Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: 2021 magazine serrano (Pagina 2)

Tag Archives: 2021 magazine serrano

Vila Nova de Tazem recebe Transumância dos Rebanhos

A transumância dos rebanhos de Vila Nova de Tazem que, no mês de julho, subiram à serra em busca de melhores pastos e agora regressam este domingo para cumprir a tradição.
No início do verão, os pastores sobem com os seus rebanhos aos solos altos da Serra da Estrela em busca de um clima veranil, mais ameno na montanha e que confere melhor alimento aos rebanhos. Passados alguns meses, com o fim do verão e o aproximar das estações mais frias, faz-se o mesmo trajeto, mas desta vez inverso, descendo-se a montanha e evitando o clima agreste e outonal típico da serra.
A viagem pode, este ano, ser acompanhada e tem início pelas 15h30, na zona do Vale do Rossim /Mondeguinho (coordenadas 40.427803, -7.593851), terminando pelas 22h00, na Av.ª Dr. Joaquim Borges, em Vila Nova de Tazem.
Como alternativa, poderá iniciar o mesmo percurso pelas 16h00 junto à curva bonita, na descida para a Senhora do Monte.
Estendendo-se o percurso ao longo de 20 Km, com uma duração previsível de 7h30, recomenda-se, a todos os interessados, o uso de roupa e calçado confortáveis bem como reforço alimentar e água de modo a colmatar eventuais momentos de desidratação e fadiga. O acompanhamento deste movimento sazonal deve também ser feito sem que a condução dos rebanhos seja perturbada ou condicionada.
O trajeto destes rebanhos, bem como a sua chegada são normalmente envoltos num clima de festa e animação, assinalando a expressão mais pura da tradição, cultura e afirmação da identidade própria das nossas gentes.

Chaves Monteiro apresenta cerca de 500 candidatos a mais de 3 dezenas de órgãos

Carlos Chaves Monteiro entrega listas com 40% independentes e 45% mulheres

São 499 candidatos que refletem a aposta nas mulheres e nos jovens da Guarda. “Os independentes acrescentam várias propostas políticas a um projeto comum, transversal a todos as candidaturas do PSD, que é continuar a aumentar a qualidade de vida na cidade e no concelho e melhorar o investimento e o emprego”, afirma o presidente da Câmara.

O candidato do PSD à presidência da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, entregou esta semana as listas da candidatura “Mais e Melhor Guarda” aos órgãos autárquicos do concelho no tribunal da cidade. No conjunto, mais de 40% dos candidatos são independentes e 45% são mulheres.

Com 499 candidatos, o PSD entregou as listas à Câmara Municipal da Guarda, à Assembleia Municipal Guarda e a 32 assembleias de Freguesia do concelho. Em
oito assembleias de freguesia, o PSD optou por não apresentar listas próprias uma vez que reconhece o trabalho e desempenho das listas de independentes que se organizaram localmente.

Face a 2017, a candidatura do PSD “Mais e Melhor Guarda” apresenta mais uma lista para assembleia de freguesia e teria apresentado mais ainda, não fossem as 3 freguesias que funcionarão em plenário de cidadãos por terem menos de 150 eleitores.

“Queremos dar continuidade ao trabalho desenvolvido e, para isso, vamos eleger mais mulheres para os órgãos autárquicos dos próximos quatro anos: na lista para a Câmara, por exemplo, elas representam 50% dos candidatos”, afirma Carlos Chaves Monteiro. Quanto ao facto de mais de 40% das listas serem formadas por independentes, o atual presidente da Câmara afirma que “estes independentes acrescentam várias propostas políticas a um projeto comum, transversal a todos as candidaturas do PSD, que é continuar a aumentar a qualidade de vida na cidade e no concelho e melhorar o investimento e o emprego”.

Recorde-se que a lista para a Assembleia Municipal é encabeçada por Barreto Xavier, ex-secretário de Estado da Cultura. Segundo a candidatura “Mais e Melhor
Guarda”, a lista para a Assembleia Municipal junta um conjunto de pessoas que representam os setores mais dinâmicos da sociedade guardense, todos eles apostados
em qualificar o emprego e em aumentar o rendimento médio “per capita” da sua população, em aumentar a qualidade de vida e em melhorar o centro da cidade, da
vila e das aldeias do concelho.
“Frente de cidadania democrática contra o populismo”
“Construímos – sem ruturas, sem quezílias, sem individualismos – listas plurais e rejuvenescidas”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “A candidatura ‘Mais e Melhor Guarda’ tem o pensamento no futuro e está também ciente da importância de haver pessoas mais novas a participar na vida política: a candidatura de tantos jovens nas nossas listas é um símbolo disso mesmo”.

