Templates by BIGtheme NET
Início » Distrito da Guarda » Sérgio Costa apresentou a sua equipa e o seu projeto

Sérgio Costa apresentou a sua equipa e o seu projeto

A tarde deste sábado foi de apresentação da equipa de Sérgio Costa e da sua equipa à Câmara Municipal da Guarda,assim José Valbom, é o seu Mandatário.

Desta forma, José Rodrigues é o Mandatário da Juventude, Luísa Santos, Mandatária Financeira. José António é o Diretor de Campanha.Depois, António Júlio Aguiar, é o candidato a Presidente da Junta de Freguesia da Guarda.

Já José Relva, é o candidato a Presidente da Assembleia Municipal. depois na lista à Câmara existem Mulheres e aos Homens que o acompanham na lista:

7º- Rosária Santos – Dirigente do Sector Social

6º- António Pereira – Estudante Universitário

5 º- Diana Cruz e Sousa – Médica

4º- Rui Melo – Engenheiro

3 – Amélia Fernandes – Professora – Educação e Ação Social

2 – Diana Monteiro – Gestora Bancária – Economia e Finanças

Depois Sérgio Costa, deixou assim o seu projeto se for eleito com a sua equipa:

Saúde

Muitas têm sido as notícias negativas ao longo da última semana em

torno do nosso Hospital, com acusações entre partidos políticos, entre

Gestores Hospitalares, com promessas e mais promessas, mas até agora

nada.

Na Saúde estamos cansados de ver fugir os serviços e os seus

profissionais quer para o litoral, quer emigrando para a europa.

De ver continuamente o Estado Central a retirar os serviços públicos do

nosso Concelho e até mesmo algumas competências deixando-nos,

Cidadãos Portugueses, entregues a nós próprios.

De sentir na pele a sensação de abandono que o Estado Português nos

provoca todos os dias.

De ver por um “canudo” a tão propalada coesão territorial.

Esse Estado que devia tratar todos por igual e que progressivamente

nos deixa desamparados perante a fatalidade de ser da Guarda e estar

longe de Lisboa ou do litoral.

Vivemos num país cada vez mais desigual! Vivemos cada vez mais num

país injusto!

Que não trata da saúde das gentes do interior com os mesmos olhos e

com os mesmos meios com que trata as gentes de Lisboa ou do litoral.

Um país cada vez mais desequilibrado que continua a favorecer quem

mais tem!

Que continuamente nos abandona na saúde! E nos faz caminhar para

Coimbra, Porto ou Lisboa quando temos a sina de adoecer!

O nosso Hospital da Guarda foi desprezado e autenticamente

desamparado, quando a sua administração pede 45 médicos e apenas

lhe oferecem 10 vagas.

A Guarda deve exigir e defender em primeiro lugar um Hospital Público

capaz!

A Guarda tem de ter um Hospital Público de Excelência.

A Guarda tem de se afirmar pela excelência nos cuidados de saúde.

Alguns parecem querer caminhar para a irrelevância da Guarda na

Saúde, quando já fomos uma referência nacional no início do século XX.

Os tempos são diferentes e estamos agora muito dependentes dos

cuidados oferecidos por cidades vizinhas ou prestadores privados, aos

quais nem todos têm acesso ou possibilidades económicas para isso.

Apenas uns “cuidados paliativos” que não “curam” o nosso Hospital da

Guarda!

Em primeiro lugar temos de lutar com todas as nossas forças pelo

NOSSO HOSPITAL!

Pois quem mais sofrerá serão os menos favorecidos, sem capacidade de

aceder ao privado e sem resposta no público.

Não podemos andar a navegar à vista, ora querendo um setor público

da saúde com mais e melhores recursos, ora afirmando investimentos

privados secretos que mais ninguém conhece.

Mas os Guardenses erguem os braços!

Pela Guarda, vamos todos unir as nossas mãos na defesa do Hospital

Sousa Martins.

Estamos solidários com todos os Profissionais da Unidade Local de

Saúde e estamos convictos que nas próximas semanas esta decisão será

invertida e serão encontradas soluções para colmatar a carência de

recursos.

