Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: feminino (Pagina 10)

Tag Archives: feminino

Nacional Feminino:Fundação L.Santos,0-At. Ouriense,2

     IMG_0625Vontade e determinação não chegou para vencer
O Municipal do Farvão recebeu mais um jogo do nacional da 1ªdivisão, onde as internacionais AA, Sílvia Rebelo e Inês Silva estavam pela turma da casa e Filipa Rodrigues pelo At.Ouriense.
Numa partida bastante equilibrada, com duas equipas à procura de criar situações perigo durante toda a 1ªparte, com a Fundação a tentar criar desequilíbrios, mas do outro lado estava o At.Ouriense que acima de tudo foi dominando mais a nível de posse de bola, mas ao intervalo, a igualdade aceitava-se.
Chegam os golos
Para a segunda paIMG_0620rte, a toada era a mesma e vai daí, a turma visitante mais certeira , aparece a abrir o ativo, por Valinho aos 55´, num belo remate.
A turma da casa tentou remar contra a maré e as lesões complicavam as contas para o técnico Rodrigo, vai daí Beatriz tenta a sua sorte, mas a pontaria não parecia afinada.
Face a isso, era a turma visitante a balancear-se no ataque rápido e foi Flor, que na compensação coloca o resultado final com um chapéu á saída de Maria Inês.
Deste modo, uma derrota caseira da Fundação que precisa de uma jogadora mais adiantada para o setor atacante.

Ficha de jogo
Estádio do Farvão
Arbitro: Olga Almeida
Assistentes: Miguel Vieira e André Amaral
Fundação L.Santos- Maria Inês, Mónica, Sílvia Rebelo, Márcia, Catarina (Catarina, 40´), Marta, Inês Silva, Catita, Beatriz, Daniela (Catarina, 78´) e Kau.
Treinador: Rodrigo Fonseca
At.Ouriense- Barbara, Filipa Rodrigues, Valinho, Margarida Tomaz, Joana Alves, Joana Marchão, (Náná, 92´), Pastilha, Garcia, Anita(silva, 80 ), Flávia e Diana(Flor,73´).
Treinador: Pedro Sampaio
Ação Disciplinar: Amarelos: Anita, 59´; Márcia, 83´;Beatriz, 93´
Golos: Valinho, 55´; Flor, 92´

Por:António Pacheco

Centro de Treinos de Futebol Feminino, em Fornos de Algodres

AF Guarda estabelece parceria com Município de Fornos IMG_6190de Algodres

O futebol feminino tem evoluído imenso em Portugal e o distrito da Guarda não pode perder a carruagem e face a isso, muito tem contribuído o grande desempenho da Fundação D.Laura Santos, que atualmente milita na 1ªdivisão nacional, o Seia Fc que aos poucos vai construindo uma excelente equipa, agora a militar no nacional de promoção e no futsal.
O Guarda Unida vai tentando regressar, mas na Guarda temos de salientar o trabalho inicial feito na altura pela Guarda 2000, onde jogaram estrelas hoje.
Nomes como Ana Borges, Sílvia Rebelo, Filipa Rodrigues, Inês Silva, Barbara Pra gana, Diana Sousa, Daniela Alves, Ana Moreira, entre outras que vão surgindo agora, demonstram o valor e o bom desempenho quer dos clubes quer depois das seleções distrital neste distrito.
Mas a A.F.Guarda vai mais longe pois é necessário, aperfeiçoar cada vez mais estas novas jovens que querem jogar futebol ou futsal e vai daí, o Município de Fornos de Algodres vai ser um parceiro estratégico.IMG_6227
Esta localidade está na localização correta, foi a capital dos estágios de equipas profissionais este ano 2015, acolheu a seleção nacional sub-19 feminina, assim como a comitiva de arbitragem e o complexo da Serra da Esgalhada possui instalações muito acima da média.
Claro que esta parceria só é possível porque a candidatura que a A.F.Guarda apresentou à F.P.F para um centro de treinos foi aprovada.
Vai constituir de certo um amais valia para o Município fornense, dado que , passa a receber eventos e fica a funcionar o centro de treinos, mas também passa a ser visto como a capital do futebol feminino no distrito.

