Templates by BIGtheme NET
Início » Região (Pagina 20)

Região

Associação de Basquetebol da Guarda implementa medidas para a modalidade

Para a época de 2021/2022 a Associação de Basquetebol da Guarda decidiu ter medidas que fomentem a prática deste desporto no nosso distrito.
Desta forma, as medidas de apoio dividem-se em quatro categorias para que as mesmas possam ser justas e que ajudem os clubes a ultrapassar todas as dificuldades que o COVID-19 trouxe.

As categorias vão desde o minibasquete, à criação de novos clubes, organização de convívios e torneios que tanta falta faz aos nossos jovens.
Os incentivos vão desde a oferta de bolas adequadas a cada escalão, um valor financeiro por inscrição, decidiu mais uma vez oferecer um kit auxiliar de treino e a oportunidade de um dos elementos do clube ter o curso de formação de treinador grau I favorecendo, assim, desporto com qualidade (para a criação de novos clubes).
A Associação de Basquetebol da Guarda pretende desta forma contribuir para o desenvolvimento e continuidade da prática federada do Basquetebol em todos os recantos do distrito da Guarda.

AF Guarda- Sabugal venceu o E.Almeida na apresentação

Foi uma tarde de festa , por terras raianas, com  a turma do SC Sabugal a realizar o jogo de apresentação aos associados, tendo como convidado a formação do E.Almeida.

Assim uma partida bem jogada, com os raianos a vencer por cinco bolas a uma, mas no final houve muito convívio e saúda-se a presença do público.

foto:SCS

Avisos e Liturgia do 23º Domingo do Tempo Comum- ano B

Habitualmente na liturgia da Palavra dá-se muito relevo ao texto do evangelho, mas é sempre oportuno passar os olhos e o pensamento pelas três leituras. Isaías, na primeira leitura, lança-nos um apelo e dá-nos um conselho muito importante: “Tende coragem, não temais”. Como é necessário ouvir hoje estas palavras reconfortantes e encorajadoras! Diante do quadro social e religioso que estamos a viver, a tentação do desânimo e da tristeza pode surgir. Por isso o profeta Isaías insiste: “Tende coragem, não temais. Aí está o vosso Deus; vem para fazer justiça e dar a recompensa; Ele próprio vem salvar-nos”. Na segunda leitura, o conselho da carta de S. Tiago também é muito importante: “a fé em Nosso Senhor Jesus Cristo não deve admitir acepção de pessoas. Não estareis a estabelecer distinções entre vós e a tornar-vos juízes com maus critérios?”. Isto é fundamental numa comunidade cristã. Promover a igualdade é oferecer os meios materiais e espirituais para que todos possam viver a vida dignamente. Nunca deixemos de trabalhar na construção de uma comunidade sem acepção de pessoas. No evangelho, que é um texto exclusivo de S. Marcos, encontramos a narração de um momento da vida de Jesus: Ele sai do território judeu, dirige-se para terras pagãs, onde cura um surdo com dificuldade em falar, símbolo da humanidade fechada à voz de Deus. Também cada um de nós deve sair do seu “território confortável” e ir às periferias territoriais e existenciais das pessoas, procurando aqueles que desejam encontrar Deus e escutar a sua voz.

A sorte daquele surdo com dificuldade em falar foi encontrar pessoas que o levaram a Jesus que O curou e O enviou para o meio do seu povo. Hoje existem muitas pessoas que precisam de alguém que lhe ofereça meios para recuperar a fé. Uma comunidade evangelizadora deve assumir esta missão. Todos somos enviados a evangelizar, porque todos somos chamados a percorrer o caminho do Senhor que, como o salmo nos diz, “dá pão aos que têm fome” e “entrava o caminho aos pecadores”.

Por outro lado, a cura do surdo com dificuldade em falar é um alerta para escutarmos os outros. Ser cristão é ser portador de uma palavra de esperança e não cair no pessimismo que inunda a sociedade de hoje. É importante falar, mas também escutar, o que nem sempre fazemos. Falamos muitas vezes com Deus, mas não o escutamos suficientemente; falamos com os outros, mas nem sempre os escutamos. Temos de aprender a lição: o Senhor “faz ouvir os surdos e falar os mudos”. Habitualmente, Deus fala pela boca dos outros. Então peçamos ao Senhor: pela Tua Palavra e pelo clamor dos nossos irmãos necessitados, fala, Senhor, que o teu servo escuta.

