Templates by BIGtheme NET
Início » Desporto » Conversa com Luis Brás, Presidente do Conselho de arbitragem da AF Guarda

Conversa com Luis Brás, Presidente do Conselho de arbitragem da AF Guarda

Fomos conversar com o Presidente do
conselho de arbitragem da AF Guarda, neste arranque de temporada.
António
Pacheco -A poucos dias do arranque de mais uma temporada na AF Guarda que
perspetivas tem para esta temporada?
Luis
Brás
-As expectativas para a nova época são as melhoras. Depois de muitas
mudanças para melhorar a arbitragem e consequentemente o futebol egitaniense,
pretendemos continuar com o objetivo de melhorar ainda mais.

Esta época, que
para os árbitros já começou com a sua ação de formação inicial, iremos ter uma
novidade com a introdução da vídeo-observação. Esta medida pioneira em Portugal
servirá para classificar o árbitro mas principalmente para o ajudar a
trabalhar. Todos nos lembramos da célebre expressão “ vale mais uma imagem que
mil palavras”.

AP-A
arbitragem da AFG tem vindo a evoluir favoravelmente desde a sua chegada?
LB-Não
serei a melhor pessoa para responder a essa pergunta mas penso que a opinião é
unanime, tanto por parte dos árbitros assim como jogadores, treinadores e
dirigentes. Essa opinião é-nos transmitida em reunião que já fazemos com os
clubes o qual este ano já realizamos uma e pretendemos realizarmos mais uma ou
duas.
AP-Outra
situação positiva, o grande rejuvescimento das equipas de arbitragem?
LB-Sobre
esta questão é verdade, desde que este conselho de arbitragem tomou posse já
realizamos 2 cursos de árbitros com cerca de 30 novos árbitros, entre os quais
5 árbitros jovens (idade inferior a 18 anos) e quatro árbitras o qual
naturalmente contribuiu para “ sangue “ novo na arbitragem.
Não ficamos por aqui e já irá começar um
novo curso de árbitros o qual temos inscritos 28 candidatos entre os quais 7 árbitros
jovens e 4 árbitras.
AP-Uma
das suas apostas é a formação? Satisfeito com a adesão?
LB-Muito
satisfeito. Brevemente dará os seus frutos tanto a nível distrital como daqui a
3 / 4 anos a nível nacional. A adesão tem sido fantástica aliás como disse
anteriormente poderemos ter o maior curso de árbitros alguma vez existente na
Guarda com a novidade de ser um curso online. Esta novidade será testada pela
primeira vez em Portugal.
AP-As
mulheres vão dando já os primeiros passos no distrito, espera ter uma grande árbitra
no futuro?
LB-Sim
naturalmente. Quando chegamos não tínhamos nenhuma mulher no seio da arbitragem
e neste momento já temos 4. Claro que queremos mais e já temos mais 4 mulheres
inscritas, o que irá reforçar o contingente feminino. A formação contínua
certamente levará que em 3 / 4 anos ( é necessário no mínimo 4 anos de árbitro
para subir ao nacional ) teremos árbitras a prestar provas para o acesso aos
quadros nacionais.
AP-Como
vé o futebol no distrito da Guarda?
LB-O
futebol tal como a arbitragem está a evoluir, prova disso o ano passado tivemos
o campeonato mais competitivo a nível nacional ( 1º distrital de futebol).
Claro que o estado atual do país é prejudicial, principalmente para as equipas
que competem nas competições nacionais que gastam imenso dinheiro com
deslocação, etc. Exemplo disso é o campeonato nacional de seniores que para as
equipas do interior é quase insuportável o que pensamos que deverá ser
refletido brevemente nas instâncias superiores.
AP-Para
quando mais árbitros na Liga maior?
LB-Atualmente
temos um árbitro assistente nos campeonatos profissionais, sendo a 1º vez que
tal acontece desde que existe quadros de árbitros assistentes. Pensamos que
existe valores para brevemente conseguirmos ter mais alguém e suprimir a saída
“ inglória “ do Renato Gonçalves ou reforçar o contingente de árbitro
assistente. Estamos a trabalhar para isso.
Também no futsal iremos trabalhar para regressar um
árbitro ao campeonato da 1º divisão.

Publicidade...



 

Enviar Comentário