Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: 2021 magazine serrano

Tag Archives: 2021 magazine serrano

Autárquicas 21- Fornos de Algodres- Conversa com Manuel Fonseca(PS)

Nesta campanha, fomos ao encontro dos Candidatos à Câmara Municipal de Fornos de Algodres, Por parte do PS, realizamos a entrevista com Manuel Fonseca que está abaixo, por parte da Coligação PSD/CDS, a candidata Joaquina Domingues preferiu que fosse escrita e assim fizemos, mas não tivemos as respostas até hoje das questões que lhe foram enviadas, face a isso, depois de muitos esforços para que nos fossem enviadas, tal não foi feito logo, temos de publicar o que temos, dado que o tempo urge.

De facto é com pena nossa, que não temos as duas entrevistas , mas neste caso fizemos todos os esforços para tal, mas o prazo esgotou e não podemos obrigar ninguém a responder, assim aqui fica a entrevista do candidato do PS, Manuel Fonseca.

__________________________________________________________________________

“Um trabalho de proximidade”

A campanha eleitoral vai a meio, face a isso, fomos conversar com os candidatos ao Município de Fornos de Algodres, neste caso, conversámos com Manuel Fonseca, atual Presidente da Câmara, que se recandidata pelo Partido Socialista.

Magazine Serrano(MS)- Que balanço faz destes 4 anos de mandato, onde 2 anos teve o obstáculo pandemia e teve de alterar todo o programa?

Manuel Fonseca(MF)-Não há dúvida, que houve dificuldades, dado que tivemos de alterar toda a estratégia, devido ao combate à covid-19. Era um vírus que pouco de nós conhecia a sua forma de atuação, mas no entanto, arranjamos uma estratégia mais virada para a pandemia.

Mas nunca descuramos, muitas das coisas que tínhamos de fazer, apesar do Covid, é um balanço altamente positivo, conseguimos lançar e terminar algumas obras, a Zona Industrial de Juncais, a obra de requalificação do Mercado Municipal, conseguimos lançar a obra da Escola do 1ºCiclo de Figueiró da Granja, que já se encontra em andamento. Conseguimos concluir o Jardim “Quintas da Vila”, ao mesmo tempo, conseguimos um conjunto de outras obras, sobretudo na área do ambiente.

Fizemos para já 2 Etar´s no concelho de Fornos de Algodres, no sentido de melhorar o ambiente deste concelho. O ambiente é uma preocupação que temos de ter, uma vez que em relação às fossas nada tinha sido feito e fomos nós que, iniciamos o caminho, para além destas Etar´s, vamos construir mais Etar´s no próximo mandato de maneira que o Município fique dotado com um leque de Etar´s que melhorem drasticamente a questão ambiental no concelho.

Etar de Vila Ruiva, promessa cumprida

Vila Ruiva era o caso mais preocupante, uma vez que a Etar que existia não estava preparada para que ali fosse construída uma unidade hoteleira, como é o Inatel e verificou-se que a partir de determinada altura, “já rebentava pelas costuras”, e criando graves problemas de saúde e ambientais na localidade. Tinha sido uma promessa nossa e foi cumprida no sentido de resolver os problemas da população e do Inatel que é um ex-libris, de Vila Ruiva e do concelho e como tal, não podiam existir problemas de foro ambiental. Ler Mais »

AF Viseu- Divisão Honra- jornada 1

Na Divisão de Honra da AF Viseu também arrancou o novo figurino com a ronda 1 onde aconteceram os seguintes resultados:
Zona Norte
GD Resende 1-0 Paivense
CD Cinfães 2-0 GD Parada
CDR Lamelas 0-0 SC Lamego
Moimenta da Beira 1-0 Nespereira FC
Zona Centro
Sátão 1-0 Penalva Castelo
GD Oliveira de Frades 1-0 UD Sampedrense
Carvalhais 0-0 Campia
GDC Roriz 0-0 Lusitano Vildemoinhos
Zona Sul
Mortágua FC 1-0 Molelos
Carregal do Sal 1-2 GD Mangualde
Canas Senhorim 2-1 Vale de Açores
Moimenta Dão – Nelas (adiado)

Nova plataforma do Turismo do Centro disponível

Já se encontra disponível a nova plataforma do Turismo Centro de Portugal, em https://workfrom.turismodocentro.pt, pretende funcionar como um índice de tudo o quanto existe na região, para quem opte por trabalhar de forma remota, a partir da região Centro de Portugal.

