Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: ps (Pagina 3)

Tag Archives: ps

Comissão Política Distrital da Guarda do PS apresenta candidatos às Autárquicas 2021

Em comunicado, a  Comissão Política Distrital da Federação da Guarda do Partido Socialista, refere que na reunião  que decorreu no Auditório dos Serviços Centrais do Instituto Politécnico da Guarda,  foram tomadas as seguintes decisões por unanimidade:
-Ratificar a proposta de a vocação, determinada pela deliberação do Secretariado Federativo, da totalidade do processo de designação dos candidatos autárquicos no território de Vila Nova de Foz Côa, mandatando expressamente o mesmo Secretariado para proceder à escolha e designação desses mesmos candidatos;
– Ratificar a decisão da estrutura concelhia de designar Alexandre Manuel Fernandes Gonçalves, como candidato do PS à Câmara Municipal de Almeida;
– Ratificar a decisão da estrutura concelhia de designar José Albano Marques, como candidato do PS à Câmara Municipal de Celorico da Beira;
– Ratificar a decisão da estrutura concelhia de designar Ana Paula Casegas Pardal Duarte Freitas, como candidato do PS à Câmara Municipal de Gouveia;
-Ratificar a decisão da estrutura concelhia de designar Francisco Alípio Fernandes, como candidato do PS à Câmara Municipal de Pinhel;
– Ratificar a decisão da estrutura concelhia de designar Vítor Cavaleiro, como candidato do PS à Câmara Municipal de Sabugal;
– Ratificar a decisão da estrutura concelhia de designar Luciano Ribeiro, como candidato do PS à Câmara Municipal de Seia;
Em suma, realça, o líder Alexandre Lote, que as eleições autárquicas a realizar em 2021 representam um importante desafio para a afirmação do projeto político do Partido Socialista no distrito da Guarda.

Com esta deliberação a Federação da Guarda do Partido Socialista assegurou o(a)s candidatos(a)s que melhor servem o desígnio de construir em equipa e com as gentes dos respetivos concelhos, um projeto político de futuro que melhore o dia a dia de todos os cidadãos, conclui o líder socialista

PS Fornos de Algodres lança comunicado sobre Orçamento Municipal 2021

A Concelhia do PS de Fornos de Algodres em comunicado sobre o Orçamento Municipal recentemente aprovado com os votos a favor do PS e voto contra do PSD.
Assim referem: “O Executivo Municipal liderado pelo Socialista, Manuel Fonseca, em reunião de Câmara
Extraordinária, aprovou o orçamento para o ano de 2021, por maioria dos presentes, com
votos a favor do PS e um voto contra da vereadora do PSD.
Um orçamento de 8,8 milhões de euros, em que 1,2 milhões de euros está reservado para pagar
a divida herdada das anteriores gestões do PSD, e com um investimento forte em vários eixos
de desenvolvimento estratégicos para o concelho.
O Partido Socialista de Fornos de Algodres preocupa-se em implementar políticas que deem
resposta a três grandes temáticas: apoio às famílias, apoio à economia social e local e o apoio ao
desenvolvimento do concelho.
1. Famílias. O orçamento prevê, por exemplo, uma redução do IMI para 2021 para todas
as famílias do Concelho, passando o mesmo de 0,45 para 0,43 após parecer positivo do
Fundo de Apoio Municipal.
2. Economia social e local. O orçamento prevê investimento em programas de
emergência social, de capacitação de respostas sociais, de habitação, de apoio à
economia local – através, por exemplo, da plataforma “o bom sabor da serra” ou do
escoamento de produtos locais para o refeitório escolar.
3. Desenvolvimento do Concelho. No orçamento estão patentes vários investimentos
de modernização de infraestruturas e de desenvolvimento económico do concelho,
nomeadamente:
a) A requalificação da Escola de Figueiró da Granja (já em execução);
b) A requalificação do Mercado Municipal de Fornos de Algodres;
c) A requalificação da Rua Dr. Fernando Menano com ligação ao Centro
Escolar de Fornos de Algodres;
d) A construção da área de acolhimento empresarial de Juncais;

O Partido Socialista de Fornos de Algodres considera que o orçamento aprovado,
pelo atual executivo em funções é, sem a mínima dúvida, um documento com as bases
sólidas para a sustentabilidade do futuro do Concelho.