Todos temos a obrigação de mover esforços, não de uma forma isolada,

mas sim com todos os parceiros como a Administração da ULS, as

Ordens Profissionais da Saúde e a Sociedade Civil, para garantir que a

acessibilidade e a qualidade e segurança dos cuidados de saúde seja

uma realidade cada vez mais presente.

Queremos que o nosso Hospital Público tenha um estatuto de

paridade com o da Cova da Beira, recordando o que a nossa

Assembleia Municipal, pelas mãos da sua atual Presidente – Dra. Cidália

Valbom, aprovou por unanimidade.

Este é o nosso caderno de encargos e com a firme convicção da nossa

eleição para a Câmara Municipal da Guarda, não iremos admitir qualquer

tipo de subalternidade e que sejam atribuídas menos de 1/ 3 das vagas

em relação aos Hospitais mais próximos.

A legislação publicada em 2019 relativa à descentralização de

competências para os órgãos municipais no domínio da saúde, prevê a

criação do Conselho Municipal da Saúde, órgão que ainda não foi

constituído na Guarda, mas que é de extrema importância sob o ponto

de vista funcional e político.

Este fórum é de uma importância extrema no acompanhamento do

estado do setor e ajudará concerteza a encontrar o melhor caminho

para colmatar todas as dificuldades com que nos podemos deparar nos

serviços de saúde do nosso Concelho e à definição da política municipal

de saúde.

O planeamento e acompanhamento deve ser feito com o tempo e a

ponderação devidos e não vir depois mais tarde a reboque da onda

populista, atrás do prejuízo e a queixarem-se depois do facto

consumado.

Como Presidente da Câmara Municipal, irei acompanhar

permanentemente as necessidades da ULS, em estreita

colaboração com as autoridades regionais e nacionais da saúde.

Este é o exemplo da atual força política da Guarda nos centros de

decisão Regionais e Nacionais e é este um dos motivos da nossa

Candidatura.

Pela Guarda, temos todos de saber fazer o trabalho de casa.

Temos a convicção de que tem de ser gente da Guarda, gente que vive

a Guarda, a falar pela Guarda, a fazer política Pela Guarda.

É tempo de os cidadãos se organizarem e lutarem!

É tempo dos cidadãos que querem dar o seu contributo sem pertencer a

nenhum partido levantarem a sua voz!

É o tempo dos Independentes! A saúde sempre esteve na mira de todos

nós.

Queremos a totalidade da obra da 2.ª fase do Hospital Sousa

Martins.

Não podemos andar de promessa em promessa, nas vésperas dos atos

eleitorais, para depois nada acontecer.

O Hospital da Guarda deve ser uma promessa cumprida!

Queremos os Profissionais e as Valências com o estatuto de paridade

como Centro Hospitalar Universitário.

Em estreita articulação com as Autoridades Regionais e Nacionais da

Saúde, queremos recuperar os antigos pavilhões do Parque da

Saúde e ali instalar um Centro Nacional de Investigação, criando

mais oportunidades para os profissionais de saúde que cá trabalham,

promovendo a promoção das suas carreiras e atraindo mais profissionais

de todo o país.

A Guarda quer melhores instalações e a valorização dos seus médicos,

dos seus enfermeiros e dos restantes trabalhadores da saúde!

A Câmara da Guarda tem de assumir a sua responsabilidade e oferecer

condições para que os médicos, os enfermeiros e os profissionais de

saúde tenham benefícios e escolham viver aqui, com as suas famílias.

Se tivermos de pagar 50% de uma renda de uma casa para que um

médico ou médica e a sua família no princípio da sua vida profissional,

aqui decidam viver e cuidar da nossa saúde, nós assumimos essa

responsabilidade, dado que o Estado português não cumpre a sua

obrigação.

Temos assistido continuamente ao não preenchimento de vagas como

tem ocorrido nos últimos anos e nada se faz para inverter essa

tendência.

Se houve um dia as casas dos juízes, Porque não as casas dos médicos!

De uma vez por todas temos de fazer nós, PELA GUARDA, o que outros,

não têm a vontade, a força, e o saber fazer pelos Guardenses!

