Templates by BIGtheme NET
Início » Trancoso (Pagina 40)

Trancoso

Dia Mundial do Livro: sugestões para a melhor leitura

 A pandemia provocada pela Covid-19 levou grande parte da população portuguesa a ficar em isolamento social, em casa e com mais tempo para dedicar à família e às atividades de que mais gostam, como ler. Para assinalar o Dia Mundial do Livro, que se celebra amanhã, 23 de abril, João Garcia Miguel, autor e encenador, sugere seis livros para este período de quarentena:
  1.  “Neuromancer”, de William Gibson – Obra de um dos escritores de Ficção Científica mais reputados do século XX, pertence ao subgénero literário cyberpunk. Lançado em 1984, aborda temáticas que só mais tarde vieram a ser conhecidas, como o ciberespaço, inteligência artificial ou biotecnologia.
  2. “Levantado do Chão”, de José Saramago – É considerado um dos melhores romances do autor, tendo sido premiado inúmeras vezes, com galardões como o Prémio Cidade de Lisboa, em 1980. Retrata Portugal – e mais especificamente o Alentejo –, desde o final do século IXX até ao 25 de abril, abordando a luta do povo português face às forças opressoras.
  3. “Confissões de uma Máscara”, de Yukio Mishima – Com uma dimensão autobiográfica, representada pela cultura japonesa do próprio autor, narra a história de vida de um homem que vive numa constante ponderação entre o desejo e o dever e o que esperam dele.
  4. “Os Flagelados do Vento Leste”, de Manuel Lopes – Da autoria de um escritor cabo-verdiano, o livro remete para a sua terra, a ilha de Santo Antão, descrevendo a luta do seu povo pela sobrevivência face à força da natureza, ultrapassando graves períodos de seca.
  5.  “Viagens na Minha Terra”, de Almeida Garrett – Um dos clássicos do romantismo português, é uma obra que se debruça sobre a viagem do autor entre Lisboa e Santarém, descrevendo os diversos lugares onde passou e dando a conhecer múltiplas personagens e as suas vivências.
  6. “Meu Último Suspiro”, de Luis Buñuel – Livro autobiográfico do cineasta espanhol, que relata a sua vida e vivências com artistas como Salvador Dalí e Federico García Lorca. A obra aborda a passagem do movimento surrealista para o cinema, da qual o autor também fez parte.

O Dia Mundial do Livro foi comemorado pela primeira vez em 1995, depois de ter sido estabelecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Surgiu com o intuito de fomentar o interesse e democratizar o acesso à literatura, homenageando as obras de todos os que para ela contribuem.

Sobre a Companhia João Garcia Miguel
A Companhia João Garcia Miguel, fundada em 2002, é uma companhia de criação artística contemporânea que pesquisa o desenvolvimento artístico e criativo em artes performativas, exploradas no teatro, e cujo diretor artístico é o encenador com décadas de carreira João Garcia Miguel. Tem como eixo principal da sua atividade artística a ligação entre a Liberdade e o Teatro, tendo como objetivo central provocar uma mudança e diferença social no mundo atual. A companhia conta com inúmeras criações distinguidas e premiadas, tais como a peça Yerma, em 2014, premiada com o Prémio SPA para o Melhor Espetáculo de Teatro e, em 2008, João Garcia Miguel recebeu também o Prémio FAD Sebastià Gasch, em Espanha.

Créditos Foto:Mário Rainha

Covid-19-Empresas e instituições científicas e tecnológicas da região Centro podem aderir a dois concursos de apoio

No âmbito do combate ao COVID-19, o Programa Centro 2020, em cooperação com os restantes Programas Operacionais do Portugal 2020, lançou já dois concursos para apoiar empresas e instituições científicas e tecnológicas.

Estes concursos, que mobilizam 11 milhões de euros do Programa Centro 2020, através Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), pretendem financiar projetos que respondam às necessidades imediatas e a médio prazo do Serviço Nacional de Saúde, bem como a concretização de projetos que permitam fazer face ao aumento exponencial da necessidade de determinados produtos e serviços para o combate ao COVID-19.

