Templates by BIGtheme NET
Início » Vila Franca das Naves (Pagina 10)

Vila Franca das Naves

Eleições AF Guarda- Paulo Caetano candidato ao Conselho Fiscal da lista de Artur Batista

A lista de Artur Batista continua a ser apresentada e assim apresentou os elementos para o conselho fiscal, com Paulo Caetano para Presidente, António Fonte para secretário-relator e Nuno Lopes para o cargo de vogal.

Assim fica apresentada a lista que vai a sufrágio com Amadeu Poço no próximo dia 4 de julho.

Eleições-AF Guarda-Amadeu Poço envia mensagem sobre sua candidatura

“Servir sem se Servir” 

Como adiantamos, esta semana, Amadeu Poço vai mesmo ser candidato a novo mandato à direção da AF Guarda, face a isso, chegou-nos uma mensagem do candidato para todos os associados desta instituição:

“Tenho a noção que com os conhecimentos adquiridos na área da gestão desportiva porque apenas de desporto estamos a falar conseguirei guiar os meus colegas de direcção para no futuro poderem continuar a dar passos seguros já que este será o meu último mandato. Procurei um misto de experiência com novos membros a
acompanhar-me. Procurei ser criterioso na escolha em vez de juntar um grupo de amigos que se queiram apenas promover. No fundo que tenham um passado que justifique um futuro digno para a Associação. É que estamos numa fase em que o conhecimento é o bom relacionamento com quem está na Federação é importante.
Não podia pois abandonar o barco numa fase em que vai necessária muita disponibilidade para resolver o que resultou da pandemia e por outro lado há que avançar com o projeto a ser apoiado para a construção da Academia do Futebol distrital.
Julgo que os anos em que estive na AFG ficaram marcados por uma melhor convivência com os clubes já que sempre estiveram à vontade para comigo trocar impressões.
Foram melhoradas as instalações da Sede com o apoio da FPF, adquiriram-se viaturas e foi ainda construído um pequeno auditório que reconheço carece de melhorias. Ao longo da minha presidência chegámos a vencer um Torneio Inter-Associações de Futebol Feminino onde ainda conseguimos mais 2 segundos lugares e 3 terceiros. É
certo que neste sector os últimos anos não foram o que desejávamos, mas teremos que voltar a recuperar o nosso espaço. Também no sector masculino tivemos boas participações tanto no futebol como no Futsal.
Em relação aos meus adversários, para mim é irrelevante a pessoa ou pessoas que estejam noutras listas. Estou concentrado no projeto que tenho e na confiança naqueles que me acompanham. A minha lista está completa e irá brevemente ser apresentada e será somente para servir os seus associados”

Eleições AF Guarda-Amadeu Poço recandidata-se a novo quadriénio

Luís Tadeu, Hugo Fernandes, Alfredo Daniel Soares, José Sarmento, Francisco Filipe seguem ao lado de Amadeu Poço

As listas para a corrida à AF Guarda vão-se organizando e assim como tínhamos noticiado anteriormente, Amadeu Poço , atual presidente da instituição volta a recandidatar-se para novo mandato.

Desta forma, o atual líder  associativo, que ao longo dos anos tem procurado desenvolver o futebol distrital da Guarda, também esteve recentemente na direção da FPF, fazendo com que se realizassem alguns torneios internacionais de seleções no distrito da Guarda, a Fase final da Taça das Regiões também aconteceu na Guarda.

Assim Amadeu Poço, segundo conseguimos apurar tem já a sua lista completa, que apenas irá ser divulgada no momento certo, assim na sua página, o líder associativo, refere que serão candidatos para o próximo quadriénio, e que mantêm quem lhes dá garantias de se servir sem se servir com assiduidade e competência, saliente que existiram mudanças na equipa no sentido de melhorar o trabalho que se comprometem.