Segundo a candidatura, o PSD é uma força política que, no concelho da Guarda, efetivamente integra mulheres e homens independentes, bem como membros de outras forças políticas, com uma expressão relevante nas suas listas autárquicas.
“Este conjunto de candidaturas é uma frente de cidadania democrática que defenderá o concelho do populismo e do arrivismo, e que diariamente lutará por uma Mais e Melhor Guarda”, conclui Carlos Chaves Monteiro.

Guarda- Frei Pedro da Guarda homenageado dia 27 de julho

O Município da Guarda homenageia Frei Pedro da Guarda através de uma série de iniciativas (ver programa completo), entre elas a Cerimónia de Lançamento da Primeira Pedra das Obras de Requalificação do “Largo Frei Pedro da Guarda” e outra, com a colaboração da Diocese da Guarda, a Eucaristia de Ação de Graças pela Vida e Obra de Frei Pedro da Guarda, na Sé, onde será revalidado o pedido de canonização deste religioso nascido na Guarda no século XV.Frei , no próximo dia 27 de julho.

Do programa comemorativo que tem início às 18h00 com a missa, constam ainda a Deposição de coroa de flores junto à imagem do religioso no Largo de leva o seu nome, pelo presidente da câmara da Guarda e por um Praça graduado do Centro de Recrutamento do Exército (Guarda); a Leitura do “Auto de Notícia”; a Deposição do “Auto de Notícia”; e ainda a Bênção da Primeira Pedra, pelo bispo da Diocese da Guarda. Seguem-se as intervenções do professor e investigador da UCP, Vítor Gomes Teixeira e do presidente da Câmara, Carlos Chaves Monteiro.

Sobre Frei Pedro da Guarda: Nasceu em 1435 na cidade mais alta, filho de João Luís, tecelão, e de Ângela Gonçalves. Franciscano aos 25 anos, dedicou-se ao resgate de viajantes perdidos na neve das montanhas, fazendo-se para tal sempre acompanhar do seu cão Serra da Estrela, atribuindo-se-lhe o salvamento de centenas de vidas. Assistia também aos doentes, tendo fundado para o efeito o primeiro hospital da Guarda. A sua fama de santidade e notoriedade, em contraste com a sua profunda humildade, levaram-no com 50 anos, a acolher-se ao Convento de S. Bernardino, na ilha da Madeira, então quase despovoada, onde faleceu aos 70 anos, intitulado de Servo de Deus.

Recorde-se que a Câmara da Guarda foi responsável pelo último processo de canonização de Frei Pedro da Guarda, no século XIX, optou ainda pelo Dia de Frei Pedro da Guarda, 27 de julho, como Feriado Municipal, aquando da instituição dos Feriados Municipais em Outubro de 1910. Instâncias superiores terão preterido o Dia de Frei Pedro da Guarda, em favor do atual feriado. Em 2021, a autarquia guardense relança a Causa da Canonização de Frei Pedro da Guarda, passando a consagrar o dia 27 de Julho, como “Dia de Frei Pedro da Guarda.

PROGRAMA

18h00 – Catedral da Guarda
Missa Solene pelo bispo da Diocese da Guarda, Manuel da Rocha Felício

19h00 – Largo Frei Pedro da Guarda
Deposição de coroa de flores
Leitura do “Auto de Notícia”
Deposição do “Auto de Notícia”
Bênção da 1ª Pedra pelo Bispo da Diocese da Guarda

Intervenções: Professor Universitário Vítor Gomes Teixeira e Presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro

