Templates by BIGtheme NET
Início » Distrito da Guarda » Deputados do PSD entregam requerimento sobre Obras no IP3 e IC7 na Assembleia da República

Deputados do PSD entregam requerimento sobre Obras no IP3 e IC7 na Assembleia da República

Os deputados do PSD eleitos na região Centro enviaram um requerimento ao Ministro das Infraestruturas e Habitação e  ao Presidente da Assembleia da República sobre as obras no IP3 e IC7 com o seguinte conteúdo.

“O atual estado do IP3 é o espelho de um país adiado e de um Interior maltratado.

Circular nesta estrada, fatalmente associada a muitas mortes e feridos graves em acidentes, é um suplicio e um risco cada vez mais parecido com a roleta russa.

Para o fluxo de trânsito que suporta e enquanto eixo que liga duas das cidades mais importantes do centro do país (Coimbra e Viseu), também usado por uma larga maioria da população dos distritos da Guarda, Vila Real e Bragança e pelos transportadores de mercadorias nacionais e internacionais, o seu traçado está completamente anacrónico e é quase sub-mundista.

Se a situação já era confrangedora e inaceitável num país que se quer aproximar da média europeia, ela tornou-se insuportável a partir do passado mês de julho, com o inicio das infindáveis obras de asfaltamento que nada mudam de forma estrutural e que obrigaram ao corte de hemifaixas de rodagem nalguns troços, ignorando por completo o aumento significativo de tráfego durante o Verão e os transtornos desproporcionais que iriam causar.

Comparando com outros países similares a Portugal, em que se trabalha de noite e dia em estradas estruturantes para servir os utentes com o menor incómodo possível, o cenário do IP3 é anedótico e incompreensível, ninguém ficando indiferente às interrupções nas obras dias a fio, com máquinas encostadas e inativas e com troços encerrados sem razão percetível.

A recente tempestade de chuva que se abateu sobre o país em Dezembro passado, com os associados desmoronamentos de terras, forçaram agora ao corte de uma via na zona de Souselas, sentido Coimbra – Viseu, sem que as Infraestruturas de Portugal se tenham dignado  a colocar sinalética sobre os desvios que devem ser feitos e onde devem ser feitos para quem tem de seguir viagem até Viseu ou até à Guarda, transformando as acessibilidades à região num calvário (via Luso, num sem numero de curvas e de filas sem termo, ou via A1/A25, num aumento incomportável do custo da viagem).

No seu anterior mandato, o Primeiro Ministro e o então Ministro das Infraestruturas anunciaram com pompa, mais que uma vez e em mais que um local, o desbloqueamento das obras deste malfadado IP3.

Estramos em 2020 e a situação parece mais bloqueada que nunca.

O OE para este ano prevê uma verba de 7 milhões de euros para a empreitada do nó de Penacova (a tal do asfaltamento – e pouco mais – que está em execução há meses), o que não representa nada de novo nem dá esperança a ninguém de que o IP3 venha a ter um traçado digno e seguro nos próximos tempos.

Entre os ponderáveis mal planeados e para emigrante ver antes das eleições (o início dos trabalhos de asfaltamento no troço Penacova – Lagoa Azul) e os imponderáveis causados pelas intempéries, as populações dos vários concelhos que hoje são obrigados a passar pelo martírio chamado IP3 poderiam ter a expectativa de dias melhores num futuro breve, com a construção do IC7 e a conclusão do IC6 pelo menos até ao nó de Folhadosa, Seia, em tempos tão ruidosamente reclamados pelos atuais responsáveis governativos e pelo principal partido que os suporta e agora tão primorosamente esquecidos.

Os cidadãos e as empresas das regiões servidas por estas vias não podem continuar a ser os parentes pobres do investimento nacional em infraestruturas, até porque deles beneficia em larga medida toda a economia do país.

Por assim ser e nos termos das disposições regimentais aplicáveis, os deputados signatários pretendem que o Senhor Ministro das Infraestruturas esclareça:

  1. Quando vão terminar as obras de asfaltamento do IP3 e em que data estimada está prevista a abertura de todos os troços do IP3?
  2. Em que data concreta vão começar as obras de duplicação do IP3 e qual o específico traçado que vai ser requalificado ou reconvertido em perfil de auto-estrada entre Coimbra e Viseu?
  3. Vai ou não o Governo dar continuidade às obras do IC6 até ao nó de Folhadosa, em Seia, e iniciar a construção do denominado IC7, entre Folhadosa e Celorico da Beira, distrito da Guarda (atual EN 17), e em caso afirmativo, com que calendarização?”

Palácio de São Bento, 3 de janeiro de 2020

Deputado(a)s

 

CARLOS PEIXOTO(PSD)

CARLA BORGES(PSD)

FERNANDO RUAS(PSD)

ANTÓNIO LIMA COSTA(PSD)

MÓNICA QUINTELA(PSD)

ANTÓNIO MALÓ DE ABREU(PSD)

PEDRO ALVES(PSD)

 

Publicidade...



 

Enviar Comentário