Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: viseu (Pagina 10)

Tag Archives: viseu

Comboio regressa a Viseu

Comboio regressa a Viseu
Foto:J.Sérgio /Sol

O comboio vai voltar a circular no Vale do Vouga, fazendo a ligação
entre o Porto de Aveiro, Viseu e Vila Franca das Naves, onde encaixará
na Linha da Beira Alta, seguindo depois para Espanha. A decisão está
tomada e se a solução encontrada ficar abaixo dos 1,4 mil milhões de
euros será uma realidade. O Governo está a negociar a solução com a
União Europeia (UE) e impôs silêncio às associações empresariais.

Os responsáveis políticos ouvidos pelo SOL consideram que a
nova ligação é uma exigência para que o noroeste peninsular não fique
isolado

A ligação que o Governo negoceia com a UE retoma o projecto
de 2009, do troço designado Lote 4A – entre Aveiro e Celorico da Beira,
acordado com Espanha. Será em bitola europeia e ligará o noroeste
peninsular, através da ligação da Linha do Norte a Salamanca, incluído
nas redes transeuropeias. O atravessamento da fronteira a norte de Vilar
Formoso possibilita a ligação em pouco mais de 130 km, o que encaixa
nos orçamentos previsíveis.
O troço terá uma extensão de 110 km, com passagem por Viseu. O custo
por quilómetro aponta para 10 milhões de euros e pressupõe 60
quilómetros de via única. Quanto ao financiamento, o valor final está
ainda por definir. Um estudo do Grupo de Trabalho Centro e Norte, que
reúne as associações empresariais de Portugal, Minho e Centro, aponta
para um investimento de 1,9 mil milhões de euros, um valor
“incomportável porque equivale ao dinheiro que o país dispõe para o
investimento total em ferrovia”, sustenta um responsável político ouvido
pelo SOL.
Quebrar o isolamento
Todavia, lembra que o estudo foi feito com base numa via dupla,
quando se prevê agora uma via única, capaz de garantir velocidades até
250 km em bitola europeia, a que acresce um ramal de ligação a Viseu, de
5 km, e outro entre Vila Franca das Naves e a Plataforma Logística da
Guarda. Essa solução fará Portugal “honrar os compromissos e dividir as
verbas disponíveis entre a ligação Aveiro-Salamanca e Sines-Badajoz”,
acrescenta.
Os responsáveis políticos ouvidos pelo SOL consideram que a nova
ligação é uma exigência para que o noroeste peninsular não fique
isolado. Essa é a convicção do presidente da Câmara de Viseu, que num
encontro com jornalistas prometeu que a cidade “irá voltar a dispor de
ferrovia”. Apesar das insistências, Almeida Henriques pouco mais
adianta, mas assume que “será uma evidência a curto prazo”. Também o
autarca da Guarda assume a “vontade política para a construção, com
financiamento europeu”. Álvaro Amaro pede “um compromisso entre os
partidos do arco do Governo para que o país não marque passo”, numa
solução que permitirá “servir os portos de Leixões, Aveiro e Figueira da
Foz e quebrar o isolamento do país em ferrovia”.
Esta ligação tem sido reclamada pelos franceses da PSA, que têm duas
fábricas de automóveis Peugeot Citröen, em Vigo e Mangualde. Carlos
Tavares, o presidente do grupo, tem insistido que a ligação
Vigo-Mangualde permitiria reduzir os custos de operação em 20%, ajudando
à manutenção da fábrica em Mangualde. Também a mina de ferro de Torre
de Moncorvo tem um estudo que aponta para a viabilidade apenas com a
exportação do minério, a partir de Vila Franca das Naves e dali para o
Porto de Aveiro.
Nas associações empresariais de Portugal e do Minho ninguém assume
mas, sob anonimato, os dirigentes reconhecem a existência de
negociações. O primeiro sinal de que o anúncio da nova construção está
por um fio foi sentido em Cacia, nos arredores de Aveiro, uma zona
industrial onde a procura por terrenos disparou.
fonte:Sol

Novo Presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Viseu recebido no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Nelas

NOVO PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DE BOMBEIROS DO DISTRITO DE VISEU RECEBIDO NO SALÃO NOBRE DOS PAÇOS DO CONCELHO DE NELAS
  A convite do Executivo Municipal e no
seguimento da recém-eleição dos novos órgãos sociais da Federação de
Bombeiros do Distrito de Viseu teve lugar no Salão Nobre da Câmara
Municipal de Nelas uma receção com os principais responsáveis locais e
distritais dos Bombeiros, onde foram definidas possíveis estratégias a
serem tomadas no exercício das suas funções, em conjugação de esforços
com as corporações dos Bombeiros Voluntários locais de forma a garantir e
melhorar o bem-estar das populações.