O concurso para o sistema de incentivos à inovação produtiva no contexto do covid-19, com uma dotação de 7 milhões de euros, tem por objetivo apoiar empresas que pretendam estabelecer, reforçar ou reverter as suas capacidades de produção de bens e serviços destinados a combater a pandemia do COVID-19. Entendem-se como produtos essenciais medicamentos e  tratamentos relevantes – incluindo vacinas, seus produtos intermédios, princípios farmacêuticos ativos e matérias-primas; dispositivos médicos e equipamento médico e hospitalar – incluindo ventiladores, vestuário e equipamento de proteção, bem como instrumentos de diagnóstico, e as matérias-primas necessárias; desinfetantes e seus produtos intermédios e substâncias químicas básicas necessárias para a sua produção e ferramentas de recolha e processamento de dados.

O concurso para atividades de investigação e desenvolvimento, com uma dotação de 4 milhões de euros, tem como objetivo mobilizar recursos científicos e técnicos para a criação de novos produtos, processos ou sistemas, ou melhorias significativas nos que já existem; e para a construção ou modernização das infraestruturas de ensaio e otimização necessária ao desenvolvimento de produtos relevantes.

Podem candidatar-se todas as empresas nacionais e entidades do sistema nacional de Investigação e Inovação (I&I), inclusivamente em parcerias. Os apoios destinam-se a equipamentos, consumíveis, recursos humanos e outras despesas destinadas à realização dos projetos e à certificação e divulgação dos seus resultados.

Toda a informação sobre os concursos pode ser consultada em www.centro.portugal2020.pt

Por:CCDR Centro

 

CIMBSE promoveu realização de testes aos Sapadores Florestais

Face à atual situação evolutiva do surto epidémico a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela providenciou a realização de testes de despistagem de Covid-19 à Brigada de Sapadores Florestais da CIMBSE como medida preventiva.
Os testes foram realizados  nos Centros de Recolha de Fornos de Algodres, Gouveia e Belmonte.
Trata-se de uma medida de reforço às já implementadas pela CIMBSE, reavaliando diariamente as medidas de prevenção adotadas e a adotar de modo a prevenir e conter a respetiva propagação.
São particularmente importantes as estratégias que contenham a disseminação de COVID-19, prevenindo a transmissão pessoa a pessoa e impedindo a formação de cadeias de transmissão na comunidade.

Por:CIMBSE

“Alimente quem o alimenta” – Plataforma on-line para a Agricultura de proximidade

O Ministério da Agricultura, em parceria com os seus organismos, com os Grupos de Ação Local e com os Municípios, lançou a plataforma “Alimente quem o alimenta”, gerida pela Rede Rural Nacional, a partir da qual:

– Qualquer produtor, de forma simples e rápida, poderá efetuar o seu registo para, posteriormente, anunciar os seus produtos e quais os cabazes disponíveis para encomenda/entrega (e condições associadas);

– Qualquer consumidor, com conforto e segurança, poderá pesquisar por concelho e por produtos (biológicos ou não), identificando os produtores da sua região e encomendando os seus produtos.

As plataformas de lojas on-line existentes podem também aderir a esta plataforma, para divulgar produtores em circuitos curtos, que têm cabazes que vendem na exploração, ou que entregam, ou vendem em mercados locais.

Atendendo ao impacto da pandemia da Covid-19, e aos comportamentos responsáveis daí resultantes, a plataforma “Alimente quem o alimenta” visa incentivar o consumo de produtos locais e o recurso aos mercados de proximidade (encurtar a distância entre produtor e consumidor), de forma a agilizar o escoamento dos produtos agroalimentares locais.

Para fazer a sua inscrição deve aceder ao link : https://www.alimentequemoalimenta.pt/.

Para eventuais esclarecimentos poderá contactar a ADRUSE através do email adruse@adruse.pt ou do número 238490180.

