Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Aldeias Históricas de Portugal

Tag Archives: Aldeias Históricas de Portugal

Aldeias Históricas de Portugal premiadas em Espanha como o melhor destino português

As Aldeias Históricas de Portugal foram distinguidas com o galardão “Turismo Português” na sexta edição dos prémios “Gente Viajera al Turismo Extremeño”, promovidos pela rádio espanhola Onda Cero Extremadura.

As Aldeias Históricas de Portugal foram eleitas como o melhor destino português nos prémios “Gente Viajera al Turismo Extremeño”, da rádio espanhola Onda Cero Extremadura.

O objetivo destes prémios é reconhecer o valor do setor turístico e a profissionalização de um setor que tem cada vez mais peso na economia. Os premiados são escolhidos por um comité composto por especialistas da área.

Esta é a sexta edição dos prémios “Gente Viajera al Turismo Extremeño” que, desta vez, entregaram às Aldeias Históricas de Portugal o galardão “Turismo Português”. A entrega de prémios aconteceu no Complejo Cultural San Francisco, em Cáceres.

As Aldeias Históricas de Portugal acumulam, assim, mais uma distinção, após o seu novo filme promocional ter recebido o prémio de Melhor Filme de Turismo do Mundo, na maior competição de filmes de turismo à escala mundial, os “World’s Best Tourism Film Awards – CIFFT Circuit”. Antes disso, o filme “De Corpo e Alma” recebeu o Ouro no Festival Internacional de Cinema de Turismo de África e conquistou a Prata no Festival Internacional de Cinema de Turismo, em Capadócia, na Turquia (ambos na categoria de Produtos Turísticos).

De recordar, ainda, que as Aldeias Históricas de Portugal foram o primeiro destino em rede – à escala mundial –, e o primeiro destino nacional a receber a certificação BIOSPHERE DESTINATION.

Escape Livre apresentou Rota Turística da Estrada Nacional 221

O Clube Escape Livre, com o apoio da SEAT e das Aldeias Históricas de Portugal, apresentou a Rota Turística da EN221, ocasião assinalada com a inauguração do totem turístico junto ao KM0 em Miranda do Douro.

O projeto Rotas de Portugal continua de vento em popa, desbravando caminho por magníficas estradas que nos ligam ao Interior de Portugal. Esta terça-feira, dia 23 de novembro, foi apresentada no Mini-Auditório Municipal de Miranda do Douro a Rota Turística da Estrada Nacional 221.

Com o apoio da SEAT Portugal e das Aldeias Históricas de Portugal e em parceria com todos os Municípios e Comissões Vitivinícolas que esta estrada atravessa, a Rota Turística da Estrada Nacional 221 leva-nos a percorrer estas magnífica estrada de Miranda do Douro até à cidade da Guarda.

Do Douro às portas da Estrela

De Miranda do Douro, onde começa, até à Guarda, seu destino final, podemos percorrer os cerca de 184km da EN221 a serpentear o Douro e a fronteira com Espanha, subir a uma vasta rede de miradouros impressionantes, atravessar o rio e chegar às portas da Serra da Estrela.

A EN221 cruza 6 municípios: Miranda do Douro, Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel e Guarda. Liga a Castelo Rodrigo, Aldeia Histórica de Portugal e cruza três regiões vitivinícolas: Trás-os-Montes, Douro e Beira Interior.

Ao longo da viagem, lugares que nos chamam para descobrir a suas histórias, as suas gentes, as suas ruas, monumentos e museus. Também as muitas praias fluviais, os desafios de condução da “excomungada” e os hotéis e restaurantes que espelham a hospitalidade e os sabores do interior do país.

Inauguração do Totem Turístico

A apresentação do roteiro, realizado a bordo dos novos SEAT Ateca e SEAT Leon FR Sportstourer, continuou com a comitiva a deslocar-se até ao local do KM0 da EN221. Aqui, foi inaugurado o novo totem turístico com um QR Code. Assim, cada um poderá ter acesso ao roteiro e ao mapa GPS via Google Maps que lhe permitirá percorrer toda a EN221.

Três regiões vitivinícolas

A comitiva de convidados e jornalistas seguiu depois até ao Hotel Parador Santa Catarina onde decorreu uma prova de vinhos, cortesia das Comissões Vitivinícolas da Beira Interior, Trás-os-Montes e do Instituto de Vinhos do Douro e Porto. Durante o almoço com pratos típicos de Miranda do Douro, todos puderam saborear vários dos diferentes néctares da EN221, de vários produtores da região, que também merecem destaque na página da Rota Turística.

