Templates by BIGtheme NET
Início » Turismo (Pagina 10)

Turismo

Trancoso-Prémio da 14ª edição do Concurso Nacional de Leitura foi entregue

Teve lugar a cerimónia de entrega do Prémio da 14ª edição do Concurso Nacional de Leitura ,no mini Auditório do Centro Cultural de Trancoso.Nesta 14ª edição, foi distinguido o jovem Alexandre Santos, que ficou em 2º lugar na fase intermunicipal do Concurso Nacional de Leitura 2021, liderado pela Biblioteca Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, em parceria com a Direção – Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, no âmbito do Plano Nacional de Leitura, com o intuito de contribuir para a promoção, gosto e melhoria, quer da leitura, quer da escrita.

Para além da presença do Presidente da Câmara Municipal de Trancoso, Amílcar Salvador, estiveram ainda presentes na cerimónia o Vereador da Cultura do Município de Figueira de Castelo Rodrigo, Dr. Henrique Silva, o Secretário Coordenador da CIM-BSE, Dr. António Miraldes e o Diretor do Agrupamento de Escolas de Trancoso, Prof. Armando Neves.

fotos:MT

Primeiro barco elétrico de wakeboard apresentado

O Ancoradouro do EcoHotel Lago Azul, em Ferreira do Zêzere, na Estação Náutica de Castelo do Bode, recebeu recentemente a conferência de imprensa Castelo do Bode Zero Emissions – No caminho da Descarbonização para um Turismo Mais Sustentável”, promovida pela Fórum Oceano, Coordenadora da Rede das Estações Náuticas de Portugal, a CIM Médio Tejo, Coordenadora da Estação Náutica de Castelo do Bode, o Município de Ferreira do Zêzere, a Turismo Centro de Portugal e a Associação Portuguesa de Wake.

O evento consistiu na apresentação do primeiro barco elétrico de wakeboard a operar em Portugal – e que também é um dos pioneiros a nível mundial. É uma embarcação silenciosa, que emite zero emissões e que passa a estar disponível na Estância de Wakeboard de Castelo do Bode, para os adeptos de desportos náuticos que tenham preocupações ambientais e de sustentabilidade.

A apresentação contou com demonstrações de wakeboard e wakesurf por parte de alguns dos melhores atletas das modalidades em Portugal, como Teresa Almeida e Miguel Rocha, embaixadores da Rede das Estações Náuticas de Portugal, e Bernardo Branco, Joana Atalaia, Guy Fonseca e Toni Laureano. Estiveram igualmente presentes na conferência de imprensa autarcas e outras entidades oficiais.

Presente na apresentação, Hélio Antunes, vereador do Município de Ferreira do Zêzere,  destacou o “prazer enorme” do Município em receber esta iniciativa: “Esta embarcação descarbonizada é um sinal evidente de que a Albufeira de Castelo do Bode reúne todas as condições para ser um destino sustentável. É um marco histórico e atrás dele outros virão, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida na região”.

António José Correia, coordenador da Rede de Estações Náuticas de Portugal,  enalteceu igualmente “o marco importante” que este evento representa para as Estações Náuticas de Portugal. “Enquanto coordenador das Estações Náuticas de Portugal, é um enorme prazer estar na apresentação de um barco silencioso e com zero emissões. É um passo muito importante e estou certo de que outras Estações Náuticas irão seguir o exemplo de Castelo do Bode. Se temos água, se a água é fator de desenvolvimento, que seja sustentável” sublinhou.

Luís Segadães, promotor do investimento e impulsionador da Estância de Wakeboard de Castelo do Bode, recordou que esta estância atrai 3 ou 4 mil praticantes por ano, dos quais muitos são locais. “Estamos cada vez mais focados no aspeto ambiental desta atividade. Este barco, de que há apenas  15 no mundo, é um exemplo de que estamos na linha da frente da atividade turística sustentável”, considerou.

