Templates by BIGtheme NET
Início » Saúde (Pagina 3)

Saúde

Município de Celorico da Beira passa a dispor de serviço social na área da demência através do Projeto NeuroCEDE

O Município de Celorico da Beira passa a dispor de resposta social na área da demência, com a adesão ao projeto NeuroCEDE da APS de Fornos de Algodres, implementado nos concelhos de Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Mangualde e Penalva do Castelo.
Vai ser uma resposta social direcionada para pessoas, idosas e não idosas, que estejam a vivenciar um processo de comprometimento cognitivo ou que apresentem dois ou mais fatores de risco para o desenvolvimento de quadros demenciais (diabetes, hipertensão, etc).
O município de Celorico da Beira deu os primeiros passos nesta área de intervenção, no passado mês de abril, com a sinalização de alguns casos que apresentam risco de desenvolvimento de demência.
Financiado por fundos europeus, o projeto NeuroCEDE visa alcançar a melhoria da qualidade de vida da pessoa com demência, e a consecução dos seguintes objetivos específicos:
1. aumento do número de pessoas com demência diagnosticadas e acompanhadas em consulta de especialidade;
2. alargamento do período entre o aparecimento do CCL (comprometimento cognitivo leve) e o declínio das demais habilidades cognitivas preservadas;
3. alargamento do período entre o aparecimento do CCL e o aparecimento dos primeiros sintomas comportamentais;
4. diminuição de sintomas depressivos na pessoa com CCL ou Demência;
5. aumento do trabalho em rede na área do apoio à pessoa com demência (juntas de freguesia, municípios e centros de saúde);
6. aumento da informação sistematizada da realidade demencial deste território, permitindo a adoção de intervenções holísticas e inovadoras.
Para a prossecução destes objetivos, o projeto NeuroCEDE conta com uma equipa multidisciplinar, constituída por médico psiquiatra, neuropsicóloga, assistente social, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, terapeuta da fala, psicomotricista e animadora sociocultural, que dinamiza em gabinete próprio ou no domicílio do beneficiário. No caso de Celorico da Beira a intervenção destes peritos cinge-se ao domicílio do beneficiário, onde serão levadas a cabo as seguintes atividades:
• Avaliação neuro psicológica;
• Consultas de psiquiatria;
• Estimulação cognitiva;
• Estimulação física;
• Estimulação multissensorial;
• Apoio psicossocial para pessoas com demência e seus cuidadores.

Dia Mundial do Microbioma assinalado

Assinala-se segunda-feira, dia 27 de junho, o Dia Mundial do Microbioma, que tem como objetivo sensibilizar para a importância que estes seres microscópicos têm na preservação da saúde humana e do planeta. Estes microrganismos que estão em toda a parte – micróbios, bactérias, fungos – vivem também em comunidades no nosso organismo: pele, ouvidos, boca, pulmões e intestinos. A cada uma destas comunidades dá-se o nome microbiota* e tem um papel fundamental no equilíbrio do corpo humano. São os nossos escudos protetores contra doenças. Ler Mais »

IPO de Coimbra obteve 5ª acreditação pelo CHKS

O IPO de Coimbra obteve pela quinta vez a acreditação pelo CHKS (Caspe Healthcare Knowledge Systems), relativamente à implementação dos seus processos e normas, o que comprova o cumprimento dos padrões internacionais das melhores práticas.

Após avaliação por uma equipa externa de profissionais de saúde seniores, com formação de auditoria e revisão por pares, o IPO de Coimbra conseguiu demonstrar, num contexto particularmente difícil de pandemia, a conformidade com os requisitos da qualidade exigíveis.

Moyra Amess, Diretora do Departamento de Acreditação do CHKS referiu a propósito que: “O processo de acreditação requer dedicação e compromisso. Cada organização para a qual concedemos este prémio provou aos nossos avaliadores externos que os seus padrões e processos cumprem os padrões internacionais das melhores práticas. Esta é uma conquista significativa”.

A distinção agora atribuída significa fundamentalmente o reconhecimento da “marca” IPOFG, o que só pode reforçar a posição do IPO de Coimbra como instituição de referência na área da oncologia que assegura há 60 anos na região centro, com rigor e competência, a prestação de cuidados ao doente oncológico.