Um projeto de todos, para todos

A apresentação, onde Helena Barril, Presidente da Câmara de Miranda do Douro foi a anfitriã, contou ainda com a presença de José Relvas, Presidente da Assembleia Municipal da Guarda, Rui Ventura, Presidente da Câmara de Pinhel, Carlos Condesso, Presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, Nuno Ferreira, Presidente da Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta, Márcia Barros, Vereadora da Câmara Municipal de Mogadouro, Ana Alves da Comissão Vitivinícola Regional de Trás-os-Montes e Anabela e José Leite, representantes da SEAT.

Durante o evento, todos fizeram questão de salientar a importância da iniciativa e do seu potencial turístico para todas as regiões.

“Alicerçar a partir de Miranda do Douro uma Rota Turística em parceria com os restantes municípios é um privilégio maravilhoso”, comentou Helena Barril, Presidente da Câmara de Miranda do Douro.

Esta Rota é de extrema importância para Mogadouro já que atravessa todo o concelho e permite a todos visitar os nossos pontos de interesse e aproveitar tudo aquilo que temos para oferecer”, afirmou Márcia Barros, Vereadora da Câmara de Mogadouro.

“Mais do que falar do Interior, esta Rota permite praticar o Interior, que tem cada vez mais valências e mais potencialidades”, disse Nuno Ferreira, Presidente da Câmara de Freixo de Espada à Cinta

Esta Rota vem valorizar todo este território que poucos portugueses conhecem.” salientou Carlos Condesso, Presidente da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo, deixando um apelo “para que todos façam esta Rota que certamente irá ficar marcada na memória de cada um”.

É uma Rota fantástica, não só para se fazer de carro mas, também, de mota ou de bicicleta, aproveitando as diferentes paisagens ao longo do percurso, alavancando todo o potencial destes territórios”, comentou Rui Ventura, Presidente da Câmara de Pinhel.

Estes projetos podem ser o pontapé de saída para o desenvolvimento futuro, aproveitando estas estradas que unem todas estas regiões”, concluiu José Relva, Presidente da Assembleia Municipal da Guarda

“É mais uma forma de, além de promover o território, promover os nossos produtos, sobretudo os nossos vinhos”, comentou Ana Alves da Comissão Vitivinícola de Trás-os-Montes.

Para José Leite, representante da SEAT, “a responsabilidade da nossa marca é continuar a fazer parte da solução de mobilidade, sobretudo associando-nos a estes projetos que também enaltecem todos os territórios onde passam”.

“Acreditamos que as Rotas de Portugal têm um enorme potencial de atração turística. Mas este é apenas o primeiro passo da viagem. Agora é preciso que todos os municípios e agentes de promoção do território trabalhem, em conjunto, e encontrem novas formas de promover e divulgar esta Rota.”, resumiu Luís Coelho, Diretor Criativo do Escape Livre e responsável do projeto

As Rotas de Portugal regressam já no início de 2022, com a Rota Turística da Estrada Nacional 17, a célebre Estrada da Beira, que liga Coimbra a Celorico da Beira, concluindo com a EN16 que atravessa Portugal de Aveiro a Vilar Formoso.

Aldeias Históricas de Portugal participam na Cimeira do Clima COP26

 

As Aldeias Históricas de Portugal são o único destino português convidado para a conferência “From Policy to Pratice: Responsible Heritage Tourism for Scotland”, integrada na COP26, a Cimeira do Clima que decorre em Glasgow, na Escócia. Dalila Dias, Coordenadora Executiva da Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico, vai partilhar boas práticas ao nível do turismo responsável, numa sessão virtual, no próximo dia 11 de novembro.

É a mais importante cimeira do clima desde o Acordo de Paris: a COP26 decorre até 12 de novembro, em Glasgow, na Escócia, e as Aldeias Históricas de Portugal foram convidadas a participar. A Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico vai integrar o painel da conferência “From Policy to Pratice: Responsible Heritage Tourism for Scotland”, que acontece em ambiente virtual, no próximo dia 11 de novembro, às 10h00.

As Aldeias Históricas de Portugal são o único destino português convidado. Dalila Dias, Coordenadora Executiva das Aldeias Históricas de Portugal, vai partilhar boas práticas ao nível do turismo responsável, ao lado de vários representantes de entidades turísticas do país escocês e de Giorgia Cesaro, da UNESCO.