Este centro terá a participação dos Técnicos Distritais e Nacionais que ao longo da época 2015/2016 irão desenvolver sessões de treino para potenciar o Futebol Feminino Distrital.
Agora esta é uma forma muito boa para que o futebol feminino ganhe ainda mais preponderância neste distrito egitaniense.
Tudo isto acontece, numa altura que, o sorteio da Ronda de elite ditou que a Seleção Nacional sub-19 que esteve nesta localidade fornense a estagiar, vai medir forças com as seleções de França, Escócia e Grécia na Ronda de Elite de qualificação para o EURO-2016. Os jogos vão decorrer em abril.

Por: António Pacheco

FPF-Nacional da 1ªdivisão Feminino

JORNADA 7
Classificação
P J V E D GM GS DG
1 Clube de Albergaria 19 7 6 1 0 15 2 +13 a
2 7 Valadares Gaia 18 7 6 0 1 27 5 +22 a
3 8 Fut. Benfica 16 7 5 1 1 13 2 +11 a
4 7 Vilaverdense FC 13 7 4 1 2 15 11 +4 a
5 7 Atl. Ouriense 10 7 3 1 3 9 7 +2 a
6 8 A-dos-Francos 10 7 3 1 3 15 16 -1 a
7 7 Viseu 2001 6 7 2 0 5 9 21 -12 a
8 8 Fundação Laura Santos 6 7 2 0 5 7 22 -15 a
9 Cadima 2 7 0 2 5 2 14 -12 a
10 Boavista 1 7 0 1 6 5 17 -12 a

Conversa com Daniela Alves-Fundação D.Laura Santos

                                                                Ajudar o mais possível a equipa

Fomos conversar com a dianteira da Fundação D.Laura dos Santos, Daniela Alves, uma finalizadora que espreita uma oportunidade na seleção nacional e quiça no fim desta temporada dar o salto para um grande da Europa.

Daniela alves

Daniela Alves

António Pacheco – Esta temporada iniciou com uma aventura fora de portas? Como decorreu?
Daniela Alves -Foi um concretizar de um sonho, era algo que ambicionava há muito tempo, porém foi uma experiência relativamente boa, pois encarei com um futebol totalmente diferente daquilo que estava habituada, um futebol muito mais de contacto físico e rápido. Receberam-me com carinho e toda a disponibilidade, no qual me senti logo inserida no grupo.
Gostei de visitar a Islândia, um país muito frio, no qual me custou nos primeiros tempos, como não poderia deixar de ser há sempre dificuldades que encontramos nestas aventuras, e a que eu passo a citar desde já permitiu-me adquirir fundamentos básicos da língua inglesa, o que constatei que esta ida para a Islândia me tornou melhor em todos os aspetos, como jogadora, como pessoa e também na minha formação.

AP – Agora de regresso á Fundação, como descreve este projeto?
DA-Eu na Islândia já pensava e lembrava-me da equipa, aquela equipa que me fez crescer e evoluir a todos os níveis, tanto que elas fizeram o 1º jogo do campeonato sem mim, e eu mandei uma mensagem de apoio, porque é considerada para mim a equipa do coração. Quando regressei tive a oportunidade de vivenciar uma surpresa organizada pela minha mãe, onde estavam presentes algumas das minhas colegas de equipa, o que me fez sentir bastante à vontade para iniciar a nova época. Posto isto o que eu realmente sentia, era ansiedade de voltar a treinar e a jogar com elas.

