Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: nelas (Pagina 2)

Tag Archives: nelas

Slackline “voa” pelos 4 concelhos do Alto Mondego

É um espetáculo de teatro, mas com a particularidade que é feito em cima de fitas. O primeiro estreou em julho, em Nelas, agora há novos espetáculos em todos os 4 concelhos da rede: Nelas, Gouveia, Fornos de Algodres e Mangualde. Trata-se de uma iniciativa coordenada pelo Campeão Nacional de Slackline, Rui Mimoso, no âmbito da Rede Cultural do Alto Mondego, onde os grandes protagonistas são elementos da comunidade que sobem ao palco para contar diferentes perspetivas de uma história comum. Com o envolvimento da comunidade, espetáculos têm forte ligação ao território.

Espetáculo em Nelas contou com 22 elementos da comunidade

A história por detrás do espetáculo varia de concelho para concelho. Enquanto em Nelas e Mangualde a trama fala de despedidas e de reencontros, das festas e das romarias; em Gouveia, à história junta-se a poesia de Virgílio Ferreira. Em Fornos de Algodres, o desafio é outro, passa por pedir emprestado o olhar do rio Mondego e mergulhar na travessia, no tempo e no espaço, desde a origem aos dias de hoje. A criação faz, ainda, referência às linhas de comboio e ao fadista António Menano. Gouveia recebe os espetáculos nos dias 4 e 5 de setembro. Depois, é a vez de Fornos de Algodres, nos dias 9 de 10 de setembro. A 11 de setembro, o espetáculo regressa a
Nelas. A digressão termina em Mangualde que acolhe o espetáculo no dia 17 de setembro. Todos os espetáculos decorrem ao livre e estão marcados para as 21h30.

Dinamizar o interior do país com atividades culturais distintivas e com uma forte ligação aos territórios é a missão desta iniciativa que quer também aproximar a cultura das suas comunidades. Serão eles os protagonistas. Os espetáculos resultam de um conjunto de capacitações, ondem puderam aprender as bases da modalidade e aplicá-la às artes. Na verdade, um dos pilares desta iniciativa passa pelo intercâmbio cultural entre os vários territórios que têm aqui uma oportunidade de trocar experiências, mas também de desenvolver um sentimento de pertença pela sua terra.

Recorde-se que o projeto “Alto Mondego’ Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Nelas-Exposição Pilar Europeu dos Direitos Sociais inaugurada

Teve lugar na Biblioteca Municipal de Nelas  a inauguração da Exposição Pilar Europeu dos Direitos Sociais, mostra promovida pelo Europe Direct Viseu Dão Lafões, tem como objetivo reforçar os laços de proximidade entre os cidadãos e a União Europeia (UE).

Fruto de uma iniciativa da Representação da Comissão Europeia em Portugal, esta exibição visa dar a conhecer, de forma imersiva, os 20 princípios do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, que constituem o quadro de orientação para a construção de uma Europa social forte, justa, inclusiva e plena de oportunidades. Estes princípios estão estruturados em torno de três grandes prioridades: igualdade de oportunidades e acesso ao mercado de trabalho; condições de trabalho justas; proteção e inclusão social.

Constituída por 24 painéis, esta exposição vai realizar uma itinerância por algumas das bibliotecas que compõem a Rede Intermunicipal de Bibliotecas Viseu Dão Lafões (RIBVDL), marcando presença nos seguintes concelhos: Nelas (30 de agosto a 3 de setembro); Santa Comba Dão (6 de setembro a 11 de setembro); Mangualde (13 de setembro a 18 de setembro); Penalva do Castelo (20 de Setembro a 25 de setembro); Sátão (27 de setembro a 01 de outubro); Castro Daire (4 de outubro a 9 de outubro); São Pedro do Sul (11 de outubro a 16 de outubro); Vouzela (18 de outubro a 23 de outubro). Visitando, ainda, o Centro Europe Direct Viseu Dão Lafões (25 de outubro a 30 de outubro), na Casa do Adro.