Contudo, sabemos hoje que o PSD foi contra a integração de precários, mesmo sabendo que
são gente da nossa terra a quem durante demasiados anos foi negado o direito a um vínculo de
trabalho efetivo, mesmo sabendo da sua importância e do seu papel decisivo para garantir a
qualidade das atividades de Animação e Apoio à Família (é bom relembrar que têm participado
perto de 100 crianças nas férias desportivas nas pausas letivas), do Prolongamento de Horário
nos Jardins de Infância e nas Atividades de Enriquecimento Curricular e de apoio aos alunos do
1.o Ciclo das Escolas de Fornos de Algodres. Talvez sejam também contra o investimento do
Município para que tenhamos no concelho uma Equipa de Intervenção Permanente que assegura,
em articulação com o voluntariado, a segurança e qualidade de resposta dos nossos bombeiros
a situações de emergência. E porquê!? Porque são a favor da economia (dizem eles…), como se
uma economia não tivesse como base a comunidade em que a mesma está inserida.
Mas eis que, mesmo fazendo de conta que o PSD não deixou uma dívida de 34 milhões de euros,
com perto de 2 milhões escondidos de baixo do tapete, o que totalizava perto de 36 milhões de
euros em 2013, afirmava o PSD que os impostos só não baixavam por vontade única e exclusiva
do atual executivo. A verdade é que, na primeira oportunidade que este executivo teve para
poder baixar as taxas, fê-lo, baixando a taxa de IMI de 0,45 para 0,43 e só não foi mais longe,
porque não viu aprovadas algumas das propostas apresentadas ao FAM, por não existirem
condições legais para diminuir a derrama e a participação fixa no IRS.
Para a história fica que o PSD votou em reunião de câmara contra a diminuição do IMI, contra
a Requalificação do Mercado Municipal, contra a Requalificação da Rua Dr. Fernando Menano,
contra a Requalificação da Escola de Figueiró da Granja e contra a Construção da Zona Industrial
de Juncais, apenas porque sim, porque no seu pensamento retrógrado, a um ano de eleições,
não há outra forma de votar um orçamento para quem está na oposição.
Da nossa parte, da concelhia do Partido Socialista, é com manifesto orgulho que acompanhamos
o trabalho enérgico, empreendedor, dedicado e competente que tem sido desenvolvido pelo
executivo socialista ao longo do tempo e, a forma notável como encara este período
extraordinariamente exigente, estando certos de que estivemos, estamos e estaremos à altura
da confiança que os Fornenses em nós depositarem”.

PS apresenta propostas para Orçamento e Plano de Atividades da Freguesia da Guarda para 2021

Em comunicado, foram elaboradas considerações  pelo Grupo do Partido Socialista na Assembleia
de Freguesia da Guarda acerca dos dados preliminares do Orçamento da Freguesia da Guarda de 2021 e sobre as propostas apresentadas para o Plano de Atividades da Freguesia da Guarda de 2021.
No âmbito do estipulado pelo n.o 3, do artigo 5.o, da Lei n.o 24/98, de 26 de maio, que consagra
o Estatuto do Direito de Oposição, o Grupo do PS na Assembleia de Freguesia da Guarda (GPS
AFG) foi convidado a apresentar propostas à Junta de Freguesia da Guarda (JFG) para o
Orçamento e Plano de Atividades da Freguesia da Guarda, no ano de 2021.
Assim sendo, procurando salvaguardar o usufruto da oportunidade e do direito em questão, a
16 de novembro de 2020 o GPS AFG, através de missiva remetida pelo seu Coordenador, Fábio
Pinto, assinalou à JFG algumas considerações e propostas que considera que devem ser tidas
em conta na elaboração dos documentos, destacando que “o atual momento exige uma intervenção
atenta e cuidada, com respeito pelas condições excecionais que todos vivemos, assim como com a
necessária sensibilidade ao facto de que o próximo ano não deve merecer um plano de ação idêntico ao que tem sido assumido nos anos que o antecederam”.
Face ao momento atual, e perante esta previsão, o GPS AFG considera que “todo um plano de atividades e orçamento de uma Freguesia não pode, em absoluto, ser alheio a esta preocupação, devendo por isso evidenciar, de forma clara e direta, uma imperativa aproximação das suas prioridades para com as carências da comunidade a que se propõe servir, servindo, de forma soberana, a prioridade social e comunitária da nossa Freguesia”.