Temos de deixar de nos queixar! Temos nós de oferecer condições para

que determinados profissionais, das mais variadas áreas que tanta falta

fazem à Guarda, aqui decidam viver!

A Guarda tem, de uma vez por todas, de demonstrar a sua revolta

perante a injustiça de ser mais uma vez esquecida e menosprezada pelo

poder central.

Não podemos estar continuamente a fazer queixinhas e pedir reuniões

às entidades que não trazem soluções e apenas servem para fazer

títulos de jornal para eleitores verem!

Se os atuais responsáveis políticos, não têm voz nem soluções para o

abandono da Guarda, a Guarda e os Guardenses têm de tomar uma

atitude!

A atitude de escolher um caminho independente!

Este é o começo dessa caminhada! E os Guardenses quiseram estar

presentes!

Muitos pensaram que não era possível juntar esta multidão de gente

que sente e ama a Guarda como nós!

Mas hoje estão aqui, porque os Guardenses querem decidir o seu futuro.

Mas os Guardenses querem muito mais Pela Guarda!

Educação

A Educação será uma das principais prioridades no próximo mandato

autárquico.

A descentralização de competências prevista já para o próximo ano

letivo, irá obrigar a um verdadeiro salto de gigante na importância

do Município na gestão dos Recursos Humanos, dos recursos

financeiros e da conservação do parque escolar, sempre na prossecução

da melhoria da qualidade do ensino dos nossos Alunos, à satisfação dos

docentes e aos demais funcionários, sempre em estreita colaboração

com as Direções dos Agrupamentos de Escolas.

O Plano Nacional de Recuperação de Aprendizagens – Plano 21/ 23

Escola +, criado para promover a recuperação e consolidação de

aprendizagens e de mitigação de desigualdades decorrentes dos efeitos

da pandemia, destinado aos alunos dos ensinos básico e secundário,

vem demonstrar o reforço da autonomia das escolas e das estratégias

educativas diferenciadas dirigidas à promoção do sucesso escolar e ao

combate às desigualdades através da educação.

O Conselho Municipal de Educação, onde têm acesso todos os

intervenientes do setor da educação a nível concelhio, tem de fazer um

acompanhamento e monitorização permanente da aplicação deste

plano, de forma a que não seja mais uma oportunidade perdida para os

nossos alunos.

Lutaremos lado a lado com a Presidência do Instituto Politécnico, para a

criação de novos cursos, seja na área agrícola, pecuária ou florestal,

seja na área laboratorial e de certificação de produtos, fundamentais

para a preservação, para o aproveitamento e para a potencialização dos

nossos recursos endógenos, uma grande alavanca para o setor primário

da economia local, e para a atração de mais alunos para a nossa Cidade,

sendo também fundamental acompanhar as dinâmicas do cluster

automóvel e do cluster da logística, caminhando na senda das novas

tecnologias, indo de encontro às necessidades das Empresas, as que já

cá estão e as que se podem vir a instalar, numa estreita harmonia entre

o ensino universitário e o mundo laboral.

A promoção fora de portas da qualidade do ensino nas nossas

Escolas será preponderante no futuro próximo.

Queremos trabalhar com as Direções de todas as Escolas,

Públicas e Privadas, do Ensino Básico e Secundário, do Ensino

Profissional e do Ensino Superior, promovendo uma verdadeira

articulação entre todos, para que a Guarda se afirme como um Concelho

de Ensino com Excelência.

Vamos potencializar a divulgação do ensino no Agrupamento de

Escolas da Sé, no Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque, na

Escola Regional Dr. Dinis da Fonseca, no Conservatório da Guarda, na

Ensiguarda e no Instituto Politécnico da Guarda.

O Futuro dos nossos Jovens depende duma aposta fortíssima na

Educação Pela Guarda!!!

Social

A Guarda tem todas as potencialidades para ser um Concelho de

Acolhimento Social, um exemplo a nível nacional, cuidando dos

nosso pais e dos nossos avós e recebendo de braços abertos os nossos

idosos que outrora partiram à procura de melhores condições de vida,

gerando e catapultando a Guarda para uma verdadeira economia

social.