Segundo o Gestor do Europe Direct Viseu Dão Lafões, José Carlos Almeida, “Ao promover esta exposição, o Europe Direct Viseu Dão Lafões procura contribuir, a nível local, não só, para estimular o debate público, mas também,  para informar e consciencializar os cidadãos relativamente às mais recentes políticas de âmbito europeu em torno dos direitos sociais”.

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho,“Em 2017, o Parlamento Europeu, o Conselho e a Comissão aprovaram o Pilar Europeu dos Direitos Sociais, um marco na história social da Europa. A CIM, através da RIBVDL, não podia de deixar de se associar a esta iniciativa do Europe Direct Viseu Dão Lafões que procura alargar o conhecimento local sobre a União Europeia e divulgar as suas políticas. Esta iniciativa enquadra-se, ainda, no trabalho que a CIM tem desenvolvido, ao longo dos anos, no domínio da coesão social”, concluiu o Secretário Executivo

Para o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva,”Questões sociais como a igualdade de género e a igualdade oportunidades, a inclusão e a proteção social, assumem, cada vez mais, um papel de destaque nos territórios e, por consequência, na agenda autárquica. Esta iniciativa é louvável, na medida em que concede, às populações, a oportunidade de conhecer os direitos europeus relativos ao seu bem-estar, à sua qualidade de vida e ao desenvolvimento económico e social, contribuindo, assim, para a sua efetivação“.

Obras decorrem a bom ritmo no Novo Cemitério de Canas de Senhorim

Esta é uma infraestrutura há muito reclamada pela Freguesia local e essencial ao desenvolvimento da vida coletiva com qualidade, constitui um investimento de mais de 300.000 euros nesta primeira fase ( permitindo o Cemitério futuras ampliações).

Neste momento, estão já, a ser pavimentados os corredores internos do Novo Cemitério de Canas de Senhorim, seguindo-se os arranjos exteriores, ficando proximamente em condições de utilização.

Divisão de Honra FEIFIL FEIJÃO E FILHOS com sorteio efetuado

O Auditório Carlos Costa, na sede da AF Viseu, acolheu o sorteio da Divisão de Honra FEIFIL FEIJÃO E FILHOS, S.A, marcaram presença vários representantes de clubes filiados. A Divisão de Honra é composta por 3 grupos, Norte, Centro e Sul, com 8 equipas cada com 14 jornadas, a duas voltas.

Calendário Divisão de Honra

Grupo Norte

1- Nespereira FC

2- CDR Moimenta da Beira

3- ACDR Lamelas

4- CD Cinfães

5- GD Resende

6- GD Parada

7- SC Lamego

8- SC Paivense

1ª JORN 2-1 3-7 4-6 5-8
 2ª JORN  1-3  8-2  7-4  6-5
 3ª JORN  4-1  3-2  5-7  8-6
 4ª JORN  1-5  2-4  3-8  7-6
 5ª JORN  6-1  5-2  4-3  8-7
 6ª JORN  1-7  2-6  3-5  4-8
 7ª JORN  8-1  7-2  6-3  5-4

1ª Jornada | 19.SET.2021

CDR Moimenta da Beira x Nespereira FC

ACDR Lamelas x SC Lamego

CD Cinfães x GD Parada

GD Resende x SC Paivense

Grupo Centro

1- Lusitano FC Vildemoinhos

2- GDC Roriz

3- Carvalhais FC

4- GD Oliveira de Frades

5- AD Sátão

6- UD Sampedrense

7- GD Campia

8- SC Penalva do Castelo

1ª JORN 2-1 3-7 4-6 5-8
2ª JORN 1-3 8-2 7-4 6-5
3ª JORN 4-1 3-2 5-7 8-6
4ª JORN 1-5 2-4 3-8 7-6
5ª JORN 6-1 5-2 4-3 8-7
6ª JORN 1-7 2-6 3-5 4-8
7ª JORN 8-1 7-2 6-3 5-4

1ª Jornada | 19.SET.2021

GDC Roriz x Lusitano FC Vildemoinhos
Carvalhais FC x GD Campia
GD Oliveira de Frades x UD Sampedrense
AD Sátão x SC Penalva do Castelo