Para os cidadãos, esta acreditação internacional significará certamente o reforço da confiança numa instituição cuja qualidade e prestígio aqui fica também uma vez mais reconhecida.

Recorde-se que o IPO de Coimbra é uma instituição acreditada por esta entidade desde 2005 tendo obtido sucessivas reacreditações em 2010, 2014 e 2017.

Cancro: da prevenção à intervenção – O papel do Médico”

Decorre a 3ª edição da ação de formação “Cancro: da prevenção à intervenção – O papel do Médico”, organizada pela LPCC,  entre 21 e 23 de junho de 2022.  Com uma estrutura modular, o curso decorrerá em formato online e visa, entre outros objetivos, dotar a comunidade estudantil de conhecimentos e competências ao nível da temática da doença oncológica.

O Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC.NRC) desafia novamente os estudantes universitários de medicina a melhorarem os seus conhecimentos sobre prevenção e impacto do cancro.  A 3ª edição da ação de formação “Cancro: da prevenção à intervenção – O papel do Médico” decorrerá em formato e-learning (Plataforma Zoom), nos dias 20, 21 e 23 de junho de 2022, entre as 17h00 e as 20h30.  Ler Mais »

Federação Nacional dos Médicos (FNAM) teme pela municipalização da Saúde

Para a Federação Nacional dos Médicos (FNAM), a municipalização da Saúde parte de uma visão de espartilhamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS), colocando em causa o acesso aos Cuidados de Saúde Primários e impondo um difícil peso financeiro aos municípios, com o objetivo final da privatização dos serviços de saúde.

O processo de transferência de competências na área da Saúde para as autarquias e entidades intermunicipais, concretizado pelo Decreto-Lei n.º 23/2019, determinava a transferência, até 31 de março de 2022, de responsabilidades, no que diz respeito à construção, gestão, manutenção e conservação das infraestruturas, serviços de apoio logístico e de uma parte dos recursos humanos (assistentes operacionais) nos Cuidados de Saúde Primários (CSP).

Muitas câmaras municipais não aderiram a este processo, sendo que no final de março apenas 28% dos municípios tinham aceitado estas competências.

A FNAM rejeita frontalmente este processo de desresponsabilização da Administração Central e do Ministério da Saúde (MS) de um conjunto de competências centrais para a prestação de Cuidados de Saúde Primários, implicando um risco real de perda de qualidade, tanto na definição de políticas de saúde transversais e consistentes, promovendo a desagregação das decisões em saúde, como na sua aplicação equitativa pela população portuguesa.

Os cidadãos vão, deste modo, ficar reféns da capacidade política e técnica dos municípios onde residem para a negociação dos orçamentos necessários, para a concretização dos investimentos em instalações e equipamentos e respetiva manutenção, e da sua preparação na gestão dos recursos humanos indispensáveis para a efetivação do seu direito à saúde.

Fica assim em xeque a universalidade e a equidade no acesso à saúde, prevista na Constituição da República Portuguesa.

Caso se verifique o avanço deste processo, iremos certamente assistir a situações de competição entre municípios, ao invés da desejável colaboração entre entidade públicas e à adoção de medidas populistas desgarradas, apenas com objetivos eleitoralistas, fragmentando as políticas de saúde para ir ao encontro das conveniências e dos interesses locais. A própria negociação dos autos de transferência é já uma primeira confirmação das iniquidades do processo, com medidas que poderão variar acentuadamente de município para município.

A FNAM denuncia ainda a possibilidade de abertura de um processo conducente à privatização dos CSP, há muito desejada pelos grupos económicos privados, através da concretização das Unidade de Saúde Familiares modelo C, inicialmente com gestão partilhada pelas autarquias e no futuro exclusivamente privada. Assim, a equidade no acesso à saúde ficaria ainda mais em causa, contribuindo para uma maior desresponsabilização do MS das suas obrigações quanto à prestação de cuidados transversais e abrangentes à população.

Importa ainda questionar se a transferência, numa primeira fase, dos assistentes operacionais servirá como uma «rampa de lançamento» para a futura transferência das demais carreiras – médicos, enfermeiros, secretários clínicos e técnicos superiores de saúde – como se verificou noutros países que já passaram por processos semelhantes, para que num futuro próximo estes profissionais venham a ser também transferidos para a esfera municipal ou mesmo privada.

