Início » Região (Pagina 2)

Região

CIM Viseu Dão Lafões promove separação de biorresíduos

Programa “RecolhaBio” foi assinado com o objetivo de impedir que resíduos biodegradáveis cheguem aos aterros

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões promoveu a assinatura de contratos no âmbito do Programa “RecolhaBio – Apoio à Implementação de Projetos de Recolha Seletiva de Biorresíduos”. As assinaturas aconteceram à margem do Conselho Intermunicipal da CIM, que se realizou no Auditório Carlos Paredes, em Vila Nova da Paiva, sendo que o somatório dos contratos assinados perfaz um investimento superior a 540 mil euros.

O “RecolhaBio” é um programa apoiado pelo Fundo Ambiental, que visa aumentar a quantidade e a qualidade da recolha e reciclagem dos biorresíduos, como sejam os resíduos alimentares e os resíduos biodegradáveis de jardins e parques.

Pretende-se que estes biorresíduos sejam reciclados na origem, reduzindo a deposição em aterros, de modo a obter benefícios ambientais da sua valorização e evitando, por outro lado, os custos e impactos decorrentes da necessidade da sua eliminação.

“Os biorresíduos estão presentes no dia a dia de todos os cidadãos e representam mais de um terço do nosso caixote do lixo. No entanto, quando são recolhidos de forma seletiva, e devidamente encaminhados para tratamento e valorização, têm um potencial positivo, tanto a nível ambiental como económico, que deve ser aproveitado. O programa assinado por autarcas da região Viseu Dão Lafões é um passo importante para continuarmos a promover a transição verde, num território que queremos cada vez mais sustentável, inteligente e economicamente competitivo”, explica Fernando Ruas, Presidente da CIM Viseu Dão Lafões.

São objetivos específicos do Programa “RecolhaBio” promover projetos ou iniciativas que incidam no aumento da capacidade dos municípios, para assegurar o desvio na origem e a recolha seletiva de resíduos urbanos, com particular ênfase nos biorresíduos.

Este programa contempla, nomeadamente, apoios para projetos de recolha seletiva de biorresíduos; projetos de compostagem comunitária ou doméstica; projetos que assegurem o desenvolvimento de mecanismos de monitorização e obtenção de informação neste processo; e iniciativas e atividades de sensibilização e de capacitação que contribuam para a separação dos biorresíduos.

Os investimentos aprovados incluem a infraestruturação e aquisição de equipamentos associados a esse serviço, assim como a sensibilização dos utilizadores para melhorar as suas práticas.

No território de Viseu Dão Lafões, o financiamento do Programa “RecolhaBio” ascende aos 540.976,49 euros, com uma taxa de cofinanciamento de 100%.

Foto: CIMVDL

AF Viseu participa no torneio AFA Talent Sub-23 de Futebol Masculino

Aveiro vai receber o  torneio AFA Talent Sub-23 de Futebol Masculino, organizado pela Associação de Futebol de Aveiro,  no próximo sábado, 28 de janeiro, na Aldeia do Futebol, em Aveiro, onde estarão presentes a Associação de Futebol de Aveiro, a Associação Futebol Évora, a Associação de Futebol de Bragança e a Associação de Futebol de Viseu.
O Selecionador Distrital, Miguel Vargas, convocou 20 atletas para o Torneio.
𝗘𝗶𝘀 𝗮 𝗹𝗶𝘀𝘁𝗮 𝗱𝗲 𝗰𝗼𝗻𝘃𝗼𝗰𝗮𝗱𝗼𝘀:
ASSRD Vila Chã de Sá – Clube José Carvalho, Gonçalo Correia, Lucas Figueiredo, Pedro Branco, Guilherme Marques
Clube Desportivo Cinfães Marcelino Andrade, Vasco Ferreira, José Mendes
CFV – Clube de Futebol os Viriatos Diogo Ribeiro, Guilherme Rego
Grupo Desportivo Santacombadense Francisco Mira, Rodrigo Mota, Rodrigo Martins, Gonçalo Silva, João Miroto, João Santos
União Desportiva Sampedrense João Ventura, João Oliveira, Gonçalo Oliveira
Viseu United FC Rodolfo Costa

Assim a AF Viseu defronta AF Bragança e por sua vez AF Aveiro frente à AF Évora.