Fonte:Adruse

GNR-Operação Fique em Casa II

A Guarda Nacional Republicana está a realizar até ao próximo dia 20 de abril, uma operação de intensificação do patrulhamento, fiscalização e sensibilização, em todo o Território Nacional, com o objetivo de apoiar a população e garantir o cumprimento das normas do Estado de Emergência.

Durante a operação, serão empenhadas as várias valências da Guarda, sendo o esforço orientado para a verificação do cumprimento do confinamento obrigatório, por parte dos cidadãos sobre os quais impede esse dever, bem como para o apoio aos mais vulneráveis e desfavorecidos.

Neste particular, a Guarda continuará a promover o Programa “65 Longe+Perto”, contactando a população mais idosa, sobretudo a que vive sozinha, isolada ou sozinha e isolada, elucidando sobre as regras específicas decretadas para o Estado de Emergência e procurando sinalizar situações de idosos que, por força do maior isolamento social, necessitem de uma abordagem ao nível psicológico, para as quais serão disponibilizados psicólogos do Centro Clínico da GNR, numa segunda linha de apoio.

Adicionalmente, para além da sensibilização para a limitação da circulação na via pública, a Guarda irá garantir o cumprimento das demais normas previstas na lei, zelando para que a população se abstenha de deslocações desnecessárias, as quais poderão potenciar a propagação da epidemia COVID-19.

 

A GNR relembra que todos devem:

1.    Manter o distanciamento social;

2.    Zelar pelo cumprimento das regras de etiqueta respiratória;

3.    Lavar bem, frequentemente e demoradamente as mãos com água e sabão (ou solução de base alcoólica);

4.    Evitar sair de casa, excepto por situações excecionais.

 

Trancoso realiza sessão solene evocativa ao 25 de abril

Em comunicado, o Município de Trancoso informa que a sessão solene evocativa das comemorações do 25 de abril , vai ter lugar no salão nobre  da Câmara, esta foi uma decisão do executivo e força politicas do concelho.

Cumprindo todas as normas de segurança face ao Estado de Emergência, a cerimónia contará com a presença do Presidente da Câmara, um vereadores eleito de cada partido, Presidente da Assembleia Municipal, representante da cada força política da Assembleia Municipal, representante das freguesias na ANMP.

Segundo o Município, faz todo sentido comemorar abril uma vez que foi instituída a liberdade e face à situação atual é uma forma de homenagear o SNS que foi criado após o 25 de abril.

A sessão tem início ás 10h30 e terá transmissão online.

Estudo:Portugueses adaptam-se à vida com restrições

Na semana em que Portugal entra oficialmente na fase de mitigação do Covid-19 (transmissão comunitária do vírus) e no momento em que os Portugueses começam a viver com restrições, assistimos a um decréscimo nas vendas. A quarta edição do Barómetro semanal da Nielsen sobre o impacto da pandemia regista, para a semana 13 (23 a 29 de março de 2020), vendas na ordem dos 206 milhões de euros, uma quebra de 6% face ao período homólogo (menos 12,5 milhões de euros) e de 12% comparativamente à semana anterior.

Por oposição a esta diminuição, o e-Commerce continua a registar ganhos em termos de ocasiões de compra (+77%) e de captação de lares (+75%). Conduzidos pelo contexto atual, os consumidores parecem mais recetivos à facilidade e comodidade de realizarem as suas compras através de plataformas digitais.

O período em análise integra um salto no número de casos confirmados de infeção por Covid-19 em território nacional. Portugal entra assim na quinta das seis etapas identificadas pela Nielsen – #5 Vida com restrições.

Produtos alimentares crescem com permanência em casa

 Nesta semana 13, os Produtos Alimentares crescem, contrariando a quebra generalizada verificada no retalho alimentar. Os Frescos apresentam um decréscimo, mas este é inferior à média do total do mercado.