Agora segundo apurámos, estamos em condições de adiantar já alguns nomes que fazem parte da lista de Amadeu Poço que encabeça a direção, depois será candidato à presidência da Assembleia Geral, Luís Tadeu ;no Conselho de Justiça será Francisco Filipe; no Conselho de Disciplina será José Sarmento; no Conselho Fiscal será Hugo Fernandes, por fim, no Conselho de Arbitragem vai estar Alfredo Daniel Soares.

Algumas mexidas foram efetuadas em relação à atual direção, em breve, apresentaremos a lista completa e o seu programa.

Eleições AF Guarda-Conversa com Luís Brás , Mandatário da lista de Artur Batista

“Responsabilidade e visão de futuro”

Com o desenrolar das eleições da AF Guarda, a apresentação dos candidatos continua e por parte da lista de Artur Batista, candidato à AF Guarda, fomos conversar com o seu Mandatário Luis Brás (ex árbitro e ex diretor da AF Guarda e atual árbitro de Direito no Tribunal Arbitral do Desporto).

Magazine Serrano-A Covid-19 veio estagnar o Mundo e o futebol também saiu muito prejudicado vamos ter eleições na Federação, preocupa-o não haver ninguém da Guarda na lista de Fernando Gomes?

Luís Brás-Ninguém pode desmentir o impacto profundo que a vivência desta pandemia teve, tem e terá na vida de cada um de nós, e na convivência de todo enquanto sociedade.

O futebol não é uma realidade paralela; não é algo à parte e imune a isto tudo. Pelo contrário é mais um setor, muito permeável, que vive e convive com múltiplas consequências dessa mesma realidade.

É indiscutível reconhecer o imenso mérito da gestão da direção da FPF, na pessoa do Dr. Fernando Gomes. Centremo-nos na pandemia. A paragem e a desaceleração foi brutal. No futebol? Sem dúvida. Do topo da pirâmide até à base.

Todos os agentes desportivos, em todos os escalões e modalidades saíram prejudicados.

A FPF e as associações vão estudando e fazendo o que podem para colmatar perdas e prejuízos. Esta é uma realidade à qual urge dar resposta. Além disso será reposta uma parcela monetária dos seguros pelo fim prematuro das competições e que será devolvido aos clubes.

Tocando agora na pergunta. A verdade é que não é normal uma Associação de Futebol não estar representada nos órgãos federativos. Essas consequências aplicam-se quanto menor for a respetiva associação.

E o peso de interioridade também conta. E agrava.

Ainda mais quando no anterior mandato tínhamos um suplente na direção, Amadeu Poço, e agora foi preterido e nem sequer mais ninguém foi convidado.

Se verificarmos algumas associações aqui mesmo ao lado, como Viseu, Castelo Branco e Vila Real verificamos que têm representantes nos órgãos sociais da FPF.

Deixa-nos a pensar nos motivos de a nossa associação ter sido preterida…

 Depois de ser árbitro, boas prestações no campo do dirigismo da arbitragem a nível distrital e nacional, o porque de ser agora mandatário na lista de Artur Batista?

Participar em todas essas realidades dotou-me de uma visão integral e integrante. Conhecimento é sempre uma mais-valia na resposta a uma realidade desafiante. Cada vez mais desafiante, diga-se.

Lançaram-me o repto. A resposta não podia ser outra senão a de responder com entusiasmo, vontade, garra e lealdade à minha casa-mãe. Fui convidado por ambos para os órgãos sociais, e para vários órgãos, mas não aceitei por ser delegado da Assembleia Geral da FPF como representante dos árbitros nos próximos quatro anos e ser árbitro de Direito no Tribunal Arbitral do Desporto, sendo o único egitaniense nesse órgão jurisdicional.

A decisão não deixou de ser difícil e devidamente ponderada. Trabalhei com orgulho com ambos como árbitro, Presidente do Conselho de Arbitragem da AF Guarda e recentemente como diretor da direção da AF Guarda.

A decisão tomada prende-se por detalhes. Deve-se a uma questão particular. Em qual mais sinto garra e em qual mais acredito. Repito. São meros detalhes.