Posto isto, em análise aos dados informativos indicativos da perspetiva financeira para o ano de 2021 da Freguesia da Guarda, o GPS AFG considera que:
– Para além das despesas de funcionamento da Freguesia e das despesas com remunerações, considera o GPS AFG que não se podem “deixar de considerar que as despesas relativas ao “Encerramento das obras em curso” se recobrem de uma manifesta prioridade indevida, quando se procura antecipar o ano de 2021, que previsivelmente contará com conjeturas marcadamente difícil para todos, fruto da Pandemia por COVID-19, o que pressupõe a necessidade de alterar as habituais prioridades assumidas em outros anos, num claro e robusto reforço ao foco principal que os cidadãos e as suas necessidades devem representar no exercício da construção de um Orçamento e do Plano de Atividades da Freguesia”.
– O GPS AFG salientou que “do valor apresentado referente ao Protocolo do acordo de execução
estabelecido com a Câmara Municipal da Guarda, este renova uma clara desconsideração para com a
Freguesia da Guarda e o manifesto desinteresse que a Câmara Municipal da Guarda potencia e potenciou ao longo desta mandato para com a segunda maior autarquia do distrito da Guarda, quando assume apoios bastante mais substantivos para com outras Freguesias e atribui uma verba à Freguesia da Guarda que nem permite a finalização dos projetos que a Junta de Freguesia mantém por concluir”.
– Considera o GPS AFG que “face ao atual cenário de grande dificuldade, ao qual uma grande maioria dos guardenses não é alheio, não se reveste de forma prioritária a intervenção que a Junta de Freguesia alegadamente pretende desenvolver no que à reabilitação dos Fornos Comunitários diz respeito, mais ainda quando não se conhecem dados que atestem a pertinência desse investimento em paralelo com o desconhecimento sobre a taxa de utilização dos Fornos Comunitários já intervencionados”.

