Templates by BIGtheme NET
Início » Saúde (Pagina 2)

Saúde

Celestina Anjos Rebelo comemorou 108 anos, um caso de longevidade no CSP Dornelas

 Teve lugar a festa de aniversário de Celestina Rebelo, que apagou as 108 velas, estamos perante um caso de longevidade, que neste momento está no Centro Social Paroquial de Dornelas, foi assim um dia de festa e todos celebraram.
Assim, Celestina Anjos Rebelo, nasceu na Guarda no dia 26/08/1914. Pertencia a uma fratria de 8 irmãos, sendo que dois faleceram ainda crianças, ficando 4 raparigas e 2 rapazes. A dona Celestina tinha uma irmã gémea, que ainda celebrou 103 anos.
Viveu sempre com os seus pais, nunca casou, refere que o motivo foi por não querer. Frequentou o ensino primário, sabendo até aos dias de hoje ler e escrever. Como ocupação profissional ajudou os seus pais na lavoura da quinta que possuíam na Guarda. Após a morte dos seus pais, ela e a sua irmã gémea continuaram a cuidar da quinta, pois era esta a sua forma de sustento. Cuidaram, ainda, de um sobrinho e de uma prima, até os mesmos casarem. Veio com a sua irmã para o Centro Social Paroquial de Dornelas em 2002, quando tinham 87 anos, onde ainda reside. A dona Celestina é uma pessoa muito alegre, amável e acarinhada por todos. É bastante crente,passando os dias a fazer diversas orações para diferentes Santos. É um exemplo de longevidade e vitalidade,mas também de boa disposição.

Ler Mais »

Uso de máscaras ou viseiras nos transportes coletivos de passageiros deixa de ser obrigatório

O fim da obrigatoriedade do uso de máscaras ou viseiras nos transportes coletivos de passageiros, incluindo o transporte aéreo, bem como no transporte de passageiros em táxi ou TVDE, assim decidiu o Conselho de Ministros. Deixa também de ser obrigatório o uso em farmácias de venda ao público e nos locais determinados pela Direção-Geral da Saúde.

Mantém-se a obrigatoriedade do uso de máscaras ou viseiras em estabelecimentos e serviços de saúde e estruturas residenciais ou de acolhimento ou serviços de apoio domiciliário para populações vulneráveis, pessoas idosas ou pessoas com deficiência, bem como unidades de cuidados continuados integrados da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados.

Na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, a Ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou que a medida, agora aprovada, deve-se «à evolução favorável» e à «tendência estável do número de casos» de infeção por Covid-19 em Portugal.

A Ministra disse, contudo, que «esta dispensa de obrigatoriedade de utilização não invalida que, em cada momento, as pessoas» devam fazer a sua «autoavaliação do risco e proteger-se se assim for o caso».

Mortalidade por todas as causas «dentro dos valores esperados»

Marta Temido referiu também que, na última semana, «a mortalidade por todas as causas se encontra agora dentro dos valores esperados para esta época do ano o que indica, de alguma forma, o termo do período de excesso de mortalidade que vínhamos sentindo».

No caso da mortalidade por Covid-19, a Ministra disse que o País tem assistido a um decréscimo desde o final de julho e que hoje essa tendência está abaixo dos dez casos por milhão de habitantes.

I Jornadas de Urologia da Beira Interior

A Unidade de Urologia da ULS Guarda vai levar a efeito as I Jornadas de Urologia da Beira Interior, no dia 30 de setembro de 2022, no auditório da Escola Superior de Saúde da Guarda.

Estas Jornadas visam a aproximação dos Cuidados de Saúde Primários com a especialidade de Urologia. Serão abordadas neste evento as mais frequentes patologias urológicas, procurando-se clarificar o papel dos médicos de família no diagnóstico, tratamento e referenciação destes doentes. Será também explicado o papel dos urologistas na orientação destas patologias quando os doentes são referenciados pelos médicos de família.