Grupo Sul

1- SC Vale de Açores

2- GDR Canas de Senhorim

3- CF Carregal do Sal

4- Moimenta Dão FC

5- Mortágua FC

6- SL Nelas

7- GD Mangualde

8- CA Molelos

 

1ª JORN 2-1 3-7 4-6 5-8
2ª JORN 1-3 8-2 7-4 6-5
3ª JORN 4-1 3-2 5-7 8-6
4ª JORN 1-5 2-4 3-8 7-6
5ª JORN 6-1 5-2 4-3 8-7
6ª JORN 1-7 2-6 3-5 4-8
7ª JORN 8-1 7-2 6-3 5-4

 

1ª Jornada | 19.SET.2021

GDR Canas de Senhorim x SC Vale de Açores

CF Carregal do Sal x GD Mangualde

Moimenta Dão FC  x SL Nelas

Mortágua FC x CA Molelos

As ruas de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres coloridas pela comunidade


Em Fornos de Algodres a 1ªfase está executada,  mas Nelas, Mangualde e Gouveia vão ter as ruas coloridas, com o tema” Paredes do Alto Mondego vão contar a história e homenagear as gentes da terra”.

Cores e linhas vão preencher as paredes e contar a história e as estórias dos que por cá vivem e dos que por cá passam. Trata-se de uma iniciativa do Alto Mondego’ Rede Cultural que desafiou o artista urbano Desy a criar 4 murais, um em cada município. Mas há mais. A comunidade também vai ser chamada a pegar no spray e a pintar a sua terra e criar o seu próprio mural.
4 murais, 4 histórias para contar, 4 puzzles que se juntam numa única narrativa: o Alto Mondego e aquilo que une e diferencia estes 4 Municípios. Em Fornos de Algodres o trabalho já está concluído e a homenagem é ao fadista António Menano, natural do concelho. Os outros murais vão ser pintados muito em breve. Em Gouveia será pintada a ligação à serra e, os pastores serão os grandes protagonistas; já em Mangualde a personalidade escolhida é Ana de Castro Osório, escritora e ativista feminista.
Procuramos homenagear personalidades locais ligadas à cultura e aos territórios. Cada mural tem uma leitura individual, mas todos têm uma ligação comum”, explica Desy que não tem dúvidas: Este projeto de arte urbana é um instrumento muito importante “para embelezar e enriquecer os Municípios”.
Comunidade vai pegar no spray e  pintar a sua terra
Dos 8 aos 80, a comunidade vai ser desafiada a colorir a sua terra. Nos meses de agosto e setembro serão promovidas sessões de capacitação em todos os Municípios. “As pessoas vão ficar a perceber como funciona a arte urbana, quais as técnicas, qual a história e o porquê desta ser uma das artes deste século”, adianta Desy. Da teoria à prática o projeto culmina com a criação de mais 4 murais. Os participantes poderão testar os seus conhecimentos e dar o seu contributo para embelezar os seus territórios.
“O envolvimento da comunidade é para mim a grande mais-valia destes projetos. As pessoas vão poder criar algo que é para o Município delas, mas é também delas. Os murais vão valorizar o Município, mas também vão valorizar as pessoas, muitas delas podem até perceber que é este o futuro que querem seguir e que é possível seguir este futuro”, sublinha.
As primeiras capacitações decorrem em Fornos de Algodres, de 2 a 4 de agosto, depois serão em Gouveia de 12 a 14 de agosto. Mangualde é o terceiro Município a acolher a iniciativa. As sessões decorrem entre 23 e 25 de agosto. A ação termina em Nelas com as capacitações de Arte Urbana a decorrerem de 6 a 8 de setembro.
As inscrições são gratuitas e já estão abertas.
O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

AF Viseu- António Jorge renova pelo GDR Canas de Senhorim

Com o quadro competitivo definido, na AF Viseu, o Canas de Senhorim vai organizando o seu esquema para competir na Divisão de Honra.

Assim os treinadores António Jorge e Paulo Deus renovam, continuando a liderar a equipa sénior masculina do clube, na próxima época. Depois no que toca a renovações de plantel, Manu, Fernando Pedro,  Malas e Renato.