Na plataforma encontra-se um índice, onde se pode encontrar, por sub-região, os diversos espaços onde podem trabalhar, nos diferentes regimes: co-work, incubadora artística, incubadora, centro de negócios, centro empresarial, espaço empresarial, hub criativo, hotel, parque tecnológico, co-living, espaço colaborativo, incubadora de base rural, residências artísticas, e retiro de empresas. Tem também um espaço de testemunhos, de histórias na primeira pessoa, sobre “como é trabalhar desde o Centro de Portugal”, em cada uma das oito sub-regiões.

A plataforma é um dos instrumentos do “Work From Centro de Portugal”, projeto que pretende demonstrar que a Região Centro oferece vantagens únicas para quem tem a possibilidade de trabalhar de forma remota ou alternativa aos escritórios tradicionais, nas mais variadas vertentes, como o nomadismo digital ou as residências artísticas, naquela que é uma tendência global amplificada pela pandemia.

“Este projeto é a materialização da estruturação de um novo produto turístico que é o ‘nomadismo digital’, e é construído em estreita parceria com instituições públicas, associações, empresários mas, e sobretudo, com pessoas. As que na região Centro habitam, as que nela trabalham e as que potencialmente pretendam nela viver e trabalhar. É a capacitação deste destino, para acompanhar esta tendência que veio para ficar”, refere Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal.

“O trabalho remoto, no local certo, pode andar de mãos dadas com o conceito de felicidade. De facto, podemos trabalhar onde somos mais felizes. Podemos trabalhar junto à costa e surfar no final do dia, assim como podemos voltar ao nosso lugar de origem, para junto de família e amigos, e trabalhar a partir de um cowork local. Podemos escrever um livro no sossego de uma aldeia serrana ou podemos ser itinerantes e trocar de lugar de trabalho regularmente”, explica Carlos Bernardo, da Tipo-grafia, empresa autora do projeto, em co-autoria com o Turismo Centro de Portugal. “É neste quase infinito de possibilidades que o conceito de trabalho remoto se cruza com os territórios e consequentemente com o conceito de turismo. As escolhas sobre o lugar de trabalho são feitas em função do que o lugar pode oferecer. Foi a pensar na estruturação dessas oportunidades que surgiu o Work From Centro de Portugal”, acrescenta.

O projeto pretende unir o território do Centro de Portugal em redor deste conceito emergente e com grande potencial de aplicabilidade. O objetivo é qualificar e educar a oferta para as necessidades desta nova forma de trabalhar e, ao mesmo tempo, seduzir a procura, com critério e transparência.

Várias iniciativas em curso

Ao longo dos meses de trabalho já realizado neste projeto, foram desenvolvidas várias iniciativas. A primeira foi a elaboração de um Manual de Boas Práticas, documento orientador para os agentes locais, públicos e privados, que caracteriza a região, diferencia as vertentes de trabalho remoto, estuda casos de sucesso e orienta, caso a caso, a oferta em função das necessidades da procura.

Além disso, foram realizados workshops dirigidos ao setor público – Câmaras Municipais, Comunidades Intermunicipais, Associações de Desenvolvimento Territorial – e ao setor privado (coworks, alojamentos, animação turística), de forma a apresentar conceitos e casos de estudo, assim como sugerir soluções concretas para cada um dos setores.