Na reunião além do Presidente
da Câmara de Nelas, Dr. Borges da Silva, do Vice-Presidente Dr.
Alexandre Borges e do Presidente da Assembleia Municipal Prof. António
Manuel Borges, estiveram também alguns novos elementos da Federação de
Bombeiros do Distrito de Viseu, nomeadamente o seu Presidente Dr. José
Amaro (Presidente dos B.V. de Tarouca), os Vice-Presidentes Miguel
Ângelo David (Comandante dos B.V. Carregal do Sal) e João Rodrigues
(Comandante dos B.V. Canas de Senhorim), o Secretário Adjunto Guilherme
Almeida (Comandante dos B.V. de Nelas) e os Suplentes da Direção
Humberto Sarmento David (Comandante B. V. Tarouca) e Heldér Ambrósio
(Presidente dos B.V. Canas de Senhorim) bem como o Suplente do Conselho
Fiscal José António Montenegro (Presidente dos B.V. de Nelas).
Pelas
21 horas reuniram no Multiusos em Nelas, os membros de todos os órgãos
sociais da Federação para preparar o futuro, a começar na tomada de
posse agendada para o próximo dia 16 de Janeiro. Temos assim, enaltecido
o espírito de estreito relacionamento institucional entre o Município
de Nelas, os seus corpos de Bombeiros e os seus representantes do
Distrito de Viseu, sendo que no estreitamento desses laços, em
particular do Presidente da Câmara com o Presidente da Federação, que
chegam a ser familiares, muito se deseja em termos de aumento na
proximidade entre todas as instituições.

Fonte:Município de Nelas

Viseu recebe tertúlia “Não à violência doméstica”

“Não à violência doméstica” em sessão a 21 de Novembro

O Município de Viseu realiza a 21 de novembro, sexta-feira, a sessão pública “Não à violência doméstica”,
pelas 21 horas, na Associação Comercial do Distrito de Viseu. O programa
da sessão conta com uma mesa de debate “Violência doméstica: que
respostas?”
com Elza Pais e Mónica Ferro, deputadas à Assembleia da
República, Maria José Guerra, presidente do Tribunal da Comarca de
Viseu, e Carla Andrade, representante do Núcleo de Apoio à Vítima de
Violência Doméstica de Viseu. Cristina Paula Gomes, da Mesa da
Assembleia Municipal, modera o debate. Mota Faria, presidente da
Assembleia Municipal de Viseu, e Almeida Henriques, presidente da
Câmara, participam da sessão de abertura e de encerramento,
respetivamente.
Fonte:Município de Viseu

Orçamento de 2015 aprovado em Viseu

Assembleia Municipal aprova orçamento para 2015

Proposta recebeu os votos favoráveis dos deputados do PSD e dos presidentes de junta e os votos contra dos deputados da oposição

A
proposta de orçamento da autarquia para 2015 foi ontem aprovada pelos
deputados da Assembleia Municipal, contando com o voto contra de toda a
oposição (PS, CDU e BE).
Durante a discussão do documento, o presidente da Câmara, Almeida
Henriques, classificou o orçamento de “realista, transparente e
equilibrado”, que aposta na vertente social e económica, explicando que
as funções sociais e económicas vão absorver mais de 81 por cento do
total das Grandes Opções do Plano (GOP) para 2015, ou seja, 29,5 milhões
de euros do total de 83,3 milhões de euros.
fonte:José Fonseca -Diário Viseu

Cidade de viriato promove Festas das Vindimas

Câmara de Viseu ambiciona promover a cidade como destino vinhateiro

“Queremos que a ‘Festa das Vindimas’ se assuma como cartaz
turístico de Viseu enquanto cidade vinhateira. Pretendemos que seja a
assunção de Viseu como destino vinhateiro”, disse.