Nestes detalhes acredito mais na equipa de trabalho liderada pelo Artur Batista, mas sobretudo e principalmente por acreditar mais na lista para o Conselho de Arbitragem liderada pelo Fábio Cardoso.

Sem trabalho árduo de um conselho de arbitragem distrital não é possível continuarmos no rumo certo. Não são as amizades que são a solução.

Acredito que esta equipa seja capaz de melhorar a nossa associação e quiçá lançar bases que permitam aos egitanienses sonhar e atingir metas como sucede na arbitragem e que não permitam suceder novamente a falta de representatividade na FPF.

Digo aqui publicamente que fui convidado pelo Artur Batista para ser assessor da direção e ser um elo de ligação entre a AF Guarda e outras instituições, incluindo a FPF.

Naturalmente, continuarei a ajudar este e só este Conselho de Arbitragem da AF Guarda e colaborarei com os nossos árbitros pois estou certo que eles estão connosco.

 

Fábio Cardoso, um Ex-Árbitro que conhece bem é candidato a liderar a arbitragem da Guarda?

Foi uma peça fundamental na minha decisão, de apoiar uma ou outra candidatura. Acredito, tal como acreditei há 4 anos, que continuará a trabalhar para dignificar a nossa associação quer a nível distrital quer a nível nacional.

A arbitragem da AF Guarda é vista, hoje em dia, a nível nacional como uma associação competente e com grandes talentos e não é por acaso que ultimamente verificamos as nomeações da Liga NOS onde constantemente estão a ser nomeados os nossos árbitros.

Além disso caras novas que recentemente saíram da arbitragem, como os casos de Mónica Xavier, Sérgio Pires e Bruno Alexandre certamente serão uma mais-valia na experiência e na partilha de tarefas no seio do Conselho de Arbitragem.

A grande surpresa é a inclusão do Rui Sequeira, mas quem o conhece não se espanta. Uma pessoa de trato irrepreensível e que é muito admirado no seio da arbitragem. Estou certo que é uma aposta certa e que trará outra visão que conduzirá frutos ao setor.

Estou certo que este novo conselho de arbitragem continue o trilhar o sucesso dos últimos anos.

É notório, o avanço e o desenvolvimento da arbitragem da AF Guarda nos últimos anos, aliás onde pertenceu também?

Sou suspeito ao responder a esta pergunta. Mas digo-vos que é e será sempre um orgulho ter contribuído para isso e ver o atual estado da arbitragem egitaniense nos últimos anos.

Sem tirar mérito aos meus anteriores sucessores, como foi o Dr. Relvas, José Alves e Daniel Soares, não existe comparação entre as diferentes realidades.

Mais de 70% dos árbitros egitanienses tem menos de 6/7 anos e temos mais de 20 árbitros e observadores a representar a nossa associação a nível nacional e inclusive temos um árbitro assistente internacional, situação histórica na nossa associação.

Hoje muitos são os que honram o distrito da Guarda a representa-lo nas Ligas Nacionais?

Sim, e isso demonstra o grande crescimento da arbitragem egitaniense. Por isso é importante continuar a trilhar o caminho do sucesso e nada como contar com a experiência já adquirida pelo Fábio Cardoso nos últimos 4 anos e com a possibilidade de ser ajudado por pessoas de reconhecido valor na arbitragem egitaniense e no seu meio.

Um futuro promissor da arbitragem da AF Guarda?

Recentemente tivemos muitos árbitros jovens nos encontros de árbitros da APAF. Tivemos inclusive um evento que foi organizado em Vila Nova de Foz Côa, no Centro do Alto Rendimento do Pocinho. Facto histórico. Arbitragem não se faz só de litoral, também se faz das competências e do bem receber das gentes do interior.

Aqui também sinal que as estruturas nacionais já olham para a Guarda, tanto na arbitragem, como no nível organizativo. Estes são eventos que juntam mais de 100 árbitros jovens de todo o país.

Fruto de a AF Guarda ter árbitros jovens e com muita qualidade demonstrada tivemos árbitros jovens em finais da Taça de Portugal no Jamor, entre outras finais.