AP- Tem marcado imensos golo, considera-se uma finalizadora?
DA-Esta época ainda não me estreei no marcador, mas não é algo que me atormenta, até porque quando o golo tem que surgir surge. O meu objetivo é ajudar a equipa a todos os níveis e aproveitar cada treino e cada jogo para fazer aquilo que mais gosto na vida que é jogar futebol.

AP- Este nacional estará mais equilibrado que do anterior?
DA– Ao que tenho reparado parece-me que sim, já se pode vivenciar um futebol criativo em Portugal, e as equipas cada vez mais equilibradas, o que torna com que as jogadoras cada vez tenham mais responsabilidade no papel que desempenham.

AP – A seDAleção nacional poderá estar próxima?
DA -Sinceramente não sei, mas claro que vou desempenhar sempre o meu trabalho com ambição de querer sempre fazer mais e mais.

AP- Depois desta aventura no exterior encara a possibilidade de rumar lá num futuro mais próximo?
DA-Sim, depois da experiência na Islândia também tive mais propostas para ir jogar para o estrangeiro, mas como a formação é cada vez mais importante nos dias de hoje, optei por ficar mais este ano acabar a minha licenciatura.

AP – A Ana Borges foi campeã em Inglaterra, é um modelo para vos dar motivação?
DA -Claro que sim, quem conhece a Ana Borges sabe bem que é uma pessoa que se dedica e esforça naquilo que faz. É bom ver que uma jogadora que se formou na Fundação Laura Santos está a conseguir alcançar os seus objetivos, pois só nos dá mais força e motivação para nós lutarmos a cada dia que passa para um dia poder dizer “Eu segui os passos dela”.

AP – Objetivos para si e para a Fundação para o futuro?
DA -Os meus objetivos passam por ajudar a equipa no que eu puder, e encarar cada batalha com responsabilidade para podermos alcançar um bom lugar na classificação. Quanto aos meus objetivos pretendo conseguir fazer uma boa época, se possível melhor que a anterior, pois será sinal que a ambição nunca morreu e que consigo ignorar aquele ditado que diz que “a mente desiste primeiro que o corpo”

AP – Quem são as suas referências no futebol, masculino e feminino?
DA -Gosto do Cristiano Ronaldo e da Carli Lloyd, para mim são jogadores muito completos.

Por:António Pacheco

Feminino-sub-19-Estónia- Portugal-0-4(Apuramento alcançado)

 Alcançado Apuramento para Ronda de Elite

  A tarde desta quinta -feira, foi de festa no Municipal de Seia, onde se disputou mais uma jornada da fase de apuramento para o Europeu da categoria, com goleada da turma das quinas por quatro bolas a zero, com uma homenagem à atleta Inês Silva.
   Uma partida que cedo se percebeu que a turma das quinas,estava mais forte e com a pressão alta, a Estónia era uma equipa mais defensiva, com um bloco muito baixo, isto é, tentava adiar o mais possível o golo das quinas.

Depois de muito batalhar, Inês Silva que anteriormente tinha tirado as medidas à baliza forasteira, volta a ter a possibilidade de executar um livre descaído para a direita do seu ataque e desta vez coloca no fundo das malhas, abrindo o activo para a turma das quinas aos 27´.
Podemos mesmo dizer que durante a primeira parte, a turma portuguesa até dispôs de mais oportunidades, mas não voltaria a marcar.
Após o reatamento, surge mais determinada e aos 47´, Carlota Cristo viria a fazer o gosto ao pé, mas pouco depois foi o xeque-mate, com Catarina Amado a voltar a marcar para a turma de José Paisana.
Com as substituições, a toada mais morna aconteceu, mas a Estónia não estava muito à vontade para atacar , devido à estrutura portuguesa não permitir grandes veleidades.
Ao cair do pano, acabou por ser Nadine a fechar a contagem num golo de belo efeito.
Em suma, um bom triunfo das portuguesas que carimbaram o passaporte para a ronda de elite.
Arbitragem em bom nível.
Por seu lado, A Noruega a golear Israel por sete bolas a zero, ficando para domingo, o Noruega -Portugal, no Municipal da Guarda e Estónia- Israel em Fornos de Algodres, ambas partidas às 16h.