20h00 – Pátio do Museu da Guarda
“Porto Seco” de Honra

Celorico da Beira-Protocolo de Cooperação entre Bombeiros e Município

Recentemente aconteceu a assinatura do  Protocolo de Cooperação entre o Município de Celorico da Beira e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Celorico da Beira.
Carlos Ascensão, Presidente da Câmara Municipal e Frederico Sena, Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Celorico da Beira, renovaram nos Paços do Concelho, a assinatura do Protocolo de Cooperação através do qual a Associação Humanitária de Bombeiros irá receber da Autarquia um apoio financeiro anual, distribuído entre subsídios mensais de 1500€ e o pagamento da carteira de seguros de todas as viaturas da Corporação.
Ainda, o Presidente da Câmara deu conhecimento à direção da Corporação, no cumprimento das suas competências, ao abrigo da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, que enviou, esta semana, ao cuidado do senhor Secretário-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI), bem como da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), uma declaração, na qual a Autarquia assume a iniciativa de cooperar com as Autoridades para criar uma nova Equipa de Intervenção Permanente de Bombeiros (EIP)

Figueira de Castelo Rodrigo recebe Campeonato de Portugal de Perícia

O Campeonato de Portugal de Perícias inicia-se em Figueira de Castelo Rodrigo com uma dupla jornada já este sábado dia 24 de julho e com transmissão em direto online para o Facebook do Município de Figueira e do Clube Escape Livre. O campeão nacional em título, Jorge Almeida, encabeça uma lista de, quase, 30 pilotos oriundos de todo o país.

A informação recebida pela Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo e pelo Clube Escape Livre por parte da entidade responsável da saúde não era a esperada, mas, respeitando-a, o Slalom de Castelo Rodrigo e a Grande Perícia Automóvel de Figueira de Castelo Rodrigo não vão ter público.

Para Paulo Langrouva, Presidente do Município, é uma situação que não vem ajudar, mas organizar as provas: “é uma oportunidade, não totalmente aproveitada, mas é uma oportunidade de nestas circunstancias tão limitativas trazer equipas a Figueira e contribuir para a economia local, já de si tão depauperada. Só a nível de hotelaria, o Slalom ocupa, este fim-de-semana, 70% dos alojamentos. Depois há a imagem e o retorno mediático que temos a certeza ajudará a trazer, logo que ultrapassada esta pandemia, muitas pessoas a Figueira de Castelo Rodrigo.”

Já para o presidente do Clube Escape Livre, Luís Celínio: conhecida a decisão havia que tomar medidas permitindo que os milhares de entusiastas que visitam Figueira para o Slalom pudessem assistir ao espetáculo. Daí a transmissão em direto online e daí também a presença de vários meios de comunicação nacional que vão garantir a cobertura total do evento a nível de rádio, imprensa e televisão.”

Este sábado às 14H30 inicia-se o Slalom de Castelo Rodrigo e às 20H30 a Grande Perícia Automóvel de Figueira de Castelo Rodrigo. Inscritos já 24 pilotos. O facto de as inscrições ainda se encontrarem abertas pode aumentar uma lista que é encabeçada pelo primeiro campeão nacional de perícias, Jorge Almeida, a participar com duas viaturas Volkswagen Polo R e Opel Corsa.

Pedro Silveira em BMW, António Borges em Lotus Seven, António Alexandre em Mini, Dino Almeida em Honda S 800, Gonçalo Micaela em BMW Z3, Miguel Vicente em Ford, Fernando Morgado em Toyota, são alguns dos muitos que vão proporcionar um grande espetáculo que não poderá ser vivido presencialmente pelo público, mas pode ser seguido em direto em qualquer parte no Facebook do Município e do Clube.

 

Balanço da Campanha “Taxa Zero ao Volante”

A Campanha de Segurança Rodoviária “Taxa Zero ao Volante” da responsabilidade da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), decorreu nos dias 6 a 12 de julho e teve como objetivo alertar os condutores e todos os ocupantes dos veículos para os riscos da condução sob a influência do álcool.

Inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021, a campanha foi divulgada nos meios digitais e através de cinco ações de sensibilização da ANSR, realizadas em simultâneo com as operações de fiscalização realizadas pela GNR pela PSP, em Lisboa, Bragança, Vila Real, Gouveia e Setúbal.

Na campanha foram sensibilizados 365 condutores e passageiros a quem foram transmitidas as seguintes mensagens:

  • Com uma taxa de álcool no sangue de 0,5 g/l o risco de sofrer um acidente mortal duplica;
  • Os acidentes que decorrem da condução sob a influência do álcool são particularmente graves;
  • Conduzir sob a influência do álcool causa perturbações ao nível cognitivo e do processamento de informação, o que acarreta, entre outros efeitos, uma menor capacidade e rapidez de decisão, aumento do tempo de reação, diminuição do campo visual (visão em túnel) e descoordenação de movimentos.