A “Festa das Vindimas”, integrada no programa do Município “Viseu
& Vinho Dão Festa”, apresenta-se com um conjunto de eventos
dedicados à enogastronomia, experiências de vindima, a 1.ª Meia-Maratona
do Dão e ainda um concerto no centro histórico.

fonte:Agência Lusa

Startup Weekend decorreu na cidade de Viseu

O Startup Weekend é um movimento global de empreendedores activos e com
empowerment que estão a aprender os princípios base para a criação de
startups e para o lançamento de negócios de sucesso. É a maior
comunidade de empreendedores apaixonados, com mais de 1500 eventos
realizados em mais de 660 cidades e 120 países.
Assim dois residentes no concelho de Fornos de Algodres, Reis Dias e Marisa Reis, da freguesia de Maceira, estiveram  em ação  , nesta aventura , e vai daí ambos ficaram nos lugares do pódio, a representar Mimo Português – 3ªposição, e Trip Dashboard – 1ªposição.

Assim decorreu no Instituto Politécnico de Viseu, esta formação que teve a participação muito positiva de todos os empreendedores .
fotos:Face  Startup Weekend
Txto de Antonio Pacheco

Município de Viseu organiza congresso sobre agricultura familiar a 20 e 21 junho


 A
Câmara Municipal de Viseu reuniu um vasto conjunto de parceiros para
organizar na cidade um congresso sobre agricultura familiar, no ano em
que o tema é mote internacional. O congresso realiza-se a 20 de Junho,
na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), e dedica o dia
seguinte, 21 de Junho, a uma mostra de produtos regionais no Mercado
Municipal de Viseu.

O congresso apresenta um programa com
três painéis centrais que colocarão vários especialistas e empresários a
debater a importância socioeconómica e ambiental
da agricultura familiar, as oportunidades e desafios do setor e ainda os
apoios ao financiamento e a legislação.
O
Presidente da Câmara, Almeida Henriques, o Secretários de Estado
da Agricultura, José Diogo Albuquerque,  e o Secretário de Estado da
Alimentação e Investigação Agroalimentar, Nuno Vieira e Brito, estarão
presentes no congresso.
O ano
de 2014 foi determinado pela Assembleia Geral das Nações Unidas como o
Ano Internacional da Agricultura Familiar, com o objetivo de dar maior
visibilidade a esta vertente da agricultura, promovendo a sua
importância num momento em que se definem políticas determinantes para o
seu desenvolvimento.
A
iniciativa do Município resulta de uma parceria com a Associação de
Desenvolvimento do Dão, Lafões e Alto Paiva, a Associação de Criadores
de Gado da Beira Alta, a Comissão Vitiv
inícola
Regional do Dão, a FELBA – Promoção das Frutas  e Legumes da Beira
Alta, o Instituto de Conservação da Natureza e ds Florestas, o IPV e a
Escola Agrária, a União de freguesias da cidade e a Direção Regional da
Agricultura e Pescas do Centro.
fonte:Municipio de Fornos de Algodres

David carreira em Viseu

O cantor e ator David Carreira vai estar na Fnac viseu na próxima quinta – feira o que vai levar muitos fãs  ao Palácio do gelo, numa maneira de ver esta figura nacional

Engenheiro Fernando Sebastião empossado Presidente do Instituto Politécnico de Viseu

Engenheiro Fernando Sebastião empossado

Presidente do Instituto Politécnico de Viseu
A Aula Magna do IPV
acolheu no dia 13 de setembro a cerimónia solene de tomada de posse do
reeleito presidente do Instituto Politécnico de Viseu, engenheiro
Fernando Sebastião.