Estádio Municipal de Seia.
1000 espetadores 

Árbitra: Vera Opeykina (Rússia).
Árbitras assistentes: Sabina Valieva (Rússia) e Vikki Robertson (Escócia).
4.º árbitra: Lorraine Clark.
ESTÓNIA:
Ploompuu, Jaansen, Uleksin (Tullus, 58’), Saar (cap.), Räämet, A.
Strigin, Terestsenkova (Tammeveski, 71’), Mürkhain (Repkin, 65’),
Ivanova, Raud e Tammik.
Suplentes: Smirnov, Kopats, Kadastu e Roomussaar.
Treinadora: Kaidi Jekimova.
Disciplina: cartões amarelos exibidos a Uleksin (34′), Jaansen (44′), ,Strigin (53’) e Ivanova (90’+3′).

PORTUGAL:
Tatiana Beleza, Sara Monteiro, Sarah da Cunha, Inês Silva (cap.), Diana
Gomes, Nadine Cordeiro, Ana Rute (Bárbara Marques, 58’), Carlota
Cristo, Francisca Cardoso (Joanna Seca, 63’), Leandra Pereira e Catarina
Amado (Beatriz Vieira, 65’).
Suplentes: Ana Rita Oliveira, Sofia Silva, Carolina Ferreira e Tânia Mateus.
Treinador: José Paisana.
Golos: Inês Silva (27′), Carlota Cristo (47’), Catarina Amado (51’) e Nadine Cordeiro (90’).

Por:António Pacheco

Fornos de Algodres o quartel general da Seleção Nacional sub-19 feminina

foto:CD

A Seleção Nacional sub-19 Feminina chegou esta tarde, ao Palace Hotel S.
Miguel em Fornos de Algodres para o estágio que vai efetuar durante os
próximos dias.

Esta presença da seleção em terras fornenses, tem a
ver com a disputa da fase de apuramento para o Campeonato da Europa da
categoria, com Israel, Estónia e Noruega, equipas que defrontará,
respetivamente, nos dias 15, 17 e 20 de setembro.
Desta forma, Fornos de Algodres, Seia e Guarda vão ser os palcos dos jogos.
Assim mais uma forma de o interior do País poder beneficiar do futebol nacional.

Por António Pacheco

Feminino:Silvia Rebelo e Ana Borges convocadas para seleção AA

Com os olhos postos na qualificação para o Campeonato da Europa
Holanda 2017, que irá arrancar no mês de outubro, a Seleção Nacional A
feminina vai disputar dois encontros de preparação com a Ucrânia, nos
dias 19 e 21 de setembro.

O primeiro embate frente à seleção ucraniana terá lugar no Estádio
Municipal Sérgio Conceição, em Taveiro, e o segundo irá decorrer no
Estádio Municipal da Tocha.

A concentração da Equipa das Quinas está marcada para o dia 14 de setembro, segunda-feira, numa unidade hoteleira de Quiaios.

Eis a lista de 20 convocadas para a preparação com a Ucrânia:

Guarda-redes: Patrícia Morais (ASPTT Albi Football) e Bárbara Santos (CA Ouriense)

Defesas: Regina Pereira (Valadares Gaia), ,
Fátima Pinto (Santa Teresa C.D.), Mónica Mendes (Valerenga IF), Matilde
Fidalgo (Clube Futebol Benfica), Carole (BV Cloppenburg), Sílvia Rebelo
(F.D. Laura S. Moim Serra) e Rita Fontemanha (Atllético Madrid)

Médios: Dolores Silva (USV Jena), Edite Fernandes
(Valadares Gaia), Vanessa Marques (Valadares Gaia), Cláudia Neto
(Linköpings FC), Ana Borges (Chelsea FC), Tatiana Pinto (Bristol
Academy), Patrícia Gouveia (Clube Futebol Benfica)