Outra iniciativa foi a apresentação do território através das suas pessoas. Para isso, foram escolhidos diferentes embaixadores que, através das suas histórias, mostram como é viver e trabalhar no Centro de Portugal. O resultado foram 32 histórias, quatro por cada sub-região: Médio Tejo; Região de Leiria; Viseu-Dão-Lafões; Serra da Estrela; Oeste; Beira Baixa; Região de Coimbra e Ria de Aveiro. Rogério Leitão, pescador da Berlenga, Paulo Romão, proprietário das Casas do Côro, Diogo Rocha, chef com uma estrela Michelin, ou as Capuchinhas, uma cooperativa composta por quatro mulheres, que trabalham o burel numa aldeia da Serra do Montemuro, são alguns dos exemplos de histórias.

A plataforma agora disponível apresenta o território através destas histórias, além de agregar a oferta disponível para quem quer escolher o Centro de Portugal para trabalhar. O Manual de Boas Práticas estará também disponível para download.

A próxima iniciativa do projeto “Work From Centro de Portugal” consiste na apresentação um livro que faz a ligação entre o território e o público, através de um design e construção diferenciadores.

Turismo do Centro mostrou aos jornalistas como é trabalhar na região

Paralelamente à apresentação do site, a Turismo Centro de Portugal promoveu uma experiência “Work From Centro de Portugal” para jornalistas, na aldeia do xisto da Cerdeira, na Serra da Lousã. Durante dois dias, tiveram oportunidade de contactar com as inúmeras vantagens de trabalhar longe do bulício e da confusão e no meio de uma natureza envolvente. Além do trabalho, houve tempo para conhecer a pé a Serra da Lousã, as Aldeias de Xisto do Candal, Chiqueiro e Talasnal e, ainda, para um workshop de construção de casinhas de xisto.

Ténis-Nuno Pestana e Tiago Martins foram os vencedores em Celorico da Beira

No passado domingo, em Celorico da Beira teve lugar, o 5º Celorico Open em simultâneo com o 3º Torneio de Consolação Museu da Ótica (TCMO).

Participaram nestes dois eventos 16 jogadores oriundos de vários pontos do país com idades entre os 16 e os 74 anos. Foram dois eventos muito competitivos, tanto que dos 4 cabeças séries apenas um, o Paulo Sousa,  chegou às meias-finais sendo que os outros três não passaram dos quartos.
No torneio principal, o 5º Celorico Open, foram finalistas o Nuno Pestana de Seia e o António Santos de Tondela. Esta foi uma final muito disputada com muita incerteza no resultado até ao final entre 2 jogadores com um bom nível de ténis. Nuno Pestana acabaria por ganhar na negra ou seja no terceiro set vencendo esta 5ª edição do Celorico Open, com o resultado do 2-1 (4-3, 1-4, 10-3). O Dr Bruno Almeida, vereador da Câmara Municipal de Celorico da Beira, procedeu à entrega dos troféus aos 2 finalistas do 5º Celorico Open.
Mas ainda faltava finalizar o torneio de consolação museu da óptica em que foram finalistas 2 jogadores vindos do distrito de Castelo Branco, o Tiago Martins de Belmonte e o João Brites de Castelo Branco. Esta final já decorreu pela noite dentro vindo acabar perto das 23h. Também esta final apenas se decidiu na negra tendo o Tiago Martins vencido no terceiro set o João Brites por 2-1 (2-4, 4-2, 10-7) levando para casa o troféu de vencedor.

Organização destes dois eventos agradece o apoio incondicional do Município Celorico da Beira e dos seus colaboradores mas também das lojas Ergovisão da Guarda. O circuito distrital continua já no sábado dia 4 de setembro em Vila Franca das Naves no concelho de Trancoso com mais um evento pontuável para este circuito Ergovisão 2021.

IPG capacita quadros para acelerar a digitalização das PME e da Administração Pública

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai passar a capacitar quadros de pequenas e médias empresas (PME) e da Administração Pública para a transformação digital, através da sua inclusão no consórcio do polo de inovação digital PTCentroDiH. O objetivo é tornar os tecidos governamental, humano e empresarial da Região Centro mais inovadores e mais competitivos no mercado global.