António Marques Vidal, presidente da APECATE – Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos, elogiou o facto de esta iniciativa constituir “um fator de desenvolvimento sustentável” que surge “a partir de uma empresa privada”. “Os empresários têm de ir à luta e criar condições”, enalteceu.

Já Anabela Freitas, presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, depois de lembrar que a Estação Náutica de Castelo do Bode é um “projeto que junta vários municípios”, destacou a evolução da albufeira, primeiro com a criação da Estação Náutica e agora com este pioneiro barco descarbonizado. “Estamos perante uma ação de grande importância e que se insere naquilo em que esta região se quer afirmar, como destino sustentável para as próximas gerações”, disse.

A encerrar a apresentação, Adriana Rodrigues, Chefe do Núcleo de Comunicação, Imagem e Relações Públicas da Turismo Centro de Portugal, frisou que esta entidade há muito que pauta as suas ações de promoção pela “preocupação com a sustentabilidade e com o desenvolvimento do interior do país”, de que as Estações Náuticas são um exemplo. “As Estações Náuticas são um projeto vencedor, que tem mostrado resultados muito positivos na promoção da região, tanto no litoral como no interior. Representam também uma democratização do turismo náutico, facilitando o acesso das pessoas interessadas em experimentar atividades ligadas à água”, elogiou.

 

Trail Trilhos Culturais em Vila Chã

Novos trilhos, novos percursos, vão acontecer com mesma organização, Vila Chã Aldeia Trail de Portugal com diversas parcerias, no próximo dia 3 de outubro, em três vertentes: Trail Curto, Longo e Caminhada.

Vai estar em destaque a cultura, natureza e gastronomia.

São esperados centenas de atletas de todo País, onde as inscrições do trail são em: https://acorrer.pt/eventos/info/2821
Por sua vez, as inscrições da caminhada serão através do número-962818607

Guarda-Mais de três centenas de atletas participaram no triatlo

A Barragem do caldeirão foi palco da 2ºedição do  Triatlo da Guarda , com muita adrenalina, pelo meio, o muito calor dificultou a prestação dos atletas.
Mais de 300 atletas participaram nesta iniciativa desportiva que incluiu provas de Triatlo de Média Distância, Triatlo Standard e Triatlo Sprint a contar para o Campeonato Nacional Individual de Média Distância, Campeonato Nacional de Clubes de Longa Distância e Campeonato Nacional de Paratriatlo de Média Distância. Esta iniciativa foi promovida pela Câmara da Guarda, com o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal e da Delegação Norte da FTP.

Teatro Musical “Só queria que me saísse… Dão” animou Penalva do Castelo

Dois dias dedicados à peça de Teatro Musical “Só queria que me saísse… Dão”, decorreu na vila de Penalva do Castelo, trata-se de um espetáculo produzido pelo Contracanto Associação Cultural com texto original de Sandra Leal e encenação de António Leal. Em palco estiveram cerca de 30 personagens, entre atores, cantores e músicos, sobressaindo a figura do “Barbosa”, interpretada pelo ator Pedro Pernas, que recria magistralmente o grande ator António Silva.

Por sua vez, o autarca Francisco Carvalho, enalteceu o belo trabalho produzido pela ContraCanto, nesta bela peça que animou todos os presentes.

A história acontece em plena Lisboa, no Pátio do Carrascão e transporta-nos para o imaginário dos clássicos do cinema português dos anos 30 /40, como Pátio das Cantigas ou a Canção de Lisboa, sendo recriadas cenas desses filmes como a célebre cena de Vasco Santana e o candeeiro. Ou a famosa frase” Evaristo tens cá disto”, aqui substituída por “Barbosa, tens cá gasosa”. A vida nos pátios alfacinhas, com as suas relações de vizinhança, as tabernas, as festas populares, servem de cenário e ambiente ao desenrolar das histórias, condimentadas com o fado, a canção popular, a que se juntam os temas da Broadway.
Barbosa é o único beirão no bairro, condição que ele tenta esconder aos turistas para os atrair para a sua casa de fados “Solar do Vinho” que representa o que de mais pitoresco Lisboa tem para oferecer. Entre cantigas e muitas histórias, os moradores do pátio não se esquecem de lembrar Barbosa das suas raízes beirãs e Barbosa perde as estribeiras de cada vez que um deles o provoca! Mas o destino tem hora marcada para fazer das suas e este ano, o arraial vai mudar para sempre o pátio. Tudo por conta do tal vinho do beirão Barbosa que, afinal, não é de Lisboa, nem carrascão, mas sim, vinho do Dão. E quando o vinho é Dão… até um pátio alfacinha quer ser beirão!
Foi com duas sessões, com lotação esgotada, que decorreu o teatro musical. Dada a elevada adesão, aqueles que não conseguiram obter bilhete, puderam assistir na zona envolvente.

