Templates by BIGtheme NET
Início » Seia (Pagina 10)

Seia

Estado de Emergência prolonga-se até dia 1 de março

Depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter sugerido, a Assembleia da República também aprovou a renovação do Estado de Emergência  até ao dia 1 de março, com algumas novidades.

Segundo o Presidente da República, a meta vai ser a Páscoa para  tudo possa melhorar e não piorar, assim espera que nessa altura haja uma redução drástica de casos.

Deste modo, o livros  vão poder ser comercializados , outra das normas é a redução de ruídos, uma vez que está muita gente em teletrabalho durante o dia.

Este novo modelo entra em vigor às 00h00 do dia 15 de fevereiro.

Feira do Queijo em Seia 2021 em modo digital com apoio do Dott e CTT

Por altura do Carnaval , é tempo de festa,  folia e animação por toda a região , mas este ano devido à pandemia tudo vai ser diferente. Deste modo ,em Seia , a Feira do Queijo é já uma imagem de marca, pois se realiza por esta altura há 43 anos, este ano surge com um novo formato, pela via digital.

Organizada pelo Município de Seia, o certame deste ano tem como parceiro o Dott, o maior shopping online de Portugal, e os CTT, responsáveis pelo processo de logística e distribuição.

A feira digital decorre pelo período de 15 dias, com início a 13 e término a 28 de fevereiro, com a autarquia a assegurar todas as despesas inerentes à operacionalização do evento, desde a comercialização na plataforma, ao acondicionamento dos produtos, e aos portes, que serão gratuitos para quem compra.

Portanto, uma oportunidade única para o país degustar os produtos típicos de Seia, como o são o afamado queijo de ovelha, o Queijo Serra da Estrela DOP, os enchidos serranos, o vinho sub-região da serra da Estrela, mas também o mel de urze, os licores, a broa e o Bolo Negro de Loriga.

Por sua vez, o autarca senense, Filipe Camelo, encara a iniciativa como uma oportunidade de continuar a afirmar um certame já consolidado no calendário da região, que paulatinamente tem crescido, em qualidade e no público. Apesar de reconhecer ser muito diferente do evento físico, em especial pela singularidade do programa de animação que habitualmente acompanha a feira (demonstrações ao vivo da feitura do queijo, enchido, confeção de pratos típicos, ordenha da ovelha e da própria animação promovida pelas associações locais), o autarca destaca que esta é a única ferramenta para apoiar as empresas e os clientes, nesta nova circunstância que vivemos, possibilitando aos produtores escoar os seus produtos, criando condições para que os consumidores os possam adquirir a partir de casa. Assim, porque este ano não é possível vir à serra da Estrela, Seia vai ao encontro dos portugueses.

Os CTT são os responsáveis pelo processo de logística e distribuição dos produtos, em linha com a consciência que têm do papel crítico que desempenham na manutenção de cadeias de comunicação e logística vitais para a economia e a sociedade portuguesa, papel reforçado no atual contexto, apoiando também as empresas na presença nos canais digitais através das suas soluções e serviços.

O Dott é o maior shopping online de Portugal. Feito de portugueses para os portugueses, está, mais que nunca, empenhado em apoiar a digitalização das empresas portuguesas. Para tal, conta com uma equipa dedicada em ajudar as empresas a vender online o mais rapidamente possível e, em simultâneo, oferecer aos portugueses as marcas que mais gostam numa experiência de compra única, segura, cómoda e confiável.

GNR Guarda- Atividade diária em Seia

O Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Seia, identificou um homem de 41 anos e apreendeu armas no âmbito de um processo por violência doméstica, em Seia.

No âmbito de uma investigação por violência doméstica, os militares da Guarda apuraram que o suspeito havia infligindo maus-tratos verbais e psicológicos contra a vítima, sua mulher de 29 anos. Após as diligências policiais, foi dado cumprimento a um mandado de busca domiciliária que culminou na apreensão de duas armas de ar comprimido como medida cautelar.

O suspeito foi constituído arguido, e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Seia.