Link para inscrição: https://forms.gle/NkNJV839Xg7fC4KB9

Mais informações em: www.ulsguarda.min-saude.pt

Programa ReADAPTAR lançado no IPO Coimbra

O IPO de Coimbra lançou o Programa ReADAPTAR, um banco de próteses auditivas que pretende ser uma resposta social inovadora específica e facilitadora da vida diária do doente oncológico com perda auditiva, assim como das suas famílias ou cuidadores.

Reconhecendo que a perda auditiva é muitas vezes fator de isolamento social pela dificuldade de comunicação que acarreta, com potencial para induzir quadros de ansiedade e depressão, pretende-se contribuir para devolver a capacidade de audição aos doentes oncológicos, independentemente da fase da doença ou do tratamento.

Da iniciativa do Serviço de Otorrinolaringologia, o Programa ReADAPTAR está acessível a toda a comunidade que pretenda colaborar com o IPO de Coimbra.

O Programa ReADAPTAR funcionará numa perspetiva de complementaridade às respostas já existentes.

Artigo de Sara Morais- Depressão, a Fadiga e a Hipnose Clínica

Uma das características, frequentemente, associadas à depressão é a falta de energia e vitalidade tanto a um nível físico como psicológico. Esta fadiga condiciona a capacidade de trabalhar ou, até mesmo, realizar tarefas simples do quotidiano mesmo quando estas na realidade não representam um esforço, propriamente dito, mas são percecionadas pelo sujeito depressivo como depauperantes.

Na verdade, o cérebro humano evoluiu ao longo do tempo para adaptar e proteger a espécie Humana a um mundo cada vez mais exigente. O cérebro tem a capacidade de transformar o mundo real, de injetar a felicidade, de inventar o prazer e de potenciar a sensação de apego e pertença através dos vários neurotransmissores: dopamina, serotonina, endorfinas e adrenalina. Por exemplo, quando o leitor come um determinado alimento calórico, sente prazer ou, simplesmente, quando concretiza algo que sempre desejou sente uma maior sensação de energia e vitalidade.

Contudo, na depressão este sistema de recompensa e de construção do mundo real fica desregulado, o mundo perde a cor, a vida fica empobrecida e tudo o que acontece ao seu redor é percecionado como um chorrilho de eventos sem qualquer razão ou expressão. O leitor experiência, então, o que Augusto Cury advogada como o último estágio da dor Humana – a depressão. A realidade fica cinzenta, as capacidades cognitivas e físicas são lentificadas e instala-se o desinteresse pela procura do prazer e da felicidade.

É neste enquadramento que surge a Hipnose Clínica enquanto ferramenta terapêutica não convencional mas complementar e natural. O estado de Hipnose, por si só, caracteriza-se por um estado neurofisiológico natural que altera a perceção cognitiva, do exterior para o interior, permitindo a libertação natural dos neurotransmissores: dopamina e serotonina e por conseguinte, restabelece um equilíbrio neuro-químico. Neste seguimento, o leitor começa a sentir mais energia e o pensamento fica menos disperso. Numa fase posterior, o leitor vai desenvolver uma maior consciência sobre o seu “eu” interior e sobre as suas emoções, compreendendo um reajuste nos vários comportamentos e hábitos no roleplay do quotidiano, devolvendo assim o bem-estar e a qualidade de vida ao leitor.

Sara Morais

Hipnoterapeuta

Consultas 91 63 54 106

sfilipa.morais@gmail.com

 

Artigo de Sara Morais– A Felicidade, o prazer e a Hipnose Clínica

A vida é como um bolo, poderá ser deliciosa ou, simplesmente, dura consigo, poderá exibir um aspeto divinal e ser uma verdadeira desilusão, ou poderá aparentar simplicidade, mas ser agradável ao palato. Uma coisa é certa, a felicidade e o prazer são os dois ingredientes fundamentais, diria mesmo, a Cereja no Topo do Bolo.