Mangualde – Inscrições abertas para sessões de capacitação de arte

A comunidade mangualdense está a ser desafiada a colorir o Município, entre os dias 23 a 25 de agosto. Nos meses de agosto e setembro estão a ser promovidas sessões de capacitação em arte urbana nos Municípios do Alto Mondego Rede Cultural (Mangualde, Nelas, Fornos de Algodres e Gouveia). As inscrições para as sessões de capacitação de arte são gratuitas e já se encontram abertas. Os interessados deverão contactar a Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves: 232 619 889.

“As pessoas vão ficar a perceber como funciona a arte urbana, quais as técnicas, qual a história e o porquê desta ser uma das artes deste século”, adianta o artista urbano Desy.

Esta iniciativa faz parte do projeto que desafiou o artista Desy a criar um mural em cada um dos Municípios, e irá culminar na criação de mais 4 murais, onde os participantes das sessões de capacitação poderão testar os seus conhecimentos e dar o seu contributo para embelezar os seus territórios.

As primeiras capacitações decorreram em Fornos de Algodres, de 2 a 4 de agosto, depois serão feitas em Gouveia de 12 a 14 de agosto.  Mangualde é o terceiro Município a acolher a iniciativa. As sessões decorrem entre 23 e 25 de agosto. A ação termina em Nelas com as capacitações de Arte Urbana a decorrerem de 6 a 8 de setembro.

“O envolvimento da comunidade é para mim a grande mais-valia destes projetos. As pessoas vão poder criar algo que é para o Município delas, mas é também delas”. “Os murais vão valorizar o Município, mas também vão valorizar as pessoas, muitas delas podem até perceber que é este o futuro que querem seguir e que é possível seguir este futuro”, sublinha Desy.

Séculos depois, a neve da Serra da Estrela voltou a chegar a Lisboa

Ao sexto dia do mês de agosto do ano da graça de 2021, o Clube Escape Livre, a Marinha do Tejo e a Toyota, cumpriram a secular tradição de “Dar Neve a Lisboa”, para que, nos antigos armazéns de gelo do Martinho da Arcada, se voltasse a tomar neve da Serra da Estrela e sorvetes como antigamente.

Pouco passava das oito horas da manhã da passada quinta-feira, quando o grupo de aventureiros e jornalistas deixou o Vila Galé Serra da Estrela, em Manteigas, e subiu até antigos neveiros do Covão da Ametade, na Serra da Estrela, a bordo de duas Toyota Hilux 4×4 para se encontrar com o Neveiro-Mor, Pedro Fernandes Castello Branco, e os seus ajudantes, ali caracterizados pelo grupo de teatro Hereditas.

Assinado o contrato de transporte de neve, como outrora se fazia, tempo de carregar “as carroças” com alguns quilos de gelo prensado envolto em serapilheira, e seguir caminho rumo ao destino final, o Terreiro do Paço, em Lisboa. Pela frente, estavam trilhos fora-de-estrada para descer a Serra e as antigas estradas-reais que desciam até ao rio.