Assim, tendo em vista uma importante intervenção da Freguesia da Guarda junto dos guardenses no
próximo ano, como forma de apoio e de proximidade às suas reais necessidades:
– Considera o GPS AFG, que dentro do atual contexto pandémico e tendo em atenção a crescente
notabilização da utilização das ferramentas digitais para reuniões e trabalho, ou simplesmente como
forma de contato, deveria ser disponibilizado um espaço nas instalações da Freguesia da Guarda, a ser utilizado pelos cidadãos, com a possibilidade de realização de videochamadas e videoconferências.
– Mantendo presente as múltiplas preocupações evidenciadas pelas associações com quem o GPS AFG teve a oportunidade de contatar no âmbito da primeira edição do seu Roteiro das Forças Vivas, bem como atentando ao difícil momento por que muitas passam, quer seja pela impossibilidade de executar o plano de atividades previsto, pela dificuldade de tesouraria, ou simplesmente pela obrigação da suspensão da sua atividade em decurso das recomendações das autoridades de saúde, crê o GPS AFG que a Junta de Freguesia deveria promover um ciclo de iniciativas dedicado ao apoio aos agentes comunitários da Freguesia, tendo em vista a promoção pública da sua atividade, disponibilizando aos guardenses a possibilidade de conhecerem as associações e de usufruírem de momentos culturais, ou outros, à distância (mediante o apoio à transmissão digital pela Freguesia), ou de forma presencial, se as condições sanitárias assim o permitirem, sendo que a participação das associações seria complementada com um apoio financeiro extraordinário, atribuído pela Junta de Freguesia, como forma de promover a sua dinâmica e de se associar à sua importância impar, nos bons e menos bons momentos.
– Ainda tendo em conta o atual período pandémico, deverá ser garantida a possibilidade de contato à
distância entre os serviços da Junta de Freguesia e os cidadãos, devendo para isso ser assegurada a
prestação de todos os serviços burocráticos de forma não presencial (a não ser em casos excecionais),
através de metodologias simples e rápidas. Assim, reveste-se de maior importância, a disponibilização dos serviços da Junta de Freguesia em segurança a todos os cidadãos, pela via digital, bem como o pagamento dos mesmos por via multibanco.
– O GPS AFG propõe também a criação de uma plataforma digital para levantamento de necessidades de apoio a associações, instituições e cidadãos, num espaço digital onde possa ser remetido, de forma rápida e simples, à Junta de Freguesia, qualquer tipo de necessidade de apoio, competindo a esta o seu tratamento ou encaminhamento célere às entidades responsáveis.
– O GPS AFG propõe a criação, ativação permanente e promoção da respetiva disponibilização do
transporte solidário da Freguesia da Guarda, um serviço que procure garantir a mobilidade de cidadãos em situação de isolamento e com mobilidade reduzida, nas suas idas à farmácia, às consultas médicas, e a outros locais de necessidades básicas, conforme proposta do programa eleitoral da candidatura do Partido Socialista à Assembleia de Freguesia da Guarda e, à semelhança do que acontece com a maioria das Freguesias do concelho da Guarda.
– É proposta a criação de um Conselho Consultivo da Freguesia, um órgão que se destina a congregar as associações, moradores dos bairros e demais Forças Vivas da Freguesia, com o objetivo de promover o diálogo, concertação e debate sobre os mais variados assuntos que digam respeito à gestão da Freguesia e à sua dinâmica, assim como de uma agenda digital da Freguesia, uma plataforma online colocada ao dispor das Forças Vivas da Guarda, para que nela incluíssem todas as suas iniciativas públicas, sendo as mesmas, posteriormente, objeto de promoção pela Freguesia da Guarda, junto dos guardenses.

Nesta  criação de um gabinete permanente de apoio ao cidadão, digital e telefónico, por forma
a prestar apoio social, psicológico entre outros, formado por trabalhadores da Junta de Freguesia e por profissionais credenciados e qualificados para o efeito.
– É proposta ainda a produção de um levantamento das necessidades de administração de vacinas na
Freguesia (gripe sazonal, COVID-19, outras), sendo que estas poderiam ser administradas por um ou mais enfermeiros, num espaço próprio da Freguesia, apoiando, através de uma possível parceria com os Centros de Saúde, uma missão que assume uma importância fundamental junto dos cidadãos, e
garantindo o cumprimento do plano de vacinação de uma forma mais célere e eficaz.
– Propõe-se a criação de um Banco digital de Tradições e da Cultura Popular da Guarda, em conjunto
com as Forças Vivas da Guarda, nomeadamente com o Centro Cultural da Guarda e com a Associação dos Jogos Tradicionais da Guarda, como forma de preservar e promover a identidade cultural guardense.
– Propõe a criação de uma plataforma de promoção do comércio local da Freguesia, com
acompanhamento as necessidades mais prementes do setor e a garantia de todo o apoio possível por
parte da autarquia da Freguesia, seja pela organização de iniciativas, acompanhamento da sua atividade ou criação de um programa dedicado a apoiar a economia local neste próximo ano que se prevê bastante exigente.
– Por último, o GPS AFG, mantendo em atenção todas as verbas previstas para o Orçamento da Freguesia e as atuais necessidades sociais prementes, propõe um aumento significativo das verbas alocadas à área social, com um vigoroso aumento no apoio prestado aos cidadãos em situação de maior vulnerabilidade.
Do resultado à análise aos dados transmitidos, O GPS AFG acredita que, pese embora careçam de um devido esclarecimento e profundidade de informação sobre os mesmos, à primeira vista “transparecem uma política idêntica aquela que a Junta de Freguesia da Guarda tem procurado desenvolver nos anos que nos antecederam, o que não se compagina com o atual período e com a atual realidade da nossa comunidade, que apenas pode exigir à sua Junta de Freguesia uma ação próxima e de acordo com as suas reais preocupações e necessidade”.
Por fim, a missiva assinala que “tempos extraordinários obrigam a execução de ações extraordinárias”, assegurando o GPS AFG que “a Junta de Freguesia poderá sempre contar com uma permanente participação, maior justiça na avaliação e total cooperação para garantir uma ação adequada às reais prioridades dos cidadãos da Guarda”.