O ato académico
decorreu no seguimento da eleição do dia 4 de junho no seio do Conselho
Geral da instituição, órgão soberano do Politécnico de Viseu, que
reconduziu, por unanimidade, o engenheiro Fernando Sebastião como
Presidente do IPV para o quadriénio 2013/2017. O ato eleitoral foi
homologado pelo Secretário de Estado do Ensino Superior a 4 de julho do
ano em curso. Relembre-se que o engenheiro Fernando Sebastião havia já
sido eleito pela primeira vez como presidente do IPV no dia 30 de julho
de 2008, sendo mais tarde reeleito a 16 de julho de 2009, de acordo com o
novo Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES), Lei
nº 62/2007 de 10 de setembro.
O engenheiro Fernando
Sebastião, professor coordenador de nomeação definitiva da Escola
Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu do IPV, foi empossado perante
uma plateia de cerca de 400 convidados, entre os quais o Ministro da
Educação e Ciência, professor doutor Nuno Crato, presidente da Câmara
Municipal de Viseu, Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas,
deputados da Assembleia da República, presidentes das câmaras municipais
de Tondela e Vouzela, Ministra Conselheira da Embaixada de Angola,
representante da Embaixada de Moçambique, presidente do CCISP,
presidentes e vice-presidentes de diversos institutos politécnicos do
país, presidente do Centro Regional das Beiras da Universidade Católica,
presidente e vices da CCDRC, presidente da CIM Dão Lafões, vereadores
dos municípios de Viseu e Lamego, Inspetor Geral de Educação e Ciência,
deputados da Assembleia Municipal, presidentes de juntas de freguesia,
candidatos autárquicos, entidades civis e militares, bem como
representantes dos órgãos de comunicação social.
Do público
interno, estiveram presentes os membros do Conselho Geral,
vice-presidentes, administrador e provedora do estudante, todos os
presidentes das escolas superiores e representantes dos seus diversos
órgãos, presidente da ADIV, professores, alunos e funcionários do IPV.
A mesa de honra contou
com a presença do professor doutor Nuno Crato, Ministro da Educação e
Ciência, engenheiro Fernando Sebastião, presidente do Instituto
Politécnico de Viseu, professor Joaquim Mourato, presidente do Conselho
Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e do dr. João
Rebelo Cotta, presidente do Conselho Geral do Instituto Politécnico de
Viseu.
A cerimónia teve o seu início com um sublime momento
musical com a performance da soprano Cristina Aguiar, professora da
Escola Superior de Educação de Viseu, acompanhada ao piano pela
professora Ala, docente do Conservatório de Música Azeredo Perdigão.
Depois de
oficialmente aberta a sessão, foi conferida posse ao reeleito presidente
do Instituto Politécnico de Viseu, engenheiro Fernando Sebastião, pelo
presidente do Conselho Geral do IPV, dr. João Cotta. Um ato muito
ovacionado, de pé, por todos os presentes.
De seguida, o
presidente do Politécnico de Viseu assinou os despachos de nomeação dos
vice-presidentes da instituição, que tomaram posse de imediato. Assim,
foram empossados na qualidade de vice-presidentes do Instituto (função
que também exerceram no mandato anterior) a professora doutora Maria
Paula Carvalho, professora coordenadora da Escola Superior de Educação
de Viseu, professor doutor Pedro Rodrigues, professor adjunto da Escola
Superior Agrária de Viseu e professor José dos Santos Costa, professor
coordenador da Escola Superior de Saúde de Viseu.
No início das
intervenções, usou da palavra o presidente do Conselho Geral do
Instituto, que centrou a sua intervenção na extrema relevância que o IPV
tem para a região de Viseu e para o seu desenvolvimento sustentado.
Para o dr. João Cotta, e fundamentando a sua afirmação na opinião
generalizada dos empresários, “o Instituto Politécnico é a instituição
mais importante para o desenvolvimento do distrito e região de Viseu”.
Nas palavras do presidente do Conselho Geral, a instituição “é mais
importante que qualquer rede viária”, enfatizando ainda “a plena
aceitação dos diplomados do IPV no mercado, ocupando lugares de destaque
nas empresas e serviços da região”. Para o futuro apontou “o caminho da
excelência” como único trilho a seguir. Concluiu a sua intervenção
propondo ao Ministro da Educação e Ciência que os “institutos
politécnicos passem a designar-se como universidades de ciências
aplicadas”.
Seguidamente, o
presidente do CCISP, professor Joaquim Mourato, abordou a importância,
cada vez mais acentuada, do ensino politécnico para o desenvolvimento de
Portugal, aludindo à realidade europeia onde em alguns países “o ensino
politécnico tem uma relevância determinante para o desenvolvimento
sustentável das nações”. O impacto socioeconómico dos institutos
politécnicos portugueses nas regiões nas quais estão inseridos e as
virtualidades, bem como as dificuldades que a conjuntura atual propicia,
do ensino politécnico, foram outras das temáticas centrais abordadas.
No seu discurso de posse, o reeleito presidente do
Instituto Politécnico de Viseu, engenheiro Fernando Sebastião,
apresentou as linhas programáticas para os próximos quatro anos de
mandato. Após os cumprimentos aos convidados e a referência ao presente
da instituição, o presidente focou a sua comunicação nos novos desafios
que se deparam às instituições de ensino superior em geral, e ao IPV em
particular, muito pela realidade da conjuntura económico-financeira que o