05-09-2021

LEITURA ESPIRITUAL

Como podemos discernir a voz de Deus entre as mil vozes que ouvimos todos os dias neste nosso mundo. Diria: Deus fala connosco de modos muito diferentes. Fala através de outras pessoas, através de amigos, dos pais, do pároco, dos sacerdotes. Aqui, os sacerdotes aos quais estais confiados, que vos guiam. Fala por meio dos acontecimentos da nossa vida, nos quais podemos discernir um gesto de Deus; fala também através da natureza, da criação, e fala, naturalmente e sobretudo, na Sua Palavra, na Sagrada Escritura, lida na comunhão da Igreja e pessoalmente em diálogo com Deus.

É importante ler a Sagrada Escritura, por um lado de modo muito pessoal, e realmente, como diz São Paulo, não como palavra de um homem ou como um documento do passado, como lemos Homero, Virgílio, mas como uma Palavra de Deus que é sempre actual e fala comigo. Aprender a ouvir um texto, historicamente do passado, a Palavra viva de Deus, ou seja, entrar em oração, e assim fazer da leitura da Sagrada Escritura um diálogo com Deus.

Santo Agostinho nas suas homilias diz com frequência: Bati várias vezes à porta desta Palavra, até que pude compreender o que o próprio Deus me dizia; por um lado, esta leitura muito pessoal, este diálogo pessoal com Deus, no qual procuro o que o Senhor me diz, e juntamente com esta leitura pessoal é muito importante a leitura comunitária, porque o sujeito vivo da Sagrada Escritura é o Povo de Deus, é a Igreja. (Bento XVI, Discurso aos seminaristas, 17-02-2007).

 

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano B - Tempo Comum - 23º Domingo - Boletim Dominical II (1)

SC Penalva do Castelo vai compondo plantel sénior

Assim a direção do SC Penalva do Castelo pretende realizar uma boa temporada, face a isso, Simão Marques se mantém como técnico da turma sénior.
Depois das renovações de: Nuno Rodrigues (GR), Hugo Rebelo (DF), Lips (DF), João Marcelo (DF), Marco Baéce (GR), Fábio Francisco (AV), e Rodrigo Machado (MD).
E também dos reforços : Pedro Loureiro (AV), Márcio Santos (MD), Bruno Coelho (AV), Gustavo Coelho (DF), Leonardo Ribeiro (DF) e Hélder Nunes (MD.
Neste domingo, tem assim um teste perante o Guarda FC , na cidade mais alta.

Mangualde recebe a peça “Só Queria Que Me Saísse… Dão”

O espetáculo de teatro musical “Só Queria Que Me Saísse… Dão”, nos dias 9 e 10 de setembro, pelas 21h30, vai ter lugar ,no Largo Dr. Couto, em Mangualde. Uma iniciativa que ocorre no âmbito da Programação Cultural em Rede Viseu Dão Lafões.

A peça de teatro é um projeto da Contracanto Associação Cultural, que irá transportar o espetador para os clássicos do cinema português.

Nos dois dias de espetáculo, a lotação é limitada e os lugares são marcados, de forma a respeitar as normas emanadas pela DGS. A entrada é gratuita, mas com aquisição obrigatória de bilhetes na Biblioteca Municipal e/ou na Papelaria Adrião.

A organização solicita a todos que respeitem sempre as regras da DGS e as indicações/sinalética no local, mantendo sempre o distanciamento social de segurança e as regras de etiqueta respiratória.

SINOPSE DO “SÓ QUERIA QUE ME SAÍSSE… DÃO”

“A história acontece em plena Lisboa, no Pátio do Carrascão e transporta-nos para o imaginário dos clássicos do cinema português.

Barbosa é o único beirão no bairro, condição que ele tenta esconder aos turistas para os atrair para a sua casa de fados “Solar do Vinho” que representa o que de mais pitoresco Lisboa tem para oferecer.

