Templates by BIGtheme NET
Início » Celorico da Beira » Comércio Local – Enquadramento Actual e Perspectivas Futuras”

Comércio Local – Enquadramento Actual e Perspectivas Futuras”

 

Na noite de sábado, em Fornos de Algodres, a Quinta das Courelas foi palco de uma conferência sobre o actual estado do comércio local e as perspectivas futuras, numa pequena vila do interior onde cada vez tem menos população.
Uma moldura humana considerável, onde uma larga percentagem de comerciantes da vila compareceram e deixaram a sua opinião sobre o tema.
Mas para além do coordenador local da JS, Alexandre Lote, também estiveram presentes figuras de peso do partido a nível local e distrital e como oradores, sugiram o vereador local Miguel Ginja, Rui Costa, empresário local, António Silva, vereador do município de Celorico da Beira e por fim o secretário da JS, Pedro Alves.
Miguel Ginja, iniciou a prelecção lamentando a não cedência de um auditório por parte da autarquia, para a realização da conferência, pois é um tema do interesse dos comerciantes locais, frisou que em 2004, com o programa Procon, a zona do eixo comercial foi revitalizada, mas faltou algum acompanhamento para que este eixo fosse mais atractivo, sendo contra os parquímetros na EN16, e falta actualmente um gabinete de apoio ao comerciante nesta localidade, até existe o Modcon, mas a autarquia devia ter alguém que estivesse ao lado dos comerciantes diariamente, e o pior é que os comerciantes estão divididos em duas associações, a da Guarda e a regional Fornos, Gouveia e Seia, mas assim está com vias a acabar.Seguiu-se o empresário Rui Costa que deixou algumas sugestões para o comércio local melhorasse e teria de existir maior divulgação e incentivos e acima de tudo formação, frisou também a necessidade de um gabinete de apoio.
Celorico, um modelo de sucesso
Seguiu-se António Silva do município de Celorico da Beira que apresentou todo o trabalho que tem sido feito naquele concelho com vista ao desenvolvimento do comércio local.
Salientou que com a vinda das portagens, também as autarquias têm de requer a taxa de Protecção cível e deixou a ideia que é necessário criar novas receitas, no seu concelho tem vindo a ser feito um trabalho notável ao nível comercial, patrimonial e turístico, todos estes sectores se complementam, lamentou a falta de um ponto de venda de produtos regionais em Vila Ruiva junto à unidade hoteleira do Inatel, deixando também outras sugestões e mostrou-se indignado com o modelo da feira regional do queijo da serra, pois quando lhe falaram do projecto pensava que fosse de índole nacional ou internacional e não mais uma feirinha, para isso continua a do concelho que se mantém anual.
Salientou que o plano posto em prática em Celorico tem dado frutos e notasse o desenvolvimento e o progresso além fronteiras dos produtos regionais.
Por fim o secretário-geral da JS, Pedro Alves, enalteceu a preocupação dos jovens pelo estado actual do comércio e deixou a nota que os municípios têm de ser mais dinâmicos e o comércio precisa de acompanhamento diário para estar sempre actualizado, existem pacotes de apoio na região, e porque não criar uma nova associação de comerciantes só locais para todos terem voz activa, onde a autarquia tem de ser o principal impulsionador.
Outros dos problemas focados foi a falta de estacionamento no eixo comercial.
Por fim, Alexandre Lote agradeceu aos muitos presentes, deixando a palavra que vai continuar a lutar, apesar de todos os obstáculos que lhe possam colocar pelo caminho, nada os vai demover para lutar por Fornos.

Publicidade...



 

Enviar Comentário