Templates by BIGtheme NET
Início » Ambiente » SRCentro conclui ciclo de visitas a serviços Covid-19

SRCentro conclui ciclo de visitas a serviços Covid-19

A Secção Regional do Centro (SRCentro) da Ordem dos Enfermeiros concluiu um
ciclo de visitas aos serviços responsáveis pelo tratamento de doentes com Covid-19 da sua área de
abrangência.

Neste início do mês de Agosto, a SRCentro realizou um périplo pelas unidades hospitalares da região Centro
com o intuito de avaliar as condições de resposta no âmbito da pandemia.
Para Ricardo Correia de Matos, Presidente do Conselho Directivo Regional, estas visitas tiveram como objectivo
“conhecer in loco as respostas actuais e as programadas para a segunda vaga de Covid-19, para que
consigamos, todos juntos, proporcionar a melhor segurança e a melhor qualidade nos cuidados que prestamos.
A vida das pessoas é prioritária. Sempre!”

No passado dia 3 de Agosto, Ricardo Correia de Matos, Pedro Lopes, Presidente do Conselho de Enfermagem; e Valter Amorim, Presidente do Conselho Jurisdicional, visitaram o Centro Hospitalar Tondela-Viseu, onde se reuniram com o novo Conselho de Administração (CA).
No dia seguinte, a comitiva da SRCentro, acompanhada por Maria Helena Rodrigues, Secretária do
Conselho Directivo Regional, deslocou-se ao Centro Hospitalar do Baixo Vouga (Aveiro) e ao Centro Hospitalar
Entre Douro e Vouga (Santa Maria da Feira), reunindo-se também com os respectivos CA de cada centro
hospitalar.
No passado dia 7 (sexta-feira), os representantes da SRCentro foram recebidos pelo CA do Centro Hospitalar
e Universitário de Coimbra.

Esta terça-feira, a equipa da SRCentro visitou o Centro Hospitalar de Leiria, depois de, na segunda-feira, dia
10, ter visitado a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, acompanhada por Rui Macedo, vogal do
Conselho de Enfermagem Regional.
Como balanço destas visitas, o Presidente do Conselho Directivo Regional afirma que “neste momento, o
maior desafio é definir uma estratégia integrada com os vários stakeholders da saúde, de modo a permitir
uma rápida resposta à segunda vaga da Covid-19, sem interferir na capacidade de resposta às patologias
frequentes.
Pensar que os hospitais, de forma isolada, conseguirão enfrentar o inverso, com segurança e qualidade, é um
erro que custará milhares de vidas humanas. É urgente a definição de uma estratégia concertada entre
hospitais, ACES, sector privado e o sector social. Nesta cooperação, as câmaras municipais poderão ser a
chave do sucesso”.

Acrescenta que “esta é a altura para converter a reacção em prevenção. Utilizar o conhecimento e a
experiência dos últimos meses, para construirmos um Sistema de Saúde que proteja todas as pessoas.
Mais uma vez, os profissionais de saúde lideraram a resposta e conseguiram um excelente resultado. Mas,
neste Inverno, o argumento da surpresa não justificará a má preparação e o mau planeamento dos recursos
humanos.

A capacidade de responder às necessidades das pessoas estará sempre dependente da qualidade e
quantidade dos recursos humanos. Portugal apresenta o maior desequilíbrio das equipas multidisciplinares”.
E conclui deixando um forte apelo: “precisamos urgentemente de contratar e valorizar os projectos
profissionais dos Enfermeiros”.

Durante estas visitas institucionais, os representantes da SRCentro tiveram oportunidade de avaliar os
procedimentos e medidas (extraordinárias) implementadas no âmbito da pandemia por SARS-CoV-2 em seis
unidades hospitalares da região Centro.

Publicidade...



 

Enviar Comentário