Desta maneira aos poucos, o plantel vai ganhando forma, numa temporada que se antevê muito competitiva.

CIM Viseu Dão Lafões entregou Equipamentos para Técnicos de Fogo Controlado 

No Edifício Multiusos de Nelas, a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões promoveu a entrega de equipamentos para Técnicos de Fogo Controlado.

Teve como objetivo dotar os Técnicos de Fogo Controlado, dos municípios do território da CIM Viseu Dão Lafões, de equipamentos de proteção individual (EPI´S) e das ferramentas necessárias para desenvolverem ações de fogo controlado.

Além da presença do Presidente da CIM Viseu Dão Lafões e autarcas do território, o evento contou com a participação do Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino.

Entre os equipamentos entregues destacam-se: estações meteorológicas portáteis, rádios, mochilas táticas, computadores portáteis, pinga-lumes, bem como todos os EPI´s indispensáveis para a prossecução das ações de fogo controlado.

Nesta cerimónia foi ainda celebrado, entre a CIM Viseu Dã​o Lafões e a GNR , um protocolo de capacitação de recursos humanos no âmbito do uso do fogo controlado.

Recorde-se que, ao longo dos últimos meses, a CIM Viseu Dão Lafões, ao abrigo do projeto LIFE Landscape Fire – Novas Metodologias para Prevenção de Incêndios Florestais, tem desenvolvido ações de capacitação de 25 Técnicos de Fogo Controlado e de 75 Operacionais de Queima, provenientes de diversas estruturas da região Viseu Dão Lafões.

Indo ao encontro das medidas estabelecidas no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas, e da Estratégia Intermunicipal de Proteção Civil e de Proteção da Floresta, o projeto LIFE Landscape Fire permite alavancar novas abordagens à prevenção dos incêndios florestais, fomentando a cooperação territorial.

Segundo o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva, “Esta região foi profundamente afetada pelos acontecimentos de 2017, como comunidade estamos empenhados em desenvolver ações que visem a capacitação de técnicos para uma defesa efetiva da floresta e das populações do nosso território”. 

“Felicito, ainda, todos os municípios pelo trabalho que têm vindo a desenvolver no domínio da proteção civil e da defesa da floresta”, prosseguiu o Presidente do Município de Nelas.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes “A CIM no âmbito do projeto Life Landscape Fire Project, procura dotar a região de um “know-how”, no domínio do fogo controlado, extremamente valioso para o reforço da nossa capacidade de prevenção e combate aos incêndios rurais”.

“Ao capacitar e equipar técnicos no uso de fogo controlado, a CIM Viseu Dão Lafões mostra, não só, o seu compromisso no esforço, que deve ser de todos, para a defesa da floresta; mas também, a sua forte aposta no desenvolvimento económico e social dos espaços rurais e no reforço da resiliência do território”, concluiu o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões.

 

Para o Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino “Há um País que precisa de ser olhado de uma perspetiva dos incêndios rurais, é isso que estamos a fazer. A CIM Viseu Dão Lafões tem sido das comunidades intermunicipais mais interventivas na área dos incêndios rurais e na defesa da floresta, a aprovação do Projeto Life é um reconhecimento, por parte das entidades europeias, do bom trabalho que tem sido desenvolvido neste território“.

Slackline marca arranque da Rede Cultural do Alto Mondego

“Andorinhas” estreia sábado em Nelas e conta com 22 elementos da comunidade

Tudo a postos  para o pontapé de saída da 2ª edição da Rede Cultural do Alto Mondego. O primeiro espetáculo é já no sábado, 3 de julho, em Nelas e os grandes protagonistas são as associações culturais e a comunidade. No total, sobem ao palco 22 nelenses e mangualdenses. “Andorinhas” é o nome desta criação artística que teve como ponto de partida a realidade do território. Os espectadores podem contar com uma performance completamente fora de caixa e muito inovadora. Será “um teatro em cima de fitas” em que os participantes terão muitas histórias para contar, numa homenagem ao Mondego e num apelo às memórias.  O espetáculo, marcado para as 21h30, é ao ar livre, junto à Praça do Município, assegurando-se todas as medidas de segurança indicadas pelas DGS. Este é o primeiro de 7 espetáculos de slackline previstos, nos concelhos de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia.