Hoje são eles, amanhã somos nós.

Pela Guarda, e respeitando sempre o aprovado em sede do Conselho

Local de Ação Social, iremos apoiar todas as Instituições

Particulares de Solidariedade Social na ampliação e na melhoria

dos seus serviços, levando à criação de mais vagas e atraindo mais

utentes, fortalecendo duma forma muito veemente a Economia Social na

Guarda.

Podem as IPSS contar com o nosso apoio num valor igual à da

comparticipação nacional nos projetos financiados pela União Europeia

ou pelo Estado Central, numa percentagem nunca inferior a 20%.

Vamos ajudar à criação de mais Estruturas Residenciais para

Idosos na Cidade, na nossa Vila de Gonçalo e nas nossas Aldeias.

Nas Instituições da Cidade e das Aldeias que já possuem estas

valências ou que sejam apenas Centros de Dia ou SAD, vamos

ajudar na promoção dos seus serviços, criando um verdadeiro programa

de apoio, forte e com a coesão necessária.

Não iremos assistir impávidos e serenos às constantes visitas de

membros do Governo da República a algumas localidades do nosso

Concelho, prometendo o apoio para as obras tão desejadas e

necessárias, mais parecendo uma vez mais promessas de véspera de

eleições.

Lanço daqui um desafio ao Governo da República, esteja quem

estiver a partir do dia 26 de Setembro à frente dos destinos da Câmara

da Guarda, os apoios prometidos terão de ser os mesmos, caso

contrário apenas podemos dizer que as visitas relâmpago mais não

foram do que uma medida eleitoralista de caça ao voto e engano aos

Guardenses.

O nosso Concelho será um Concelho com verdadeira consciência Social!

Sempre Pela Guarda.

Cultura

Na Cultura queremos apoiar e dar condições de excelência às

instituições que há muito estão no terreno e oferecem a sua sabedoria,

criando “artistas” para termos uma verdadeira base cultural, para que

não tenhamos de comprar tanta cultura de fora.

Vamos por isso definir linhas orientadoras para uma

programação de futuro no território.

O Concelho da Guarda será porventura dos concelhos com mais

instrumentos humanos, patrimoniais e estruturais para uma aposta

concertada de uma ação cultural participativa, entre estruturas

profissionais e as comunidades locais.

O Teatro Municipal da Guarda, o Museu da Guarda, a Biblioteca

Municipal Eduardo Lourenço, são estruturas profissionais que têm vindo

a desenvolver e a apostar numa programação de alta qualidade,

inovadora, mas não basta ser-se estrutura!

É preciso que esses equipamentos vão ao encontro das comunidades, é

preciso que haja uma maior aposta na descentralização cultural pelo

território a partir destas estruturas.

É preciso potenciar a criação artística no território, através de uma

programação concertada, assertiva, imersiva e emergente.

A criação de espaços pelo território que funcionem como incubadoras

artísticas, espaços de coworking, serão sem dúvida uma estratégia de

potenciar dinâmicas, não só formativas, mas também de promoção da

nossa identidade, do nosso património material e imaterial. As cerca de

100 Associações Culturais do nosso Concelho, umas mais participativas

que outras, são um forte aliado para este trabalho conjunto de dinâmica

cultural pelo Concelho. E por isso é importante dar voz à sua voz, à sua

ação, aos seus intentos.

Outra força viva da cultura da Guarda, são os criadores locais que cada

vez mais têm vindo a dar provas do seu valor artístico. Envolver esta

massa criativa é despertar consciências para uma Guarda viva,

dinâmica, ativa e participativa.

Impera pois, intervir diretamente com o meio associativo do nosso

concelho, promover o potencial humano da Guarda, através da criação

artística em comunidade, onde as estruturas culturais do Concelho da

Guarda terão um papel fundamental. É preciso promover e divulgar o

território através do seu património material e imaterial, é urgente

preservar e perpetuar a memória coletiva!

Queremos trabalhar com a prata da casa! Pela Guarda!