Ricardo Duarte(Mangualde) já orienta o Castro Daire

Ricardo Duarte(Mangualde)é o novo treinador do  Castro Daire que milita no Campeonato de Portugal e tem como objetivo a manutenção.
Recorde-se que como treinador orientou o GD Mangualde e o CR Ferreira de Aves.
Na sua longa carreira de jogador, fez grande parte da formação no Sporting CP, depois de ter começado no GD Mangualde.
Conta ainda com passagens pelo Oriental, Paços de Ferreira, Freamunde, CD Tondela e Lusitano de Vildemoinhos. Passou pelo estrangeiro, ao serviço do DOXA do Chipre e Recreatrivo Caála de Angola antes de terminar a carreira onde tudo começou.
O novo treinador da Associação Desportiva de Castro Daire já orientou o primeiro treino, auxiliado pela nova equipa técnica.
foto:CD

Fornos de Algodres-Quinta do Cruzeiro recebeu 9.8 na plataforma Booking

Aqui deixamos uma nota de destaque para o alojamento local do concelho de Fornos de Algodres, denominado Quinta do Cruzeiro, que foi presenteado com quase nota máxima, 9.8, pela plataforma Booking, o que dá assim uma imagem de excelência a este alojamento que se situa, num ponto estratégico do concelho, na Mata-Sobral Pichorro e que deverá ter nesta altura um aumento de fluxo também devido às diversas Feiras nesta região. Ainda possui uma vista excelente para a paisagem serrana.

 

Obras de conservação e restauro da capela de Sebastião inauguradas

Decorreu este sábado, dia 21 de janeiro – Dia de São Sebastião, a inauguração das obras de conservação e restauro da capela de Sebastião, em Mangualde. A capela de S. Sebastião está situada na localidade de Santiago de Cassurrães, na União das Freguesias de Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães, no concelho de Mangualde.

A cerimónia, que contou com a forte adesão da população da localidade, teve início pelas 15h30, com a celebração de missa pelo Senhor Abade Celestino Ferreira. O momento contou com as presenças do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Marco Almeida, do Vereador da Câmara Municipal de Mangualde, Rui Costa, do Presidente da União das Freguesias de Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães, Rui Valério, e restante executivo. Estiveram ainda presentes outros responsáveis da Paróquia de Santiago de Cassurrães, o responsável pela empresa de conservação e restauro, Arqueohoje e outros intervenientes na gestão do processo.

Marco Almeida destacou que estamos perante a recuperação e valorização de um bem que integra o património edificado de grande notabilidade do território. As obras permitiram a preservação dos traços arquitetónicos, mas também de toda a história cultural e religiosa da freguesia”.

INVESTIMENTO DE CERCA DE 70 MIL EUROS

A obra representou um investimento de cerca de 70 mil euros, com 80% de financiamento comunitário. A capela é do século XVIII. A intervenção incidiu na recuperação das madeiras do teto e nas magníficas pinturas do estilo barroco que exibe – no concelho existem apenas dois templos com a técnica de trompe l’oeil. Esta e a Igreja da Misericórdia, facto que a distingue no panorama do património religioso da região. Também o retábulo do altar-mor foi recuperado. A restante intervenção verificou-se ao nível das paredes, cobertura e pavimentos.

EIP´S apresentadas ao Município de Fornos de Algodres

  Os Paços do Concelho do Município de Fornos de Algodres, acolheram a apresentação ao executivo municipal das duas EIP (Equipas de Intervenção Permanente), dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres.
Deste modo, a cerimónia teve lugar no exterior com a parada e depois no Salão Nobre , com a presença do Presidente do Município, Manuel Fonseca, Vice -presidente, Alexandre Lote e vereadora, Luísa Gomes , ainda o Presidente dos Bombeiros, Fernando Rodrigues e o Comandante Armando Costa. Recorde-se que recentemente teve lugar a posse dos novos  órgãos sociais, novo Comandante e da 2ªEIP.