Fica a promessa: Nunca viu nada assim. O palco são as fitas e é aí que serão revelados todos os segredos do Mondego: o maior dos rios portugueses. O ponto de partida para esta construção artística resulta da realidade do território das Beiras, fortemente marcado pela migração. Muitos partiram à procura de melhores condições de vida, mas, tal como as andorinhas, regressam todos os verões. “Andorinhas” fala assim de despedidas e de reencontros, das festas e das romarias, mas também dos costumes e das vivências, das lendas e dos mitos, do real e do imaginário. “O espetáculo remete para a memória e cada espectador será convidado a criar a sua própria história”, explica Rui Mimoso, capacitador de slackline.

O espetáculo original resulta das aulas de capacitação de slackline. Previsto estão, nesta primeira fase, sessões de capacitação em todos os municípios da rede que irão originar novos espetáculos. Em Nelas e Mangualde as sessões já estão a decorrer. No início do próximo mês arrancam também em Fornos de Algodres e Gouveia. Depois, o objetivo é promover a itinerância dos espetáculos por esta rede cultural. No total serão realizados 7 espetáculos, o próximo é já no dia 3 de julho em Nelas

Participantes das capacitações deram um grande pulo

Das sessões de capacitação, que juntam associações culturais do território e elemento da comunidade, Rui Mimoso faz um balanço muito positivo. Caso para dizer que os participantes deram um grande pulo. “Estão a evoluir muito rápido e a consolidar o que aprenderam”. Das capacitações que já arrancaram o mais novo tem 7 anos e o mais velho 49, mas a grande maioria são jovens. “Para além dos benefícios que esta prática desportiva pode trazer para todos eles, o envolvimento neste espetáculo tem contribuído para estimular o sentimento de pertença. Percebem o que é que a sua terra tem de diferente e todo o potencial que tem. Aprendem a valorizar o seu território”, sublinha.

As inscrições para a capacitação de slackline ainda estão abertas em Fornos de Algodres e Gouveia os interessados devem contactar os municípios: Fornos de Algodres: André Pereira – andrepereira@cm-fornosdealgodres.pt – 967 377 759 |Gouveia: Rui da Eufrázia – reufrazia@cm-gouveia.pt – 961 730 876).

Recorde-se que as sessões de slackline estão a ser orientadas pelo profissional Rui Mimoso, campeão nacional de slackline. O slackline é um desporto que consiste prática de equilíbrio sobre uma linha dinâmica, esticada entre dois pontos fixos. O praticante pode caminhar sobre ela ou fazer manobras e truques, dinâmicos ou estáticos. O principal objetivo desta capacitação é dar conhecimentos técnicos para a prática da modalidade como ferramenta artística. Capacitar os participantes com um know-how que lhes permita montar, usar e praticar slackline com todos os equipamentos de forma segura e variada.

Dança, música, arte urbana há muitas capacitações previstas

 Envolver as associações culturais e a comunidade é uma das máximas desta rede cultural. Neste sentido estão previstas capacitações nas áreas da dança, música e arte urbana.

Na arte urbana, já em agosto, as associações e a comunidade vão juntar-se ao artista plástico Desy para criar 4 murais, representativos desta rede cultural e que representarão a identidade destes 4 territórios.

Para 2022 os desafios são nas áreas da música e da dança. Pretende-se envolver as associações culturais e criar, em cada área, um espetáculo original que partirá em itinerância pelos 4 municípios num total de 8 espetáculos cada.  O primeiro será dirigido por Bitocas e Artur Fernandes e o segundo por Marta Silva.