Na sessão, serão discutidos temas como, por exemplo, a redução das emissões de carbono, a economia circular no turismo, o trabalho em rede, a participação da comunidade, e a criação de valor a partir de práticas sustentáveis, equidade e acessibilidade.

Um convite que prova, mais uma vez, o compromisso das Aldeias Históricas de Portugal com a sustentabilidade, e o reconhecimento internacional do caminho que tem vindo a desenvolver desde 2016, em prol do desenvolvimento sustentável da Rede, conferindo-lhe um posicionamento distintivo no cômputo dos demais destinos à escala mundial. De recordar que as Aldeias Históricas de Portugal são o primeiro destino em rede, a nível mundial, a receber a certificação BIOSPHERE DESTINATION; o primeiro território português a liderar a comunidade internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis; e, juntamente com o Instituto de Turismo Responsável, o autor de uma Declaração em prol da Sustentabilidade no Turismo.

Aldeias Históricas de Portugal vencem Melhor Filme de Turismo do Mundo

O novo filme promocional das Aldeias Históricas de Portugal, “De Corpo e Alma”, produzido pela Lobby Films and Advertising, acaba de ser eleito o Melhor Filme de Turismo do Mundo, na maior competição de filmes de turismo à escala mundial, os “World’s Best Tourism Film Awards – CIFFT Circuit”.

“De Corpo e Alma”, o novo filme promocional das Aldeias Históricas de Portugal, é o Melhor Filme de Turismo do Mundo. Nomeado para a maior competição de filmes de turismo à escala mundial, os “World’s Best Tourism Film Awards – CIFFT Circuit”, o filme, produzido pela Lobby Films and Advertising, e realizado por Telmo Martins, venceu o prémio “CIFFT Best World Tourism Film «People’s Choice» Award 2021”, tendo sido a produção mais votada – com 8133 votos em 30 países.

De 1 a 25 de outubro, o público, a nível mundial, foi convidado a votar no seu filme de turismo favorito na competição online do prémio “CIFFT Best World Tourism Film «People’s Choice» 2021”, tendo sido possível votar todos os dias, uma vez por dia.

O filme das Aldeias Históricas de Portugal sagrou-se vencedor face a uma forte concorrência: nesta 4.ª edição do prémio CIFFT “People’s Choice”, concorreram 40 vídeos de 16 países, alcançando quase 46 mil votos em 30 países.

Com uma narrativa marcante e personagens que fizeram História, como os reis D. Dinis, D. João, e Pedro Álvares Cabral, que descobriu o Brasil e nasceu e cresceu em Belmonte, uma das 12 Aldeias Históricas de Portugal, o filme “De Corpo e Alma” leva o espectador numa viagem intensa pelas Aldeias Históricas de Portugal, explorando a visão, a audição e o coração. Construídas em granito e xisto, as Aldeias Históricas de Portugal guardam histórias de conquistas e tradições ancestrais. A sua identidade assenta não só no património arquitetónico e natural, mas também em elementos imateriais relacionados com o património histórico e cultural.

“As conquistas na vida das Aldeias Históricas de Portugal são o pretérito perfeito e imperfeito. E a prova mais evidente de que as conquistas continuam é o prémio “Melhor Filme de Turismo do Mundo – People´s Choice”. É uma forma de fazermos jus aos nossos antepassados pelo legado, de agradecermos às comunidades que habitam nas Aldeias Históricas e de consciencializarmos as gerações mais novas para fazerem perdurar esta identidade. Através da sétima arte, podemos assim imortalizar as histórias e estórias de 12 Aldeias Históricas de Portugal – 1 destino que são 12, e acreditamos que o prémio Melhor Filme de Turismo do Mundo – People´s Choice em muito contribuirá para o robustecimento das indústrias culturais e criativas no território. Todos são bem-vindos! Todos podem aqui viver a sua História, comentou Dalila Dias, Coordenadora Executiva das Aldeias Históricas de Portugal, sobre o prémio.

Telmo Martins, da Lobby Films and Advertising, realizador do filme, comentou que “vencer uma competição deste altíssimo nível, com reconhecimento a nível Mundial e comparada aos Óscares dos Filmes de Turismo, deixa-me profundamente feliz e com a sensação de dever cumprido. Este prémio atesta ainda a qualidade do filme produzido, entre tantos de grande qualidade. Inevitavelmente, não nos podemos esquecer que o objetivo da produção deste filme é promover o incrível produto “Aldeias Históricas de Portugal”, a sua identidade, história, beleza e atmosfera. São realmente 12 aldeias únicas no Mundo, que chegam mais longe e permitem uma gigante promoção com este valioso prémio”.