país atravessa “reassumo funções como presidente do Instituto
Politécnico de Viseu num momento particularmente difícil, num contexto
de grave crise económica que se reflete no défice e dívida pública do
Estado Português, na elevada taxa de desemprego e na redução do
rendimento das famílias e das empresas. Esta situação tem, naturalmente,
implicações no Instituto, refletindo-se na redução do seu financiamento
e nas dificuldades acrescidas dos estudantes no acesso e no
prosseguimento de estudos no ensino superior”. Para o presidente do IPV
“em períodos de crise, o imobilismo é a pior estratégia a ser seguida
por qualquer organização. A flexibilidade e a adaptação ao contexto
envolvente são, por isso, condições essenciais à sobrevivência e ao
sucesso da nossa instituição”. Sobre o Instituto a que preside, quer
pela diversidade da oferta formativa que oferece, quer pelo
desenvolvimento de projetos de investigação aplicada e da ligação que
tem vindo a ser efetivada com o tecido empresarial e demais organizações
públicas e privadas, considera-a inequivocamente como “um pilar
estruturante do desenvolvimento da região, na medida em que cria
condições para a inovação e reforço da competitividade das empresas e
modernização das demais instituições”. Afirmou ainda que “não se pode
deixar de realçar a importância do Politécnico, dado o número de
empregos gerados e fixação na cidade de 6 000 estudantes, pelo impacto
que tem ao nível do comércio e demais atividades económicas locais e
pela animação que trazem à cidade. Julgo ser fácil de constatar que ao
aumento populacional que tem vindo a verificar-se na cidade de Viseu não
é alheia a existência do IPV”. O elevado impacto económico regional do
Instituto, recentemente quantificado em estudo elaborado pelo
CI&DETS, Centro de Investigação do Politécnico de Viseu, foi outro
tema de destaque na intervenção do engenheiro Fernando Sebastião,
realçando que “cada euro despendido pelo Estado gera um nível de
atividade económica de 5 euros. O Orçamento de Estado relativo ao IPV,
no corrente ano, é da ordem dos 15 milhões de euros sendo o seu impacto
direto e indireto de 70 milhões, valor que corresponde a 5 % do PIB da
região. Para além disso, o IPV gera, de forma direta e indireta, 3300
empregos que correspondem a 6 % da população ativa de Viseu e de
Lamego”.
As linhas
estratégicas para o novo mandato assentam na qualificação do corpo
docente, através da atribuição de 150 bolsas de doutoramento, operada no
anterior mandato da presidência, sendo que “a curto prazo, o Instituto
poderá contar com cerca de 300 professores doutorados, mais de 70% do
seu corpo docente, situação que reforça a sua capacidade científica e,
em consequência, a qualidade da formação ministrada, a investigação e a
transferência de conhecimento”, bem como no empreendedorismo, que tem
vindo a ser incrementado, evidenciado na recente construção do CITTEC –
Viseu, que integra uma unidade incubadora de empresas, na investigação e
no reforço de parcerias e ligação com a comunidade envolvente. Concluiu
a sua intervenção resumindo os cenários presente e futuro da
instituição “no atual contexto, estando fora de questão qualquer
possibilidade de crescimento, a estratégia do IPV passa pela
consolidação e melhoria contínua da qualidade de formação, investigação e
dos serviços que presta, com a consciência de que o reconhecimento da
relevância do IPV tem sido e continuará a ser, no futuro, um fator
essencial para a captação de mais e melhores estudantes”.
No encerramento dos
discursos, o Ministro da Educação e Ciência, professor doutor Nuno
Crato, começou por saudar o reeleito presidente do Instituto,
cumprimentando-o ainda pela grande ovação que a plateia lhe
proporcionou, demonstrativa “da estima e apreço que tem pelo seu
presidente”. Para o ministro “é de lideranças fortes, mas partilhadas,
que precisamos nos nossos politécnicos”. Para o professor Nuno Crato “os
politécnicos são parte da solução dos problemas do país e estão a
responder bem aos problemas que atualmente vivemos”. Com uma intervenção
muito centrada nos jovens, referiu ainda que “quanto melhor preparados
estiverem, com maiores habilitações e qualificações, melhor será o seu
futuro”. Concluiu a sua intervenção incentivando os jovens a
prosseguirem os seus estudos e exortando o Politécnico de Viseu a uma
crescente proximidade às empresas e ao tecido produtivo.
Antes das
inaugurações previstas no programa, tempo ainda para mais um momento
mágico de performance musical, de novo a cargo da soprano Cristina
Aguiar, acompanhada ao piano pela professora Ala.
Após a sessão solene, o programa contemplou ainda a
inauguração do novo Pavilhão Polidesportivo do IPV e do CITTEC – Viseu
(Centro de Inovação e Transferência de Tecnologia do Instituto
Politécnico de Viseu), que inclui a nova unidade incubadora de empresas.
Estas novas valências da instituição, com um custo
total de dois milhões de euros, tiveram um financiamento da
Administração Central de duzentos mil euros, tendo o restante sido
obtido através de receitas próprias do Instituto Politécnico de Viseu. A
aquisição do mobiliário, no valor de cinquenta mil euros, foi
assegurada pela ADIV, unidade interface do IPV. O novo edifício fica
localizado dentro do campus politécnico.
No final da cerimónia, os participantes desfrutaram de um Dão de Honra.