“O facto de os portugueses estarem agora confinados nas suas casas altera alguns dos seus hábitos e rotinas diárias. No caso da Alimentação, muitas das refeições passaram a ser confecionadas e consumidas em casa. Tomar o pequeno-almoço e o lanche em casa e fazer petiscos e sobremesas levou a um forte dinamismo de algumas categorias, que surgem agora no topo dos maiores crescimentos, como as Bebidas Quentes (+38%) e as Sobremesas/Doces (+30%)”, explica Marta Teotónio Pereira, Client Consultant Senior da Nielsen.

Os Portugueses parecem mais propícios a cozinhar em casa, algo que é também patente no facto de o retalho alimentar perder neste período mais de 70% em Take-Away/Cafetaria face à semana homóloga.

Entre os Frescos, apesar dos decréscimos em algumas categorias, há segmentos que evidenciam uma tendência contrária e que se destacam pelo forte crescimento devido a dois fatores: defender o sistema imunitário e cozinhar mais em casa.

Mantém-se também a preocupação com a higiene, saúde e limpeza do lar, registando-se crescimentos significativos em Acessórios de Limpeza (+44%), Limpeza do Lar (+20%), Cuidados de Saúde (+9%), entre outras categorias.

Neste contexto, as categorias com maiores quebras refletem bem que os Portugueses se mantêm em casa, entre as quais se destacam os Produtos Solares (-85%), os Produtos para Calçado (-52%) e os Perfumes (-51%).

“A evolução das categorias de FMCG não deixa dúvidas de que os portugueses se mantêm em casa e que se estão a adaptar à vida em quarentena, procurando já produtos que os fazem sentir melhor em casa. Será interessante acompanhar tendência das próximas semanas que, para além de continuar a refletir a vida em quarentena, dará indicações sobre a tendência da Páscoa em 2020.

Com as escolas fechadas, as férias da Páscoa são passadas em casa. No retalho alimentar, o crescimento das vendas da semana anterior à Páscoa (este ano é a semana 14) já reflete os preparativos dos festejos que, em Portugal, passa muito pela reunião da família alargada à volta da mesa.

Com o agravamento da limitação à circulação no período da Páscoa, este ano todos sabemos que foi diferente. Com alguns sinais de menos – menos reuniões familiares, menos saídas dos centros urbanos e menos ofertas – mas também com alguns sinais mais – mais mesas de Páscoa e mais refeições em casa”, comenta Marta Teotónio Pereira.

Por:Nielsen

FPF vai apoiar com 4,7 milhões de euros o futebol e futsal distrital

A FPF em comunicado revelou dar apoio às associações distritais, ao criar um fundo de apoio, assim reuniu-se com todas as associações, por teleconferência, para análise do impacto da pandemia COVID-19 no futebol sénior não-profissional.

No seguimento da mesma, a Direção da FPF vai dar às associações e aos clubes de futebol e futsal das competições nacionais não-profissionais de seniores masculinos e femininos, no valor de 4,7 milhões de euros.

As regras de acesso ao fundo serão conhecidas em breve e o objetivo da iniciativa é garantir que os clubes cumprem com os compromissos estabelecidos para esta época com jogadores e treinadores.

A FPF reforçará também a sua participação no Fundo de Garantia Salarial e manterá com o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol e a Associação Nacional de Treinadores de Futebol monitorização permanente da situação dos jogadores que competem nas provas nacionais não-profissionais seniores e dos treinadores que exercem atividade nestas competições.

Assim Fernando Gomes, Presidente da FPF, explicou o alcance da medida em declarações ao fpf.pt: “Desde o início da pandemia que temos procurado ajudar quer a sociedade civil quer a família do futebol. Tendo como primeira prioridade a saúde e a segurança, sabemos que temos o dever e a obrigação estatutárias de ajudar as nossas associações e clubes a encontrarem soluções financeiras para estes tempos tão complicados. Decidimos assim, após um diálogo construtivo com os sócios da FPF, acrescentar ao milhão de euros disponibilizado anteriormente um novo fundo, de 4,7 milhões de euros, para auxiliar associações e clubes. Fazemo-lo com a clara consciência de que não resolveremos todos os problemas que enfrentamos, mas também dando um claro sinal de que esta é uma batalha que travaremos em conjunto e de que é urgente cumprir os compromissos com treinadores e jogadores.”