Desta forma , a constituição destas Equipas, resulta de um protocolo entre a Câmara Municipal, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres e prevê a constituição grupos de cinco elementos em regime de permanência.
Segundo , o corpo de Bombeiros, “com estas Equipas pretende-se ver reforçada a prontidão na resposta às ocorrências que impliquem intervenções de socorro às populações e de defesa dos seus bens”.

Fotos :BVFA

Artigo de Sandra Correia – A profissão das profissões

Vamos falar de professores. Não, não pare agora. Muito tem sido dito e escrito sobre os professores. A sociedade é bombardeada por notícias televisivas, entrevistas a ministros e debates confusos sobre os professores. A verdade é que tanta informação controversa provoca ideias erradas sobre uma profissão que, em tempos, era nobre. Quem não se lembra da valorização e dignificação do Sr. Professor?

Hoje, remamos em sentido inverso. O professor, que mantém a profissão das profissões, deixou de ser respeitado, quer por quem governa, quer pela população, em geral. Eu sou professora, por paixão, gosto mesmo do que faço, desde ensinar português, promover e desenvolver atividades que propiciem ferramentas para os futuros cidadãos e criar laços de afeto com os meus alunos. É verdade, nem sempre corre tudo bem: a falta de interesse, de empenho, a indisciplina são pedras que procuro afastar do caminho, das mais variadas formas e acreditem, é possível ter sucesso, é possível mover os alunos para cumprirem o seu objetivo: aprender, querer aprender, questionar…obviamente, haverá sempre exceções. Sim, ponho o meu amor à profissão, por ter a sorte de estar numa escola onde me sinto feliz, à frente da minha luta contra o sistema, mas não deixei, nunca, nem deixo de reivindicar os meus direitos e revoltar-me contra as injustiças.

Dito isto, vou ao cerne do assunto deste meu artigo: elucidar o que está na base da batalha entre Ministério da Educação e professores. É de extrema relevância que a sociedade compreenda o que fundamenta a luta da classe docente. Com um novo governo, nasce um novo ministro que se lembra de alterar o diploma dos concursos de colocação. Há muito que se pede a redução das zonas pedagógicas e prevê-se que seja feita e uma colocação por graduação. O problema está no facto dos professores de quadro de zona virem a ser colocados em escolas por decisão ou escolha do grupo de diretores dessa zona. Simplificando: imaginem os diretores da CIM das Beiras e Serra da Estrela reunidos para escolherem os professores que lá ficaram colocados. O ministro não mente quando diz que não haverá municipalização nos concursos, omite como será feita a colocação nas CIM. Cai assim a regra da graduação. Outra situação que tem vindo a desgastar os professores é a sua avaliação de desempenho para progressão na carreira aos quinto e sétimo escalões, onde impera o sistema de quotas. São milhares de professores retidos nas listas, à espera de vaga. Em nenhuma área da administração pública isto acontece. Para não falar da não contagem de tempo de serviço de mais de seis anos de serviço efetivo, no tempo do congelamento da Troika.

Prossigo com outra luta, mais delicada, a mobilidade por doença, este ano restrita a vagas decididas pelos diretores e a um concurso num raio de 50 km, em linha reta, e professores do quadro de escola impedidos de concorrer a escolas que distem 20 km em linha reta da sua residência. Ainda acusaram os docentes de falsear declarações médicas! Contrataram juntas médicas para verificar declarações médicas!! Até hoje, faleceram três docentes que não obtiveram a mobilidade. Poderiam ter morrido na mesma?

Não sabemos. Emocionalmente e fisicamente, estas alterações não deixaram indiferentes milhares de docentes a necessitar de colocação para os seus cuidados médicos. Como toda a classe média, os vencimentos não têm tido aumentos dignos, em 2026, o vencimento mínimo estará nos 900 euros e um professor com 28 anos de carreira ganhará pouco mais de 1300€ a avaliar pela taxa de aumento que têm vindo a aplicar. Poderia elencar outras situações, fico por aqui. Reitero que não trocaria a minha profissão por outra, vou buscar a gratificação nos meus alunos, na soma de amigos-alunos que criei para a vida, em muitos anos de trabalho de conquistas e reconhecimento, no entanto, uso a minha voz e as minhas palavras para apelar à justa e merecida valorização e dignificação dos professores, ao respeito das suas funções. Os professores formam os futuros profissionais da sociedade, seja qual for a área de trabalho. A Educação é um pilar da sociedade, a par da Saúde, e tem sido literalmente descurada da visão dos vários governos dos últimos anos. Os professores têm, na sua grande maioria, mais de cinquenta anos, muitos mais de sessenta, estão cansados das sucessivas injustiças e iniciaram uma luta, que espero, não seja abafada.