Docentes do IPG irão responder às necessidades das empresas e dos serviços da Administração Pública que procuram o PTCentroDiH para atualizar os seus conhecimentos digitais, em conjunto com outras entidades parceiras deste polo de inovação digital. O objetivo é tornar os tecidos governamental, humano e empresarial da Região Centro mais competitivos no mercado global.

“O Politécnico da Guarda destacou uma equipa qualificada na área das Tecnologias de Informação e Comunicação para integrar o PTCentroDiH”, afirma Joaquim Brigas, Presidente do IPG. “A capacitação digital, quer ao nível profissional, quer ao nível pessoal, é essencial para acelerar o crescimento social e económico do país”.

Segundo Pedro Arrifano Tadeu, docente e coordenador do projeto pelo IPG, “os docentes do IPG irão responder às necessidades das empresas e dos serviços da Administração Pública que procuram o PTCentroDiH para atualizar os seus conhecimentos digitais, em conjunto com outras entidades parceiras deste polo de inovação digital. Vamos ajudar a formar recursos humanos em áreas ligadas à programação e à utilização de elementos multimédia, como por exemplo o LEGO MindStorm EV3 ou  o Thinglink”.

O PTCentroDiH é um consórcio alargado de entidades da Região Centro que, em junho deste ano, foi reconhecido como polo de inovação digital e irá integrar a rede nacional. O PTCentroDiH funciona como um balcão único para promover a competitividade, a inovação e a coesão territorial da Região Centro.

É constituído por 21 entidades: Cluster Engineering & Tooling, Cluster Habitat Sustentável, InovCluster, TICE.PT, AEMITEQ, AIBILI, BLC3, CENTIMFE, Itecons, CTCV, Instituto de Telecomunicações, Instituto Pedro Nunes, Institutos Politécnicos da Guarda, de Castelo Branco, de Coimbra, de Leiria, de Tomar, de Viseu, e ainda, pelas Universidades da Beira Interior, de Aveiro e de Coimbra.

Cartaz do Constálica Rallye Vouzela desenhado por Bob Targino

Foram cerca de 30 horas para delinear o cartaz a lápis que o pintor e ilustrador brasileiro a residir em Vouzela há três anos , sendo o autor do desenho do cartaz da oitava edição do Constálica Rallye Vouzela 2021. Bob Targino , o resultado é brilhante.

O cartaz do Constálica Rallye Vouzela 2021 desenhado por Bob Targino teve duas fases e no final traduz os elementos que a organização traçou para a edição da prova deste ano, na estrada nos próximos dias 11 e 12 de Setembro. O artista brasileiro, natural de S. Paulo, empregou a paixão pela ilustração para dar corpo a um inovador quadro que enobrece a competição do Gondomar Automóvel Sport promovida pela Promolafões.

Bob Targino vive em Vouzela há três anos e dedica-se, em exclusivo, à ilustração, graffiti, pintura artística e tatuagem. Uma arte que aprendeu a gostar muito antes de dar os primeiros passos na escola para aprender a ler e a escrever. Foi já nos primeiros anos de escolaridade que apurou o dom de pintor e ilustrar, tornando-se artista de renome internacional.

Conhecedor dos atributos do artista brasileiro, José Correia, responsável pela Promolafões, incumbiu-o de destacar o Constálica Rallye Vouzela através do papel e do lápis, como forma de vincar os valores ambientais, assim como promover o património da região da Beira Alta, na fértil zona de Lafões. Por outro lado, a iniciativa visou também de enaltecer as gentes do território, como forma de conceber mais-valias e aproximar cada vez mais as pessoas.

Bob Targino agarrou a oportunidade com as duas mãos e desenhou uma obra de arte, além de estar no centro de uma conjunção de esforços «para ostentar as emoções dos ralis, uma disciplina automóvel que nunca vivi de perto, mas que terei agora a ocasião de imiscuir-me entre os aficionados».