Mais uma vez, este prémio comprova a atratividade das 12 Aldeias Históricas de Portugal, não só para o turismo, como também para o universo das indústrias culturais e criativas. Aliás, este é um eixo estruturante na política de ativação e dinamização da Rede no domínio socioeconómico e que se pretende ver em crescimento na próxima década (Estratégia Aldeias Históricas de Portugal 2030), com vista à diversificação do tecido empresarial do território. Um objetivo que parte das competências já existentes e outras que estão a ser criadas por via do sistema científico instalado na região, com abordagem especializada nesta área.

O filme “De Corpo e Alma” é uma iniciativa apoiada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).

O Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021em Idanha

Sabores e iguarias de Idanha-a-Velha inspiram um dia pleno de emoções na Aldeia Histórica

Sob o mote “Nas Terras do Rei Wamba… Há Pão!”, o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021 promove, no próximo dia 30 de outubro, um dia dedicado à gastronomia da Aldeia Histórica, com muitas surpresas e atividades para todos os gostos e idades.

Reza a lenda que, no lugar que hoje conhecemos como a Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, um humilde lavrador chamado Wamba tornou-se rei dos Visigodos (um dos vários povos que passou por aquele território). Ancorada numa paisagem de montado e olival, naquele tempo e até hoje, o sustento dos homens andou sempre de mão dada com a terra.

A gastronomia é, por isso, um dos grandes atrativos da Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, sendo o mote para o décimo evento do Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021 que, durante todo o ano, leva animação e cultura às 12 Aldeias Históricas de Portugal.

Com o tema “Nas Terras do Rei Wamba… Há Pão!”, no próximo dia 30 de outubro, visitantes e habitantes podem participar, por exemplo, em workshops para aprender a fazer pão ou “borrachões” (biscoito típico da Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha), visitar a mostra de produtos endógenos, ouvir “Estórias de Pão” (atividade direcionada para o público infanto-juvenil), assistir ao lançamento do Fascículo II de receitas desenvolvidas e confeccionadas nos workshops das edições 2020/2021 do Ciclo de eventos “12 em Rede” ou ao showcooking “Ervas e Aromas” com a chef Maria Caldeira de Sousa.

Como, pelo notável conjunto de ruínas que conserva, a Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha é uma das mais importantes estações arqueológicas do país, o evento irá incluir, também, momentos lúdico-educativos sobre o tema. Por exemplo, duas visitas ao atelier “MosaicoLab”, que se irão focar no legado da arte do mosaico pela civilização romana, e que pode ser observado em Idanha-a-Velha, e um percurso orientado pela extraordinária coleção epigráfica da Aldeia Histórica. As visitas atelier “MosaicoLab” repetem-se ainda no dia seguinte, domingo, dia 31 de outubro.

Não faltará também um momento musical, com a acordeonista, cantora e compositora Celina da Piedade, cuja sonoridade folk, inspirada no cancioneiro tradicional alentejano, promete terminar o dia de sábado, em grande, na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha.

Devido à pandemia, a participação no evento será limitada e sujeita a inscrição prévia – mas a festa poderá ser sentida e vivida em todo o mundo, via streaming, no Facebook das Aldeias Históricas de Portugal.

A inscrição, que é gratuita, pode ser feita para a totalidade do evento ou apenas para um momento específico, como um concerto ou uma visita guiada – sendo que o limite de participantes dependerá do espaço e da tipologia de cada atividade. Pode inscrever-se para o evento na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha junto do Gabinete de Turismo da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, de forma presencial ou através do número de telefone 277202900 ou do turismo@cm-idanhanova.pt, ou o Posto de Turismo de Idanha-a-Velha, de forma presencial.

O evento é promovido pela Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico, numa organização do Município de Idanha-a-Nova, Junta de Freguesia da União de Freguesias de Monsanto e Idanha-a-Velha, Associações e Agentes Económicos locais. Uma iniciativa apoiada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).

Entre nesta festa e viva um dia inesquecível na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha!