Entre cantigas e muitas histórias, os moradores do pátio não se esquecem de lembrar Barbosa das suas raízes beirãs e Barbosa perde as estribeiras de cada vez que um deles o provoca!

Mas o destino tem hora marcada para fazer das suas e este ano, o arraial vai mudar para sempre o pátio. Tudo por conta do tal vinho do beirão Barbosa que, afinal, não é de Lisboa, nem carrascão, mas sim, vinho do Dão. E quando o vinho é Dão… até um pátio alfacinha quer ser beirão!”

Caravana Literária- Festa da Literatura e do Pensamento começou na Guarda

Decorreu na Guarda, a Primeira Caravana Literária- Festa da Literatura e do Pensamento, uma homenagem a Eduardo Lourenço.

A Caravana Literária – Festa da Literatura e do Pensamento é uma iniciativa internacional que surgiu no âmbito da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027. É um projeto multidisciplinar e itinerante dedicado anualmente a autores consagrados no mundo da cultura e das artes, neste caso a Eduardo Lourenço, filósofo e ensaísta.

O dia iniciou com a cerimónia oficial de abertura pelos Presidentes: Carlos Chaves Monteiro, Presidente da Câmara Municipal da Guarda, António J. Machado, Câmara Municipal de Almeida e João Paulo Sousa, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa.

Carlos Chaves Monteiro por sua vez referiu:” A Caravana Literária é uma festa literária e do pensamento, é uma iniciativa internacional também integrada neste grande projeto que é a nossa candidatura a capital europeia da cultura que envolve 2027, envolve 17 municípios, uma visão de território que nós temos para alicerçar muito do desenvolvimento não só com base na cultura mas também nesta conjugação de esforços dos diferentes municípios que compõem este espaço geográfico e a partir deles não só trazer mais quantidade, é fundamentalmente também qualidade.

Esta é mais uma parceria virtuosa que o Município da Guarda mas também o envolvimento de Almeida e Foz Côa têm estado numa relação muito estreita naquilo que são estas dinâmicas e portanto acreditamos mesmo que este é o caminho para nós trazermos essa qualidade, essa diversificação de pensamento, essa visão crítica a partir da cultura , a cultura  também aqui  como elemento não só propulsor do desenvolvimento mas também tem características muito especificas, dinâmicas muito próprias  do ponto de vista económico e que hoje há que tirar partido delas e portanto a economia é também aqui um elemento essencial e a cultura serve aqui também como um fator locomotiva para o desenvolvimento do turismo, o desenvolvimento dos povos e dos territórios  e é esta visão multidisciplinar que também é pretendido atingir com esta Caravana Literária.”

Seguiu-se António Machado (Câmara Municipal de Almeida) salientou “A Guarda Capital Europeia da Cultura é um projeto integrador, é um projeto que conseguiu mudar em muito também na Comunidade Intermunicipal a maneira de pensar e a maneira de fazer. Sinto que o nosso plano que está proposto já é um plano feito com vários pensamentos, mas pensamentos passar da unidade passar a um conjunto e é esse projeto que eu olho para ele com uma potencialidade enorme.

O Professor ensaísta Eduardo Lourenço de S. Pedro de Rio Seco é sem dúvida, uma personagem que merece toda a nossa admiração, o nosso respeito por todo o trabalho que desenvolveu.”

Para finalizar, João Paulo Sousa- Vice-Presidente da Câmara Municipal de Foz Côa realçou: “Falar sobre o legado de Eduardo Lourenço que deixou à região, ao território do Distrito da Guarda e ao país é falar sobre uma vasta obra contempla uma variedade de temas, literatura portuguesa, arte s, pensamento e lugares de Portugal na história.

Este projeto apresenta corpo, este projeto tem corpo, quando me foi apresentado tem corpo, tem uma força de 30 escritores, 6 concertos, 3 conferências, 50 músicos, autores , 6 comunicações, 5 países envolvidos mas também me parece que o fundamental é que tem alma, tem alma sobre os destinos e sobre as viagens que fazemos e é aqui que me parece que vamos truncar de facto o concelho de Foz Côa, com o concelho da Guarda e o concelho de Almeida.”