Avançadas: Andreia Silva (Clube Futebol Benfica),
Jéssica Silva (Clube de Albergaria Mazel), Mafalda Marujo (Clube Futebol
Benfica), Carolina Mendes (FC Rossiyanka)

Por:FPF

Futebol Feminino–Daniela Alves ruma ao Afturelding(Islândia)

Aventura na Europa aliciante
Depois de uma temporada fantástica, e como tivemos oportunidade de noticiar aquando a conversa que tivemos com a jogadora Daniela Alves, que brilhou na Fundação Laura Santos, vai agora durante seis semanas, jogar na Liga da Islândia, no Afturelding que vai lutando pela manutenção .
Um desafio deveras interessante, que vai de certo dar mais experiência a esta jovem jogadora que poderá ter aqui a oportunidade de ouro para poder dar o salto para um grande europeu, e quiçá poder satisfazer um desejo, de vir a ser selecionada por Francisco Neto para a seleção principal de Portugal.

 Fundação Laura Santos, uma cantera de estrelas

Mais uma vez, a Fundação Laura Santos se pode orgulhar de a sua cantera estar a dar frutos, depois de Ana Borges que venceu esta semana a Taça de Inglaterra pelo Chelsea, Filipa Rodrigues que já fez a dobradinha no At.Ouriense no ano passado, Silvia Rebelo que se mantém fiel ao clube mas é presença assídua na Seleção e também Inês Silva vai sendo selecionada com regularidade.
Tudo isso é fruto de um esforço imenso, deste clube serrano, mas também uma prova que na Serra da Estrela também podem nascer craques, nos masculinos já aconteceu e agora no feminino repete-se a façanha, isso só, sinaliza que as equipas do interior do País deveriam ser olhadas de outra maneira, isto é , mais apoiadas.

Por:António Pacheco

Futebol feminino: Conversa com Daniela Alves(Pipa) da Fundação L.Santos

Feito Histórico

Fomos
conversar com a jogadora Daniela Alves da Fundação D.Laura Santos, atualmente
na 1ªdivisão nacional de futebol feminino, aliás toda a equipa lutou imenso para
este feito histórico, mas a Daniela, mais conhecida por “Pipa”, no
seio da sua equipa é uma  das jogadoras que marca muitos golos e luta
imenso no setor atacante e quem sabe no futuro não terá uma chamada à seleção
AA.
Magazine
serrano: Depois da permanência na 1ªdivisão, que balanço faz desta temporada?
Daniela Alves -Jogo na
Fundação há 7 anos, e para mim a nível coletivo foi a melhor época que fizemos,
conseguimos o 4º lugar na fase de apuramento do campeão, o que é muito bom para
uma equipa do interior conseguir este feito que consideramos histórico.

MS- Como foi
trabalhar com o Mister Rodrigo?

DA– O
mister Rodrigo é uma pessoa que se entrega 100% à equipa, está sempre disposto
ajudar no que for preciso, desde o início manteve uma relação ótima com todas
as jogadoras, uma vez que toda a gente se sentia à vontade no seio da equipa.

   A vinda do mister Rodrigo para a fundação só
veio beneficiar todo o nosso futebol praticado anteriormente, com algumas
alterações no modelo de jogo e no fator técnico- tático conseguiu fazer o que
nunca antes tinha sido feito.
   Posso afirmar, que aprendi bastante com todo
o trabalho que o mister realizou ao longo da época, aliás está aos olhos de
todos, que por todo o seu trabalho, esforço e dedicação o mister foi
considerado pelo “Portal de Futebol Feminino” o melhor treinador da 1ªdivisão
nacional feminina nesta temporada, no qual eu dou os meus parabéns.