Programa do evento e limite de participantes:

30 de outubro
08h – 17h – Vamos ao Forno!
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

11h – 12h – Atelier de Borrachões
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

10h – 17h – Mostra de Produtos Endógenos
Local: Envolvente da Sé / Lagar de Varas

10h – 12h – Atelier MosaicoLab #1
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
10 pax máx

10h – 12h – Estórias de Pão #1
Local: Antiga Casa da Câmara
10 pax máx

10h30 – Receituário Colecionável | Lançamento Fascículo II
Local: Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha
50 pax máx

11h – Visita Orientada| Árvores com História
Início: Porta Norte
12 pax máx

14h – 16h – Visita Atelier MosaicoLab #2
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
12 pax máx

14h – 16h – Estórias de Pão #2
Local: Antiga Casa da Câmara
10 pax máx

15h – Showcooking | Ervas e Aromas – entre a História e a Tradição
Local: Palheiros de São Dâmaso
10 pax máx

15h30 – Prova de Bolos de Forno
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

16h – Artes de Rua | Rasto – Companhia Erva Daninha
Local: Exterior da Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha

17h15 – Visita Orientada | Valete Vos Viatores
Local: Pavilhão Epigráfico
12 pax máx

21h – Concerto | Celina da Piedade
Local: Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha
Sujeito à lotação do espaço

31 de outubro
Visita Atelier MosaicoLab
Sessão #1 – 10h30
Sessão #2 – 12h30
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
12 pax máx

A festa só acaba em novembro!
O Ciclo “12 em rede – Aldeias em Festa” 2021 só termina em novembro! Depois de Idanha-a-Velha, a festa segue para Monsanto, a 6 de novembro.

“De Corpo e Alma” premiado com Ouro e Prata

Novo filme promocional das Aldeias Históricas de Portugal premiado em dois conceituados festivais de cinema de turismo

“De Corpo e Alma”, o novo filme promocional das Aldeias Históricas de Portugal, produzido pela Lobby Films and Advertising, acaba de receber duas importantes distinções: Ouro no Festival Internacional de Cinema de Turismo de África e Prata no Festival Internacional de Cinema de Turismo, Capadócia, Turquia. Os dois prémios foram conquistados na categoria de Produtos Turísticos.

Apesar da forte concorrência – só no Festival Internacional de Cinema de Turismo de África estiveram a concurso mais de mil filmes, provenientes de 94 países! – a estreia das Aldeias Históricas de Portugal na maior competição de filmes de turismo à escala mundial, os “World’s Best Tourism Film Awards – CIFFT Circuit”, não podia ter começado de forma mais positiva: o filme “De Corpo e Alma” arrebatou o Ouro no Festival Internacional de Cinema de Turismo de África e conquistou Prata no Festival Internacional de Cinema de Turismo, Capadócia, Turquia, ambos na categoria de Produtos Turísticos.

Estes prémios representam o reconhecimento internacional da qualidade técnica e criativa do filme realizado por Telmo Martins, e produzido pela Lobby Films and Advertising, em parceria com a Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico, mas também da estratégia de comunicação delineada para o território e isto de acordo com a exigência de um júri internacional composto por prestigiados profissionais internacionais da área do turismo e promoção/comunicação turística.

Por outro lado, estes prémios demonstram, mais uma vez, a atratividade das 12 Aldeias Históricas de Portugal, não só para o turismo, como também para o universo das indústrias culturais e criativas. Este é, aliás, um eixo estruturante na política de ativação e dinamização da Rede no domínio socioeconómico e que se pretende ver em crescimento na próxima década (Estratégia Aldeias Históricas de Portugal 2030), com vista à diversificação do tecido empresarial do território. Um objetivo que parte das competências já existentes e outras que estão a ser criadas por via do sistema científico instalado na região, com abordagem especializada nesta área.

Com estas distinções, o filme “De Corpo e Alma” entra, assim, com o pé direito na maior competição de filmes de turismo à escala mundial, os “World’s Best Tourism Film Awards – CIFFT Circuit”, composto pelos 14 maiores e mais prestigiados festivais de filmes de turismo. Mais uma importante ferramenta de comunicação das Aldeias Históricas de Portugal, com vista ao reforço da notoriedade internacional do território.