Feiras de Queijo, Fumeiro e Enchidos em força nas plataformas digitais

Municípios da CIM-BSE apostam forte nas feiras online e plataformas digitais com maior duração

Em ano de pandemia os municípios das Beiras e Serra da Estrela, com o apoio da Comunidade Intermunicipal (CIM-BSE), reinventam-se. As emblemáticas feiras do Queijo da Serra vão realizar-se em formato digital e, em alguns casos, com uma duração mais alargada do que o habitual. Confirmadas estão já as feiras de Seia, Gouveia, Celorico da Beira e Fornos de Algodres. Na impossibilidade de se realizarem os eventos físicos, com estas feiras digitais, mais de 100 produtores, incluindo produtores de Queijo da Serra da Estrela, vão conseguir vender o seu produto.  O queijo da Serra está assim à distância de um clique.

Este ano as Feiras do Queijo da Serra da Estrela não vão ser canceladas e decorrem 100% em formato digital. É o caso do Município de Seia que estreia a temporada das Feiras do Queijo da Serra da Estrela online através da plataforma DOTT, entre os dias 13 a 28 de fevereiro.

A partir do dia 20 de fevereiro e até 21 de agosto, o Município de Gouveia realiza digitalmente a tradicional Exposerra – Feira de Atividades Económicas da Serra da Estrela que contará com um mercado virtual na DOTT de Queijos da Serra da Estrela.

Também o Município de Celorico da Beira estreia a sua Feira do Queijo Digital entre os dias 28 de fevereiro e 28 de março e fará promoção da loja online que, nesta fase, será dedicada em exclusivo ao Queijo, mas irá evoluir no futuro para a promoção de outros produtos endógenos. Esta Feira Digital terá uma programação diversificada com eventos digitais de showcooking, workshops, conversas online com chefs, entre outras iniciativas.

Já o Município de Fornos de Algodres, ao longo de todo o mês de março, irá dar destaque aos Queijos DOP Serra da Estrela através da plataforma O Bom Sabor da Serra.

De referir que o Município de Trancoso irá dar destaque ao Queijo da Serra da Estrela na Feira online do Fumeiro dos Sabores e Artesanato do Nordeste da Beira, que se realiza digitalmente no último fim de semana de fevereiro (27 e 28) e no primeiro fim de semana de março (6 e 7).

O consumidor poderá aceder ao site Visite Serra da Estrela e encontrar toda a informação sobre as Feiras do Queijo Serra da Estrela que se realizam online. Basta aceder, clicar e adquirir o sabor inconfundível da tradição.

BASTA UM CLIQUE E TEM A “SERRA À SUA PORTA”

 Além dos Queijos Serra da Estrela que contam com as respetivas Feiras Digitais, é também possível comprar outros produtos endógenos e identitários do Território. Se não pode visitar a Serra, é a Serra que vem até si. E, pela primeira vez, há um único sítio onde encontra, sem sair de casa, os sabores únicos da Serra da Estrela. Numa iniciativa da CIM-BSE, em estreita articulação com os Municípios que a compõem, acaba de ser lançada a iniciativa “A Serra à sua Porta” onde é possível encontrar as várias plataformas de venda online de produtos do território, como Azeites de Montanha, Vinhos do Douro, Dão e Beira Interior, fumeiro e enchidos assim como mel, compotas e doces.

Com esta iniciativa “A Serra à sua Porta” queremos estar mais próximos dos produtores e das suas necessidades e assim facilitar o contacto direto, ainda que confinado, com os sabores e os saberes do território.

A “A Serra à sua Porta” chega também às redes sociais. Numa ação de deixar água na boca, as páginas do facebook e instagram vão dar a conhecer os melhores sabores da Serra da Estrela, nas próximas semanas.

Conselho de Administração da ADRUSE vai ser presidido por Carlos Ascensão, autarca celoricense

Assim para o biénio 2021/22, Carlos Ascensão, Presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira,  foi eleito como Presidente do Conselho de Administração da ADRUSE . 
Fazem parte do órgão Conselho de Administração, a Câmara Municipal de Fornos de Algodres, a Associação de Artesãos da Serra da Estrela, a Associação de Beneficência Popular de Gouveia e a Associação de Promoção Social, Cultural e Desportiva de Fornos de Algodres.

Assim aqui ficam as primeiras palavras do novo presidente que :” Este é mais um desafio, numa tarefa exigente e difícil. Procurarei, como sempre, em trabalho de equipa e com a ajuda de todos, dar o melhor de mim em prol do território que abarca estes nossos cinco concelhos entroncados na Serra da Estrela.

Fica o compromisso: jamais me eximirei às responsabilidades assumidas“.