Desporto

Connosco, A Guarda será a Capital Regional do Desporto.

Vamos projetar e construir a Nova Cidade Desportiva, valorizando e

ligando o Parque Urbano do Rio Diz, completando-o com mais

espaços dedicados à prática desportiva no seu espaço envolvente,

aproveitando as boas acessibilidades e estacionamentos

existentes, permitindo mais condições e com mais qualidade para os

Clubes do Concelho, para todos os Guardenses.

Interligando e requalificando o Pavilhão Desportivo São Miguel.

Queremos projetar e aqui construir novos campos de futebol e de

espaços polivalentes cobertos para outras modalidades, como sendo

o voleibol, basquetebol, andebol, ténis, atletismo e outros

desportos individuais, proporcionando cada vez mais a prática

desportiva amadora e profissional no nosso Concelho.

Vamos dialogar com os Clubes da Cidade, para encontrar e financiar as

melhores soluções para se sediarem e/ ou terem residência permanente.

Mas não podemos ficar apenas pela sede do Concelho. Temos de criar e

requalificar outros polos desportivos nas nossas Freguesias Rurais.

Temos de descentralizar a prática desportiva no nosso Concelho.

Requalificar todo o complexo desportivo de Casal de Cinza,

construindo um novo campo sintético e melhorar todo o pavilhão

desportivo.

Requalificar o complexo desportivo de Gonçalo e construir um

novo campo sintético para a prática de futebol e um pavilhão

desportivo polivalente, recuperando, afirmando e potencializando as

tradições de 8 décadas.

O Município, em estreita parceria com o Clube e a Junta de

Freguesia, passará a assumir os custos de exploração e

manutenção do campo sintético do Vale do Mondego em Vila

Cortez do Mondego, tal como do novo pavilhão desportivo do

Porto da Carne a construir, em parceria com a Junta de Freguesia e

com o Clube local.

Requalificar o Estádio Municipal, o relvado e a pista de

atletismo, de forma a poder receber mais provas nacionais e

internacionais.

Promover e dinamizar uma rede de pequenos equipamentos

polivalentes desportivos cobertos de pequena dimensão nos

Bairros da Cidade.

Devemos apoiar de uma forma muito veemente as Escolas de

Formação nos Clubes do Concelho e apoiar de uma forma muito

criteriosa a participação das nossas Equipas nos campeonatos

nacionais de todas as modalidades, promovendo o espírito de

parceria entre todos os Clubes e não de concorrência desleal

dentro do Concelho.

Ao nível dos desportos motorizados, será elaborado um

regulamento, com o objetivo de promover a equidade entre os

apoios coletivos e individuais, com uma aposta clara nos nossos

pilotos e na defesa da “Marca Guarda” em todo o país, e apoiando e

promovendo as provas já existentes, mas também catapultando a sua

divulgação para as televisões, rádios e jornais nacionais.

Criar uma rede concelhia de Ecovias, com percursos pedestres e

cicláveis, ao longo das principais linhas de água, tal como os Trilhos

do Noéme, os passadiços do Mondego e os novos trilhos a criar no

Vale de Massueime, no Vale do Mondego, no Vale da Teixeira, no

Vale do Zêzere, na Ribeira das Cabras, entre outros.

Potencializar a Barragem do Caldeirão a nível regional como centro

de lazer e de prática de desportos náuticos não poluentes, com a

criação de um edifício de apoio e criação de pistas e áreas devidamente

sinalizadas.

Devemos também proporcionar aos nossos idosos a prática regular

de atividades de desporto e lazer, evitando o sedentarismo e

melhorando a sua saúde, contribuindo também para a diminuição da sua

solidão, promovendo a prática de atividades desportivas e de lazer

em grupo.

Seremos, juntamente com outros parceiros, promotores da

qualidade de vida, da atividade física, do bem-estar! Sempre Pela

Guarda!

Ambiente

A Cidade da Guarda, sendo a Cidade mais Alta do País, tem de saber

tirar partido da excelente qualidade do seu ar, tantas vezes falado,

outras tantas esquecido.

