro de Estado e das Finanças, João Leão, a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, o Secretário de Estado Adjunto e das Finanças, António Mendonça Mendes, e a Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

Durante a apresentação, o Ministro de Estado e das Finanças afirmou que este programa tem uma dotação de 200 milhões de euros, ainda que possa ir mais além, até porque «está a ser implementado numa maior fase de consumo», esperando-se por isso «uma maior adesão».

João Leão disse ainda que «esta é uma medida muito importante e inovadora», para a atual fase de recuperação e da viragem pós-pandemia, e que vai permitir «aumentar os apoios» a estes três sectores mais atingidos.

A Ministra da Cultura, por sua vez, destacou o facto desta medida acumular «de forma inovadora» com outros apoios ao setor da cultura, já implementados, como é o caso do programa «Garantir Cultura», com um investimento de 53 milhões de euros.

Graça Fonseca disse ainda estar convencida de que «os espetáculos de música, literatura e cinema que irão ser financiados através do Garantir Cultura estarão incluídos no IVAucher», podendo assim «voltar a investir» na sua atividade, conseguindo-se assim uma articulação nas formas de apoio e investimento.

Para Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, esta medida constitui uma «oportunidade única para arrastar o consumo a outras áreas de atividade, que são tão importantes para a nossa economia», como é o caso do alojamento. A Secretária de Estado lançou ainda o repto aos portugueses para, ao abrigo deste incentivo, redescobrirem Portugal, ajudando simultaneamente os operadores económicos.

Fonte:GP

Saúde- Como gerir sintomas da Síndrome do Intestino Irritável (SII)

A alimentação é uma das formas mais comuns e mais simples de gerir alguns dos sintomas da Síndrome do Intestino Irritável (SII), apesar de não estar comprovada a eficácia de todas as dietas baixas em FODMAP e de diferentes pessoas reagirem de forma diferente à alteração da dieta. Contudo, existem recomendações que podem melhorar a qualidade de vida destes doentes, não só ao nível da alimentação, como na alteração dos estilos de vida, garante Carolina Ferreira, farmacêutica e membro do Movimento Intestino Feliz, uma iniciativa criada pela Ezfy, uma organização que reúne mais de 700 profissionais de saúde distribuídos por farmácias ao longo de todo o território nacional, em colaboração com a Biocodex. O objetivo é ajudar os portugueses a gerir uma doença que ainda é pouco conhecida e que tem forte impacto no bem-estar físico e psicológico das pessoas. “O farmacêutico tem um papel muito importante no acompanhamento destes doentes, muitas vezes frustrados por tratamentos que não estão a corresponder às suas expectativas”, reforça.

A nossa primeira recomendação é que os doentes se informem sobre todas as possibilidades de tratamento com o médico, inclusive sobre como melhorar o seu estilo de vida, e que se aconselhem também com um nutricionista, de preferência com experiência no tratamento e acompanhamento da SII”, explica.

Carolina Ferreira salienta que a Síndrome do Intestino Irritável é um distúrbio gastrointestinal funcional que afeta 10 a 25% das pessoas em todo o mundo e que, no nosso país, deve atingir mais de um milhão de portugueses. É duas vezes mais comum em mulheres do que em homens. Os sintomas podem variar bastante de pessoa para pessoa, mas os mais comuns são a dor, inchaço abdominal, excesso de gases e períodos de prisão de ventre ou diarreia.

De acordo com a farmacêutica, as causas da Síndrome do Intestino Irritável não estão ainda totalmente clarificadas.  “Alguns estudos demonstram que o risco de desenvolver SII é cinco vezes maior após uma infeção bacteriana. Outros também sugerem uma possível interrupção na comunicação entre o cérebro e o intestino em conjunto com um desequilíbrio da microbiota intestinal”, esclarece. Daí a importância que determinados probióticos específicos podem ter na gestão dos sintomas associados à SII.

Na sua opinião, “é muito importante intervir na alimentação para identificar e excluir da dieta os alimentos que são mais propensos a desencadear crises” e, por isso, a farmacêutica e uma das impulsionadoras do Movimento Intestino Feliz partilha sete conselhos que podem aumentar a qualidade de vida dos doentes e atenuar os efeitos indesejáveis desta doença. E explica ainda que nem todas as fibras são benéficas para quem sofre de SII.