Comissão Política da Federação do PS elegeu restantes órgãos componentes

A recém-eleita Comissão Política da Federação (CPD) do PS Guarda realizou a sua 1ª reunião do novo mandato (2020 a 2022) na passada quinta-feira, dia 1 de outubro, pelas 21h30m, no Auditório dos Serviços Centrais do Instituto Politécnico da Guarda, utilizando um modelo misto, presencial e por videoconferência.

Dos pontos da ordem de trabalhos, constaram eleições várias, nomeadamente a mesa da CPD, a Vice-Presidência da Federação e o Secretariado da Federação do PS Guarda.

A mesa da CPD será composta por Ana Mendes Godinho, que presidirá, e secretariada por Carlos Filipe Camelo e António Monteirinho.

A CPD elegeu ainda sob proposta do Presidente da Federação, Alexandre Lote, como Vice-Presidente Cláudio Heitor Rebelo e o Secretariado Federativo, que será composto por Cláudio Rebelo, Cristina Sousa, Armando Almeida, Bruno Veiga, Inês Carvalho, Bruno Costa, Nélia Faria, Daniel Osório, Jorge Brito e Rita Mendes.

Durante a assembleia socialista houve também espaço para discutir e sufragar quatro moções setoriais apresentadas pela Juventude Socialista, subordinadas às temáticas do ambiente, ensino superior, organização interna do partido e trabalho remoto, que transitaram do Congresso Distrital de Seia realizado a 12 de setembro de 2020, que consagrou Alexandre Lote como Presidente da Federação.

Ana Mendes Godinho nova presidente da Comissão Política Distrital do PS

Teve lugar no Pavilhão desportivo de S.Romão, o congresso da Federação Distrital da Guarda Socialista, em formato online, com a presença de alguns elementos.

Deste modo , depois das respetivas intervenções, foi assim posta a votação a lista para a nova Comissão Política Distrital do PS, proposta por Alexandre Lote, Presidente da Federação Distrital Socialista, onde foi eleita.

Assim Ana Mendes Godinho é a nova Presidente da  Comissão Política Distrital do PS, seguido de Carlos Filipe Camelo, António Monteirinho , Rita Mendes, Miguel Pires e Manuel Fonseca.

Foto:FS

 

Guarda acolhe Cimeira luso-espanhola

Foi anunciado, por António Costa, primeiro-ministro , que a cidade da Guarda vai acolher  a próxima cimeira luso-espanhola  a ter lugar no final de setembro e início de outubro, onde o  tema central “A estratégia comum de desenvolvimento transfronteiriço”.