O artista paulista confessou ser «um apaixonado por Vouzela», encontrando na vila o refúgio predileto, «pelos mais diversos motivos, entre os quais o ambiente, a gastronomia, as pessoas, a qualidade de vida, a beleza dos locais», enfim, propriedades que resumem o que de excelente tem Portugal».

Em Vouzela há cerca de três anos, Bob Targino descobriu «o território através de uma amiga, com que mantinha contacto pelas redes sociais, acabando por ser o principal motor que deu azo a deixar o Brasil, soltando-me do caos urbano paulista e radicar-me no paraíso onde pretendo permanecer até ao fim dos meus dias, embora pretenda conhecer ostros lugares», confidenciou.

O Constálica Rallye Vouzela, que sempre outorgou o valor aos artistas locais, é um veículo por excelência para projetar o turismo local, regional e nacional, ampliando a reputação do destino turístico numa região em articulação com uma estratégia de competitividade e, naturalmente, de desenvolvimento da economia. O pintor e ilustrador brasileiro Bob Targino já começou por destacar a competição como um cartaz singular e que vai, com toda a certeza, correr mundo.

Estudo: os 25 municípios mais baratos para comprar casa em Portugal

Dos 25 municípios mais baratos para comprar casa em Portugal, Penacova ocupa o primeiro lugar. Os proprietários deste município pedem, em média, 428 euros por metro quadrado (euros/m2), sendo este o metro quadrado mais barato do país, segundo um estudo do idealista, o Marketplace imobiliário de Portugal.

O ranking dos cinco municípios mais baratos completa-se com Mortágua (447 euros/m2), Nisa 467 euros/m2), Góis (467 euros/m2) e Belmonte (481 euros/m2). O sexto lugar vai para Carregal do Sal, em Viseu, onde o metro quadrado custa 490 euros.

Por menos de 500 euros por metro quadrado, encontram-se ainda os municípios de Tondela (491 euros/m2), Arganil (496 euros/m2), Fronteira (496 euros/m2) e Vouzela (497 euros/m2).

O ranking continua com o distrito de Viseu, mais precisamente Nelas (508 euros/m2). Seguem-se os municípios de Crato (511 euros/m2), Proença-a-Nova (516 euros/m2), Santa Comba Dão (520 euros/m2), Idanha-a-Nova (526 euros/m2), Alcanena (531 euros/m2), Mangualde (533 euros/m2), Miranda do Corvo (537 euros/m2), Alvaiázere (540 euros/m2), Avis (546 euros/m2), Vila Nova de Poiares (547 euros/m2) e Castro Daire (555 euros/m2).

Nos três últimos lugares do ranking, encontram-se os municípios de Castanheira de Pêra (566 euros/m2), Alpiarça (564 euros/m2) e Vila do Rei (558 euros/m2).

Os municípios mais caros de cada distrito

O estudo realizado pelo idealista também encontrou as localidades mais exclusivas de cada distrito de Portugal. Além dos distritos com municípios nas 25 primeiras posições, a lista completa-se com o município de Vidigueira em Beja (570 euros/m2), Viana do Alentejo (573 euros/m2), Montalegre (573 euros/m2), Gouveia (574 euros/m2), Nordeste, na Ilha de São Miguel (588 euros/m2) e Paredes de Coura (601 euros/m2).

No sentido contrário, Santiago do Cacém é o município desta lista onde é mais caro comprar casa: 1.159 euros/m2. Seguem-se Santana na Ilha da Madeira (863 euros/m2), Cadaval (763 euros/m2), Cabeceiras de Basto (753 euros/m2), Alcoutim (747 euros/m2) e Baião (626 euros/m2) como os municípios mais baratos de cada distrito.