Acompanhe em primeira mão todas as novidades na página do facebook da Rede Cultural do Alto Mondego.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Reabriram Piscinas de Canas de Senhorim já requalificadas

Teve lugar a inauguração da requalificação das Piscinas de Canas de Senhorim que foram já reabertas no Parque Urbano Professora Maria Benilde Pereira Mouraz.
Deste modo, marcaram presença, o Presidente da Câmara , Borges da Silva e o Tesoureiro da Junta de Freguesia de Canas de Senhorim , nesta cerimónia, da reabertura do requalificado complexo de piscinas de Canas de Senhorim, complexo de piscinas e balneário sujeitos a profundas obras de beneficiação por parte da Junta de Freguesia que contou com o apoio da Câmara Municipal, com substituição de todo o revestimento interior e exterior, bem como da cobertura do balneário, num investimento superior a 55 mil euros.
Grande parte do financiamento para estas obras (40 mil euros) resultou de um donativo à Junta de Freguesia da benfeitora Professora Maria Benilde Pereira Mouraz, facto que a mesma Junta fez questão de assinalar na placa comemorativa da realização das obras.
As piscinas, agora renovadas, passaram também a estar inseridas no Parque Urbano com o nome da benfeitora, conforme deliberação aprovada por unanimidade na Assembleia de Freguesia de Canas de Senhorim sob proposta da Junta de Freguesia.

Nelas recebe “Sentinelas do Mar”

Através uma parceria instituída entre a Câmara Municipal de Nelas e a Autoridade Marítima Nacional, surge o Projeto “Sentinelas do Mar”, com a finalidade de divulgar o património em torno dos faróis nacionais (continentais e insulares).
Neste sentido o objetivo passa por valorizar um património notável e uma história ligada ao mar que tanto honra os portugueses. Os faróis tiveram sempre um papel importante tanto na orientação como também um sinal de regresso a casa durante os séculos. Por isso desempenham um papel importante na cultura, daí serem a grande maioria classificados como Monumentos Nacionais.

O Município de Nelas através do seu Vereador da Cultura Aires dos Santos, também ele pintor, convidou para este projeto 10 conceituados pintores ibéricos neste período pós de confinamento, com o intuito de poderem retomar as suas atividades artísticas.
Etimologia e breve historial da palavra Farol:

“O termo farol deriva da palavra grega Faros, nome da ilha próxima à cidade de Alexandria onde, no ano 280 a.C., foi erigido o farol de Alexandria — uma das sete maravilhas do mundo antigo. Faros deu origem a esta denominação em várias línguas românicas; como em francês (phare), em espanhol e em italiano (faro) e em romeno (far).
Os navegadores da Odisseia guiavam-se por fogos acesos nos promontórios. Um dos fogos mais antigos de cuja existência se sabe, é o que existia na ilha de Faro (Pharos), colocado em cima de uma torre de mármore branco de 135 metros de altura, mandado construir por Ptolomeu Filadelfo. Esta ilha, que pelo seu nome deu origem à palavra farol, foi ligada 285 anos a. C. por um molhe, à cidade de Alexandria. A torre, uma das sete maravilhas do Mundo, devido a vários tremores de terra que sofreu, acabou por se desmoronar em 1302.Em Portugal, o primeiro farol foi mandado acender em 1520, na torre do convento de S. Francisco, no Cabo de S. Vicente”

Cabendo à CMN a coordenação do projeto, gestão técnica das obras e organização evento inaugural  no seu Feriado Municipal! A partir das 15:30h no Balneário dos Ingleses na Urgeiriça a Exposição “Sentinelas do Mar” vai estar patente até domingo passando a itinerante inicialmente na Biblioteca Municipal de Nelas até 11 de julho  e posteriormente em Lisboa na AMN, também nas regiões autónomas e finalizando este ciclo de exposições na Associação das Caldas da Felgueira (parceira da iniciativa).
A exposição é composta por 33 obras dos seguintes 11 artistas:
1. Aires dos Santos
2. Alice Piloto
3. António Dias
4. Graça Freitas
5. José Dell Castillo
6. Lena Jorge
7. Luís Duro
8. Mário Costa
9. Nelson Santos
10. Nuno Angélico
11. Ricardo Rodrigues

Além da componente artística das pinturas, a Autoridade Marítima Nacional vem reforçar essa exposição com documentação e espólio alusivos à temática dos faróis, bem como de garantir o guionamento da exposição com a presença de dois faroleiros para toda a comunidade e publico escolar que queira realizar a visita!