Temos jovens valores na arbitragem egitanienses e que trabalhando com humildade e seriedade chegarão longe. Mas é importante que os clubes votem na continuidade do setor da arbitragem para assim ser possível continuarmos a caminhar para o sucesso.

 Que mensagem deixa a todos nesta fase de eleições?

Responsabilidade, visão de futuro, proteção do que é de todos. Muito para lá do que nos divide, sobretudo o orgulho e amor à nossa região.

Existindo duas listas é importante que se respeitem, que não existam falsas promessas e que impere o fair-play em todo o processo. Que se respeitem a si mesmos, ao seu passado, mas sobretudo àquela instituição à qual dedicamos “sangue, suor e lágrimas”: a AF Guarda.

A dignificação desta instituição está muito para lá de qualquer pessoa.

Naturalmente por ser mandatário da Lista do Artur Batista desejo que mereça a confiança dos clubes. Estou certo que assim será.

Esta lista promete trabalho e tentar elevar a AF Guarda aos patamares que a arbitragem egitaniense chegou.

Sabe quem será o outro candidato a presidente do CA da AFG?

Pelo conhecimento que tenho a outra lista terá como candidato a Presidente do Conselho de Arbitragem o Sr. Daniel Soares o qual não me revejo nas qualidades de dirigente de arbitragem e estou certo que a maioria (para não dizer todos) dos clubes e árbitros têm a mesma opinião e não querem voltar a ver a arbitragem regredir e regressar ao que era antes de eu assumir a presidência do Conselho de Arbitragem da A.F. Guarda.

Para finalizar esta conversa que deseja acrescentar?

Foi criada uma página do facebook com o lema da candidatura “ 14 concelhos, 1 distritos, 1 associação” onde apresentamos todos os nossos elementos candidatos aos órgãos sociais e brevemente serão anunciados os objetivos desta candidatura para que seja um processo claro sem esconder nada.

Estamos em reuniões com todos os clubes para lhes apresentar o nosso projeto.

 

Eleições AFGuarda- Ricardo A.Nunes e Jacinto Dias candidatos ao Conselho de Justiça e Disciplina

A lista de Artur Batista continua a apresentar o seu elenco, assim no Conselho de Justiça vai ser candidato Ricardo Avelãs Nunes, atual Presidente dos BV Pinhelenses e seguido de Patricia Martins e Vanessa Tenreiro.

Por sua vez, no Conselho de disciplina vai ser candidato a presidente Jacinto Dias, seguido de João Rodrigues, Francisco Vaz, Vitor Henriques e Augusto Massano .

Pelo lado de Amadeu Poço, ainda continua por ser apresentada a sua lista.

Concurso de empreendedorismo nas escolas em edição digital pela CIMBSE

O Concurso Supramunicipal de Ideias de Negócio “THE FUTURE IS YOU” – 1ª Edição | Digital iniciou no passado mês de maio.

Esta iniciativa, promovida pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, insere-se no âmbito do Projeto “ATUA!”, projeto educativo de desenvolvimento de competências empreendedoras, cujo principal objetivo visa comprometer e envolver os jovens com a sua Região, empoderando-os com a capacidade de detetar oportunidades para criar respostas inovadoras e sustentáveis, que favoreçam a sua comunidade e valorizem o seu património.

Esta iniciativa insere-se no Projeto de Combate ao Insucesso Escolar, financiado pela União Europeia ao abrigo do Centro 2020. Apesar das condições inéditas que atualmente são vividas, decorrentes da situação de pandemia provocada pela Covid-19, tem sido exemplar a rápida e capaz adaptação de professores e alunos a novos contextos e a participação no “The Future Is You”, fazendo jus à expressão “difícil é diferente de impossível”. Com efeito, esta 1ª edição de Concurso 100% digital dá-nos a conhecer jovens resilientes, determinados a abraçar desafios e a mostrar que mesmo perante as adversidades é possível ser-se empreendedor e concretizar ideias que os prepare para um futuro tão ou mais desafiante do que atualmente o conhecem.