Como havia explicado na noite anterior em Manteigas o Prof. Carvalho Rodrigues, esta tradição secular de transportar neve da Serra até Lisboa começou em 1619, há mais de 400 anos, quando o Rei de Portugal fazia chegar à corte neve fresca da Serra da Estrela, entre os meses de maio e setembro, para que a corte pudesse tomar bebidas frescas e fazer sorvetes. Anos mais tarde, o excedente de neve da corte era distribuído pelos comerciantes do Terreiro do Paço, como o antigo Martinho das Neves, hoje Martinho da Arcada, para que o vendessem à população.

A expedição que partiu da Serra da Estrela, passou ainda por Constância, onde almoçou perto do sítio onde o Zêzere se funde com o Tejo, onde era muitas vezes feito o embarque da neve nos barcos com destino a Lisboa.

Paulo Andrade, Presidente da Marinha do Tejo, aproveitou a ocasião para referir que num levantamento feito em 1820, existiriam 3600 embarcações entre a foz do Tejo e Vila Velha de Rodão, que asseguravam todo o transporte de pessoas e bens, como a neve, até ao aparecimento da ponte 25 de Abril.

A paragem seguinte fez-se na Casa Cadaval, onde a expedição foi recebida pela Condessa Teresa Schönborn, Marquesa de Cadaval, e já com a Prof. Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, que se havia juntado à caravana na população de Raposa, ao volante de uma das carrinhas que transportavam a neve.

Ana Abrunhosa, aproveitou o momento para referir que “a valorização da nossa história permite construir futuro. A estruturação de novas ofertas turísticas une os diferentes territórios, tanto por estradas de terra batida, estradas de asfalto ou estradas do mar. Preservando a nossa história e a tradição, construímos também modernidade e futuro.”

Antes de um merecido descanso no Resort Praia do Sal, em Alcochete, a caravana jantou no Clube Náutico Moitense, na companhia do Vice-Presidente da Câmara da Moita, antecipando o embarque naquele cais no dia seguinte.

A neve embarcou no varino “O Boa Viagem”, da Câmara Municipal da Moita e da Marinha do Tejo, pelas 12h de sexta-feira com destino ao Cais das Colunas, em Lisboa. Durante a viagem, o mestre fragateiro João Gregório e o Eng. Paulo Andrade, Presidente da Marinha do Tejo que acompanhou toda a expedição, falaram da história destes barcos e da sua importância ao longo da história náutica portuguesa.

Ao longe, já se avistava Lisboa, e na margem do Terreiro do Paço, já esperavam a neve os bombos e fanfarras dos arautos do reino. Foi assim, num desfile escoltado pela Polícia Municipal de Lisboa do Cais da Colunas até às arcadas do Terreiro Paço, que seguiu a neve até ao Martinho da Arcada, onde foi recebida por António Marcos Sousa, atual proprietário.

A neve que viajou da Serra da Estrela até Lisboa, foi entregue, simbolicamente, aos diversos representantes do poder local, de hoje e de antigamente. Primeiro à Prof. Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, em plena Praça do Comércio, depois ao Vereador Miguel Gaspar, do átrio da Câmara Municipal de Lisboa, e, como há séculos se fazia, à Casa Real Portuguesa, na pessoa do Duque de Bragança, o Senhor Dom Duarte, que fez questão de vir “tomar neve” com todos os aventureiros ao Martinho da Arcada.

Luís Celínio, Presidente do Clube Escape Livre, comentou que “foi um prazer dar vida a esta ideia do Prof. Carvalho Rodrigues, aplicando todo o conhecimento de expedições fora de estrada do Escape Livre, juntando a modernidade dos veículos 4×4 Toyota com a tradição dos barcos da Marinha do Tejo.”

O sucesso desta recriação histórica promete voltar a repetir-se no futuro, e a neve da Serra da Estrela promete continuar a refrescar a capital, pela mão do Clube Escape Livre e da Marinha do Tejo, mesmo nos meses mais quentes do ano.