Sobre a Rede das Aldeias Históricas de Portugal
Perdidas entre montes e vales da verdejante paisagem do interior de Portugal, repletas de lendas e castelos, sabores e tradições, há 12 singelas aldeias onde apetece perdermo-nos, para nunca mais nos encontrarmos. Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso: as Aldeias Históricas de Portugal, um destino que são 12, são paraísos escondidos que nos levam numa viagem ao tempo de reis e rainhas, épicas e infinitas batalhas que escreveram a História como a conhecemos hoje. Viajar até às Aldeias Históricas de Portugal é, assim, descobrir a História de um país de temerários conquistadores, através das pedras das suas calçadas e das suas frondosas muralhas e castelos, orgulhosa e imponentemente erguidos. É, ainda, a garantia de momentos inesquecíveis de lazer, aventura e descoberta, temperados com os inigualáveis aromas e sabores da região, que compõem a sua típica gastronomia. No território das Aldeias Históricas de Portugal há um sem fim de trilhos para caminhadas e percursos de bicicleta e BTT – como a Grande Rota 22 (GR), a maior rota de Walking & Cycling em Portugal, com cerca de 600 km.
As Aldeias Históricas de Portugal são o primeiro destino em rede – à escala mundial –, e o primeiro destino nacional a receber a certificação BIOSPHERE DESTINATION.
A Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal (GR22) é a maior rota europeia para caminhadas com selo Leading Quality Trails – Best of Europe, entregue pela European Ramblers Association (Associação Europeia de Caminhada).

Aldeias Históricas de Portugal dão inspiração aos espanhóis

Um grupo de representantes de várias localidades históricas da província de Badajoz (Espanha) visitou as Aldeias Históricas de Portugal, com o objetivo de adquirir conhecimento sobre a sua abordagem de desenvolvimento territorial, de modo a criar uma rede de 12 Conjuntos Históricos na província de Badajoz.

Rede das Aldeias Históricas de Portugal tem sido cada vez mais procurada como exemplo de boas práticas, tanto no plano nacional como internacional. Depois de, em novembro de 2018, ter sido o primeiro destino em rede – a nível mundial –, a receber o certificado BIOSPHERE DESTINATION, em junho de 2019 acolheu o 1.º encontro de técnicos de turismo da CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa, que veio conhecer o projeto da Rede como exemplo de boas práticas na recuperação de património. Em janeiro de 2020, a Rede das Aldeias Históricas de Portugal tornou-se o primeiro território português a liderar a comunidade internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis.

Esta semana, as Aldeias Históricas de Portugal receberam a visita de uma comitiva de representantes de várias localidades históricas da província de Badajoz (Espanha), cujo objetivo é conhecer a sua metodologia de trabalho, com vista a criar uma rede de 12 Conjuntos Históricos na Província de Badajoz, ao abrigo do projeto de Cooperação Transfronteiriça GLOBALTUR-EUROACE. Marcam presença, entre vários autarcas e deputados, o Deputado de Turismo de Província de Badajoz.

Nesta visita, a Rede das Aldeias Históricas de Portugal deu a conhecer, à Diputación de Badajoz, a sua estratégia de desenvolvimento territorial, onde se enquadram o vasto património histórico-cultural, a gastronomia, os vinhos, a natureza, os costumes e tradições, e a promoção de “um destino que são 12”, sem igual em todo o mundo, servindo assim de exemplo para os seus congéneres espanhóis.

Sobre a visita, Gonzalo de la Granja Villoslada, Consultor de Turismo do Ayuntamiento de Olivenza, comentou que “o projeto tem um atrativo social, económico e turístico muito interessante. É notório o potencial de todas as Aldeias Históricas que visitámos, assim como o envolvimento de projetos públicos e privados. É impressionante também o profissionalismo de todos os setores aliados ao turismo. A informação, para o turista, está desde logo acessível. Nota-se uma grande aposta a nível tecnológico. Agora, com o que aprendemos, vamos criar a base para o nosso projeto”.

Já Joaquina Hernández, Técnica Consultora da Magnus Nature, disse que “as Aldeias Históricas de Portugal, para nós, são um exemplo magnífico, fantástico, de trabalho em rede, que envolve o desenvolvimento turístico, da comunidade, das empresas, a sustentabilidade, e sobretudo a economia, em territórios despovoados. São modelos de sucesso. Nesta visita, aprendemos muito. As Aldeias Históricas de Portugal são especialistas a trabalhar em rede, algo que não é fácil, pois é preciso envolver municípios, comunidades e empresas. As Aldeias Históricas de Portugal mostram um imenso profissionalismo em todo o seu trabalho e provam que tudo é possível”.

María Soledad López, Técnica de Turismo da Diputación de Badajoz, explicou que “queremos criar uma rede com os 12 Conjuntos Históricos na Província de Badajoz, e para isso escolhemos o modelo de sucesso das Aldeias Históricas de Portugal para nos inspirarmos. As Aldeias Históricas de Portugal são uma referência no turismo rural, e um exemplo que queremos imitar”.