Foi apresentada a exposição “Labirinto de um Heterodoxo” por Rui Jacinto membro da Comissão Executiva do CEI. Aconteceu o descerrar da placa na entrada da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, que perpetua esta iniciativa e seguiu-se a  visita ao Espaço de Memorial de Eduardo Lourenço no Centro de Estudos Ibéricos.

No Jardim José de Lemos realizou-se a mesa-redonda:” “Mitos da Europa e Poéticas da Modernidade” com os oradores: Nuno Júdice, António Carlos Cortez, Rosa Oliveira e como moderador João Rasteiro.

De tarde teve lugar no TMG, a Conferência “Pensamento e Poéticas do Ensaio” com Testemunhos de Jorge Augusto Maximino, Guilherme d’Oliveira Martins, António José Dias de Almeida, Fernando Paulouro, Rui Jacinto, Roberto Vecchi e Marco Lucchesi.

João Almino apresentou “A paisagem equatoriana na poesia de João Cabral de Melo Neto”,  depois houve uma Leitura-Homenagem pelos poetas: Maria Teresa Horta, António Carlos Cortez, Nuno Júdice e Manuel Alegre com a apresentação de Victor Afonso.

Durante a tarde ainda decorreram mais algumas atividades.

A Caravana Literária continua amanhã em Almeida e no domingo em Vila Nova de Foz Côa com diversas atividades.

 

Deolinda Carvalho vence 2ª Edição do Concurso “Apoie a Economia Local – Compre no Comércio Tradicional de Mangualde”

Pode ser uma imagem de ‎ao ar livre e ‎texto que diz "‎APOIE A ECONOMIA LOCAL ن 2°EDIÇÃO COMPRE NO COMÉRCIO TRADICIONAL DE MANGUALDE‎"‎‎Realizou-se o quarto sorteio da 2ª Edição do Concurso “Apoie a Economia Local – Compre no Comércio Tradicional de Mangualde”: assim aqui ficam os premiados;
1º Prémio – Deolinda Lemos de Carvalho – Quintela de Azurara
 2º Prémio – Paulo Alexandre Almeida da Silva – Mangualde
 3º Prémio – Laurinda Amaral – Mangualde
 4º Prémio – Joaquim Amaral – Almeidinha
 5º Prémio – Gabriela Costa Sousa – Mangualde
 6º Prémio – Maria da Glória Correia Pires – Roriz
 7º Prémio – Alberto Ferreira – Abrunhosa-a-Velha
8º Prémio – Sérgio André Ferreira Rodrigues – Mangualde
 9º Prémio – Ana Rita Salgado de Matos – Mangualde
 10º Prémio – Carla Marisa G. da S. Costa Pereira – Mangualde
 11º Prémio – Catarina Nunes – Quintela de Azurara
 12º Prémio – Mafalda Sofia Peixoto Lopes – Vila Garcia
13º Prémio – Helena Patrícia Serra Messias – Lobelhe do Mato
Os vencedores já foram contactados e facultadas as indicações para se deslocarem à AEM a fim de receberem o seu prémio!
A listagem de estabelecimentos aderentes encontra-se disponível em www.aemangualde.com

Futsal- 3ªdivisão nacional-Viseu e Gigantes Mangualde conheceram sorteio

Realizou-se o sorteio da 3ªdivisão nacional de Futsal com a presença das equipas da região:
Série C
1 – São Martinho Mouros
2 – Viseu
3 – Beira-Ria
4 – Mozelos
5 – Gigantes Mangualde
6 – Ossela
Série D
1 – São João / Urgicentro
2 – Pombal
3 – Mata
4 – Boa Esperança
5 – Covão Lobo
6 – Vilaverdense
1.ª jornada: 1-3; 4-5; 6-2
2.ª jornada: 3-6; 5-1; 2-4
3.ª jornada: 3-5; 1-2; 6-4
4.ª jornada: 6-5; 2-3; 4-1
5.ª jornada: 5-2; 3-4; 4-1
6.ª jornada: 3-1; 5-4; 2-6
7.ª jornada: 6-3; 1-5; 4-2
8.ª jornada: 5-3; 2-1; 4-6
9.ª jornada: 5-6; 3-2; 1-4
10.ª jornada: 2-5; 4-3; 6-1

Lamego distingue Patronato Nuno Álvares Pereira com Medalha de Ouro

Vai acontecer uma homenagem da Câmara Municipal de Lamego  ao Patronato Nuno Álvares Pereira através da atribuição da Medalha de Ouro da Cidade.