O Parque Urbano do Rio Diz, o POLIS, essa grande obra para a

Guarda, que todos gostamos de frequentar, onde conseguimos a

harmonia perfeita entre avós, pais e netos, entre ricos e pobres, entre

os mais letrados e os mais iletrados, onde somos todos iguais, 15 anos

depois de inaugurado, não pode ser descurado e levaremos a cabo a

requalificação e a manutenção necessária, para poder ser cada vez mais

usado por todos e com a qualidade que todos desejamos.

Mas temos de ter a ambição de construir mais Parques Urbanos, mais

próximos dos restantes Bairros da Cidade, mais próximos de todos nós,

criando mais uma marca para a Guarda, a Cidade Verde.

Vamos projetar o novo Parque Urbano do Cabroeiro, de cariz mais

natural, a localizar entre o Bairro do Pinheiro, a Póvoa do Mileu, o

Bairro da Luz e o Bairro N. Sra. dos Remédios.

Nos terrenos da atual Feira Quinzenal irá nascer a nova Mata

Municipal – um novo Pulmão na Cidade, pois localizando-se na

vertente Norte da Cidade, tem as condições ideias para o seu

surgimento, com uma ligação direta ao atual Parque da Encosta

Norte da Cidade, localizado entre o Largo do Torreão e a Av.

Monsenhor Mendes do Carmo.

Fruto de decisões erradas, o espaço da Feira Quinzenal continua com

condições pecaminosas, não sendo atrativa nem para compradores, nem

para vendedores.

Tem de passar a ser a melhor Feira da Serra da Estrela e por isso,

vamos projetar a Feira Quinzenal num novo espaço, no Vale de

São Francisco, onde será elaborado um novo Plano de Pormenor e

criado um novo Parque Urbano, entre o Bairro N. Sra. dos Remédios,

o Bairro do Bonfim e a Av. Rainha D. Amélia.

O Bairro das Lameirinhas ambiciona há décadas a reorganização de

mutos dos seus espaços públicos e por isso iremos promover a

elaboração de um Plano de Pormenor, criando mais espaços verdes e

um parque infantil.

Vamos criar um novo Parque Biológico no Concelho, a Quinta da

Maunça, apresentando um projeto com um grande impacto

pedagógico, de investigação e de lazer, onde serão criados os habitats

naturais da nossa flora e fauna autóctones, onde poderemos saber

interpretar a paisagem da região, nas componentes naturais, culturais e

de educação ambiental, bem como a prática da conservação da natureza

e promoção da biodiversidade, alicerçando também o desenvolvimento

do turismo, em especial do ecoturismo, do recreio e do lazer.

A Despoluição das nossas linhas de água será uma realidade.

Este é o nosso compromisso, esta é a nossa palavra.

As bases foram bem alicerçadas e o trabalho foi bem iniciado, com a

envolvência da Agência Portuguesa do Ambiente nos Trilhos do

Noéme e na reabilitação dos sistemas de tratamento de águas residuais

da Cidade e de Vale de Estrela, tal como a identificação e monitorização

das causas da poluição e apontadas as soluções.

Não podemos ficar parados, sentados no gabinete, à espera de ver

acontecer.

Com as Autoridades Nacionais ligadas ao Ambiente e com o setor

económico responsável, vamos resolver este problema de há 20 anos e

que é conhecido de todos.

Queremos que o nosso Concelho tenha um ambiente bem cuidado!

Pela Guarda!

Agricultura e Florestas

O nosso Concelho necessita da floresta. A Saúde do nosso Planeta assim o exige.

O nosso Concelho necessita da floresta. A Saúde do nosso Planeta assim

o exige.

A floresta é o nosso bem comum.

Não podemos continuar a assistir, impávidos e serenos, à contínua

desertificação dos nossos solos, provocados pelos incêndios ou

simplesmente pelo abandono das terras.

Vamos criar um programa de apoio e incentivo à reflorestação de todo o

Concelho, agilizando e facilitando a sua aplicação nos terrenos

maioritariamente de regime de minifúndio, num claro apoio à iniciativa

privada, comparticipando em 50% os custos de cada árvore, com

o objetivo de durante 4 anos plantarmos 1 milhão de árvores de

espécies autóctones.