É a hora de quem manda, olhar com olhos de ver esta realidade, sob pena de não ter professores para colocar nos próximos anos. É a hora de sermos compreendidos pela sociedade, nomeadamente, os pais e encarregados de educação que só podem desejar o melhor para os seus educandos: uma educação de qualidade.

 

Artigo de Luís Condeço—Quente e Frio – cuidados a ter no Inverno

Autor

Luís Miguel Condeço

Professor na Escola Superior de Saúde do IP da Guarda

No passado dia 21 de dezembro, pelas 21 horas e 47 minutos ocorreu o Solstício de inverno, evento astronómico que marca o início da estação mais fria do ano – o Inverno. Este momento em que o sol se posiciona mais a sul do planeta, também se chama de “inverno boreal” no hemisfério norte, e caracteriza-se pelo dia com a noite mais longa.

Estes factos meteorológicos são do conhecimento geral das populações circundantes da cidade mais alta do país, a Guarda, que além de Farta, Forte, Fiel e Formosa, é também – Fria, registando-se temperaturas médias máximas de 8ºC e mínimas de 1ºC no mês de janeiro, com as noites a rondar os -5ºC de temperatura média.

As temperaturas negativas ou quase negativas do inverno são já habituais para as gentes do distrito da Guarda, contudo vale sempre a pena relembrar que esta variação climática é a causa de agravamento de doenças e problemas de saúde.

A proteção do frio em segurança deve ser uma preocupação de todos, mas com especial cuidado para os grupos mais vulneráveis:

– Adultos com mais de 65 anos;

– Recém-nascidos e crianças com menos de 5 anos de idade;

– Pessoas portadoras de doença crónica;

– Pessoas com carências económicas;

– Grávidas;

– Pessoas com doença mental.

Em geral, devem ser adotados comportamentos preventivos: 1) evitar sair de casa nos períodos em que a temperatura do ar atinge o seu mínimo (no caso dos grupos vulneráveis, estes devem manter-se em locais abrigados e solicitar a familiares a entrega de alimentos, medicamentos e outros bens); 2) adequar o vestuário ao local onde se encontram, usando várias peças de vestuário e que não restrinjam a mobilidade (facilita a circulação sanguínea); 3) utilizar calçado confortável, quente, com boa aderência ao piso (que por vezes pode ser escorregadio) para evitar quedas; 4) proteger adequadamente as extremidades do corpo (a cabeça com gorro e cachecol / as mãos com luvas); 5) hidratar adequadamente a pele mais exposta às baixas temperaturas; 6) reforçar a hidratação corporal com a ingestão de líquidos, preferencialmente líquidos quentes como os chás e as sopas; 7) a ingestão de bebidas alcoólicas deve ser evitada; 8) ingerir por dia pelo menos 5 refeições onde estejam incluídos legumes e frutas; 9) o exercício físico deve ser mantido, desde que não seja intenso e no exterior quando está muito frio.

A adequação de comportamentos e atitudes a adotar devem ter em conta o local onde as pessoas se encontram: se no exterior, e tendo em conta a circulação automóvel, os cuidados devem incidir nas manobras em segurança perante o piso escorregadio devido à neve ou ao gelo, devendo a temperatura dentro do veículo ser amena e confortável; se em um espaço interior, domicílio ou local de trabalho, recomenda-se:

  • O espaço deve ser ventilado e arejado, permitindo a regeneração do ar, nos períodos em que a temperatura exterior é mais elevada. Depois, devem as portas e janelas estar bem fechadas, evitando correntes de ar;
  • Se estiver com pessoas dos grupos vulneráveis, a temperatura ambiente deve se mantida perto dos 18ºC. No caso de indivíduos saudáveis, aceitam-se temperaturas inferiores desde que se sintam confortáveis;
  • Verifique o normal funcionamento dos equipamentos de aquecimento antes de os usar e certifique-se que tem um abastecimento suficiente (lenha, gás, eletricidade ou outros) para estes equipamentos;
  • Mantenha as crianças e idosos, longe dos equipamentos de aquecimento, de modo a evitar queimaduras, assim como, materiais potencialmente inflamáveis de modo a evitar incêndios;
  • Os equipamentos de aquecimento exterior não devem ser utilizados no interior das habitações, ou vice-versa;
  • Se utilizar lareiras, braseiras, ou equipamentos a gás, mantenha o local bem ventilado de modo a evitar a acumulação de gases nocivos como o monóxido de carbono. Segundo o Instituto Nacional de Emergência Médica, a inalação deste gás foi responsável pela morte de 42 pessoas entre 2012 e 2018, em Portugal;
  • Quando aquecer a cama, se utilizar botija de água quente nunca se deite sem a retirar antes, pois o rebentamento das botijas de água quente é responsável por queimaduras nos pés e membros inferiores, com necessidade de hospitalização. Se utilizar cobertores elétricos, deve sempre desligá-lo antes de se deitar;
  • Nunca saia de casa, sem se certificar que desligou todos os equipamentos de aquecimento.

A utilização inadequada de fontes de calor e equipamentos de aquecimento nos períodos de inverno, é por vezes mais nociva e de risco, que a exposição a baixas temperaturas.

Avisos e Liturgia do III Domingo do Tempo Comum – ano A

O texto do evangelho deste Domingo tem a preocupação de afirmar que em Jesus se cumpre a mensagem de libertação e de paz para os gentios da “terra de Zabulão da terra de Neftali”, “caminho de mar, além do Jordão”, duas tribos de Israel, que estavam sob o domínio assírio. O profeta Isaías anuncia a destruição do jugo assírio: verão uma grande luz, portadora de paz e deixarão de habitar nas trevas. Como esta passagem nos recorda a luz do Natal do Senhor! Na noite de Natal, o profeta Isaías anunciava o nascimento de um menino da linhagem de David, que vem restabelecer a liberdade e a casa de David, garantia de paz e de harmonia para todos os povos. O “dia de Madiã” refere-se à vitória de Gedeão e recorda que a libertação virá, graças à intervenção divina, que trará a paz. Além da terra de Neftali e de Zabulão, o evangelho fala da Galileia, terra de fronteira, de encruzilhada de povos, ou seja, o povo judeu (o povo escolhido) relaciona-se com povos pagãos que acreditam noutros deuses. Todos estes povos são convidados a ser o povo de Deus, um povo de povos. Segundo o evangelista Mateus, é a partir da Galileia que se inicia o anúncio da Boa Nova do Reino. Mas também é para a Galileia que, depois da ressurreição, Jesus convida a ir os seus discípulos, para, daí, os enviar a todos os povos. Jesus situa-se na fronteira, na encruzilhada, na periferia. No evangelho, encontramos três momentos. O primeiro momento introduz a actividade de Jesus com um comentário a revelar o cumprimento da profecia, a visão da luz, e o surgir de um reino de justiça e de paz. O segundo momento narra o chamamento e a resposta dos irmãos Pedro e André, e dos irmãos Tiago e João. É um momento de conversão, ou seja, de mudança de estilo de vida perante o anúncio de Jesus. O terceiro momento descreve a actividade de Jesus em toda a Galileia: o anúncio da “boa nova do reino” e as curas de todas as doenças e enfermidades entre o povo. Enquanto a missão de João Batista, o profeta do deserto, se vai desvanecendo, levanta-se “uma grande luz” que realizará a esperança messiânica anunciada por Isaías em favor dos povos oprimidos. A prisão de João assinala o início da missão de Jesus. Cafarnaum, situada na terra de Neftali e de Zabulão, é o centro de irradiação da missão. Já não estamos no deserto, no lado oriental do Jordão, passagem para a terra prometida; mas em Cafarnaum, “o outro lado do Jordão”, onde já resplandece a luz. Jesus começa a revelar-se como servo do Senhor e como “luz das nações”, anunciando que “está próximo o reino dos Céus”. Para acolher esta mensagem, é necessário arrependimento, conversão. O convite à conversão é acolhido pelos irmãos pescadores que Jesus vê e chama. Jesus propõe-lhes uma nova missão em relação ao seu estilo de vida: seguir Jesus é ser pescadores de homens, ou seja, é salvar todos os homens e mulheres. Para esta missão, é necessário caminhar na luz para que não vivamos com medo e dominados pelas injustiças. Nós temos a certeza de que não caminhamos sozinhos, mas com Jesus, como companheiro de viagem que, sempre nos convida a não nos desviarmos da rota que Ele nos indica. Este esforço chama-se conversão. Quando Jesus nos chama, agrada-lhe muito a nossa prontidão, disponibilidade e desprendimento. Finalmente, Jesus quer discípulos com um coração totalmente entregue a Ele, sem receios e medos. Não lhe agradam conflitos, divisões, porque isso não ajuda na credibilidade do anúncio da Boa Nova. A principal raiz dos problemas e das divisões é a vontade de criar uma Igreja “à minha maneira, segundo os meus critérios, ao meu estilo”, tentações tão presentes na Igreja de hoje. Deus não quer sectarismos, mas quer que as feridas e as mágoas sejam sublimadas pela comunhão e por uma linguagem de tolerância, de respeito e de delicadeza, pois é o que requer uma Igreja que é o Corpo de Cristo.