Durante as operações das Forças de Segurança, realizadas entre os dias 6 e 12 de julho, foram fiscalizados 55.264 veículos, tendo sido registado um total de 14.341 infrações, das quais 622 relativas à condução sob o efeito do álcool.

Número de veículos fiscalizados Total de Infrações Infrações por condução sob a influência do álcool
GNR 32981 8605 537
PSP (22283), dos quais (18438) em território continental (5736), das quais (4853) em território continental (85), das quais (77) em território continental
Total Continental 55264 14341 622

No período da campanha, de 6 a 12 de julho, registou-se um total de 2195 acidentes, de que resultaram 9 vítimas mortais, 53 feridos graves e 756 feridos leves. Relativamente ao período homólogo de 2020, verificaram-se menos 92 acidentes, menos uma vítima mortal, mais sete feridos graves e mais nove feridos leves.

Esta campanha, simultaneamente implementada a nível nacional por todas as entidades envolvidas, foi mais um passo para o envolvimento dos condutores no desígnio de tornar a segurança rodoviária uma responsabilidade de todos.

Festival da Cestaria – Cultura e Arte vai ser no Gonçalo

Decorre na vila de Gonçalo o Festival da Cestaria – Cultura e Arte, na tarde do próximo domingo, dia 11 de julho.
A iniciativa será divulgada online, através da página de FB do festival (https://www.facebook.com/Festival-da-Cestaria) e contará com a Rota das Oficinas dos Cesteiros pelas 16h30, com a inauguração da obra “ Aos Cesteiros de Gonçalo’ de autoria de Pedro Amaral, elaborada o ano passado no âmbito da iniciativa da Câmara “Isto não é um festival”, e que será instalada no Edifício Cultural de Gonçalo às 17h30, e ainda um concerto de encerramento pelas 18h00.

Recorde-se que o objetivo deste ciclo de Festivais passa pela preservação dos valores e recursos culturais e naturais que diferenciam o nosso território, potenciando um olhar atento pela região e homenageando um legado único de um valor inestimável do qual é exemplo a arte da Cestaria em Gonçalo.

PROGRAMA

16h00 – Receção às entidades junto à rotunda

16h30 – Início da ‘Rota das Oficinas – Percurso pelas oficinas de Cesteiros’

17h30 – Inauguração da Obra de Arte ‘Aos Cesteiros de Gonçalo’ de autoria de Pedro Amaral instalada no Edifício Cultural de Gonçalo

18h00 – Concerto de encerramento

1º Aniversário da Classificação da Estrela como Geopark Mundial da UNESCO

Comemoram o 1º Aniversário da Classificação da Estrela como Geopark Mundial da UNESCO.
Neste sentido, entre 10 e 24 de julho serão dinamizadas 9 caminhadas interpretadas, distribuídas pelos 9 municípios que integram este território.
Em anexo, enviamos o programa de atividades desta comemoração.
Para efetuar inscrição, deve enviar apenas o seu nome, contacto telefónico e indicar a caminhada pretendida, através do presente e-mail.

Faleceu Carlos Franco-Uma figura do futebol

Carlos Franco atualmente o Presidente da Escola de Futebol Carlos Franco , faleceu, com 72 anos,  isto é, um homem que vivia e respirava futebol.

Como jogador representou vários clubes a nível Nacional e por cá o CD Gouveia nas suas época de ouro nos nacionais da 2ªdivisão.

Era um central completo e muito temido pelos avançados dos seus adversários, e agora iniciou um clube e neste momento já estava cimentado no panorama distrital.

O Seu funeral terá lugar em vila Verde (Seia) esta terça -feira pelas 17 horas.

ESTUDO:Aves migradoras podem ajudar as plantas

Estudo conclui que aves migradoras podem não conseguir ajudar as plantas a fugir das alterações climáticas

Um estudo publicado ontem na revista Nature, com a participação de investigadores de 13 instituições europeias, incluindo a Universidade de Coimbra (UC) e a Universidade do Porto (UP), concluiu que as aves migradoras dispersam sementes principalmente na direção contrária ao que seria necessário para ajudar as plantas a escapar às alterações climáticas.