Perfil do Presidente do Instituto Politécnico de Viseu

Natural de Mortágua, onde nasceu em 20/02/1958, Fernando Lopes Rodrigues Sebastião
reside atualmente em Viseu. Professor coordenador de nomeação
definitiva da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu iniciou as
suas funções na ESTGV em agosto de 1988.
Licenciado em Engenharia Eletrotécnica pela
Universidade de Coimbra, concluiu Mestrado em “Políticas e Gestão do
Ensino Superior”, na Universidade de Aveiro.
Dos muitos cargos exercidos, relevem-se os 10 anos de
presidência da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu, de 1995
a 2005. De igual modo, é ainda de realçar o cargo que desempenhou como
vogal da Comissão Instaladora da ESTGV, no arco temporal compreendido
entre 1988 e 1995, ano em que se tornou o primeiro presidente eleito
desta escola superior do IPV.
É Presidente do Instituto Politécnico de Viseu desde 15 de setembro de 2008.
Esta nova eleição, reconduziu o engenheiro Fernando
Sebastião à liderança do Politécnico de Viseu para exercer um novo
mandato para o quadriénio 2013/2017.

Perfil dos vice-presidente do Instituto Politécnico de Viseu

Maria Paula Martins de Oliveira Carvalho
é professora coordenadora da Escola Superior de Educação do IPV, onde
pertence à Área Científica de Ciências da Natureza desde 1983. Como
funções dirigentes destaque-se o facto de ter sido presidente da
Comissão Instaladora da ESEV, de 1992 a 1996, e presidente do Conselho
Científico da mesma Escola, de 1996 a 1998. É licenciada em Física, Ramo
Educacional, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e
doutorada em Educação em Ciências, pela Universidade de Londres – King’s
College London.
Pedro Rodrigues
é professor adjunto da Escola Superior Agrária do IPV, na área de
Engenharia Rural. Entre julho de 2000 e janeiro de 2006 exerceu o cargo
de presidente do Conselho Diretivo da ESAV. É licenciado em Engenharia
Agronómica, Ramo de Engenharia Rural, pelo Instituto Superior de
Agronomia da Universidade de Lisboa, mestre em Engenharia da Rega e dos
Recursos Agrícolas, pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade
de Lisboa e doutorado em Engenharia dos Biossistemas, pela Universidade
de Lisboa.
José dos Santos Costa
é Professor Coordenador da Escola Superior de Saúde do IPV, pertencendo
à Área Científica Médico-Cirúrgica. Como funções dirigentes exercidas
relevem-se as de Presidente do Conselho Científico, de 2003 a 2005, e de
Vice-Presidente do Conselho Diretivo da mesma Escola, de 2005 a 2008. É
licenciado e Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica e em Medicina
Dentária, pela Universidade Católica do Porto/Centro Regional das Beiras
e Mestre em Ciências de Enfermagem, pelo Instituto de Ciências
Biomédicas Abel Salazar, Universidade do Porto.
fonte:IPViseu

Neve na região

 O dia de terça -feira foi de neve por todo concelho de Fornos de Algodres, assim como o resto do distrito da Guarda e Viseu, uma paisagem bela sem duvida, para mais tarde recordar.

foto :radio imagem