A cerimónia decorrerá este sábado, no Salão Nobre da Câmara Municipal e poderá ser acompanhada em direto através do Facebook da autarquia lamecense.

A atribuição desta distinção surge como forma da Câmara Municipal de Lamego homenagear o trabalho desenvolvido pelo Patronato Nuno Álvaro Pereira reconhecendo não só o seu papel essencial na formação da população mais jovem da cidade como também a parceria estabelecida com as restantes escolas do município em nome de um maior acesso à educação.

Assim, e numa altura em que se assinala também o centenário da instituição, o galardão de ouro será concedido tendo em conta que «ao longo de décadas criou uma solidez e uma firme consolidação, independência, reputação e respeito granjeado junto de todas as instituições locais e nacionais.»

A cerimónia contemplará ainda a apresentação do livro “100 Anos 1000 Histórias”, de Alberto de Jesus Almeida, editado no âmbito do centenário do Patronato Nuno Álvares Pereira  (1920-2020).

Instituído a 20 de janeiro de 1920, o Patronato Nuno Álvares Pereira nasce no seguimento de «uma análise profunda sobre a problemática da educação em Portugal por diversas individualidades de Lamego» e que tinha como principal objetivo combater o analfabetismo, nomeadamente através da realização de aulas para as crianças mais desfavorecidas de Lamego.

Devido ao contexto pandémico, a cerimónia será de acesso reservado, sendo que o acompanhamento da mesma poderá ser feito através da página oficial de Facebook da Câmara Municipal de Lamego.

Slackline “voa” pelos 4 concelhos do Alto Mondego

É um espetáculo de teatro, mas com a particularidade que é feito em cima de fitas. O primeiro estreou em julho, em Nelas, agora há novos espetáculos em todos os 4 concelhos da rede: Nelas, Gouveia, Fornos de Algodres e Mangualde. Trata-se de uma iniciativa coordenada pelo Campeão Nacional de Slackline, Rui Mimoso, no âmbito da Rede Cultural do Alto Mondego, onde os grandes protagonistas são elementos da comunidade que sobem ao palco para contar diferentes perspetivas de uma história comum. Com o envolvimento da comunidade, espetáculos têm forte ligação ao território.

Espetáculo em Nelas contou com 22 elementos da comunidade

A história por detrás do espetáculo varia de concelho para concelho. Enquanto em Nelas e Mangualde a trama fala de despedidas e de reencontros, das festas e das romarias; em Gouveia, à história junta-se a poesia de Virgílio Ferreira. Em Fornos de Algodres, o desafio é outro, passa por pedir emprestado o olhar do rio Mondego e mergulhar na travessia, no tempo e no espaço, desde a origem aos dias de hoje. A criação faz, ainda, referência às linhas de comboio e ao fadista António Menano. Gouveia recebe os espetáculos nos dias 4 e 5 de setembro. Depois, é a vez de Fornos de Algodres, nos dias 9 de 10 de setembro. A 11 de setembro, o espetáculo regressa a
Nelas. A digressão termina em Mangualde que acolhe o espetáculo no dia 17 de setembro. Todos os espetáculos decorrem ao livre e estão marcados para as 21h30.

Dinamizar o interior do país com atividades culturais distintivas e com uma forte ligação aos territórios é a missão desta iniciativa que quer também aproximar a cultura das suas comunidades. Serão eles os protagonistas. Os espetáculos resultam de um conjunto de capacitações, ondem puderam aprender as bases da modalidade e aplicá-la às artes. Na verdade, um dos pilares desta iniciativa passa pelo intercâmbio cultural entre os vários territórios que têm aqui uma oportunidade de trocar experiências, mas também de desenvolver um sentimento de pertença pela sua terra.

Recorde-se que o projeto “Alto Mondego’ Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.