  1. CONSELHOS GERAIS PARA PACIENTES COM SII 
  1. Faça refeições regulares e coma devagar. Evite saltar refeições ou ficar períodos longos sem comer. 
  2. Beba pelo menos 8 copos de água (ou outro líquido, sem cafeína ou álcool) por dia. 
  3. Restrinja o consumo de chá e café a três por dia. Não convém tomar 3 cafés e 3 chávenas de chá num só dia, embora o consumo ideal de café e chá possa variar de pessoa para pessoa. 
  4. Reduza o consumo de álcool e bebidas gaseificadas. 
  5. Ajuste o seu consumo de fibras – fale com o seu nutricionista para saber qual a quantidade e que tipo de fibras é o mais adequado. 
  6. Limite o consumo de fruta a três porções por dia. 
  7. Tente evitar os açúcares e adoçantes, de forma geral. 

 NEM TODOS OS TIPOS DE FIBRA SÃO BENÉFICOS PARA PESSOAS COM SII 

A fibra da fruta, dos vegetais, frutos secos, legumes e grãos integrais são o melhor combustível para a microbiota intestinal, ajudando a proteger a barreira intestinal, a melhorar a função imunitária e a prevenir a inflamação. Mas, para quem tem SII, nem todos os tipos de fibra podem ser benéficos.

Carolina Ferreira explica que as fibras alimentares podem ser divididas entre solúveis e insolúveis, entre hidratos de carbono de cadeia curta ou de cadeia longa, do tipo fermentável ou não fermentável.

A fibra insolúvel encontra-se principalmente nas hortaliças e outros hortícolas e nos cereais inteiros e seus derivados integrais. “Estas fibras ajudam a dar volume às fezes e a que estas retenham água suficiente para serem suaves e fáceis de passar, estimulando ainda a motilidade intestinal. Esta estimulação faz com que o tempo de exposição da parede do cólon a agentes potencialmente nocivos seja menor”, frisa.

A fibra solúvel encontra-se sobretudo nos frutos, hortícolas, leguminosas e alimentos contendo aveia, cevada ou centeio. Aumenta o tempo de absorção dos nutrientes no intestino delgado e a saciedade, e contribui para a redução do total de glicose e de colesterol absorvidos pelo intestino.

“Não comer fibra suficiente, ou comer em demasia pode piorar os sintomas da SII. O nutricionista pode recomendar o aumento da ingestão de fibra de forma a regular as fezes, reduzir dor abdominal e a presença exacerbada de gases no intestino. O aumento gradual da ingestão de fibra pode modificar, melhorar e, em algumas pessoas, eliminar os hábitos intestinais anormais e sintomas dolorosos associados à SII”, remata.

Por:CF

Mangualde entregou Prémios do Concurso Literário “Importância da Família”

Maria da Glória Silva da Costa Rodrigues vencedora

Aconteceu , no Salão Nobre da Câmara Municipal de Mangualde, a entrega dos três primeiros prémios do Concurso Literário com o tema “A importância da Família” , com transmissão online no Facebook do Município. Este concurso, inserido no Eixo II da Rede Social – Promover a Funcionalidade Familiar, visou promover a parentalidade positiva, valorizar a importância da família na sociedade, estreitar laços afetivos, fomentar e consolidar hábitos de escrita e de leitura e promover a criatividade e a imaginação. A criatividade, a inovação, a qualidade literária, a coerência e coesão do texto foram os parâmetros em análise.

Os grandes vencedores foram: Maria da Glória Silva da Costa Rodrigues no 1º prémio, com o texto “Espinho de Sangue”, Telma Marina Carvalho Rodrigues no 2º prémio, com o texto “A Importância da Família” e Carlos Alberto Santos Rodrigues no 3º prémio, com o texto “Sandro e Alice, Filhos Pródigo”. O 1º Prémio recebeu um voucher no valor de 100€ em produtos Lísia e/ou Viriatus (Pereirinha Ourivesarias), o 2º Prémio recebeu um voucher de Livros no valor de 50€ (Papelaria Adrião) e o 3º Prémio recebeu um voucher no valor de 40€ (Restaurante Cascata de Pedra). Todos os participantes receberam um certificado de participação. O evento decorreu de acordo com as normas impostas pela Direção Geral de Saúde.