As Aldeias Históricas de Portugal são o primeiro destino em rede – à escala mundial –, e o primeiro destino nacional a receber a certificação BIOSPHERE DESTINATION.

A Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal (GR22) é a maior rota europeia para caminhadas com selo Leading Quality Trails – Best of Europe, entregue pela European Ramblers Association (Associação Europeia de Caminhada).

Aldeias Históricas de Portugal voltam a celebrar a cultura, as tradições e o património

As festas estão de regresso às Aldeias Históricas de Portugal! Entre junho e novembro, a cultura, a gastronomia, as tradições, os costumes, o património, as lendas e os mitos de cada uma das 12 aldeias que integram a rede, voltam a ser o mote para mais uma edição – a quinta! – do Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa”. Uma dúzia de eventos que estão a ser preparados para a participação presencial de público, ainda que mantendo a aposta no “live streaming”, que se revelou um sucesso em 2020.

Quando o desconfinamento for uma realidade, às Aldeias Históricas de Portugal não faltam argumentos para serem um dos destinos de eleição dos portugueses. Para além da maior segurança que um destino não-massificado proporciona, há muitos segredos para descobrir ou simplesmente redescobrir: a História e o extraordinário património edificado; a natureza ainda intacta pronta a ser experienciada em atividades de lazer, desporto ou aventura; a gastronomia e os vinhos identitários; mas também diferentes propostas de cultura e animação.

Nesse particular, destaque para o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa”. Uma iniciativa que, pelo quinto ano consecutivo, celebra e promove o património cultural material e imaterial das Aldeias Históricas de Portugal, através de uma programação cultural genuinamente diferenciadora, assente em animações diversas, como visitas teatralizadas, workshops, novo circo, música e, claro, na gastronomia.

Com início a 5 de junho, em Trancoso, e término a 6 de novembro, em Monsanto, o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” percorre as 12 Aldeias Históricas que compõem a rede. E à semelhança das edições anteriores, como ponto de partida de cada evento estará sempre algo que pertence à memória coletiva de cada aldeia, como uma personagem, uma lenda ou um conto tradicional, um acontecimento histórico ou um elemento patrimonial. Ou seja, a História, mas também as estórias e as lendas do território vão sair dos livros e do imaginário da comunidade e ganhar vida nas ruas de cada aldeia.

Uma iniciativa, que tendo em conta a conjuntura, também constitui uma excelente oportunidade para ajudar à recuperação e dinamização económica do território, uma vez que será realizada com “portas” abertas ao público, se as regras de desconfinamento assim o permitirem, mas nunca descurando a segurança sanitária e a aplicação das medidas que, na altura, estiverem em vigor. Nesse sentido, recorde-se que, em 2020, as Aldeias Históricas de Portugal foram o primeiro – e único! – destino em rede do país a implementar um rigoroso plano operacional de combate à Covid-19, com o objetivo de reforçar as 12 aldeias da rede como destino seguro e sustentável.

No entanto, independentemente da abertura do Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” ao público presencial, os eventos voltarão a beneficiar de cobertura “live streaming”. Uma aposta de enorme sucesso em 2020, como confirmam os números: quase meio milhão de pessoas alcançadas em 14 países e quase 82.000 minutos de visualizações. Ou seja, um tempo total que corresponde a cerca de 55 dias de visualizações!

Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” começa em Trancoso, no dia 5 de junho, seguindo-se Castelo Novo (19 de junho), Castelo Mendo (26 de junho), Sortelha (3 de julho), Belmonte (10 de julho), Almeida (17 de julho), Linhares da Beira (31 de julho), Castelo Rodrigo (28 de agosto), Marialva (18 de setembro), Piódão (25 de setembro), Idanha-a-Velha (30 de outubro) e Monsanto (6 de novembro).

Por último, sublinhe-se que, por ser organizado de acordo com os requisitos internacionais de sustentabilidade, o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” será, pelo terceiro ano consecutivo, o único ciclo de eventos em rede, a nível mundial, com certificação BIOSPHERE© Events.

Aldeias Históricas de Portugal mantêm certificação Biosphere Destination

Depois de, em novembro de 2018, ter sido o primeiro destino em rede – no Mundo! – distinguido com o certificado BIOSPHERE DESTINATION, a Associação Aldeias Históricas de Portugal volta a ser reconhecida pelo modelo de turismo que, desde 2016, tem implementado no território. Um modelo que tem visado o cumprimento das 17 metas globais estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas, no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em linha com o trabalho que a associação tem desenvolvido em resposta às necessidades das comunidades, agentes públicos e privados, bem como o cada vez maior número de turistas que se rende ao território.