Por sua vez, Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores, congratula-se com esta intervenção social da FPF e assinala: “O Campeonato de Portugal é uma competição que tem vivido acima das suas possibilidades. Há muita precariedade e desresponsabilização. A decisão do cancelamento da competição era inevitável. O que pedimos ao Presidente da Federação é que não deixasse ninguém à sua sorte, dependente dos dirigentes e da situação económica dos clubes, que em muitos casos, é muito grave. A prioridade devem ser os jogadores, as equipas técnicas e os funcionários.”

O José Pereira, presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, aplaudiu a iniciativa da FPF, assinalando tratar-se de “uma diligência que se encaixa no pacote de medidas que a Federação tem vindo a implementar para fazer face às dificuldades que decorrem da situação em que vivemos. A FPF está atenta aos problemas que têm surgido e procura soluções para os resolver, ou pelo menos, atenuar. Este fundo salvaguarda alguns clubes, que terão mais dificuldades em cumprir as suas obrigações, e assim sendo, salvaguarda também todos os seus funcionários, incluindo treinadores”.

Este fundo de apoio agora criado sucede à linha de crédito de 1 milhão de euros que a FPF abriu a 19 de março, também destinada aos clubes não profissionais de futebol e de futsal.

A FPF também já tinha tomado a medida de suspender as custas e multas dos processos disciplinares para aliviar a tesouraria dos clubes nesta situação de emergência provocada pela pandemia COVID-19.

fonte:FPF

MAI- PSP eGNR continuam na sensibilização, vigilância e fiscalização junto da comunidade

Foram detidas 74 pessoas por crime de desobediência, das quais 21 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 32 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, 9 por desobediência ao encerramento de estabelecimentos, 1 por resistência e 11 por violação da cerca sanitária de Ovar.
No mesmo período, foram encerrados 248 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.
Estes números juntam-se aos verificados no primeiro período de Estado de Emergência, que vigorou entre os dias 22 de março e 2 de abril, onde se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais.
O Ministério da Administração Interna, perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da COVID-19, insiste no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo Estado de Emergência.

AF Guarda- Competições distritais seniores concluídas

Em comunicado, a AF Guarda informou a conclusão de todas as provas distritais seniores, a exemplo do que a FPF fez nos Nacionais.

Face a isso,  não serão atribuídos campeões ou vencedores das provas, sendo que no Campeonato da Primeira Divisão Distrital de Futebol também não haverá descidas.

Informa também que entende que continuam a não estar reunidas as condições de saúde pública para que os clubes possam treinar e competir em segurança. Por outro lado, vigora em Portugal o Estado de Emergência, pelo menos, até ao dia 17 de abril, sendo possível a sua prorrogação, sendo imprevisível antever quando e se tais condições de saúde pública estarão reunidas ainda durante esta época desportiva.

Acrescenta ainda que a principal preocupação é saúde dos  praticantes e da restante família.

Pode ler-se também que,o  “principal objetivo das suas provas e campeonatos, será sempre a promoção da prática desportiva e a formação cívica dos nossos praticantes, num contexto desportivo e de valorização do trabalho de equipa”. Assim, entende a Associação que “é necessário acabar com a ansiedade e permitir, a todos que possam, programarem a sua vida mais próxima e futura, onde se inclui a desportiva”. Nesse  sentido a AF Guarda tomou a medida de cancelar, com efeitos imediatos, toda a competição Distrital ainda não concluída, relativa à época desportiva 2019/2020, sem haver lugar a subidas e descidas e sem designação de campeões.

A FPF continuará a estudar com as associações distritais e regionais os moldes em que decorrerão as competições nacionais não-profissionais na época 2020/21. Sob o ponto de vista económico, a AF Guarda, igualmente, está a diligenciar junto da FPF no sentido de angariar eventuais apoios financeiros para a época desportiva 2020/2021, tendo em conta a difícil realidade económica, que se perspetiva pouco favorável para todos.

Fonte:AFG