A organização da Câmara Municipal de Mangualde, durante a cerimónia, deixou um especial agradecimento aos elementos do júri, Ana Amaral, Cristina Lopes e Henrique Silva, aos patrocinadores, a João Dias que protagonizou o momento musical e a todos os participantes do concurso.

Foto: Mun.Mangualde

Vacinação Covid-19 avança nos 40 e nos 30 em junho

O Plano de Vacinação vai continuar a avançar para combater a Covid-19, assim , segundo informou o secretário de Estado Adjunto e da Saúde. Lacerda Sales, já no mês de junho, a vacinação avança das idades dos 30 e dos 40, para que tudo possa avançar rapidamente.

Assim com mais de 40 anos , a partir já do dia 6 de junho e os mais de 30 anos , a partir de 20 de junho, por todo País.

Alto Mondego Rede Cultural regressa para animar as comunidades

Decorreu na manhã de sábado (22 de maio), a apresentação da segunda edição do Projeto” Alto Mondego- Rede Cultural”, no auditório Multiusos de Nelas. É composto pelos municípios de Fornos de Algodres, Nelas, Mangualde e Gouveia. O projeto contará com uma programação cultural diversificada e que tem como objetivo dinamizar os territórios com eventos culturais criados por associações culturais locais, com o intuito de impulsionar a economia local, mas também promover as artes e as criações artísticas no território, projetar a sua imagem e a região e ainda exponenciar novos fluxos turísticos de forma a contribuir para a valorização da autenticidade dos produtos culturais e patrimoniais endógenos.

Serão 24 espetáculos de várias artes performativas e 8 murais de arte urbana que acontecerão até setembro de 2022, recriados nos vários espaços emblemáticos dos quatro municípios, será um investimento de cerca de 300 mil euros.

Vão ser desenvolvidas 4 ações de capacitação artística com as diversas associações culturais, através da cooperação entre estas e capacitadores das seguinte áreas : slackline, arte urbana, música e dança.

As sessões de capacitação de slackline (corda bamba) e arte urbana decorrerão entre junho e agosto deste ano. As sessões de slackline serão orientadas pelo profissional Rui Mimoso, campeão nacional de slackline.

O slackline é um desporto que consiste prática de equilíbrio sobre uma linha dinâmica, esticada entre dois pontos fixos. O praticante pode caminhar sobre ela ou fazer manobras e truques, dinâmicos ou estáticos.

No que toca à área Arte Urbana , vão ser criados 4 murais, um em cada Município, resultado do trabalho entre as associações, a comunidade e o artista plástico Desy.

Por sua vez ,  as seesões na área da música acontecem em 2022, entre os meses de janeiro e maio. Entram em cena Bitocas e Artur Fernandes, que juntamente com as associações locais irão apresentar 8 espetáculos pelo território do Alto Mondego’ Rede Cultural.

Por fim, na área da dança, decorre entre maio e setembro de 2022, onde Marta Silva, irá trabalhar juntamente com as associações locais nos variados temas que abrangem a dança (movimento, corpo) e que resulta em 8 espetáculos artísticos itinerantes.

As intervenções dos quatro presidentes serviram para explicar um pouco mais este projeto.

Borges da Silva (Nelas) referiu:” É um gosto continuar a partilhar esta experiência da Rede Cultural do Alto Mondego em mais uma iniciativa, mais uma candidatura, mais um projeto, projeto esse complementado com uma série de ações, que consiste em dinamizar e promover o património cultural e rapidamente também regressar à possibilidade das populações acederem à cultura e acho que conseguiram e felicito-os aqui por isso, deixando também aqui um cumprimento aos animadores e aos profissionais que mobilizaram  para estas ações quer as ações artísticas, do ponto de vista artístico, quer do ponto de vista de artes e cultura do Alto Mondego”.

Por sua vez, Elísio Oliveira (Mangualde)salientou a: importância deste projeto Alto Mondego, como disse o presidente de Nelas, um rio nos une, mas também nos podia separar.