São exemplo disso mesmo 48 alunos e 15 professores, provenientes de diversos Municípios, os quais têm vindo a preparar-se para dar a conhecer 28 ideias de negócio já no próximo dia 16 de junho.

Este apoio e estímulo à educação para o empreendedorismo, na forma de Concurso de Ideias de Negócio digital, já possibilitou aos participantes a interação com diversos empreendedores, desde Serial Entrepreneurs, passando por Designers de negócios e Mentores de programas de aceleração de start-ups a Gestores de projetos e Especialistas em Marketing Digital, Social Networking, Digital Strategist e permitiu o desenvolvimento e estruturação das suas ideias de negócio.

Segundo a aluna Cláudia Monteiro, está a ser uma experiência incrível. “É uma aprendizagem imersiva que nos faz acreditar ainda mais num dos valores mais importantes da vida: a amizade. Passamos horas a discutir ideias, a trabalhar nas mesmas, a aprender com a equipa incrível que está por detrás deste projeto.”

Miguel Hortelão reforça Vila Cortez em 2020/21

Depois de uma temporada positiva a defender as cores do Vila Franca das Naves, Miguel Hortelão, defesa central vai reforçar a turma de Rui Nascimento, o Vila Cortez, a equipa mais representativa do Concelho da Guarda.

Assim , o Vila Cortez vai modelando o seu plantel para atacar os lugares da frente na nova temporada.

foto:VC

Carlos Condesso apresenta candidatura à Distrital da Guarda do PSD

Terá lugar na sede do PSD Guarda, a apresentação da candidatura de Carlos Condesso à liderança da Distrital da Guarda do PSD, nesta segunda -feira.

Neste dia , serão divulgados também  os candidatos a presidentes dos restantes órgãos distritais (Mesa da Assembleia Distrital, Conselho de Jurisdição Distrital e Comissão Distrital de Auditoria Financeira), bem como os Vice-Presidentes, Secretário Distrital e Tesoureiro.

Novo projeto do Escape Livre estimula economia através do TT

As condicionantes da atualidade não permitem a realização das habituais aventuras com grandes grupos. Mas porque todos merecem uma pausa em natureza, é tempo para uma aventura com toda a segurança e exclusividade. Tempo de voltar a ser feliz. Tempo de conexão e de voltar a sentir a liberdade. Em julho e agosto, o Clube Escape Livre avança para uma novidade: aventuras de todo terreno turístico e lazer, com duração de dois dias, de cariz mais intimista e familiar e com limite de 18 pessoas por passeio. Está lançado o projeto “Nos Caminhos das Gravuras Rupestres”. A apresentação do projeto decorreu esta manhã, no Museu do Côa.

A área de influência do Escape Livre estabelece-se desde a serra da Estrela ao Douro, passando pelas Aldeias Históricas, e será neste âmbito que esta nova ação será desenvolvida, embora por fases. O objetivo é voltar a proporcionar experiências e descobertas que foram travadas nos últimos meses pela pandemia por Covid-19. Cumprindo agora todas as medidas de segurança, higienização e distanciamento, o Clube Escape Livre oferece a oportunidade de voltar a desfrutar de todo património natural, paisagístico, histórico e cultural que a região da Guarda oferece.

Nesta fase piloto, o tema das gravuras do Côa foi o escolhido para proporcionar dois dias de descoberta, com um programa que parte do Longroiva Hotel & Termal SPA (onde também decorre o alojamento), e contempla os trilhos todo terreno, a visita à Adega e Quinta Vale d’Aldeia, e chegada à Canada do Inferno. Segue-se um percurso por caiaque, pelo leito tranquilo do rio Côa até ao núcleo de arte rupestre do Fariseu, e com observação da mais recente gravura encontrada, em abril, que se estima ser a maior do mundo dentro do seu género ao ar livre. O almoço com vista para o Douro no Museu do Côa e a visita à Quinta da Ervamoira completam o programa.