 

22-01-2023

LEITURA ESPIRITUAL

«Para aqueles que habitavam na sombria região da morte, uma luz se levantou»

 

Cristo, digna-Te acender pessoalmente as nossas candeias, Tu que és o nosso Salvador; fá-las brilhar sem fim na tua morada e receber de Ti, luz eterna, uma luz indefectível. Que a tua luz dissipe as trevas e, através de nós, faça recuar as trevas do mundo. Peço-Te pois, Jesus, que acendas a minha candeia com a tua própria luz, e que assim, com essa claridade, eu possa ver o Santo dos Santos, onde Tu, Pai Eterno dos tempos eternos, dás entrada nos pórticos desse Templo imenso (cf Hb 9,11ss).

Que, sob a tua luz, nunca deixe de Te ver e de dirigir para Ti o meu olhar e o meu desejo. Então, só Te verei a Ti no meu coração, e na tua presença a minha candeia ficará para sempre acesa e ardente. Dá-nos a graça, visto que batemos à tua porta, de Te manifestares a nós, Salvador cheio de amor. Compreendendo-Te melhor, que não tenhamos amor senão para Ti, só para Ti.

Que sejas, noite e dia, o nosso único desejo, a nossa única meditação, o nosso pensamento contínuo. Digna-Te derramar em nós todo o amor necessário para que possamos amar a Deus como convém. Enche-nos do teu amor, até que não saibamos amar-Te senão a Ti, que és eterno. Então as águas caudalosas do céu, da Terra e do mar não poderão apagar em nós tão grande caridade, como lemos no Cântico dos Cânticos: «As águas caudalosas não conseguirão apagar o fogo do amor» (8,7). Que se realize em nós, pelo menos em parte, esse crescendo de amor, pela tua graça, Senhor Jesus. (São Columbano, 563-615, monge, fundador de mosteiros, 12.ª Instrução espiritual, 2-3).

 

Ações de sensibilização da GNR Guarda junto dos mais idosos

O Comando Territorial da Guarda, através das várias Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC), encontram-se a efetuar diversas ações de sensibilização, junto dos idosos, relacionadas com burlas, furtos e roubos.
Com o propósito de reforçar a proximidade à população mais idosa, estão igualmente a ser distribuídos calendários de 2023, uma parceria da Guarda Nacional Republicana com a E-Redes.
A visibilidade que este calendário possui no interior das residências torna mais simples, em casos de emergência, o acesso aos contactos do Posto da GNR local (colocados no próprio calendário), que poderão ser fundamentais no apoio e na garantia da segurança dos nossos idosos.