Um rio une ou separa, mas quando se fazem pontes, a separação torna-se união e nós estamos aqui os quatro municípios unidos em torno do Alto Mondego. A cultura é importante para desenvolver a vida das pessoas para desenvolver a economia, valorizar o território para fixar e atrair pessoas e essa é a grande luta, é a grande batalha, é a luta da democracia e da demografia e da fixação de pessoas. Sem pessoas tudo o resto vai desertificando, as casas vão-se despovoando, os territórios vão-se abandonando e a cultura pode ser uma âncora e um instrumento importante para dar qualidade de vida material e imaterial aos territórios e às pessoas que neles habitam”.

Luís Tadeu(Gouveia) enalteceu que: “é um programa que nos une com o território e com as entidades  que incluem  o território que fazem cultura e que nesta altura estão a passar uma fase muito complicada , fruto da pandemia , obrigando a parar as suas iniciativas, que é sempre depois  complicado  muitas vezes recomeçar e voltar a motivar as pessoas.

 Assim com este nosso projeto não é só dizer a essas associações culturais do nosso território, que estamos com elas, confiamos nelas , que acreditamos no seu trabalho e que juntamente com todos aqueles que agora vêm de fora  enriquecer e engrandecer também o seu trabalho , que queremos que elas continuem  e confiamos que elas continuam a ser agentes importantes no  território para precisamente prolongar e salvaguardar a cultura mas também para lhe dar novas roupagens porque os tempos mudam, os tempos evoluem e portanto há que também que termos noção e atenção a isso não perdendo o espírito daquilo que são as nossas associações mas  envolver todos aqueles que nelas colaboram, que nelas participam sejam nas bandas filarmónicas, seja nos ranchos folclóricos ,seja  nos grupos de teatro que temos ,nos grupos de dança que temos enfim todos”.

 Manuel Fonseca (Fornos de Algodres) agradeceu de forma especial à comunicação social , uma vez que têm aqui um papel importante na divulgação deste projeto. Muitas das vezes senão forem  os OCS,  o que acontece é que os nossos projetos não são focados , não são difundidos da melhor forma, logo é um prazer que os OCS estejam presentes e como sempre vão fazer um bom trabalho  no sentido de darem a conhecer este projeto . Desde o princípio, no nosso município, entendemos que era o projeto que tínhamos de agarrar com alma e coração naturalmente que há outros projetos que correm paralelamente em cada uma das outras comunidades, mas este é um projeto como disse tinha uma identidade própria.

Este ano em termos deste projeto entendeu-se que devíamos também alargar a outras competências relativas não só à dança, não só ao teatro e foi por isso que decidimos também agarrar outras capacitações neste caso especificamente na questão do Slackline e também na Arte Urbana. Relativamente à 1ªquestão está aqui o Rui Mimoso que é de Fornos de Algodres também tenho que realçar que é um excelente player nesta matéria é dos primeiros que existe no país e naturalmente também estas áreas é importante também trazer os mais jovens, às vezes os jovens têm outro tipo de motivações e tendo outro tipo de motivações é importante que estes jovens possam ter outras competências, conclui o autarca fornense.

Por fim, cada um dos capacitadores apresentaram as suas atividades, seguindo-se uma pequena demonstração do Slackline pelo atleta Rui Mimoso, pelos jovens convidados e demais entidades que quiseram experimentar.

Este projeto “Alto Mondego Rede Cultural” é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

 