 

 

Vila Nova de Tazem recebe Transumância dos Rebanhos

A transumância dos rebanhos de Vila Nova de Tazem que, no mês de julho, subiram à serra em busca de melhores pastos e agora regressam este domingo para cumprir a tradição.
No início do verão, os pastores sobem com os seus rebanhos aos solos altos da Serra da Estrela em busca de um clima veranil, mais ameno na montanha e que confere melhor alimento aos rebanhos. Passados alguns meses, com o fim do verão e o aproximar das estações mais frias, faz-se o mesmo trajeto, mas desta vez inverso, descendo-se a montanha e evitando o clima agreste e outonal típico da serra.
A viagem pode, este ano, ser acompanhada e tem início pelas 15h30, na zona do Vale do Rossim /Mondeguinho (coordenadas 40.427803, -7.593851), terminando pelas 22h00, na Av.ª Dr. Joaquim Borges, em Vila Nova de Tazem.
Como alternativa, poderá iniciar o mesmo percurso pelas 16h00 junto à curva bonita, na descida para a Senhora do Monte.
Estendendo-se o percurso ao longo de 20 Km, com uma duração previsível de 7h30, recomenda-se, a todos os interessados, o uso de roupa e calçado confortáveis bem como reforço alimentar e água de modo a colmatar eventuais momentos de desidratação e fadiga. O acompanhamento deste movimento sazonal deve também ser feito sem que a condução dos rebanhos seja perturbada ou condicionada.
O trajeto destes rebanhos, bem como a sua chegada são normalmente envoltos num clima de festa e animação, assinalando a expressão mais pura da tradição, cultura e afirmação da identidade própria das nossas gentes.

Chaves Monteiro apresenta cerca de 500 candidatos a mais de 3 dezenas de órgãos

Carlos Chaves Monteiro entrega listas com 40% independentes e 45% mulheres

São 499 candidatos que refletem a aposta nas mulheres e nos jovens da Guarda. “Os independentes acrescentam várias propostas políticas a um projeto comum, transversal a todos as candidaturas do PSD, que é continuar a aumentar a qualidade de vida na cidade e no concelho e melhorar o investimento e o emprego”, afirma o presidente da Câmara.

O candidato do PSD à presidência da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, entregou esta semana as listas da candidatura “Mais e Melhor Guarda” aos órgãos autárquicos do concelho no tribunal da cidade. No conjunto, mais de 40% dos candidatos são independentes e 45% são mulheres.

Com 499 candidatos, o PSD entregou as listas à Câmara Municipal da Guarda, à Assembleia Municipal Guarda e a 32 assembleias de Freguesia do concelho. Em
oito assembleias de freguesia, o PSD optou por não apresentar listas próprias uma vez que reconhece o trabalho e desempenho das listas de independentes que se organizaram localmente.

Face a 2017, a candidatura do PSD “Mais e Melhor Guarda” apresenta mais uma lista para assembleia de freguesia e teria apresentado mais ainda, não fossem as 3 freguesias que funcionarão em plenário de cidadãos por terem menos de 150 eleitores.

“Queremos dar continuidade ao trabalho desenvolvido e, para isso, vamos eleger mais mulheres para os órgãos autárquicos dos próximos quatro anos: na lista para a Câmara, por exemplo, elas representam 50% dos candidatos”, afirma Carlos Chaves Monteiro. Quanto ao facto de mais de 40% das listas serem formadas por independentes, o atual presidente da Câmara afirma que “estes independentes acrescentam várias propostas políticas a um projeto comum, transversal a todos as candidaturas do PSD, que é continuar a aumentar a qualidade de vida na cidade e no concelho e melhorar o investimento e o emprego”.

Recorde-se que a lista para a Assembleia Municipal é encabeçada por Barreto Xavier, ex-secretário de Estado da Cultura. Segundo a candidatura “Mais e Melhor
Guarda”, a lista para a Assembleia Municipal junta um conjunto de pessoas que representam os setores mais dinâmicos da sociedade guardense, todos eles apostados
em qualificar o emprego e em aumentar o rendimento médio “per capita” da sua população, em aumentar a qualidade de vida e em melhorar o centro da cidade, da
vila e das aldeias do concelho.
“Frente de cidadania democrática contra o populismo”
“Construímos – sem ruturas, sem quezílias, sem individualismos – listas plurais e rejuvenescidas”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “A candidatura ‘Mais e Melhor Guarda’ tem o pensamento no futuro e está também ciente da importância de haver pessoas mais novas a participar na vida política: a candidatura de tantos jovens nas nossas listas é um símbolo disso mesmo”.