Mas, atenção! A felicidade e o prazer são ingredientes que não se substituem um ao outro uma vez que apresentam funções neurais distintas, embora algumas vezes o leitor as possa confundir. A felicidade é algo que requer paciência e planeamento, é duradoura, constituída por emoções positivas, sentimentos de alegria e sensações de prazer. Este ingrediente é nutrido pelo neurotransmissor serotonina que se produz quando exerce pensamentos positivos e, substancialmente, quando o seu pensamento é predominantemente mais otimista. O prazer, por outro lado, consiste numa resposta direta aos impulsos físicos e está, naturalmente, ligado ao ato de receber e é alimentado pela dopamina. Contudo, ambos os ingredientes são aditivos, por isso é que a sabedoria popular dita que o que é doce nunca amargou.

Ao saborear uma fatia de bolo o leitor vai, automaticamente, aumentar a produção de dopamina, mas cuidado com os exageros. Saiba, também, que ao fazê-lo poderá desenvolver pensamentos positivos o que vai libertar um aumento da circulação da endorfina que equilibra o sistema nervoso autónomo simpático e parassimpático concedendo-lhe a sensação de felicidade. Contudo, após a ingestão, sentir-se-á com mais vontade de comer para manter aquela sensação de prazer. Certamente, já comeu algo doce quando se sentia sem energia ou, simplesmente, triste com o intuito de sentir, novamente, aquela sensação de prazer e conforto.

Mais do que nunca, é importante desenvolver o conhecimento sobre si mesmo, sobre os seus impulsos e comportamentos que podem ou não gerar desequilíbrios emocionais e psicológicos. É nesta medida que surge a Hipnose Clínica, não só como uma ferramenta terapêutica para intervir nos desequilíbrios emocionais, mas, também, desenvolver o conhecimento e o controlo sobre a sua mente. Numa fase inicial, a Hipnose Clínica visa compreender e trabalhar as emoções negativas mal geridas. É posteriormente, desenvolvido, um novo conceito mais favorável que irá contribuir para desenvolver uma nova reprogramação mental em que o leitor tomará escolhas conscientes saboreando o bolo de forma prazerosa, ao mesmo tempo que desenvolve a sua felicidade em experienciar as pequenas e boas coisas que a vida tem para lhe oferecer. A Hipnose Clínica, permite ao leitor transformar o círculo vicioso a seu favor, num comportamento ajustado para potenciar o equilíbrio da sua saúde.

“Nada é Suficiente para quem julga o suficiente demasiadamente pouco” Epicuro

 No próximo boletim de saúde poderá analisar mais sobre Depressão e sentimento de Fatiga e de que forma a Hipnose Clínica pode ajudar.

Morais

Hipnoterapeuta

Consultas 91 63 54 106

sfilipa.morais@gmail.com

 

Projeto de Teleassistência a Pessoas Vulneráveis em Penalva do Castelo

Recentemente foi assinado entre o Município de Penalva do Castelo e a Guarda Nacional Republicana (GNR) , um protocolo de cooperação, no âmbito do projeto eGuard, uma iniciativa de Teleassistência a Pessoas Vulneráveis. Este projeto consiste na disponibilização de um dispositivo de pequenas dimensões aos munícipes que se encontrem numa situação de dependência, incapacidade, isolamento ou sem retaguarda familiar, particularmente idosos. Adequado para usar ao pescoço, o dispositivo dispõe de apenas um botão que após pressionado cerca de 3 segundos estabelece uma chamada para a Sala de Situação do Comando Territorial de Viseu, monitorizada em permanência, sendo posteriormente acionados os meios de socorro adequados à situação. Caso os dispositivos se mantenham inativos 12 horas, os militares tomam a iniciativa de contactar os idosos sinalizados, sendo que todos eles, independentemente de terem tido a necessidade de recorrer ou não ao serviço, serão visitados duas vezes por mês. Este mecanismo, cuja componente técnica é assegurada pela Agência de Desenvolvimento para a Sociedade de Informação e do Conhecimento (ADSI), pode ser utilizado numa situação de perigo, queda ou doença súbita e é facultado ao munícipe de forma gratuita, tendo cada equipamento um custo mensal a suportar pelo Município. Francisco Carvalho, presidente da Câmara Municipal de Penalva do Castelo referiu que da parte do Município todos os esforços serão feitos para melhorar a qualidade de vida dos idosos, esperando que o projeto corresponda aos anseios dos mesmos e contribua para o seu bem-estar, bem como para um concelho, um distrito e um país melhores. Por seu lado, o comandante do Comando Territorial de Viseu, Coronel Vítor Assunção, congratulou o Município de Penalva do Castelo pela adesão ao projeto, tendo referido que este é um serviço público em prol dos cidadãos mais isolados que complementa a ação do Município e que contribuirá para o aumento da qualidade de vida, da saúde, da tranquilidade e da autonomia dos seus beneficiários e, consequentemente para manter as pessoas nas suas residências e retardar a eventual institucionalização.