A certificação BIOSPHERE DESTINATION é uma distinção da GSTC – Global Sustainable Tourism Council. A entidade que, à escala global, estabelece os pressupostos de um turismo sustentável, de acordo com as orientações da UNESCO e da Carta Mundial de Turismo Sustentável.

Uma certificação que é concedida aos destinos que garantem uma estratégia e um equilíbrio adequados, tanto a nível económico, como sociocultural e ambiental.

O apoio às comunidades locais, a minimização do impacto ambiental, a preservação e a sustentabilidade do património cultural, bem como a promoção das boas práticas, têm sido áreas prioritárias na intervenção que a Associação Aldeias Históricas de Portugal tem feito no território.

De acordo com essa estratégia, destaque para os projetos implementados só no último ano, que igualmente contribuíram para que as Aldeias Históricas de Portugal vissem renovada a certificação BIOSPHERE DESTINATION:

“Receitas que Contam Histórias – Gastronomia e Vinhos das Aldeias Históricas de Portugal”. Um projeto que começou com a recolha de testemunhos junto da população residente, com vista à recolha detalhada dos saberes, receitas, métodos de confeção, especificidades, tradições e produtos endógenos existentes ou que até se tenham “perdido” no tempo. Ou seja, a informação necessária para a inventariação do cardápio gastronómico do território, assim como dos métodos de confeção dos pratos, com o objetivo de ser perpetuada em diferentes suportes de comunicação, mas também promovida junto do sector da restauração e hotelaria local (com harmonização de vinhos da região). Um projeto que reforça as Aldeias Históricas de Portugal como um destino turístico verdadeiramente singular e excecional também na área da gastronomia e que vai de encontro à “Estratégia Farm to Fork”, um dos vetores de atuação do Pacto Ecológico Europeu, que visa tornar os sistemas alimentares justos, saudáveis e ecológicos.

“Aldeias Históricas de Portugal | Um Destino Mais Inteligente”. Um projeto desenvolvido em parceria com a Altice Portugal, que permitiu dotar as 12 Aldeias Históricas de Portugal de tecnologias wireless de qualidade (entre outras estruturas digitais), tornando-se assim o primeiro destino, em rede, totalmente coberto com fibra ótica e com wi-fi gratuito. Uma infraestrutura igualmente decisiva para o desenvolvimento de iniciativas e de projetos que não dispensam o digital como ferramenta ou instrumento de trabalho. Ou seja, o reforço das Aldeias Históricas de Portugal como um destino (também) inteligente, que melhorou a qualidade de vida dos residentes, incrementou a experiência do turista, bem como as condições dos profissionais que exercem a atividade no território e dos que também ponderam essa possibilidade. Para além disso, através de um sistema beacon, por tecnologia Bluetooth e de uma aplicação desenvolvida para smartphones, as Aldeias Históricas de Portugal passaram a poder interagir com os visitantes, fornecendo informação georreferenciada e contextual, eventos e outras notícias úteis, para além de disponibilizarem áudio guias em várias línguas e com conteúdos que cumprem com a regra da infoacessibilidade. Ou seja, recursos que permitiram quase eliminar a produção de suportes de comunicação em papel.

Rede de Percursos Cicláveis Aldeias Históricas de Portugal. Com o objetivo de promover as práticas de mobilidade suave e sustentável da bicicleta, entre as 12 aldeias que integram a Rede, foi identificada e categorizada uma rede de percursos cicláveis em estrada, num total de cerca de 3.500 quilómetros, divididos por 46 percursos – a maior rede de percursos cicláveis do país!
Recorde-se que as Aldeias Históricas de Portugal já beneficiavam de inúmeros percursos para caminhadas e BTT, desde as pequenas rotas, até à Grande Rota 22 (GR). Com cerca de 600 quilómetros, não apenas a maior rota de Walking & Cycling em Portugal, mas também a maior rota europeia para caminhadas com selo Leading Quality Trails – Best of Europe, entregue pela European Ramblers Association (Associação Europeia de Caminhada).

Uma referência final para o projeto “Aldeias Históricas de Portugal All For All”. Um programa que tem sido desenvolvido com o objetivo de melhorar a acessibilidade geral das aldeias, tornando-as mais inclusivas.