Início » Aveiro » Fitossanidade Agrícola criada em Portugal

Fitossanidade Agrícola criada em Portugal

A AgroB Business School e o Instituto Nacional de Investigação Agrícola e Veterinária (INIAV) do Ministério da Agricultura criaram, em mútua cooperação, uma especialização avançada em Fitossanidade Agrícola – um curso pioneiro em Portugal. Esta especialização tem a duração de nove meses e é lecionada por 29 técnicos e investigadores na área.
As alterações climáticas são, nos dias de hoje, uma questão central na agenda política europeia. Deste modo, a Comissão Europeia apresentou a estratégia “do prado ao prato” como uma das ações pilares do Pacto Ecológico Europeu, com vista a alcançar a neutralidade climática até 2050 e apostar num sistema
alimentar sustentável. Neste sentido, urge a necessidade de se proceder à modernização da agricultura pela passagem de novos conhecimentos provenientes de Instituições de Investigação & Desenvolvimento. Assim, a AgroB Business School criou, em parceria com o INIAV do Ministério da Agricultura, uma especialização avançada no setor da Fitossanidade Agrícola, para que
todos os profissionais da área possam aprimorar as suas competências, promovendo a resposta mais sustentável a pragas e doenças, decorrentes das alterações climáticas, quer pelo incremento do seu grau de incidência e infecciosidade, quer pelos elevados prejuízos decorrentes dos ataques de novas espécies.
Este curso destina-se a profissionais e técnicos de organizações e associações de produtores que dão assistência em campo aos agricultores; viveiristas; quadros superiores, intermédios e responsáveis operacionais de empresas; e ainda técnicos superiores com formação nas áreas da agronomia, biologia, bioquímica, agroalimentar ou florestal. Pela primeira vez em Portugal surge uma resposta concreta na formação dos técnicos para saberem identificar sintomas e conhecer o ciclo de vida dos agentes patogénicos (vírus, bactérias, fungos e nemátodos), preparando-os melhor para a sua prevenção, o seu controlo, ou o seu combate e, acima de tudo, formando-os para a utilização de produtos de biotecnologia e gestão de solos mais sustentáveis. A moderna sustentabilidade assenta em solos saudáveis que previnem pragas e doenças devido a promoverem plantas nutricionalmente equilibradas e resistentes a agentes microbianos, mais do que a mera aplicação de fitofármacos que em muitos casos não têm efeito prático porque desequilibram os ecossistemas.
Segundo o INIAV do Ministério da Agricultura, esta especialização visa “avaliar
os contextos e os desafios da proteção fitossanitária (agricultura, ambiente e
alimentação), promovendo a inovação e a sustentabilidade na prevenção e
controlo dos inimigos das principais culturas do país.”
Desta forma, todos os participantes finalizarão a especialização dotados de
“conhecimentos científicos e competências técnicas específicas, para atuarem
em cargos orientados à fitossanidade vegetal em organizações privadas de
caráter internacional, nacional e regional, tais como, explorações agrícolas,
empresas de consultoria, comercialização de produtos fitofarmacêuticos,
cooperativas agrícolas ou organizações de produtores, empresas de
investigação e inovação agrícola e acompanhamento técnico na administração
central, regional e local.”
No total, a especialização decorrerá durante nove meses – de 15 de setembro a
6 de junho – dividindo os 12 módulos em formato presencial, online e práticas
em campo e laboratório (em Oeiras no INIAV) por 143 horas. Os participantes
beneficiarão dos conhecimentos e experiência dos 29 técnicos e investigadores
que compõem o eclético corpo docente do INIAV do Ministério da Agricultura. As
candidaturas estão abertas até 15 de agosto de 2023.

Publicidade...