MS- Qual o
melhor e pior momento desta temporada?
DA – Posso dizer que
não há melhores momentos durante a temporada, porque todos os momentos que
passamos nesta “família” são bons, mas há sempre aquelas situações que mais nos
marcam. Uma delas, como já referi em cima, foi a passagem a fase de apuramento
do campeão, a outra foi quando marquei o meu primeiro golo da época e o
dediquei ao meu pai. Como piores momentos a nível individual não tenho nenhum,
a nível coletivo passo a citar a lesão da Sandra Rita, uma jogadora com muitas
qualidades e que nos irá fazer imensa falta no sector do meio campo na próxima
época.
MS- No seio da
Fundação tem sido uma peça chave? Uma goleadora também?
DA -Não me
considero uma peça chave, na equipa todas as jogadoras são fundamentais para a
construção da mesma. Quando a questão da goleadora, apesar de ter sido a melhor
marcadora da equipa e ter ficado no top das melhores marcadoras da 1ª divisão
nacional, tudo isto não teria sido possível sem ajuda e sem o futebol praticado
pelas minhas colegas, todas elas contribuíram para que o conseguisse.
Deixo
aqui também uma palavra de agradecimento, a todas as pessoas que me apoiam em
todos os jogos, mas também a todas pessoas que nunca deixaram de acreditar em
mim.
MS- O público já
está mais presente nas bancadas?
DA -No que toca ao
público, não nos podemos queixar, principalmente nos jogos em casa, temos muita
gente assistir aos nossos jogos em casa e até nos jogos fora temos adeptos que
nos acompanham para todo o lado, o que é muito importante para nós, é sinal que
gostam da nossa “família” e de nos ver jogar.
MS- Como vê o
futebol feminino em Portugal?
DA -Desde que jogo
futebol, noto uma grande evolução no trabalho desenvolvido por todos os agentes
envolvidos no futebol feminino, mas claro que ainda não deve ficar por aqui,
acredito que com o passar do tempo, possa haver liga profissional de futebol
feminino em Portugal, o que era muito bom para o nosso país.
Apesar
de sermos um país que ainda está a fazer os possíveis para que o futebol
feminino seja mais desenvolvido, já notamos alguma evolução no que toca, a
clubes, nª de jogadoras inscritas, apoiantes do futebol feminino, etc.
MS- Uma chamada
à seleção era perfeito?
DA -Sim era
perfeito, até porque chegar à seleção nacional é o auge da carreira de uma
jogadora, mas não é algo que me atormente no dia-a-dia, porém também sou internacional
sub – 19, e se o consegui foi porque reconheceram o meu trabalho. No entanto,
vou continuar a esforçar-me e aproveitar cada momento que o futebol me
proporciona, e quem sabe um dia poder chegar lá.
MS- Para a nova
época prevê ficar na Fundação?
DA -Apesar de ter
tido propostas para sair da Fundação, estou na reta final do meu curso e a
formação nos dias de hoje é sempre mais importante. Na nova época vou continuar
na Fundação, até porque foi lá que eu aprendi e cresci como jogadora, mas
também é sempre difícil uma saída por toda afetividade criada ao longo destes
anos, contudo não digo que futuramente não possa haver uma possível saída.
Por António Pacheco

Torneio Futsal feminino na Guarda já tem as 12 equipas

  Já estão apuradas e confirmadas as 12 inscrições fica a lista e a distribuição geográfica final das equipas inscritas!
– Dourienses (São João da Pesqueira)
– As Laurinhas (Gouveia)
– Manjericos (Lisboa)
– Auto-Pombeirense/Axa/Sarjoi Team (Guarda)
– SC.Celoricense (Celorico)

– As Lobitas (Tarouca)
– Grupo Desportivo de Valverde (Castelo Branco)
– Sai d’rastos (Viseu)
– Santo Cristo (Torre de Moncorvo)
– GDCR das escolas de Arreigada (Paços de Ferreira)
– Parte – cabeças (Castelo Branco)
– Núcleo de Juventude (Proença-a-nova)

Por:DS