Estamos, assim, perante um processo histórico e de cariz profundamente ideológico, com o objetivo de confundir descentralização da Administração Pública com o verdadeiro desmembramento e pulverização do SNS, de desenvolvimento de lógicas meramente locais desinseridas de uma política de saúde nacional e de criação de uma enorme sobrecarga logística e financeira para os municípios, com os serviços de saúde que os negócios privados não considerarem apetecíveis.

A FNAM opõe-se frontalmente a este ataque aos pilares essenciais do Estado Social e ao comprometimento do bem-estar futuro da população, pelo que desenvolverá todos os esforços para contrariar a desagregação do SNS, pugnando pela unidade, universalidade, equidade e qualidade nas políticas, serviços e profissionais de saúde em Portugal.

Caminhada “Todos por Todos”em Trancoso

Trancoso junta-se aos vários concelhos da Região Centro que integram a iniciativa solidária e de voluntariado comunitário “Todos Por Todos”. Assinalada no próximo dia 29 de maio, a partir das 15h00, a caminhada “Todos Por Todos” terá início no Largo do Município, prosseguindo até ao Planalto de São Marcos.

As inscrições, com um custo de 5 euros (incluem t-shirt do projeto), deverão ser realizadas junto do Grupo de Voluntariado Comunitário da LPCC.  De salientar que o valor angariado no âmbito desta iniciativa irá reverter a favor do Núcleo Regional do Centro da LPCC, para o apoio ao doente oncológico e sua família.

“Todos Por Todos” é o lema do conjunto de ações de voluntariado comunitário a decorrer em toda a Região Centro. A iniciativa, de grande abrangência geográfica e descentralizada em todos os concelhos da Região Centro, vem desafiar a comunidade a unir-se em torno da sensibilização e difusão da mensagem luta contra o cancro, assim como promover sinergias para aumentar o impacto desta mensagem.

Com organização local do Grupo de Voluntariado Comunitário da LPCC, e apoio do Município de Trancoso, a iniciativa pretende fortalecer a presença da Liga e a dos seus voluntários nas comunidades locais.

A Caminhada “Todos Por Todos” está inscrita no programa do Feriado Municipal de Trancoso e nas comemorações dos 637 anos da Batalha de Trancoso.

Vila Nova de Foz Côa recebe Caminhada Solidária “Todos por Todos”

Será a 31 de maio próximo, que os voluntários comunitários da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), em Vila Nova de Foz Côa, assinalam a campanha “Todos Por Todos” com uma caminhada solidária. A atividade será integrada na Feira da Saúde, Ciências e Tecnologias, promovida pela Escola Secundária de Vila Nova de Foz Côa.

Esta caminhada terá início em frente à Escola Secundária de Vila Nova de Foz Côa, pelas 18h30; e terminará em frente à Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, entidade que apoio esta iniciativa da LPCC.

As inscrições, com um custo de 5 euros (inclui a oferta de T-Shirt do projeto), deverão ser realizadas junto da Câmara Municipal, Escola Secundária de Vila Nova de Foz Côa e Loja Poupadinho. O valor angariado no âmbito desta iniciativa irá reverter a favor do Núcleo Regional do Centro da LPCC, para o apoio ao doente oncológico e sua família. Convidam-se, ainda, os participantes a trazerem um bem alimentar, que serão depois destinados às famílias carenciadas do concelho e instituições solidárias.

“Todos Por Todos” é o lema do conjunto de ações de voluntariado comunitário a decorrer em toda a Região Centro. A iniciativa visa contribuir para a promoção de estilos de vida saudável, para a educação e o acesso à informação, bem como promover a ação individual e coletiva na luta contra o cancro.

Recordamos que a incidência de cancro tende a aumentar em todo o mundo, morrendo anualmente cerca de 10 milhões de pessoas, o equivalente à população de Portugal.
Os eventos comunitários “Todos Por Todos”, a decorrerem até setembro de 2022, incluem, entre outros: caminhadas; ações de sensibilização; eventos culturais; atividades lúdicas…

Mais informações em www.ligacontracancro.pt/todosportodos.