Segundo a candidatura, o PSD é uma força política que, no concelho da Guarda, efetivamente integra mulheres e homens independentes, bem como membros de outras forças políticas, com uma expressão relevante nas suas listas autárquicas.
“Este conjunto de candidaturas é uma frente de cidadania democrática que defenderá o concelho do populismo e do arrivismo, e que diariamente lutará por uma Mais e Melhor Guarda”, conclui Carlos Chaves Monteiro.

Guarda- Frei Pedro da Guarda homenageado dia 27 de julho

O Município da Guarda homenageia Frei Pedro da Guarda através de uma série de iniciativas (ver programa completo), entre elas a Cerimónia de Lançamento da Primeira Pedra das Obras de Requalificação do “Largo Frei Pedro da Guarda” e outra, com a colaboração da Diocese da Guarda, a Eucaristia de Ação de Graças pela Vida e Obra de Frei Pedro da Guarda, na Sé, onde será revalidado o pedido de canonização deste religioso nascido na Guarda no século XV.Frei , no próximo dia 27 de julho.

Do programa comemorativo que tem início às 18h00 com a missa, constam ainda a Deposição de coroa de flores junto à imagem do religioso no Largo de leva o seu nome, pelo presidente da câmara da Guarda e por um Praça graduado do Centro de Recrutamento do Exército (Guarda); a Leitura do “Auto de Notícia”; a Deposição do “Auto de Notícia”; e ainda a Bênção da Primeira Pedra, pelo bispo da Diocese da Guarda. Seguem-se as intervenções do professor e investigador da UCP, Vítor Gomes Teixeira e do presidente da Câmara, Carlos Chaves Monteiro.

Sobre Frei Pedro da Guarda: Nasceu em 1435 na cidade mais alta, filho de João Luís, tecelão, e de Ângela Gonçalves. Franciscano aos 25 anos, dedicou-se ao resgate de viajantes perdidos na neve das montanhas, fazendo-se para tal sempre acompanhar do seu cão Serra da Estrela, atribuindo-se-lhe o salvamento de centenas de vidas. Assistia também aos doentes, tendo fundado para o efeito o primeiro hospital da Guarda. A sua fama de santidade e notoriedade, em contraste com a sua profunda humildade, levaram-no com 50 anos, a acolher-se ao Convento de S. Bernardino, na ilha da Madeira, então quase despovoada, onde faleceu aos 70 anos, intitulado de Servo de Deus.

Recorde-se que a Câmara da Guarda foi responsável pelo último processo de canonização de Frei Pedro da Guarda, no século XIX, optou ainda pelo Dia de Frei Pedro da Guarda, 27 de julho, como Feriado Municipal, aquando da instituição dos Feriados Municipais em Outubro de 1910. Instâncias superiores terão preterido o Dia de Frei Pedro da Guarda, em favor do atual feriado. Em 2021, a autarquia guardense relança a Causa da Canonização de Frei Pedro da Guarda, passando a consagrar o dia 27 de Julho, como “Dia de Frei Pedro da Guarda.

PROGRAMA

18h00 – Catedral da Guarda
Missa Solene pelo bispo da Diocese da Guarda, Manuel da Rocha Felício

19h00 – Largo Frei Pedro da Guarda
Deposição de coroa de flores
Leitura do “Auto de Notícia”
Deposição do “Auto de Notícia”
Bênção da 1ª Pedra pelo Bispo da Diocese da Guarda

Intervenções: Professor Universitário Vítor Gomes Teixeira e Presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro

20h00 – Pátio do Museu da Guarda
“Porto Seco” de Honra