De uma vez por todas temos de apoiar os nossos criadores das raças

autóctones.

Nos últimos anos os nossos agricultores com poucos apoios, mas com

muito esforço pessoal, têm conseguido desenvolver a economia local,

com a criação de animais no nosso território, ajudando por sua vez à

limpeza dos terrenos agrícolas.

Imaginem o que poderão conseguir devidamente apoiados!

O nosso Concelho é cada vez mais conhecido pela qualidade das suas

raças de animais autóctones, por isso, podem todos os produtores

contar com o nosso apoio não só para manter, mas para cimentar e

mesmo aumentar os apoios do Município, agilizando a canalização célere

dos seus produtos na cadeia logística para todo o mercado nacional, o

mesmo se dizendo para os produtores dos produtos hortícolas e

frutícolas, cuja logística tem de ser apoiada de uma forma efetiva.

Temos de ter ambição! Pela Guarda!

Economia

Todos somos poucos e todos temos a obrigação de puxar para o mesmo

lado, para atingir o grande objetivo da criação de emprego para todos,

do aumento da riqueza, do desenvolvimento económico da Guarda.

Os Guardenses querem respeito, valorização do seu território e a

qualidade de vida que merecem como Portugueses.

Mais uma vez lanço aqui um desafio a todos os Partidos, para atingir o

objetivo comum do desenvolvimento da Guarda.

Façamos um Pacto pela Guarda. Tenhamos a coragem de nos unir pela

Guarda!

Falemos a uma só voz, muito para além dos calendários eleitorais!

A Guarda tem de ser pensada com ousadia e projetada para o horizonte

de 2040.

A Guarda será mais atrativa dando condições de estabilidade fiscal e

social para que as famílias que aqui decidam viver, tenham emprego e

perspetivas de futuro e não vejam os seus filhos migrar para longe.

Por isso é urgente:

  • Aplicação da taxa mínima de IMI para todas as Empresas.
  • Redução em 50 % do custo das taxas de licenciamento urbanístico

e de todas as demais taxas administrativas para todas as

Empresas.

  • Redução em 50 % da taxa de derrama para todas as Empresas

com domicílio Fiscal no Concelho da Guarda.

  • Aposta na Plataforma Ferroviária da Guarda.

A Guarda tem de ter a ambição de ser a grande Plataforma Ferroviária,

o Grande Porto Seco do Centro e Norte do País, sim o Porto Seco

será de todos nós, permitindo aqui sediar serviços e os centros

logísticos de Empresas importadoras e exportadoras, Nacionais e

Estrangeiras, que a partir daqui podem receber e escorar as suas

mercadorias para Portugal, para a Península Ibérica, para a Europa e

para o Mundo.

As Empresas da Guarda e os seus Representantes Associativos

devem ser chamados, devem ser ouvidos, devem ser integrados

neste grande projeto que é fundamental para o

desenvolvimento económico da Guarda para os próximos 50

anos.

Mas temos também de ter a ambição de promover a:

  • Duplicação da área da Plataforma Logística da Guarda.
  • Duplicação do Parque Industrial da Guarda.
  • Criação de Centros de Incubação Empresarial, para fixação da

nova geração de Empresas Tecnológicas.

  • Reorganização e duplicação do Parque Empresarial do Outeiro São

Miguel, nas Freguesias de Arrifana e Pera do Moço.

  • Reorganização e duplicação do Parque Empresarial de Vale de

Estrela.

  • Criação de novas Áreas de Localização Empresarial situadas no

nosso mundo rural.

Acessibilidades Rodoviárias

A Cidade da Guarda aguarda há demasiado tempo, mais de 20 anos,

pela execução da Variante da Ti Joaquina.

O projeto para a sua concretização está pronto há mais 1,5 anos.

O Plano de Pormenor está atrasado mais de 1 ano.

Pela Guarda, a construção desta nova artéria vai ser uma realidade,

encurtando as distâncias entre o centro da Cidade, o Parque Industrial e

a Plataforma Logística e as vias de acesso a Norte e a Sul.