Novos eventos estão a ser trabalhados em Pinhel

Teve lugar mais uma reunião de câmara do executivo de Pinhel, onde teve destaque  a análise e aprovação de três protocolos associados à realização do “Multisport Weekend Pinhel 2021”, evento desportivo que vai ter lugar em Pinhel nos dias 11 e 12 de setembro, englobando provas de Triatlo, Pentatlo e Beach Polo.
Para o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, a realização desta iniciativa é mais uma aposta da autarquia em eventos diferenciadores e com grande potencial de atração de novos públicos à cidade e à região.
Nesta reunião foi também aprovada a compra de parcelas de terreno para integração em domínio público, tendo em vista o prolongamento da variante de acesso à Zona Industrial, projeto essencial à intenção já manifestada de aumentar a Zona Industrial de Pinhel face à crescente procura de lotes para instalação de empresas.

Centro Interpretativo vai nascer em Cidadelhe (Pinhel)

Cidadelhe vai ter um Centro Interpretativo, deste modo, foram assinados dois documentos, um entre a Junta de Freguesia e a Côa Parque, em que a Junta de Freguesia se compromete a ceder instalações à Fundação, na aldeia de Cidadelhe, tendo em vista a instalação de um Centro Interpretativo que será, na prática, uma extensão do Museu do Côa.
Por outro lado, a porta do sul do Côa vai ser uma realidade, o Município de Pinhel, a Côa Parque e a Junta de Freguesia celebraram um outro protocolo em que o Município se compromete a garantir os recursos humanos necessários ao funcionamento do referido Centro Interpretativo.
Recorde-se que é a partir de Cidadelhe, aldeia que pertence à Freguesia de Vale do Côa, no concelho de Pinhel, que é possível visitar o Núcleo da Faia, que reúne um conjunto de gravuras rupestres que têm estado mais reservadas (não integrando os circuitos de visitas), bem como as únicas pinturas encontradas até agora na área do Parque Arqueológico do Vale do Côa.
A união de esforços e boas vontades foi sublinhada por todas as partes envolvidas nesta parceria que, acima de tudo, pretende promover e valorizar este que é classificado como Património da Humanidade.
Participaram na assinatura dos documentos o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, a Diretora da Fundação Côa Parque, Aida Carvalho, e o Presidente da Junta de Freguesia de Vale do Côa, Albertino Tomé.
O ato decorreu nas instalações do Centro Difusor, onde irá ser instalado o Centro Interpretativo, na noite em que Cidadelhe acolheu a iniciativa “Ciência Viva no Verão” que proporcionou uma interessante sessão de observação astronómica.

Estrelacoop qualifica provadores de Queijo Serra da Estrela

Para que cada Queijo Serra da Estrela com Denominação de Origem Protegida (DOP) mereça este rótulo inconfundível revelador da sua identidade e características únicas, há um longo processo que começa na sua cadeia de valor e acaba num painel de provadores qualificados e especializados. Com o objetivo de alargar o número de provadores qualificados para júri do Painel Oficial do Queijo Serra da Estrela DOP, a Estrelacoop, Cooperativa dos Produtores de Queijo Serra da Estrela, CRL, está a lançar uma formação profissional de provadores especializados, que irá realizar-se em dois momentos – nos dias 17 e 18 de setembro e nos dias 24 e 25 do mesmo mês. A formação integra uma alargada prática de avaliação sensorial, com aferição das características e atributos de queijos Serra da Estrela DOP, designadamente a crosta, a forma e consistência, a textura, a cor da pasta e o sabor e o aroma.

Esta formação presencial com duração de dois dias é aberta a participantes de todo o país e acontece na sede da Estrelacoop em Celorico da Beira. Será realizada pela ALS Portugal, entidade formadora no âmbito da biotecnologia aplicada à segurança alimentar, saúde animal e controlo ambiental.

No final do curso cada participante conseguirá obter a Qualificação para integrar o Painel Oficial de Provadores do Queijo Serra da Estrela DOP, permitindo ao provador garantir que tem conhecimento sobre os elementos distintivos DOP, capacidades ímpares de avaliação sensorial do queijo, bem como de análise da qualidade de produção.

 Os interessados podem inscrever-se, gratuitamente, no site oficial da Estrelacoop www.estrelacoop.pt ou diretamente aqui