Mais de 60 pessoas já foram operadas às cataratas em Figueira de Castelo Rodrigo

O protocolo de oftalmologia “Dar Visão ao Interior, Dar Visão a Figueira de Castelo Rodrigo”, celebrado entre o Município de Figueira de Castelo Rodrigo e a Fundação Álvaro Carvalho, já permitiu operar gratuitamente 63 pessoas no Concelho Figueirense.

Tendo como objetivo primordial a melhoria da saúde das pessoas com problemas de visão, dando-lhes mais qualidade de vida e independência no seu quotidiano, este processo é realizado sempre em estreita colaboração com o Centro de Saúde de Figueira de Castelo Rodrigo, por forma a conseguir chegar a todos os casos que necessitem deste tipo de intervenções. As operações são realizadas no dia em que os munícipes se deslocam à clínica, devidamente acompanhados por técnicos da Câmara Municipal, tendo, depois, uma consulta pós-operatório, aferindo o estado e evolução de cada paciente.

O protocolo levado a cabo pela autarquia Figueirense e a Fundação Álvaro Carvalho pretende operar doentes do concelho de Figueira de Castelo Rodrigo com cataratas e a necessitar de intervenção cirúrgica, desde que cumpram os critérios de acesso, critérios esses que obedecem a prioridades clínicas e sociais, aliviando e substituindo o Serviço Nacional de Saúde, que não consegue dar respostas em tempo útil a problemas relativos a esta especialidade médica.

Mêda- Caminhada“Todos Por Todos” a 29 de maio

Todos Por Todos” é a iniciativa da LPCC que está a movimentar toda a Região Centro.  Visa a prevenção e o dinamismo das comunidades locais para a luta contra o cancro. O evento em Mêda realiza-se a 29 de maio, com uma Caminhada Solidária.

 Mêda é outro dos concelhos da Região Centro que se associa à iniciativa solidária e de voluntariado comunitário “Todos Por Todos” (TpT), no sentido da promoção de estilos de vida saudável. Nesse âmbito, organiza no próximo dia 29 de maio uma caminhada solidária, a partir das 09h00, com partida junto à sede do Grupo de Voluntariado Comunitário (GVC) da Liga, na antiga escola primária.

A organização do evento, que perspetiva mobilizar inúmeras pessoas através de uma caminhada, é da responsabilidade do GVC de Mêda que tem em vista também desenvolver localmente, com este projeto, mecanismos e espaços de envolvimento ativo dos cidadãos para a luta contra o cancro.

A inscrição na caminhada (5 euros), pode ser feita junto dos voluntários da Liga e disponibiliza um kit onde se inclui uma T-shirt TpT.

 “Todos Por Todos” define-se também pela abrangência geográfica e descentralizada do projeto em todos os concelhos da Região Centro.

Fornos de Algodres-Caminhada Noturna “Todos Por Todos” a 9 de junho

Fornos de Algodres caminha pela prevenção e apoio ao doente oncológico

Fornos de Algodres junta-se aos vários concelhos da Região Centro que integram a iniciativa solidária e de voluntariado comunitário “Todos Por Todos”. Assinala nesse sentido, no próximo dia 9 de junho a partir das 20h00, a caminhada noturna “Todos Por Todos”, com início nos Paços do Concelho.

As inscrições, com um custo de 5 euros (que confere direito a uma t-shirt do projeto), deverão ser realizadas junto do Grupo de Voluntariado Comunitário da Liga no local, Câmara Municipal e CLDS de Fornos de Algodres.  De salientar que o valor angariado no âmbito desta iniciativa irá reverter a favor do Núcleo Regional do Centro da LPCC, para o apoio ao doente oncológico e sua família.

A iniciativa “Todos Por Todos” define-se como uma ação de grande abrangência geográfica e descentralizada, desafiando a comunidade a unir-se em torno da sensibilização e difusão da mensagem luta contra o cancro, assim como promover sinergias para aumentar o impacto desta mensagem.

Com organização do GVC de Fornos de Algodres, e apoio da Câmara Municipal, Junta de Freguesia, Santa Casa da Misericórdia e CLDS, a iniciativa visa ainda fortalecer a presença da Liga e a dos seus voluntários nas comunidades locais.