Município de Mangualde adquiriu grande parte da Quinta D. Leonor

A Quinta D. Leonor  situada no centro de Mangualde, foi adquirida grande parte pela Câmara Municipal de Mangualde , neste caso , falamos de 7.100 m2 dos 8.100m2 da totalidade da quinta.
Dotada de árvores valiosas e centenárias, de fonte de água potável, a correr por gravidade o ano inteiro, entre outras pequenas construções de granito. Um valor incomensurável e um tesouro urbano qualificante da cidade, do lazer e da qualidade de vida das pessoas.
A aquisição foi feita por 80.000 euros, um valor muito abaixo do seu valor real. Esta compra foi feita a pensar no futuro. Poderá não ficar de imediato disponível ao público, porquanto o direito de usufruto pertence à antiga proprietária, D. Alexandra com 95 anos de idade, que fez doação da quinta à Madalena Castelo Branco, e que por enquanto, quer preservar esse direito, podendo, eventualmente, abdicar dele a favor da câmara a todo o momento.
A proprietária, Madalena, reservou para si 1000 m2, onde poderá construir, unicamente, por acordo prévio e por imposição do PDM, serviços de café /restaurante, o que será uma segunda vantagem para valorizar este espaço ao serviço dos munícipes e do turismo.
Sobre esta operação o Presidente da Câmara, Elísio Oliveira, fez as seguintes declarações:
Fizemos história ao adquirir este jardim, esta jóia natural no centro da cidade. Mangualde é deficitário em espaços ajardinados e com esta aquisição responde a essa falha. É um alto desígnio e um privilégio proporcionarmos aos mangualdenses esta apropriação.
Este resultado foi possível graça, por um lado, à inteligência negocial e à persistência da Câmara e por outro lado ao espírito de diálogo e cooperação dos proprietários.
Quero deixar uma palavra de profundo reconhecimento e gratidão pessoal e institucional á proprietária D. Madalena Castelo Branco e ao seu pai Sr. José Pedro Castelo Branco, pela forma como foi possível, durante muitos meses, tratar este tema e como foram sensíveis aos apelos do sentido público e do espírito de cooperação com o progresso da nossa cidade. É um facto marcante e inesquecível, que não podemos deixar de realçar e enaltecer.
Ter bons jardins, parques urbanos, boas escolas, cultura e emprego são fundamentais, entre outras valências, para valorizar a construção da habitação e para fixar e atrair pessoas e alavancar o pleno desenvolvimento do nosso concelho. “

Concerto dedicado às Mães em Mangualde

Teve lugar em Mangualde na Igreja do Complexo Paroquial de Mangualde ,um concerto dedicado a todas as mães. Foi uma iniciativa que assinalou o primeiro concerto presencial promovido pelo Município de Mangualde, no ano de 2021. O evento cumpriu com todas as normas de segurança impostas pela DGS.

Este concerto, protagonizado pela Orquestra POEMa e pelo Coro do Conservatório de Música de Viseu, contou com a presença de 150 pessoas na plateia. Estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira e o Vereador da Cultura, João Lopes.

Foto:MM

 

Apresentação do livro “A Vida Num Roteiro” em Mangualde

Pedro Coelho vai apresentar o seu livro “A Vida Num Roteiro” em Mangualde. Esta apresentação tem lugar no dia 28 de maio, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves e está inserida na programação cultural do mês de maio, no âmbito do “Dia do Autor Português”.

Pedro Coelho é Beirão, nasceu em Mangualde, cidade situada na Beira Alta composta por gentes hospitaleiras, com tradições nos seus bordados e no feijão do Patronato tão típicos, onde os serões são acompanhados a contemplar lá no alto a Senhora do Castelo com um bom queijo da Serra da Estrela e o vinho do Dão. O seu entusiasmo pelo social, ou seja, as relações e comportamentos que os indivíduos estabelecem entre si levou-o a tirar o Curso de Sociologia permitindo o estudo de certas situações que ocorrem na vida em sociedade, especializou-se mais tarde em Coordenação de Necessidades Formativas, chegando a dar alguns anos  formação em Cidadania e Igualdade de Género, conseguiu concretizar o sonho de conhecer novas realidades e novas culturas sociais levando-o a mudar-se para o Luxemburgo, país que para si é o “ideal de sociedade que o homem deve realizar em educação”.  As palavras sempre foram um meio para “olhar a sociedade” e desde o núcleo de estudantes de sociologia, às crônicas em jornais regionais e através de blogs até chegar a este Livro foi abordando aspetos da sociedade. Otimista que é, acredita que o indivíduo não se deve resignar, sendo ele o forjador do seu próprio sucesso como Ser Humano.

 O evento decorrerá com as diretrizes da DGS, tendo assim uma lotação limitada de 70 lugares, pelo que os interessados devem reservar lugar através do telefone 232 619 889.