Vai ser uma forma de a cidade mais alta ter algum desenvolvimento no que toca à economia local, onde Carlos Chaves Monteiro, referiu à Lusa que: “valoriza a cooperação ibérica e valoriza a Guarda, como cidade transfronteiriça. Afirma também esse eixo importante do seu desenvolvimento que é potenciar a colaboração que já faz através do Centro do Estudos Ibéricos, com as Universidades de Coimbra e de Salamanca, e o Instituto Politécnico da Guarda”

Por sua vez, António Monteirinho, lider da Concelhia do PS, já reagiu em comunicado salientando que:” A Guarda será o centro da definição desta estratégia que será a “prioridade fundamental para responder à atual crise”.
O Governo Socialista reafirma a intenção de “robustecer estes territórios para podermos
sair da crise”. O simbolismo desta escolha é um orgulho para o PS Guarda e um motivo
para continuar a acreditar que o PS nunca falta, nem faltará à Guarda.

Autárquicas 21-João Azevedo vai avançar para a candidatura ao Município de Viseu

Estamos a cerca de 15 meses das Autárquicas 2021, já começam a preparar-se alguns candidatos para as cadeiras das Autarquias, assim em Viseu, vai mesmo avançar o atual deputado socialista João Azevedo.

Depois de dez anos a liderar o Municipio de Mangualde, atualmente na Assembleia da República, vai agora começar a preparar a caminhada para chegar a Presidente da Câmara de Viseu, pelo PS, assim confirmou o partido.

Vai ter de enfrentar o atual presidente Almeida Henriques que ainda pode se recandidatar para mais um mandato.

Concelhia do PS da Guarda envia carta aberta aos guardenses

Nesta fase da quadra pascal e face à situação atual da Covid-19, a Comissão Política da Concelhia do PS da Guarda , liderada por António Monteirinho enviou uma carta aberta aos guardenses que que refere o seguinte:

“A nossa Cidade, o País e o Mundo vivem momentos verdadeiramente difíceis, na sequência da
propagação mundial da COVID-19.
O Partido Socialista da Guarda tem vindo a acompanhar, com particular preocupação, a
evolução desta pandemia, procurando compreender, com lucidez, o impacto real desta doença
e as suas consequências diretas, ao nível social e ao nível económico.
É certo que sentimos, em cada dia, os efeitos de um afastamento social a que não estávamos
habituados, mas também é verdade que aprendemos a reinventar-nos, adaptando as nossas
vidas, os nossos hábitos e, até, as nossas tradições culturais, às contingências de um momento
da nossa história que nunca imaginámos poder vir a experimentar.
Entendemos, por isso, que este é o tempo de procurar semear esperança, de encorajar e de
colaborar, ativamente, com todos os agentes políticos e administrativos com responsabilidade
na vida dos cidadãos da nossa cidade e do nosso concelho.
Os Guardenses sabem que podem contar, sempre, com o trabalho, com a dedicação e com o
empenho do Partido Socialista. E, sabem, também, que não temos necessidade de entrar na
euforia da apresentação de propostas e de medidas avulsas para fazermos, com seriedade, o
trabalho que tem de ser feito, em prol da melhoria das condições de vida dos nossos
concidadãos, de modo particular, nestes tempos conturbados, que exigem dos políticos e dos
partidos contenção e responsabilidade.
Entendemos que este não é o tempo para esgrimir argumentos políticos, nem para vincar
posições ideológicas. Este é o tempo de concentrar todos os esforços em torno da verdadeira
razão da nossa luta: as pessoas.
Enaltecemos a atuação corajosa, mas responsável e equilibrada, do Governo do Partido
Socialista na gestão desta crise provocada pela pandemia, que tem merecido referências e
elogios a nível internacional, bem como todo o conjunto das medidas de apoio aos cidadãos, às
Concelhia da Guarda
famílias, às empresas e às instituições do setor social e solidário que, prontamente, foram
implementadas.
Manifestamos, também, a nossa solidariedade política e institucional para com a Câmara
Municipal da Guarda e para com todas as Juntas de Freguesia do nosso concelho, esperando
que consigam, com os seus planos de atuação e com as medidas apresentadas, os maiores
êxitos, para bem de todos os cidadãos da Guarda.
Nos órgãos autárquicos próprios, e a seu tempo, apresentaremos as nossas ideias e as nossas
propostas, procurando contribuir, positivamente, para ajudar os Guardenses a ultrapassar esta
crise, adotando, sempre, uma postura de responsabilidade, pautada pelos princípios essenciais
da colaboração, da convergência e da cooperação.
Definitivamente, este não é o tempo para alimentar guerrilhas estéreis, nem para fomentar
querelas que nos desviem daquilo que é realmente importante.
No entanto, não deixaremos de demostrar, ainda assim, com clareza, as nossas convicções,
porque a Democracia não está suspensa e os cidadãos da Guarda exigem de nós que
continuemos a desempenhar, com lealdade, o papel para o qual nos elegeram.
Uma palavra de agradecimento e de estímulo a todos os profissionais de saúde do nosso
concelho, aos bombeiros, aos elementos das forças de segurança, aos voluntários, aos órgãos
de comunicação social do concelho, aos colaboradores do Município da Guarda, incansáveis na
dedicação e criativos na resposta que o momento exige, e a todos aqueles que integram um
vasto conjunto de serviços essenciais para a vida de todos nós, cidadãos.
Queremos demonstrar, ainda, o nosso reconhecimento às instituições do setor social e solidário,
pelo importante papel que desempenham na proteção daqueles que são mais vulneráveis, de
modo particular os nossos idosos, que mais têm padecido com esta doença.
Por fim, uma palavra de encorajamento a todos os nossos comerciantes e empresários.
Aos que mantêm o comércio local e asseguram cadeias de distribuição e fornecimento de bens
essenciais.
O comércio e as empresas são os verdadeiros motores da economia da nossa cidade e do nosso
concelho. Que na dureza e na imprevisibilidade desta crise, os nossos comerciantes e os nossos
empresários consigam encontrar, com a criatividade e a audácia que os caracterizam, novas
janelas de oportunidade de negócio e que possam contribuir, ainda mais ativamente, para o
fortalecimento do tecido económico da Guarda, quando tudo isto passar.
Concelhia da Guarda
A Guarda sabe que pode contar com o Partido Socialista e o Partido Socialista sabe que pode
confiar nessa capacidade de resiliência que, desde tempos imemoráveis, sempre caraterizou os
Guardenses”.

Fornos de Algodres acolheu apresentação e debate do OE2020 aos militantes do PS

A tarde deste sábado, em Fornos de Algodres, ficou mais rica com a apresentação e debate do Orçamento de Estado 2020, perante um Plenário de militantes do Partido Socialista, no Centro Cultural Dr.António Menano.

Face a isso, a mesa foi composta por Rita Mendes, Secretária de Estado da Ação Social, Santinho Pacheco e Cristina Sousa, Deputados à Assembleia da República do Partido Socialista eleitos pelo círculo eleitoral da Guarda, Filipe Camelo, Presidente da Comissão Política do PS Guarda – Federação Distrital da Guarda do Partido Socialista, e Manuel Fonseca, Presidente da Concelhia de Fornos de Algodres do Partido Socialista.

Assim o Novo Orçamento de Estado para este ano 2020, foi apresentado e debatido nos diversos pontos inerentes, onde segundo os socialistas novas medidas de emprego, igualdade, crescimento e fixação de jovens no interior.

foto:FP

Legislativas 19-PS entregou no tribunal lista dos candidatos pelo Distrito da Guarda

Teve lugar , nesta segunda feira, no Tribunal da Guarda a entrega das listas dos candidatos às próximas legislativas de 6 de outubro, pelo Mandatário Distrital António Manuel Fonseca.

Face a isso, os candidatos que vão a eleições são: Ana Mendes Godinho,  Santinho Pacheco, Cristina Sousa, Fábio Pinto, Marisa Sousa e Rita Mendes.