A ADRUSE – Associação de Desenvolvimento Rural da Serra da Estrela , constituída em 3 de maio de 1991, é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos e de utilidade pública que tem por objeto social a promoção, apoio e realização de um aproveitamento mais racional das potencialidades endógenas dos concelhos que integram a sua área de atuação, por sua iniciativa ou em colaboração com organismos ou serviços oficiais ou privados, nacionais, estrangeiros ou internacionais, tendo em vista o desenvolvimento rural e a melhoria das condições de vida das populações

Covid-19- Área de abrangência da ULS Guarda tem 3606 casos ativos

Situação a melhorar aos poucos

Após mais um mapa epidemiológico até ao dia 5 de fevereiro, assim na área de abrangência da ULS Guarda, verificamos neste período 403 casos, estando agora ativos 3606, recuperaram 632 pessoas, num total global de 11102 infetados, 265 óbitos e 7230 recuperados.

Desta forma a Guarda tem agora 883 ativos, Seia com 642, seguidos do Sabugal com 366, Almeida com 295, depois Pinhel com 248, Gouveia com 220,Trancoso com 191, já as localidades com menos casos são Manteigas com 41, Celorico com 110 e Fornos com 126.

Por sua vez , aconteceram neste período 21 óbitos.

Setor da Saúde: Quase 800 reclamações em janeiro

Janeiro passado, mês em que Portugal voltou a um confinamento geral devido ao agravamento da situação pandémica no país, foi o pior mês de sempre relativamente às queixas apresentadas pelos portugueses na área da Saúde. Um estudo do Portal da Queixa revela que foram registadas quase 800 reclamações, naquela que foi a maior média diária de queixas dirigidas ao setor da Saúde, cerca de 25 por dia. O SNS é o maior foco das reclamações e a impossibilidade de ser atendido por um médico é a principal queixa dos portugueses.

De acordo com o estudo analítico desenvolvido pela equipa do Portal da Queixa, entre os dias 1 e 31 de janeiro de 2021, foram registadas na plataforma 787 reclamações. O pior mês que há registo e um recorde em termos de reclamações diárias dirigidas ao setor da Saúde, uma média de 25 por dia. Comparativamente com o período homólogo (janeiro de 2020) – com 455 queixas registadas -, verificou-se um aumento de 73% do número de reclamações, facto que evidencia todas as dificuldades que o setor enfrenta para dar resposta à pandemia de COVID-19.

Relativamente ao TOP 5 das entidades com o maior número de reclamações recebidas, a análise revela que, em janeiro último, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) liderou o foco das queixas (com 186 reclamações registadas no Portal da Queixa). Seguem-se os Hospitais e Centros de Saúde (142), em terceiro os Planos e Seguros de Saúde (135), em quarto os Grupos Privados de Saúde (115) e em quinto, as Farmácias (74).

Entidades foco do maior número de reclamações em janeiro:

Entidades Reclamações
Serviço Nacional de Saúde 186
Hospitais e Centros de Saúde 142
Planos e Seguros de saúde 135
Grupos de Saúde Privados 115
Farmácias 74
Clínicas médicas 29
Laboratórios e analises clínicas 28
Equipamentos e materiais de Saúde 27
Clínicas dentárias 21
Outras 30

Principais motivos de reclamação:

Segundo a análise feita pela maior plataforma de comunicação entre consumidores e marcas do país, as reclamações recebidas espelham, sobretudo, a falta de acompanhamento que os doentes precisam e a preocupação em não conseguir atendimento médico, seja presencial ou por teleconsulta. A “impossibilidade de ser atendido por um médico” é o principal motivo de reclamação, gerando 36% das queixas dirigidas ao setor da Saúde. A “falta de atendimento telefónico” é a segunda causa mais apontada pelos consumidores, perfazendo 34.4% das queixas.

Casos denunciados no Portal da Queixa

A atestar a insatisfação dos portugueses, estão alguns dos casos partilhados no Portal da Queixa em janeiro passado. Carla Amoreira, uma doente que acusou teste positivo para a COVID-19, denunciou na sua reclamação: “ninguém me quis avaliar nos serviços COVID e urgência USLCB”. 