 SINOPSE DO LIVRO:

O objetivo deste livro é proporcionar, através de algumas palavras, uma visão da sociedade e do quotidiano de hoje. Explorar temas, expostos por alguns capítulos, fazendo a ponte entre o sentir e o viver, por todo o livro combinam-se histórias, conceitos e respostas com um olhar sociológico que pretende transparecer o dia-a-dia de cada indivíduo, falar das coisas mais simples e perceber que nos falta Tempo para pensar em tudo aquilo que nos acontece. Os dias voam, coisas ficam por fazer, permanentemente num turbilhão de voltas que é a nossa vida é praticamente impossível parar para pensar, ficando as nossas Vidas eternamente adiadas e sem sentido. o Livro ajuda a fazer este caminho para descobrir o que nos faz bem e nos permite crescer e avançar e por outro lado distingue ou ajuda a refletir sobre aquilo que nos impede de ir mais longe. Foi este entusiasmo em forma de desafio, que me levou a escrever e que pretende levar cada leitor e ser ele mesmo, num exercício de “my self” que o possa transportar e dar mais valor ao seu Ser.

Apresentação da 2ªedição -Alto Mondego’ Rede Cultural

Vai ter lugar a Conferência de Imprensa de apresentação da segunda edição do Projeto “Alto Mondego’ Rede Cultural”, que integra os Municípios de Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde e Nelas.

Este evento servirá para a apresentação oficial das ações culturais e turísticas que integram esta Rede Cultural, fortemente ancorada no vasto património material e imaterial deste território e na itinerância de espetáculos em locais de elevado valor patrimonial.

Terá lugar no dia 22 de maio, às 11h00, no Auditório Multiusos de Nelas.

Programa

11:00h – Abertura | Apresentação do projeto
Presidente do Município de Nelas | José Borges da Silva
Presidente do Município de Mangualde | Elísio Oliveira Duarte Fernandes
Presidente do Município de Gouveia | Luís Manuel Tadeu Marques
Presidente do Município de Fornos de Algodres | Manuel Fonseca

11:20h – Ações a desenvolver
Capacitação Slackline | Rui Mimoso – Profissional de slackline, campeão nacional
Capacitação Arte Urbana | Desy CXXIII – Artista plástico
Capacitação Música | Artur e Bitocas Fernandes – Músicos e facilitadores criativos                                    
Capacitação Dança | Marta Silva – Coreógrafa e diretora artística

11:45h – Questões dos jornalistas

12:00h- Encerramento da apresentação e experiência slackline

Plano «Reativar Turismo | Construir Futuro» apresentado por Siza Vieira

O plano «Reativar Turismo | Construir Futuro» incide em quatro pilares de atuação – apoiar empresas, fomentar segurança, gerar negócio e construir futuro – e é composto por ações específicas, de curto, médio e longo prazo, que permitirão ultrapassar os 27 mil milhões de euros de receitas turísticas em 2027, de forma sustentável, gerando riqueza e bem-estar em todo o território, ao longo de todo o ano e apostando na diversificação de mercados e segmentos, uma das metas preconizadas na Estratégia Turismo 2027.

No imediato, a prioridade passa por apoiar as empresas através de medidas que preservem o seu potencial produtivo e o emprego no setor, apoiando-as ainda no processo de consolidação da respetiva estratégia operacional.

Para tal, serão criados instrumentos de apoio à capitalização das empresas, de que são exemplo o Fundo para a Capitalização das Empresas, a Linha de Crédito com Garantia para Refinanciamento/Reescalonamento da Dívida Pré-Covid e a Linha de Crédito com Garantia para Financiamento de Necessidades de Garantia, enquanto condição necessária para revigorar a competitividade do setor.

Tendo em vista apoiar as empresas neste contexto particularmente difícil, onde se cruza a necessidade de gerir o impacto da pandemia de Covid-19 com a necessidade de retomar a sua atividade num contexto de forte concorrência internacional, importa ainda criar mecanismos de apoio ao desenvolvimento e consolidação da estratégia operacional das empresas. Outra preocupação deste Plano consiste em criar condições que permitam reforçar a confiança no turismo, por parte das empresas, dos turistas e dos residentes, bem como na capacidade desta atividade contribuir de forma significativa para o bem-estar e para a melhoria da qualidade de vida.

Os objetivos são claros: promover um turismo ao longo de todo o ano e em todo o território, através do apoio ao investimento, da capacitação das empresas, da qualificação dos recursos humanos e da aposta na acessibilidade aérea e na mobilidade sustentável, áreas fundamentais para incentivar a competitividade do destino.