História, paisagem, vinhos e gastronomia podem, assim, ser descobertos por pequenos grupos de pessoas, preferencialmente famílias, cumprindo todas as regras em vigor no âmbito da atual pandemia, e para as quais também o setor da hotelaria e restauração está preparado.
Para além disso, tratam-se de eventos que, desenvolvidos maioritariamente ao ar livre ou dentro de cada viatura, permitem desfrutar de todas as características da região com toda a segurança e à-vontade.

A apresentação do projeto decorreu no Museu do Côa, um dos parceiros, e contou com a presença de Isabel Ferreira, Secretária de Estado da Valorização do Interior, em representação da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa. Estiveram também presentes os presidentes
de Câmara da Mêda, Anselmo Sousa, e de Vila Nova de Foz Côa, Gustavo Duarte.

Na ocasião, a governante realçou que “A valorização começa com os atores locais e com os autarcas que têm um papel muto importante nestes territórios e depois com todas as dinâmicas que se instalam no Interior”. Isabel Ferreira parabenizou os parceiros do projeto e afirmou que “O que temos aqui hoje com o Escape Livre configura os quatro eixos centrais do Programa de Valorização do Interior (do Governo), que começa precisamente com a valorização dos recursos endógenos”.

Bruno Navarro, presidente da Fundação Côa Parque, considera: “É um projeto que saudamos.
Em boa hora o Escape Livre teve esta ideia que adotámos imediatamente, porque ela está perfeitamente alinhada com a nossa estratégia para o território. Os nossos recursos endógenos são divulgados a partir desse projeto que desenvolvemos em parceria com o Clube Escape Livre e acho que está condenado ao sucesso, porque junta duas instituições, a Fundação Côa Parque com uma dimensão nacional e internacional, e o Escape Livre, com um histórico de colaboração e presença no território verdadeiramente notável e que nos dá todas as garantias que será um evento de altíssimo nível, e é isso que queremos oferecer aos nossos visitantes”.

Para Luis Celínio, presidente do Clube Escape Livre, “Depois destes meses de confinamento, uma vez encontrada a abertura legal que permite o regresso a alguma normalidade, as pessoas merecem voltar a sentir a sensação de liberdade e anseiam desfrutar de algumas alegrias e prazeres da vida, e este evento permite faze-lo com as atuais medidas de segurança sanitária. Na ótica da economia, é urgente voltar a apostar na divulgação da região, a dinamizar o turismo e reativar o mercado. Por isso, o Clube Escape Livre quer continuar a apostar no que melhor sabe fazer que é a organização de eventos que conduzam os aventureiros a estas experiências magníficas, com a garantia que são cumpridas todas as
normas exigidas pelas autoridades, e também pelo selo Clean &Safe, recebido recentemente do Turismo de Portugal.”

Os passeios “Nos Caminhos das Gravuras Rupestres” decorrem nos dias 20/21, 22/23 e 24/25 de julho, e nos dias 8/9, 10/11 e 12/13 de agosto. As inscrições são feitas através do email escapelivre@escapelivre.com, e consideradas por ordem de chegada. O preço por pessoa, em julho, é de 158€ | Crianças 4-10 anos – 74€ | Crianças 0-3 anos – grátis (em agosto, os valores são 165€ e 78€) e inclui alojamento, refeições e visitas.

A Finiclasse, concessionário Mercedes-Benz na Guarda e Viseu, associa-se com as suas viaturas Mercedes-Benz, a este projeto de retoma da economia local.

 

PSD solicita ao Governo apoios extraordinários para os agricultores

Em comunicado, o PSD solicita apoios para os agricultores devido à queda de granizo resultante da trovoada forte nas regiões do Norte e Centro do país arruinaram as culturas anuais e permanentes nos sectores da fruticultura e viticultura e, nalguns casos, comprometeram a produção agrícola em 2020 e nos anos seguintes.

Nesse sentido, os deputados do PSD acabam de entregar no Parlamento um projeto de resolução que recomenda ao Governo que “disponibilize apoio financeiro de emergência aos agricultores afetados por esta intempérie, de forma a minorar os prejuízos decorrentes da destruição na produção agrícola”.