Com os acordos firmados com a Infraestruturas de Portugal, mas que

alguns teimam ou não querem fazer sair do papel, nos próximos 4 anos,

a Variante da Sequeira e a Variante dos Galegos serão construídas, sem

que o Município tenha que suportar qualquer custo.

A isto chama-se Saber Fazer Acontecer.

Fruto dos estudos de tráfego que foram elaborados em devido tempo,

resultou que a 3.ª Fase da VICEG é uma necessidade para a Cidade e

para o Concelho da Guarda, mas que tem um custo muito elevado.

Vamos proceder à elaboração do seu projeto e negociação dos terrenos

para a sua implantação, para podermos estar aptos para uma qualquer

oportunidade de financiamento que possa surgir nos próximos anos.

Uma grande aposta para colocar em definitivo a Guarda na rota dos

circuitos turísticos para a Serra da Estrela, será a construção da estrada

verde, entre Videmonte e o maciço central, aproveitando a base já

existente, pois temos de saber projetar, para depois aplicar os Fundos

Comunitários que a todos são disponibilizados.

Toda a população do Vale do Mondego e do Vale de Massueime viu ser

cortada a ligação do antigo IP5 com a construção da A25 e como tal,

vamos negociar com as autoridades competentes a reposição do antigo

nó do Alvendre, de forma a interligar estas duas vias em ambos os

sentidos, bem como com a estrada municipal.

Requalificação Urbana

A Guarda não pode perder os fundos comunitários que foram

disponibilizados para requalificar as ruas mais degradadas da Cidade.

Temos de fazer um caminho célere, para a requalificação aguardada há

demasiados anos de todo o Eixo Central da Cidade, desde o Largo da

Misericórdia até à Alameda de Santo André, do Bairro do Bonfim, e de

toda a zona envolvente ao antigo Cine-Teatro e do novo Centro

Comercial, o mesmo se dizendo em relação às principais entradas da

Cidade, como a Av. Francisco Sá Carneiro, a Av. Rainha D. Amélia e a

EN 18, a zona do Outeiro São Miguel, nos Galegos e na Pocariça.

Vamos criar um Programa de Apoio para a reabilitação do Centro

Histórico da Guarda, onde caberão também outros pequenos

núcleos históricos da Cidade, da nossa Vila de Gonçalo e das

nossas Aldeias, criando novas Áreas de Reabilitação Urbana,

financiando até 50% do custo de reabilitação de coberturas e

fachadas, ao mesmo tempo que iremos promover a criação de

pequenas bolsas de estacionamento de proximidade na envolvente

do Centro Histórico, de forma a poder dar apoio a moradores,

comerciantes, compradores e turistas.

Não podemos descurar a necessidade contínua da melhoria das

condições de vivência nos Bairros da Cidade, por isso, com o trabalho

que tive oportunidade de projetar e executar ao longo de vários anos e

que vemos agora acontecer por aí, continuaremos a reabilitação dos

arruamentos nos Bairros, requalificando e tornando os passeios mais

acessíveis, mantendo e criando mais espaços verdes.

Juntas de Freguesia

Uma palavra muito especial às nossas Juntas de Freguesia.

Vocês sabem da minha dedicação e o meu empenho em resolver os

vossos problemas!

Sabem que estive sempre presente!

Que nunca vos deixei sozinhos! Que nunca vos deixei sem respostas!

Que tratei as Juntas de Freguesia com equidade e justiça!

Da nossa parte já sabem com o que contar!

Connosco será essa a atitude que estará sempre presente!

Funcionários do Município

Uma palavra pessoal de carinho, de reconhecimento e incentivo para os

funcionários da Câmara Municipal da Guarda.

Sei o que valeis! Sei que mais que ninguém quereis uma mudança!

Quereis ser respeitados! Quereis ser reconhecidos pelo bom trabalho

que realizais diariamente!

Connosco a Câmara da Guarda terá um rumo! Terá uma estratégia!

Vós sabeis que connosco ninguém trabalhará em cima do joelho e

seremos sempre solidários com todos vós.

 

Publicidade...