Outra consumidora, Paula Teixeira, reclama ter estado mais de doze horas à espera de uma consulta COVID-19: “Já há 12h30m à espera nas urgências covid-19, tendo vindo a mando da médica da consulta Covid-19 e SNS 24. Não opção própria”. Por seu turno, Inês Almeida, reporta a falta de atendimento telefónico: “Não atendem e chegam a rejeitar chamadas”.

O consumidor e utente António Santos, alerta na sua reclamação para eventuais altas forçadas em doentes com COVID-19: “Alta forçada aos doentes covid apesar de testarem positivos e irem para o lar”.

 

De referir que, em 2020, o total de reclamações dirigidas ao setor da saúde foi de 7.277, um aumento de 80% face a 2019.

 

Covid-19- Área de abrangência da ULS Guarda tem 3856 casos ativos

Após mais um mapa epidemiológico até ao dia 1 de fevereiro, assim na área de abrangência da ULS Guarda, verificamos neste período 1171 casos, estando agora ativos 3856, recuperaram 1177 pessoas.

Desta forma a Guarda tem agora 963 ativos, Seia com 640, seguidos do Sabugal com 335, Almeida com 296, depois Pinhel com 269, Trancoso com 268, Gouveia com 219, já as localidades com menos casos são Manteigas com 33, Celorico com 144 e Fornos com 156.

Por sua vez , aconteceram neste período 26 óbitos.

Covid-19 -Programa Apoiar /Medida Apoiar + Simples para as empresas

Neste tempo de pandemia à necessidade de apoiar financeiramente as empresas afetadas, deste modo, o Governo aprovou ao abrigo do Programa APOIAR, a Medida Apoiar + Simples, tendo em vista preservar a continuidade da atividade económica e do emprego.

Podem candidatar-se à Media Apoiar + Simples, os empresários em nome individual (ENI), sem contabilidade organizada, com trabalhadores a cargo, nos setores abrangidos pelo Programa APOIAR. As candidaturas decorrem de 28 de janeiro de 2021 até ao esgotamento da dotação e o apoio a conceder equivale a 20% do montante da diminuição de faturação da empresa, até ao limite máximo de 4.000€.

Para apresentação de candidaturas, consulte o Aviso n.º 01/SI/2021, de 28 de janeiro.

Candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”aprovada

Cultura como um fator diferenciador da atratividade e competitividade do nosso território”

Recentemente a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, viu aprovada a  candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”, submetida ao fundo extraordinário “Programação Cultural em Rede”, no âmbito do PO Centro 2020, com um valor de trezentos mil euros.

Com esta candidatura, a CIM Viseu Dão Lafões pretende dar continuidade ao investimento na cultura que tem preconizado nos últimos anos e cuja atividade tem sido fortemente limitada fruto da pandemia COVID-19.

O projeto “Programação Cultural em Rede” visa articular em todo território, no decurso do ano de 2021, uma programação cultural que permita, não só, a valorização dos recursos patrimoniais e museológicos regionais, mas também, apoiar os agentes culturais e turísticos locais, apostando numa agenda cultural rica e diversificada.

Este projeto pretende dar continuidade à rede cultural de cooperação intermunicipal que a CIM Viseu Dão Lafões tem vindo a dinamizar, em parceria com os catorze municípios do território, e que tem permitido, não só, promover a itinerância de conteúdos artísticos, como tem contribuído para o desenvolvimento de um produto cultural regional de características únicas.

Essas manifestações culturais assentarão, maioritariamente, em propostas culturais apresentadas por agentes culturais e na dinâmica patrimonial e artístico-cultural da região.

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, “A CIM Viseu Dão Lafões sempre entendeu a cultura como um fator diferenciador da atratividade e competitividade do nosso território. Atendendo à pandemia COVID-19, vimo-nos na contingência de reformular estratégias e a programação com vista a responder às necessidades dos agentes culturais, populações e operadores turísticos, tendo, neste contexto, surgido a candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”. Esta iniciativa é assim, também, uma mensagem de confiança que queremos deixar a todas as Instituições da nossa região e a todos os profissionais que têm sofrido fortemente com esta pandemia”. “No âmbito da CIM foi ainda, possível, concertar uma estratégia intermunicipal que permitiu, através da agregação de agrupamentos de municípios, aprovar candidaturas, com diversas geometrias geográficas, reforçando a oferta e a complementaridade dos eventos no território. No total, este conjunto de ações representam um investimento no território de aproximadamente 1.2M€”, concluiu o Secretário Executivo.