As aves migradoras podem ajudar as plantas a adaptarem-se às alterações climáticas comendo os seus frutos e dispersando as suas sementes para locais mais favoráveis. No entanto, este novo estudo mostra que a grande maioria das espécies de sementes de florestas europeias é dispersada por aves durante a sua migração em direção a latitudes mais quentes, no sul, e apenas uma minoria para latitudes mais frias, a norte – ao contrário do que as plantas precisariam para se adaptarem ao aquecimento global.

Os resultados desta investigação são fundamentais para compreender, travar e mitigar os efeitos das alterações climáticas na biodiversidade.

Em consequência do aquecimento global, as condições climáticas ideais para as espécies estão a deslocar-se para latitudes mais frias, levando a uma redistribuição da biodiversidade a nível planetário. Na Europa, este movimento acontece no sentido Sul-Norte. No entanto, enquanto os animais se podem deslocar de forma independente, as plantas dependem, em grande medida, dos animais frugívoros e em especial das aves migradoras, para dispersarem as suas sementes para locais com condições mais favoráveis.

«Sabemos que o clima está, e vai continuar a aquecer, e em resultado disso, muitas espécies na Europa estão a deslocar-se de áreas que se estão a tornar demasiado áridas e quentes – a sul – e a expandir-se para novas áreas onde as condições se estão a tornar mais favoráveis – a norte. Para os animais, incluindo para nós, este movimento é mais fácil, mas muitas plantas precisam da ajuda dos animais, que ao consumirem os seus frutos acabam depois por depositar as sementes em novos locais onde as plantas podem crescer. As aves migradoras, muitas delas deslocando-se centenas de quilómetros em poucas horas, têm um papel muito importante na prestação deste serviço de boleias gratuitas à escala global», explica Ruben Heleno, investigador do Centro de Ecologia Funcional (CFE) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), coautor do estudo.

A investigação baseou-se no estudo das interações entre plantas e aves frugívoras em 13 florestas de 6 países europeus, incluindo uma floresta em Souselas – Coimbra, onde durante 6 anos os investigadores portugueses estudaram quais as espécies de aves que dispersam cada espécie de planta e em que fase da migração. No total, o estudo envolveu 949 interações entre 46 espécies de aves e 81 espécies de plantas com fruto.

O estudo mostra que apenas 35% das espécies de plantas são dispersadas por aves quando estas estão a migrar em direção ao norte, enquanto que 86%, a grande maioria das espécies, são dispersadas quando as aves que consomem os seus frutos estão a voar em direção a latitudes mais quentes a sul.

«As aves migradoras são o veículo perfeito para levar plantas que produzam bagas para novos sítios, e podem ajudá-las a mudar a sua distribuição face às atuais alterações climáticas. Contudo, demonstrámos que somente um terço das plantas pode contar com as aves migradoras para se expandir para norte, de forma a conseguirem manter os seus nichos ecológicos atuais», salienta Luís da Silva, investigador do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO) da Universidade do Porto, coautor do estudo.

 

Algumas aves são especialmente importantes a dispersar as plantas para norte

Na Europa, as aves migram de sul para norte na primavera, e de norte para sul no outono. Este estudo mostra que as aves que passam o inverno no sul da Europa e no norte de África são especialmente importantes para ajudar as plantas a deslocarem-se para latitudes tendencialmente mais favoráveis a norte.

Este importante serviço é providenciado por poucas espécies, entre as quais o Pisco-de-peito-ruivo, a Toutinegra-de-barrete-preto e várias espécies de tordos, todas elas ainda relativamente comuns na Europa. No entanto, algumas delas são caçadas de forma legal e ilegal em vários países da bacia do Mediterrâneo, apesar do seu importante papel ecológico.

Os autores do estudo sugerem que esta dificuldade em encontrar dispersores adequados pode condicionar a composição específica das florestas europeias no futuro, uma vez que muitas plantas podem ficar para trás. As espécies de plantas que não conseguirem acompanhar a deslocação das suas condições preferenciais de sobrevivência terão que enfrentar climas mais áridos, secos e quentes no sul.

O artigo científico está disponível em: https://www.nature.com/articles/s41586-021-03665-2

Universidade de Coimbra