Conversa Ecologista – Serviço Nacional de Saúde A nossa segurança na Saúde

O Partido Ecologista Os Verdes tem realizado um conjunto de conversas ecologistas, presenciais e on-line, sobre os mais variados temas. Estas conversas são um espaço aberto de discussão, onde procuramos ter convidados ligados às temáticas abordadas.

Na próxima quinta-feira, dia 21 de julho, às 21 horas, o Partido Ecologista Os Verdes (Coletivo de Coimbra) promove uma conversa ecologista (on-line), sobre o Serviço Nacional de Saúde. Pretende-se com esta conversa abordar entre outros, o reforço dos cuidados de saúde primários, a garantia e universalidade do SNS, o seu subfinanciamento e a necessidade de valorizar os próprios trabalhadores.

O SNS apesar de ser o garante e a universalidade dos serviços de saúde a prestar aos cidadãos tem sucessivamente visto os problemas crónicos a acentuar-se pela falta de investimento, dos quais são evidentes a falta de profissionais, desde logo médicos e enfermeiros, administrativos e demais trabalhadores essenciais para garantir a prestação de um serviço de qualidade para todos.

O SNS demonstrou em tempos de pandemia que é a nossa segurança na saúde, que todos, sem exceção, podem contar independente da condição económica e social.

Nova viatura elétrica da ULS Guarda

Foi já  entregue a nova viatura elétrica, adquirida pela ULSG com o apoio da Coficab , para a equipa de Hospitalização Domiciliária.
Trata-se de uma viatura da marca Citroen Berlingo adquirida pela ULSG teve um custo total de 35 mil euros, tendo a Cobicab comparticipado na aquisição da mesma com 20 mil euros.
Recorde-se que a Coficab doou, em plena pandemia pela Sars-Cov-2 um cheque no valor de 20 mil euros, à administração da ULS da Guarda para este fim. Esta sexta-feira, na hora da entrega da viatura à equipa, o Diretor Geral da Coficab, Eng. João Cardoso voltou a salientar que “esta é uma iniciativa cujo objetivo é evidenciar a responsabilidade social da empresa para com a comunidade em que está inserida”. A ULS da Guarda agradece mais uma vez o gesto da empresa sedeada na Guarda.

Loja do Valor do Tempo inaugurada na Serra da Estrela

  Teve lugar a inauguração da loja do Valor do Tempo, dedicada aos produtos da ovelha Bordaleira, em homenagem aos pastores da região da Serra da Estrela.
Lá no alto, no teto de Portugal, apesar do frio, a festa valeu por tudo e mais alguma coisa. Pelo requinte da loja e dos produtos, mas sobretudo pela presença dos pastores e queijeiras, numa verdadeira homenagem a quem produz o melhor queijo português. E se a festa foi simbólica, já o negócio é sério e o setor, a partir de agora, não vai ficar como antes. Há um empresário, que não brinca em serviço, aposta no setor, estimula e incrementa negócios, escoamento de produtos, vendas e incentivos. A própria presença da ministra da agricultura foi oportuna, porque trouxe novidades práticas para ajudar o setor.
Constatando isto, percebeu-se que a economia portuguesa precisa de multiplicar mais exemplos destes, em todos os setores, para criar riqueza, dignificar atividades produtivas e os seus agentes e colocar no mercado novos produtos, que vão além dos “bitcoms”!!!
Lá no alto, além de pastores, autarcas e outros políticos e autoridades, estavam o presidente do Turismo do Centro, Pedro Machado que também não brinca em serviço e os Presidentes da ANCOSE – Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela e o Presidente da Estrelacoop.
Fonte:MB