Na iniciativa, o PSD sublinha que “este fenómeno climatérico veio agravar ainda mais as produções de prunóideas (ameixeiras, cerejeiras, pessegueiros, damasqueiros) em 2020, que já registavam quebras de produção (toneladas) face a média dos anos anteriores, e na cereja foi superior a 70%”. No caso das pomóideas (culturas de pomos, como maçãs, peras e nêsperas) e da vinha “sofreram igualmente prejuízos ao nível do fruto, embora não maturado, comprometendo as suas produções agrícolas nos meses de verão, bem como as explorações de frutos de baga (mirtilo)”.

O PSD lembra que o temporal de domingo “destruiu ainda as hortícolas em explorações pequenas e familiares, representando um problema grave na economia local e um risco para o território, mais exposto ao abandono, à falta de coesão territorial e à perda de biodiversidade ambiental”.

Recorde-se que o ano de 2020 tem sido também caraterizado por um conjunto de novos desafios com implicações no sector do agroalimentar, como “as alterações profundas que a pandemia, causada pela covid-19, provocou ao nível da oferta e procura de certos alimentos, a par de novas e exigentes condicionantes no sistema produtivo e na incerteza quanto ao investimento futuro”.

“Perante a gravidade das situações causadas pela destruição climatérica e as consequências futuras na economia das regiões, o grupo parlamentar do PSD considera que o Governo deve acompanhar e avaliar os melhores instrumentos financeiros e administrativos disponíveis para intervir, no sentido de minorar os impactos sociais e económicos a nível territorial e nacional. O PSD, defensor de um sistema de seguros agrícolas adequados às inúmeras produções e tipo de explorações, considera que os fenómenos climatéricos como este devem motivar a política pública a reforçar os instrumentos nacionais e comunitários (ao nível do PDR 2020 e do futuro QCA) que promovam a adesão ao sistema de seguros agrícolas e fundos mutualistas, tornando-os mais universais e consequentemente mais atrativos para os agentes”, referem.

No projeto de resolução, o PSD defende, além do apuramento exaustivo dos prejuízos causados pelo temporal de 31 de maio em regiões do Norte e Centro, a possibilidade de o Governo “criar uma linha de crédito bonificada direcionada para os produtores das regiões mais afetadas pela intempérie”.

Os deputados social-democratas propõem ainda medidas de caráter “fiscal”, nomeadamente a isenção de contribuições para a Segurança Social “durante um determinado período de tempo” para estes agricultores e a captação de “instrumentos de gestão de crise e de risco robustos financeiramente adequados à realidade nacional” no âmbito das negociações da Política Agrícola Comum (PAC).

O PSD recomenda:

  1. Proceda de forma célere a um levantamento exaustivo dos prejuízos causado pelo temporal de 31 de maio em regiões do Norte e Centro do país, nas diversas produções agrícolas;
  2. Avalie e estude a possibilidade de declarar a situação de calamidade pública para as principais regiões afetadas pela tempestade e consequentemente mobilize os instrumentos necessários;
  3. Disponibilize um apoio financeiro de emergência aos agricultores afetados por esta intempérie, de forma a minorar os prejuízos decorrentes da destruição na produção agrícola e a apoiar a reposição do potencial produtivo, através dos atuais programas comunitários em vigor (PDR 2020), nomeadamente nas medidas 6.2.1. e 6.2.2. (prevenção de calamidade e catástrofes naturais e reposição do potencial produtivo);
  4. Pondere a possibilidade de criar uma linha de crédito bonificada direcionada para os produtores das regiões mais afetadas pela intempérie que tenham de repor o potencial produtivo;
  5. Avalie a possibilidade de isentar os produtores agrícolas afetados na totalidade do seu rendimento agrícola por esta intempérie de contribuições para a Segurança Social durante um determinado período de tempo;
  6. Defenda no âmbito das negociações da PAC instrumentos de gestão de crise e de risco robustos financeiramente e adequados à realidade nacional.